NÃO, NÃO É

ITACARÉ (proa sul) – Não sei se foi com essas palavras exatamente, mas quando Vettel venceu seu primeiro GP, em 2008 pela Toro Rosso, escrevi algo na linha “já fez mais que Senna”, o que despertou o ódio, a ira e os chiliques costumeiros nas ainda precoces redes sociais — blogs entravam nessa categoria. Claro que naquele momento preciso eu me referia ao início da carreira, comparando seu resultado na Itália com as primeiras façanhas de Ayrton em times pequenos, sendo a maior delas um segundo lugar com a Toleman em Mônaco — menos que uma vitória em Monza, por óbvio. No fim das contas, com o passar dos anos, ele faria mais que Senna no geral, também.

Depois daquilo, Sebastian subiu para a Red Bull, deu à equipe sua primeira vitória (China/2009) e seus primeiros títulos, enfileirou quatro taças seguidas (2010 a 2013) e colocou o time no mui seleto grupo dos grandes da F-1. E que ninguém se engane: o alemão não chegou ao tetra chupando cana e assoviando com um carro dominante em todas essas temporadas. Em 2010, foi campeão com meros quatro pontos de vantagem sobre Alonso, então na Ferrari. Só liderou o campeonato em uma corrida, a última. Em 2011, sim, ele e a Red Bull nadaram de braçada. O menino ganhou 11 das 19 etapas e chegou em segundo cinco vezes. No ano seguinte, porém, nova batalha inesquecível com Alonso e o título conquistado na última etapa, em Interlagos, com uma atuação exuberante que lhe garantiu a vantagem de três pontos na classificação sobre o espanhol ainda ferrarista. Em 2013 foi fácil, todos se lembram. Mas na falta de outra coisa para fazer, Vettel foi atrás de recordes. O primeiro, 13 vitórias no ano. Número que só ele e Schumacher (em 2004) alcançaram. Com um detalhe: ganhou nove seguidas, marca que ninguém igualou até hoje.

Tem uma molecada que descobriu a F-1 na Netflix, só conhece Verstappen e Hamilton, tem faniquitos com Norris e Leclerc, acredita que Russell é um gênio e acha que o mundo começou na semana passada com um vídeo do Tik-Tok. Esses olham para Vettel e nada sentem. Além do mais, o cara não tem Twitter, não publica stories no Instagram e não faz dancinhas na frente do celular. Então, nem deve existir.

Incrível que Vettel, um menino, seja tratado como se fosse uma espécie de dinossauro pelas novas gerações de torcedores que não têm sequer o trabalho de ler sobre o cara. Cacete, ele ganhou sua primeira corrida apenas 13 anos atrás! É o terceiro maior vencedor da história, o terceiro maior detentor de troféus da categoria, está em quarto lugar na lista dos que mais fizeram pole-positions, o quinto em voltas mais rápidas, o terceiro em número de GPs e de voltas na liderança, o mais jovem campeão de todos os tempos.

Aí vem a besta do Helmut Marko dizer que Verstappen é melhor que ele.

O quê?

Max é bom. É ótimo, excepcional. O talento mais precoce que a F-1 já viu. Não se pode negar o óbvio. Mas melhor que Vettel? Calma lá, doktor Marko. Para poder afirmar isso, espere seu menino ganhar mais três títulos. E mais 33 GPs. E fazer mais 44 poles. Depois a gente conversa.

Enquanto isso, regozije-se por ter descoberto Sebastian, também. Não precisa diminuir o primeiro para exaltar o segundo. A Red Bull deve muito a Vettel. Ignorar o que ele fez outro dia é, no mínimo, deselegante. A marca de Marko, diga-se.

Comentários

  • Descordo em gênero, número, grau, e whatever more!!!
    Flávio, me desaponta um grande jornalista como você dizer que Seb é melhor que Max. Quando ele venceu em monza tinha o melhor carro do fds, tanto que ganhou de braçada… quando venceu Fernando na ultima corrida, ele já tinha o melhor carro, mas Alonso estava em fase estupenda… Lembre-se que ele só bateu Weber (um Bottas melhorado) e Kimi (já fazendo hora extra no grid), e quando teve um vizinho com talento(Riccardo), tomou pau bonito… Recentemente tem andado algo tipo 60/40 com Stroll
    Mais impressionante que a vitoria de Seb em Monza, foi a de Max na Espanha, segurando uma ferrari pra vencer em sua PRIMEIRA corrida com a Red Bull… Sem dúvidas, Max é melhor que Seb.

  • Hoje dia 13/01/2021, e a situação é a seguinte:
    a) Lewis (com razão) de saco cheio com a tungada que levou por parte de Masi & Cia e da RB, que é pior que a Kaos, a arquirrival do agente 86 , grande Maxwell Smart!
    b) Desta forma esta considerando tirar um aninho de folga e deixar os ignaros da RB falando sozinhos.
    c) E agitam o mercado com a recomendação de ninguém menos que Sebastian Vettel, tetracampeão mundial para tocar o barco na MB.
    d) E o Dr. No Austríaco (Marko) roí as unhas , pensando como pode proteger seu pupilo dileto, o Garoto Enxaqueca Laranja!
    Seria divertido ver a MB fazer de novo um campeão alemão, pilotando um carro alemão, em cima dos chorões da RB , com o Russel em seu ano de aprendizado sendo vice campeão. O choro em Milton Keynes ia ser pungente!

  • Deselegância é a marca do dotô tranqueira.
    Impressionante.
    Além do menino prodígio e de Vettel, passaram por ele dois que hoje são campeões da F-E. Buemi e Vergne. E o véio caolho moeu os dois. Moeu um tetracampeão da Indy como se o cara fosse o Yuji Ide francês (Bourdais). E se o Verstappen entrasse numa má fase, seria moído também.
    Só não moeu o Pérez (ainda) porque é um cara cascudo e, justiça seja feita, o multiverso inteiro sabia que ele não vinha pra disputar título, era pra comboiar o bigodinho de quermesse pro título inédito, tirando pontos do Sir Luís e juntando tacinhas pro repertório. Isso num carro que é feito sob medida pro menino prodígio, uma prima-dona arisca prum cara que tem um controle de carro absurdo.
    E era um piloto sofrível, até onde eu sei. É o típico volante medíocre que depois vira técnico e passa a ser chamado de professor, gênio, craque dos bastidores.

  • Claro que Marko foi deselegante, mas imaginar que o Max precisa levantar mais três títulos para igualar ou superar o Vettel em qualidade soa esquisito. Desse modo, só poderemos julgar os pilotos baseados unicamente em números e estatísticas, torcendo para que uma nova conjunção planetária nutra novas hegemonias técnicas como a que Vettel viveu (Hamilton mais recentemente). Sebastian têm o seu valor imortalizado na F-1, mas se parece precoce eleger hoje o melhor piloto passou que pela Red Bull, é igualmente ingênuo determinar isso baseado em números – e épocas mais felizes – apenas.

  • Não podemos esquecer a ultrapassagem de Vettel em Hamilton na decisão do título em Interlagos, debaixo de chuva. O alemão com uma limitada Toro Rosso deu um “olé” no inglês com a potente McLaren.
    Hamilton só foi campeão na última curva porque a chuva apertou e Glock teve que tirar o pé.

  • O Marko já tem tempo que está apresentando sinais de senilidade, Verstappen tem que remar muito para chegar nas sapatilhas do Vettel ainda, além do mais, se não fosse a batida do Latifi no muro e a intervenção desastrada do Masi na última corrida, sabemos que este título teria sido do comandante Hamilton.

  • É só o Marko fazer o seguinte: chama o Vettel de volta e coloca ali com o Verstappen para a gente ver uma coisinha

    kkkkkkkkkkkk

    Hoje (eu disse hoje) seria engolido. Não tem mais a fome que o Verstappen aparenta ter.

    Parece que se jogou nas cordas.

  • Sei lá.

    Nunca vi tanto brilho assim no Vettel. Questão de gosto, não sei.

    Como disse o Alonso, uma vez (mais ou menos assim): “quando olho para a tv com os tempos é sempre o Hamilton que vejo fazendo algo diferente, a mais”.

    Isso já na época do Vettel…

    Mas vai ver ele queria diminuir o cara que competia contra ele, dando ênfase ao carro.

  • Vettel tem demonstrado ser tambem um cara excepcional, não faz discursos vazios tem atitude, piloto purista gosta de carros, pilotaço me fez voltar a gostar de f1 anos atraz

  • O sr Marko tem que puxar a sardinha para o lado dele, faz parte do jogo, além disso tem essa dor de corno, o Vettel trocou eles pela Ferrari…..é fato que Vettel é um monstro o Marko sabe disso e nós sabemos que ele sabe. Só teatro.

  • Nítido, público e notório que Marko combinou com o Michael Masi só para depois dar uma declaração dessa.

    Como dizemos aqui em Poços de Caldas, “Assim até eu que sou mais tonto.”

  • Marko tá batendo biela faz tempo, só fala asneira. Duvido muito que Garoto-Enxaqueca ganhe mais do que dois títulos, a situação dele me lembra muito o Alonso, panca de predestinado, de fenômeno e próximo megacampeão, ai a realidade chega e dá 11 tapas na cara – 4 de Vettel, 7 de Hamilton, que foi justamente quem fez o espanhol entender que o buraco era mais embaixo.

  • Que venha uma F1 mais equilibrada em 2022, com mais carros no mesmo nível. Se isso acontecer, Vettel virá muito forte! A Aston Martin tem tudo para ser uma das principais equipes nos próximos anos, com todo o investimento na contratação de pessoas e na construção da nova fábrica.

  • Muito bem colocado. Engraçado que na época do auge dele, ele era um menino chato mimado. Eu torcia para o Weber por causa disso.

    Já hoje torço para o Vettel, por tudo que foi posto aqui, e pelo posicionamento dele em causas que nem se discutia amplamente há 10 anos.

    E hoje não tenho apreço pelo Max. Será que ele, daqui a 12 anos, vai mudar da mesma forma? Repetir a história? Espero que sim. Mas hoje, acho que não!

  • Como é bom ler o texto de alguém que tem uma escrita limpa, equilibrada e, mais importante, entende do que fala. Vivemos num tempo de imediatismo e do que chamam de ” fim da memória”. Só o que vale é o hoje, o agora, tudo que aconteceu no passado, mesmo que esse passado seja recente, não tem importância. Rosenmayer, Fangio, Clarck, Hill, Stewart, Lauda, Piquet e tantos outros pilotos maravilhosos que corriam, como diria Jack Brabham, ” numa banheira de gasolina”, não são nada. Acompanhei a carreira de Vettel e posso afirmar, como você mesmo disse, que o cara remou muito para chegar onde chegou. Talentoso e agressivo, Vettel não teve vida fácil. Venceu porque foi o melhor e disputou com outros grandes pilotos. É lamentável que tratem um grande tetracampeão com tal descasso. Ele é grande e não precisa do Helmut Marko confirmar isso

  • Olá, Flávio!
    Isso sem contar o GP do Japão de 2007 – outra tempestade. Estava em quarto quando do acidente com Webber. Liderou três voltas. E na China, aquela corrida seco-molhada que Hamilton errou a entrada dos boxes e perdeu o título provavelmente ali. Foi quarto. Na Itália, em 2008, não ficou só na vitória: também fez a pole em outra corrida com chuva forte e chegou 12,5 segundos na frente do segundo. E isso em uma pista de altíssima velocidade, onde frear meia dúzia de metros depois significa bye bye prova. Em nenhum momento por questões circunstanciais. Ah, tem também a corrida seca-molhada no Brasil em 2008, quando deu outro show e a esperança do título para Massa ao ultrapassar Hamilton no final. Quarto novamente.
    Ninguém, em mais de 70 anos de Fórmula 1, conquistou tanto nos primeiros 6 anos. Foi 8º em 2008, vice em 2009 e enfileirou quatro títulos em sequência depois. E, como você bem disse, dois em cima do Alonso e na última corrida, por margem ínfima.
    Sebastian não é “só” grande. É dos maiores e melhores de todos os tempos. É um caso raro de piloto que nasceu pronto. Para encontrá-lo na tabela é preciso olhar lá em cima. Bem lá em cima.
    Abraço!

  • Este ‘Dotôr Marko ‘ parece mulher chifruda…. só fala mal, mete lenha em fogueira… Fez lá um sucessinho no início da carreira e ficou com extirpe de ‘alguma coisa’, que só Don Giego de Marter sabe….

  • Helmut Marko dizendo imbecilidades já não é notícia, bom seria se essa fosse a única característica besta que ele demonstra no circo, e infelizmente o HM não está só.
    Bom Ano 2022 para si Flávio, e para todos vós aí no Brasil.

  • Tem certas coisas que funcionam ao contrário. Ser diminuído por um cara como o esse Marko, deveria ser uma honra pra qualquer pessoa. Desde sempre se mostrou uma pessoas sem o menor apego por caráter ou qualquer coisa ligada a honra. É um boçal despido de quaisquer escrúpulos.

  • Flávio e sua recorrente necessidade de polemizar sobre o Senna é no mínimo curiosa…

    A parte disso, de fato, Helmut falou pelo calor da emoçao. Ainda é cedo para comparar a era Vettel com a era Verstappen na Red Bull, embora eu acredite que, não havendo mudança no status quo das equipes, o holandês tenha condição de ultrapassá-lo! Mas até, muito pode (ou não) acontecer.

  • um dos problemas dos brasileiro é achar que a seleção brasileira é melhor do mundo; que Rio de Janeiro é a melhor cidade do mundo; que São Paulo é capital do mundo; que Flamengo é o melhor time do mundo; que Senna é imbatível e que sempre será o melhor do mundo; que os militares brasileiros são os melhores do mundo; que Lula é o melhor presidente do mundo; que é o povo mais honesto do mundo; etc. Vettel fez mais do que Senna nesta corrida? Sim, concordo com o blogueiro sem acrescentar uma letra sequer. Ainda que não concordasse, não é razão para sair por aí metralhando quem pensa diferente. Trata-se de uma opinião. Uma inofensiva opinião, afinal, pessoas podem ser substituíveis e records existem para ser batidos. A humanidade evolui a cada movimento de rotação e translação da Terra. Virou moda ser silvícola na internet. O mundo anda chato pra cacete.

  • Apesar de eu achar o Marko um idiota e, também, desnecessária a comparação, neste caso, acho que ele se refere à atualidade… Certeza que se colocassem ambos no mesmo carro, Verstappen andaria melhor. Não acho que ele quis comparar a carreira como um todo. Até porque, isso só será possível quando ambos tiverem concluído suas passagens pela f1. Além do mais, títulos e vitórias não são, necessariamente, parâmetros para definir quem foi melhor.

  • Andre
    Mansell é melhor que Max. Pode ser que mude. Mas….
    Na época a competição era feroz: lembre da foto com ele e Piquet e Senna e Prost juntos (http://s2.glbimg.com/B4-jcSoFySIBqbRM_pmPk6QLBQY=/smart/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2016/09/22/foto_historica_4_pilotos.jpg)
    Fora os números.
    E Nigel também foi campeão na Indy , onde competiu com Andretti, A.J. Foyt e Emerson, entre outros.
    E foi o que eu me lembre o único a deter o título de campeão na Cart e na F1 no mesmo ano (93).

  • Vettel é um cara bacana e talvez seja um dos poucos cidadãos no grid com quem eu gostaria de tomar uma cerveja no bar. Mas não dá para dizer que seu talento está à altura dos seus números porque entregou a paçoca toda vez que encontrou um companheiro de equipe um pouco talentoso. Acho que entrou já no ocaso da carreira e dali não sai mais nada interessante, é figurante nos drive to survive da vida.

  • Sem falar na postura que Vettel tem hoje. Realmente FG, Max precisa suar muito para que a comparação entre os dois faça sentido.
    Eu creio mesmo é que o Marko quer “vender” o Max como um produto visando somente a grana. Até ele sabe que esta afirmação não tem cabimento.

  • O Helmut Marko parece que quer “dar” pro Max.., não é possível tanta babação de ovo assim…
    Desde o começo fica levantando a bola do Max como se ele fosse o piloto perfeito, o melhor que já existiu!
    Ridículo!
    Na verdade, muitos fãs do Max fazem o mesmo…
    O tratamento que dão pro Max parece como daquela criança riquinha mimada que pode fazer o que quiser, que os papais vão elogiar, sabe? Aquela criança que fica gritando em público e os pais dizem “Olha só como ele sabe gritar, que bonitinho!!!”
    Ou que fica atazanando a vida da empregada, e os pais dizem “A Fulana, é que ele gosta muito de você!”.

    O Max é um ótimo piloto, claro, mas não precisa ser colocado no pedestal a cada semana pra continuar sendo.., ele tem talento pra demonstrar na pista o quanto é bom.

    É interessante que pelos comentários fica claro como uma parcela das pessoas não valoriza tudo que o Vettel já fez. Dizem que “desaprendeu a pilotar”….
    Vamos lá então:
    O Piquet foi campeão em 1987 e depois não foi mais, nada. Desaprendeu a pilotar.
    O Senna ganhou o último título em 1991, e depois não ganhou mais. Desaprendeu a pilotar também.
    O Alonso ganhou o último em 2006, e depois? Desaprendeu a pilotar também.
    O Kimi nem se fala…

    Como você diz, Flavio, começaram a assistir F1 ontem, pelo Drive to Survive e pelo TikTok.

  • 1
  • 2