MCLAREN MCL36

GUARUJÁ (fazia tempo…) – Tem uma piada que adoro contar. Se passa num avião, e na fileira 12 estão lá sentados, lado a lado, um papagaio e um executivo de uma multinacional. Passa a comissária e o executivo pede, educadamente, uma dose de uísque. Ela nem olha na cara dele. “Talvez não tenha escutado”, pensa o executivo, e quando ela passa de novo ele repete o pedido, com toda educação do mundo: “Senhorita, por favor, poderia me trazer uma dose de uísque?”. Ela nem tchuns, passa direto.

O executivo não entende a atitude da aeromoça, e quando ela vem novamente em sua direção se prepara para pedir o uísque novamente. Ele era muito polido e cortês, e não levantou a voz: “Senhorita, por gentileza…”, diz. Mas ela segue em passos firmes e sequer nota a presença do passageiro.

Nesse momento, o papagaio se vira e chama a aeromoça. “Ô gostosa, chega mais aqui! Traz uma cerveja pro seu papagaiozinho querido que hoje eu quero encher o tonel!”, grita, e a comissária estanca o passo, se volta para o papagaio, abre um sorriso e se apressa em pegar uma cervejinha bem gelada para a ave. O executivo ao seu lado, claro, estranha aquilo. “Senhor papagaio, isso faz algum sentido? Eu pedi três vezes uma dose de uísque com toda educação do mundo e ela nem olhou na minha cara! O senhor, ao contrário, usou termos chulos em voz alta e ela veio imediatamente! Vou fazer a mesma coisa!”, e incontinenti ergueu o braço e o timbre, não era acostumado a se comportar assim, e berrou, antes mesmo que o papagaio pudesse dizer alguma coisa: “Ô sua bonitona, corre aqui e traz um uísque logo pro pai que tô a fim de beber muito e se bobear estalar um beijo nessa bochecha linda!”.

Foi um corre-corre no avião. “O que é isso, senhor? O senhor não tem respeito não?”, esbravejou a comissária. “Mas, senhora, o papagaio…”, e ela nem deixou o executivo terminar a frase, foi até a cabine, chamou o comandante e, pra resumir a história, ele abriu a porta do avião, que estava a 30 mil pés, e jogou o papagaio e o executivo para fora da aeronave.

Despencando em queda livre, o homem se desesperou, claro, enquanto o papagaio, espantado, olhou para ele e disse: “Cara, pra quem não tem asa tu é bem folgado, hein?”, e saiu voando para outra freguesia.

Acho muito boa a piada, que conto imitando a voz do papagaio com perfeição.

Tudo isso para dizer que para quem não tem asa, essa McLaren é bem folgada, também. Porque uma equipe que não ganha picas há tempos, na falta de um, apresentou quatro carros hoje. QUATRO! Dois de Fórmula 1 (com pinturas diferentes), um de Fórmula Indy e um de Extreme E. Haja pretensão, viu…

Mas tudo bem, é a McLaren. Campeã pela última vez em 2008 com Hamilton, penúltima colocada no campeonato em 2017, que vem se recuperando aos poucos para voltar a ser grande de verdade. Ano passado até ganhou corrida, o que foi muito legal. Dobradinha em Monza com Ricciardo e Norris. No final, terminou o Mundial em quarto, depois de uma boa briga com a Ferrari. Perdeu força depois da vitória na Itália, sabe-se lá por quê. Mas não se pode negar que o time vem readquirindo o viço.

Para tanto, Zak Brown, que assumiu a chefia da equipe em 2018 (em 2016 tinha sido contratado como diretor-executivo), reestruturou a organização nos últimos anos, chegando até a vender o terreno da fábrica em Woking para levantar uma grana, alugando a área logo depois. Dizem que isso é normal no mundo corporativo. A Globo também vendeu sua sede em São Paulo, na Berrini, para pagar aluguel aos novos proprietários. Faz parte.

Uma coisa bacana que pode ser dita desde ontem é que os carros não serão idênticos, apesar das limitações do regulamento. As suspensões de McLaren e Aston Martin são bem diferentes: pull rod na frente e push rod atrás para os papaias, o contrário para os aston-martiners. Não se apeguem muito a esses termos, não vou cagar regra aqui sobre as diferenças que, do ponto de vista da atuação do conjunto, não são muito grandes. Ambas funcionam. Mas a posição dos braços de suspensão ultimamente tem algum efeito aerodinâmico. Os especialistas acham que a McLaren está arriscando. O convencional é usar push rod na frente e pull rod atrás. O problema é que se der errado, não tem o que fazer. Não dá para tirar uma e colocar outra como se fosse a maçaneta de abertura do vidro de uma Variant.

A pintura que será usada no campeonato (o carro com predomínio do preto acho que é só pra fazer graça) é muito bonita, essa combinação de laranja (eles chamam de papaia, e é mais papaia mesmo) com azul e preto é muito elegante. Gostaria de saber o Pantone desse papaia e do azul, vocês têm ideia?

(Pantone é uma empresa fundada em 1962 por um certo Lawrence Herbert, que criou um catálogo de cores associando números e códigos a cada uma delas e todas suas variações, e esse troço virou padrão para o mundo inteiro, tanto que até bandeiras nacionais são definidas hoje por esses códigos. O verde da bandeira do Brasil, por exemplo é PMS 355, o amarelo é PMS YELLOW e o azul é PMS 280. O branco é branco, mesmo. O que indica uma certa pobreza da Pantone no trato de algumas cores. Como assim, branco é branco e acabou? Desde quando existe um branco absoluto? Se existir, o que explica a tabela de cores da VW? Só lá achei Banco Lotus, Alasca, Paina, Polar, Star, Alpino e Geada. Para não falar do Branco Abaeté da Vemag, do Corfú da Fiat, do Everest da GM… Aí vem a tal da Pantone e diz: branco. Só branco. Como assim? Eu sempre preferi os nomes aos números no que diz respeito às cores, e se quer me ver feliz e só jogar na minha mão um catálogo de cores. De carros, principalmente — embora na indústria de tintas para paredes e para unhas a criatividade seja admirável, também. Aproveitem o ensejo para encher a área de comentários com os melhores nomes de cores que vocês conhecem. Eu amo, por exemplo, Verde Caruá. Preto Granito. Marrom Barroco. Ocre Marajó. Amarelo Manga. Ah, tem cada um que vou te dizer, é demais, demais mesmo!)

Nariz, carenagem, perfis, entradas de ar, sidepods, iPods, asas, todas essas coisas têm sido dissecadas pelos oráculos da internet e não vou me meter nessa seara. Me interesso de verdade, como vocês sabem, pelos misteriosos desígnios que movem os responsáveis pelos nomes dos carros. MCL36, é desse que estamos falando. Fui apurar.

O marketing da McLaren pediu a Norris e Ricciardo que escrevessem uma redação sobre seus sonhos e experiências como pilotos da equipe. Poucas linhas e um título que pudesse ser uma síntese daquilo que estivessem sentindo naquele momento. “Meu carro lindo” foi o título escolhido por Lando, que discorreu sobre o amor pelos carrinhos de brinquedo desde que era criança (ano retrasado) e rasgou elogios ao time. “Meu carro lento” foi o que escreveu Ricciardo, tentando explicar por que ficou tão atrás do companheiro na sua temporada de estreia pela equipe, enchendo a página de desculpas.

Daí saiu o MCL. 36 é o tamanho da sapatilha do Norris.

Subscribe
Notify of
guest

29 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
ba.
ba.
2 anos atrás

Perdeu força depois da vitória na Itália, sabe-se lá por quê.”
Dizem que os mecânicos não aguentavam a maratona estafante e exauriente de corridas consecutivas. E que Zak Brown estava se lixando pra isso.
Dito isso, só remanesce a mim um, ou melhor, dois questionamentos: por que a aeromoça atendeu o pedido do papagaio e este, mesmo assim, foi expulso do avião? Enfim, algum fisólofo (sic) há de responder.

Daniel Galvão
Daniel Galvão
2 anos atrás

Adorei o texto, o povo reclamando do bbb deveria vir aqui, entretenimento!

Rir Chardo não tá rindo na foto, mas espero que dê umas risadas em 2022, ele e o guri inglês trazem alma pra F1.

CHAGAS
CHAGAS
2 anos atrás

Vai dar dó de Ricciardo este ano.

Renato da Silva
Renato da Silva
2 anos atrás

Tive um Uno azul Itamaracá. Hoje tenho um Argo preto Volcano.

Newton
Newton
2 anos atrás

Tive um Maverick 1976 com câmbio na coluna de direção que veio na cor Marrom Talarico

Cesar E Dias
Cesar E Dias
2 anos atrás

Vermelho índio, o pai do meu vizinho tinha um corcel II com essa cor… Nunca admiti mas morria de inveja…

Jonas Bin
Jonas Bin
2 anos atrás

Meu pai teve um Fiat bege. Avorio era o sobrenome da cor. E um outro coberto do supracitado branco Corfú.

Antonio Seabra
Antonio Seabra
2 anos atrás

O Dodge Dart de 1971 tinha uma cor de “azeitona” chamada Oliva D’Ouro.
E o Escort XR3 1988 tinha uma cor de “vinho” linda (tive um, meu primeiro 0 Km) chamada de Vermelho Magenta.

Eder Félix
Eder Félix
2 anos atrás

Mais Conceitos Lúcidos!
Marca Cultural Legítima!
Meticulosa Capacidade Luzindo!
Minuciosamente Compulsória Leitura!
Menciono Cordiais Lembranças…

Endrigo Cenzi
Endrigo Cenzi
2 anos atrás

O carro é bonito, mas o macacão é lindo! Queria um pra correr de kart de aluguel. Hahaha

ANTONIO PRADO
ANTONIO PRADO
2 anos atrás

bege alabastro – VW Fusca 1500 74 – meu carro aos 18 anos….. faz tempo…. mais de 3 décadas….. decorei o nome, pois sempre estava na loja de tinta comprando umas latas para consertar pequenas, diria, avarias, causadas pela idade. A propósito, meu pai tinha um FNM D-11000, 1970, amarelo….. alguém sabe me informar o “sobrenome” daquele mostardão ?

Last edited 2 anos atrás by ANTONIO PRADO
GIOVANI JARDIM
GIOVANI JARDIM
2 anos atrás

Ao lado da entrada de ar, acima do cockpit, tem uma protuberância… aquela parada preta lá, é daquele jeito mesmo, só de um lado mesmo? Vejam lá do lado esquerdo….ou eu vi errado. É porque sempre pensei que os carros fossem totalmente simétricos.

Jbchaves
Jbchaves
2 anos atrás

Gosto dos nomes das cores. Tenho um Fiat cinza telurium…mas parece ser marrom. Daí, meu filho chama de marrom josta…kkkkkk

Last edited 2 anos atrás by Jbchaves
Wagner
Wagner
2 anos atrás

Mcl meu carro lento, se fosse o Cebolinha seria meu carro lapido?

Muito bom os trocadilhos dos nomes dos carros.

Uri Adriano
2 anos atrás

Sobre nomes de cores: meu favoritíssimo de todos os tempos é o “Violeta Pop” da Volkswagen. Por algum motivo inexplicável, ele me deixa de bom humor. Mas o papaia dos McLaren não é feio, não. Abraços!

Rafael Ribeiro
Rafael Ribeiro
2 anos atrás

Flavinho, tenho um fusca na cor laranja bittersweet, acho demais o nome da cor…

Vera
Vera
2 anos atrás

Estava procurando tintas para pintar os brinquedos de madeira do meu afilhado e encontrei Amarelo Interlagos e Amarelo Ímola no catálogo, comprei no ato!

Junior
Junior
2 anos atrás

Amarelo Enxofre Cítrico, Dodge, 1974. Essa aprendi com o Badolato.

Carlos Alexandre
Carlos Alexandre
2 anos atrás

Aprecio o nome Verde Oliva.
Pintura da Mclaren é bonita, só acho q os números deveriam ter um contorno preto, ficaria mais destacável.

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Carlos Alexandre
2 anos atrás

Aí o problema não é o nome da cor, mas a que ela remete…

Megas Alexandros
Megas Alexandros
2 anos atrás

O mais estranho em todas as fotos dessa matéria é que o Ricciardo não está rindo.

Evandro
Evandro
Reply to  Megas Alexandros
2 anos atrás

Já deve estar de saco cheio o coitado.

Leandro
Leandro
2 anos atrás

Achei bastante curiosa a opção por lançarem o carro de F1 junto ao de outras categorias. Será um recado?

Até agora estou gostando do que vi dos carros.

Diogo Lima
Diogo Lima
Reply to  Leandro
2 anos atrás

Pois então…

Fico imaginando onwue Ron Dennis achou disso tudo (várias categorias, fãs, carros muito coloridos) enquanto assistia à apresentação em uma TV de US$ 20 mil (ou mais) em sua bela mansão em algum canto do Reino Unido.

Diogo Lima
Diogo Lima
2 anos atrás

Fale sobre os fluxos de ar.

Não tem um infiltrado em Woking pra passar informações como Gola não?

André
André
2 anos atrás

Impressão minha ou meteram uma tinta e uma chapinha no cabelo do Ricciardo?

André
André
2 anos atrás

“O marketing da McLaren pediu a Norris e Ricciardo que escrevessem uma redação sobre seus sonhos…”. Já comecei a rir só com esse trecho, imaginando o que viria depois.

Gabriel
Gabriel
2 anos atrás

“A nível de” nomes de cores para tintura de cabelo ACAJU é o mais clássico e estiloso de todos… nem imagino qual seja, mas dizem que o ex-goleiro Emerson Leão usava

Vera
Vera
Reply to  Gabriel
2 anos atrás

E tinha o preto graúna, não sei se ainda fabricam.