SPRINTS, PONTOS ETC.

Spa em 2021: pontos para todos

SÃO PAULO (ô corre danado!) – Vamos lá, direto ao assunto, porque ainda tem AlphaTauri nova no pedaço para esmiuçar. A Comissão de F-1 da FIA decidiu algumas paradas hoje sobre pontuação em corridas que não cumprem o número de voltas previstas e também sobre as Sprint em 2022. A primeira parte é toda para evitar que se repita o que aconteceu em Spa no ano passado. Vocês lembram: chovia a cântaros e não deu para correr. Aí Michael Masi resolveu colocar todo mundo atrás do safety-car depois de 200 bandeiras vermelhas, cumpriu duas voltas e deu metade dos pontos para os dez primeiros. Verstappen ganhou e levou 12,5 pontos. Hamilton ficou com 7,5 do terceiro lugar. Para sorte de Masi, não foram esses cinco pontos que deram o título ao holandês. Mas poderiam ter sido.

Então, ficou assim, com caixinhas coloridas para vocês entenderem direito:

Para uma corrida ter pontos atribuídos, um mínimo de duas voltas SEM SAFETY-CAR real ou virtual têm de ser cumpridas. Caso a prova seja interrompida com menos de 25% das voltas originais percorridas, apenas os cinco primeiros ganham pontos na seguinte ordem: 6, 4, 3, 2 e 1.

Se forem percorridas mais de 25% e menos de 50% das voltas, os nove primeiros pontuam assim: 13, 10, 8, 6, 5, 4, 3, 2 e 1.

Se forem percorridas mais de 50% e menos de 75% das voltas, ganham pontos os dez primeiros, mas a pontuação não é integral: 19, 14, 12, 9, 8, 6, 5, 3, 2 e 1.

Com mais de 75% das voltas cumpridas, a pontuação é integral para os dez primeiros: 25, 18, 15, 12, 10, 8, 6, 4, 2 e 1.

O ponto extra da melhor volta continua valendo, desde que o cabra termine entre os dez primeiros.

Agora, as Sprint. Como vocês se recordam, no ano passado a Liberty decidiu que teríamos seis eventos neste ano com as minicorridas de 100 km aos sábados. Mas três equipes — Red Bull, Ferrari e Mercedes — pediram mais dinheiro para aceitar. Queriam aumentar um pouco o teto de gastos que, em 2022, é de US$ 140 milhões. Não houve acordo. Ano passado, cada time ganhou US$ 100 mil extras para as três Sprints (em Silverstone, Monza e Interlagos) e mais um seguro para o caso de acidentes. Assim, estão mantidas três Sprints para 2022. Vão acontecer nos GPs da Emilia-Romagna (23 de abril), Áustria (9 de julho) e São Paulo (12 de novembro). Mas teremos algumas mudanças, a saber:

Oficialmente, as corridas curtas não se chamam mais Sprint Qualifying. Agora, são apenas Sprint. E muda a pontuação. No ano passado, só os três primeiros pontuavam: 3, 2 e 1. Agora, os oito primeiros marcam: 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2 e 1. Gostei. Aliás, era o que eu sugeria em 2021, para dar mais peso a esse evento extra. Ninguém me ouviu, claro, mas resolveram fazer o que eu imaginava ser mais apropriado.

A classificação nesses três eventos será realizada na sexta-feira, como no ano passado. E o grid da Sprint será definido por essa sessão. O resultado da Sprint define o grid do GP, no domingo. Até aí, tudo igual. Mas tem um detalhe: para efeitos estatísticos e históricos, ficou resolvido que o pole-position do GP será o mais rápido da sexta-feira, ainda que ele não vença a Sprint e não largue na pole no domingo. No ano passado, por exemplo, Hamilton fez o melhor tempo na sexta, mas como Verstappen venceu a Sprint ficou, nas estatísticas, com a pole para o GP da Inglaterra. Pelas novas regras, Hamilton manteria essa pole nas estatísticas, mesmo tendo largado em segundo domingo, porque chegou em segundo na Sprint, na véspera.

Por enquanto é isso. Quanto ao futuro de Masi, nada ainda. O presidente da FIA, Mohammed Salaminho, ainda está estudando o que fazer. Boatos indicam que o português Eduardo Freitas, diretor de provas do WEC, pode ser o substituto. “Nos próximos dias”, segundo comunicado da FIA, teremos alguma decisão.

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Rafael
Rafael
3 meses atrás

todas ótimas mudanças

Fernando
Fernando
3 meses atrás

Será que a Mercedes já acalmou? Podiam fazer um acordão e manter o Masi mesmo.

Luciano
Luciano
3 meses atrás

Flavio, o que você achou dos áudios divulgados semana passada do Wheatley com o Masi? Podem botar alguma lenha na fogueira e render punições extras ou é tudo mais do mesmo?