PARQUE DO ALBERTO (1)

SÃO PAULO (vai ser rápido…) – O circuito de Melbourne que veremos a partir da meia-noite de amanhã, com a abertura dos treinos para o GP da Austrália, tem algumas boas diferenças em relação à pista que recebeu a F-1 pela última vez em 2019. Lembram? A pandemia começou para nós, que nos regemos pelo calendário da Liberty, no fim de semana da prova australiana de 2020. Naquela semana, a NBA cancelou seus jogos. A OMS declarou que vivíamos uma pandemia. O vírus da Covid-19 se instalou entre nós.

No Albert Park, estava tudo pronto para os carros irem para a pista na manhã de sexta-feira, para abrir a temporada. Mas, na véspera, a McLaren registrou casos de contágio entre alguns de seus integrantes. E avisou que não iria correr. Todos, e digo todos mesmo, entramos em pânico. O que estava acontecendo?

Saberíamos logo. Nos dias seguintes. Nos hospitais lotados. Nas covas abertas. Nas vidas perdidas. Nas falas do genocida escroto que disse que era uma gripezinha. No seu boicote à ciência, à vacina, à vida.

Não teve GP na Austrália em 2020. Nem em 2021. A linda, lindíssima cidade de Melbourne está de volta. Sobrevivemos, nós que estaremos diante da TV amanhã.

Mas quantos perdemos?

Bem, a pista está mais rápida e 24 metros mais curta. A chicane que formava as curvas 9 e 10 foi suprimida. As curvas 1, 3, 6, 11 e 13 estão mais largas. Na 6, por exemplo, o leito carroçável está 7,5 metros mais espaçoso. O pitlane foi alargado em dois metros e a velocidade máxima nos boxes passou de 60 km/h para 80 km/h. O asfalto foi todo refeito.

Segundo as simulações, a média de velocidade, que já era alta — Hamilton fez a pole em 2019 a 237,194 km/h –, vai subir consideravelmente. Muito mesmo. Com quatro zonas de DRS, a asa móvel, e 81% da volta (em extensão) com pé embaixo, pode passar dos 260 km/h.

Vai ser pau puro.

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Zé Bigorna
Zé Bigorna
1 mês atrás

Parece haver uma tendência por circuitos de rua super velozes. Um dia, acho que isso vai dar em uma merda federal. Espero estar errado.

CHAGAS
CHAGAS
Reply to  Zé Bigorna
1 mês atrás

Está total e absolutamente errado. O perigo está em todos os circuitos. As últimas mortes em F1 (Bianchi) e F2 (Hubert) não foram em circuito de rua. O acidente mais espetacular de todos os tempos com o piloto saindo entre as chamas (Grosjean) não foi em circuito de rua. Shumaquinho bateu com uma força absurda em um circuito de rua e saiu andando do carro e no dia seguinte estava desfilando nos boxes. Pensando positivo, não haverá mais mortes na F1 por conta do enorme cuidado que todos tem, desde prevenindo acidentes até após os mesmos com os carros ultra seguros e ainda com os procedimentos de segurança. Mas se por um acaso houver alguma fatalidade, vamos ser razoáveis, não será culpa do circuito seja ele de rua ou não.

Plinio
Plinio
1 mês atrás

Inferno astral pra Mercedez. Pé em baixo com carro quicando deve dar enjôo até em estômago de avestruz.

Tiago Castagnino
Tiago Castagnino
1 mês atrás

Curva a 85 em 3ª.
Curva a 125 em 5ª.
Curva a 135 em 3ª.
Tá meio esquisito esse mapa das velocidades e marchas das curvas..

Cleberson
Cleberson
Reply to  Tiago Castagnino
1 mês atrás

Pode estar em mph, a unidade de velocidade.

Marcus
Marcus
1 mês atrás

Uma judiação terem tirado Adelaide e botado Melbourne, que nunca teve uma corrida pelo menos legal.

Tomara que mude agora.

Alexandre Neves
Alexandre Neves
1 mês atrás

260km/h de média?! Caraca, isso é nível Monza! Ansioso para ver esse GP.

Marcio
Marcio
Reply to  Alexandre Neves
1 mês atrás

Não foi pra tanto, ficaram em 241 de média mesmo hoje.