WE ♥ RACE CARS

Beuttler em Mônaco: vítima de preconceito

SÃO PAULO (difícil hoje, pior ontem) – Poderia ser “Desafio do dia”, mas como a história é muito importante — e foi postada pelo Matt Bishop hoje no Twirtter –, merece destaque. O carro é um March 731, no GP de Mônaco de 1973. Bonitão, adoro essas frentes integrais. O relevante aqui, porém, é o piloto: Mike Beuttler, que faria 82 anos hoje se não tivesse morrido em 1988, vítima da AIDS. Beuttler tinha 48 anos quando morreu e era homossexual.

Nos anos 70, o preconceito e a discriminação por orientação sexual eram ainda pior que hoje. Para se ter uma ideia vírus da AIDS, que surgiu em meados dos anos 80, era chamado de “câncer gay” por muita gente. Isso porque tinha altas taxas de transmissão por relações sexuais (héteros também, evidentemente), mas conservadores de todos os naipes — políticos, jornalistas, religiosos e filhos da puta em geral — passaram a ligar a doença à homossexualidade porque ela é “promíscua” e “libertina”.

Beuttler, nascido no Cairo em 1940, mas de nacionalidade inglesa (seu pai era militar britânico e servia no Egito durante a Segunda Guerra), largou em 28 GPs entre 1971 e 1973. Montou sua equipe com verba de amigos do setor imobiliário da Inglaterra e corria com carros March-Ford alugados. Um sétimo lugar na Espanha em 1973 foi seu melhor resultado. Assumiu sua condição de homossexual depois que deixou a F-1. Chegou a frequentar autódromos ao lado de modelos para disfarçar e não ser vítima de homofobia. Até hoje, é o único piloto homem assumidamente homossexual que passou pela F-1. Lella Lombardi, única mulher que pontuou na história (sexta colocada no GP da Espanha de 1975), também se declarou gay anos depois de passar pela categoria. Morreu em 1992, aos 50 anos, de câncer.

A vida é foda.

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Pereira
Carlos Pereira
1 mês atrás

O piloto Nicha Cabral, primeiro português a conduzir na F1 se assumiu homossexual em vida, também ouvi um rumor que Elio de Angelis o seria mas neste caso não tenho certeza, Flavio Gomes alguma vez ouviu algo sobre esse rumor acerca de Elio de Angelis?

LucPeq
LucPeq
1 mês atrás

Entrei esperando alguma resposta do Nic Bichinha aqui, pena ele ter desaparecido.

José
José
1 mês atrás

Eu lembro uma entrevista que o Piquet deu depois que sofreu o acidente em Indinápolis e o repórter perguntou a ele algo do tipo: “na formula 1 tem gay?” e Piquet respondeu que não sabia, mas que achava que sim. E o reporter então mandou “e se algum te desse uma cantada? o que faria?”, Piquet, no melhor estilo Piquet respondeu sem pestanejar: “acho que comia.”

Paulo Leite
Paulo Leite
1 mês atrás

Primor de postagem. Não conhecia o piloto Beuttler, nem o carro lindão mas lembro de Lella, que era atração do circo apenas por ser mulher. Não só viver é foda, morrer também é foda. Ou seja, estamos todos fodidos.

Luis felipe
Luis felipe
1 mês atrás

Sou FG Futebol Clube, mas no texto nao há, embora voce destaque o contexto geral (Aids..cancer gay) mencão a nenhuma discriminacão em especifico sofrida pelo queridão do carro lindão

Oswaldo Silva Neto
Oswaldo Silva Neto
1 mês atrás

Amigo Flavio,sou o famoso Oswaldo Silva que te segue no YouTube mas me conheço por Neto desde 1ue nasci…entendo sua raiva pelo preconceito mas realmente você não sabe o que é ser de esquerda ,curtir MPB ,filmes e tudo que a cultura tem de melhor morando em um lugar tacanho ,atrasado ,racista ,homofobico como é o interior paulista.Alguns acham que o sudeste é extremamente politizado e culto mas estão redondamente enganados!!!forte abraço!

Edison
Edison
1 mês atrás

Ainda teremos “sobre domingo de madrugada “?

Marcus
Marcus
1 mês atrás

Li uma vez que o Raymond Mays, fundador da BRM, também era homossexual.

Lucas Orly
Lucas Orly
1 mês atrás

O Jaime Alguersuari também não assumiu a homossexualidade uns anos atrás?