SOBRE ONTEM DE MADRUGADA

A IMAGEM DA CORRIDA

Alonso com Hamilton: amigos de novo?

SÃO PAULO (já acabou?) – Não é, a foto acima, a que melhor representa que se passou no GP da Austrália. Teria de ser uma de bandeira vermelha, quem sabe a confusão da terceira largada (há uma sequência mais para baixo), algo que ao menos remotamente nos lembrasse do caos proposital promovido pela dupla FIA/Liberty para tentar salvar uma corrida ruim — esforço desnecessário; ninguém iria deixar de ver F-1 por causa de uma corrida ruim, e não se conquistou um único fã novo com essa demonstração explícita de falta de critérios para conduzir uma competição esportiva.

Mas escolhi o abraço cheio de sorrisos de Alonso e Hamilton porque foram eles, a meu ver, os grandes personagens do fim de semana pelo que fizeram na pista. Lewis, ao conseguir um segundo lugar inesperado com um carro ruim — do qual, palavras dele, segue desconectado. Fernando, por chegar ao terceiro pódio seguido, o que não acontecia em sua carreira desde a sequência de três segundos lugares pela Ferrari em 2013, nos GPs da Bélgica, da Itália e de Singapura.

Nesse abraço aí tem nove títulos mundiais, 135 vitórias, 125 poles e 293 pódios. Alonso, 41 anos. Hamilton, 38. Correram juntos e brigaram juntos em 2007, na McLaren. Quanta coisa aconteceu desde então… Mas ambos seguem firmes e fortes atrás de seus sonhos.

Meio piegas, a frase, mas é isso mesmo. Um sonha em ser campeão de novo. O outro, em ganhar corridas. Têm objetivos claros. Sem eles, não se vai a lugar nenhum no esporte.

Hamilton, Verstappen e Alonso: três campeões

SÓ CAMPEÕES – E os dois aparecem na imagem seguinte deste rescaldão ladeando o bem mais jovem Max Verstappen, 25. Igualmente campeão. Bi, no caso. Acrescentemos aos nove títulos anteriores, pois, os dois do holandês, para chegar a 11. E sabem quando foi que a F-1 viu três campeões mundiais no pódio pela última vez? No GP da Hungria de 2018, vencido por Hamilton, já na Mercedes, com Vettel e Raikkonen em segundo e terceiro, ambos de Ferrari.

17 SEM TIRAR – Hamilton, diga-se, tornou-se o primeiro piloto na história a conseguir subir ao pódio em 17 temporadas seguidas. O inglês nunca passou um ano sequer na F-1 sem levar ao menos um trofeuzinho para casa desde a estreia, em 2007. São 192 com esse de Melbourne.

Verstappen: 80 pódios na carreira

COMO SENNA – E para encerrar a série “o que representou o pódio do GP da Austrália para os anais da categoria mais importante do automobilismo mundial” informo que Verstappen chegou a 80 taças e empatou nas estatísticas com Ayrton Senna na sétima posição do ranking. Eles só estão atrás, em número de troféus, de Hamilton (192), Schumacher (155), Vettel (122), Prost (106), Raikkonen (103) e Alonso (101). Curiosidade: Senna também conseguiu seu 80º pódio na Austrália, só que em Adelaide/1993. E Vettel também chegou a 80 pódios no mesmo país, em 2016. A Red Bull só tinha uma vitória na Austrália, na distante temporada de 2011 com Vettel.

Como prometido, aí está a sequência do acidente que parou a corrida depois da terceira largada com bandeira vermelha. Mais uma, a terceira do dia. Pela primeira vez na história da F-1 um GP foi interrompido três vezes com bandeira vermelha. E olha que foram muitas provas antes… Desde 1950, quando nasceu a categoria, já haviam sido disputados 1.081 GPs.

Tudo graças à absoluta falta de critérios do atual diretor de prova, o alemão Niels Wittich, que sob orientação da Liberty, a dona do evento, e diante da omissão da FIA, que deveria zelar pelo esporte e não o faz, decide quando parar uma corrida, usar o safety-car ou acionar o safety-car virtual a seu bel-prazer. Ontem, duas das bandeiras vermelhas poderiam facilmente ser substituídas por amarelas com safety-car na pista: a do acidente de Albon, no começo da prova, e a do pneu perdido de Magnussen, no final. Ninguém se machucou, não foi preciso atender feridos, nada ficou destruído, era só remover o carro e o pneu e seguir o baile.

Mas o cara quis dar emoção ao fim da corrida e evitar a última volta atrás do safety-car, inventando uma terceira largada a duas voltas do encerramento da prova. E deu no quê?

Última volta atrás do safety-car.

A FRASE DA AUSTRÁLIA

“Precisamos entender quais são as situações de bandeira vermelha, safety-car ou safety-car virtual. Não tenho problema com decisão nenhuma, desde que a gente saiba quais são os critérios e se prepare para elas.”

TOTO WOLFF, chefe da Mercedes
Motor de Russell em chamas: pódio perdido

No caso do incêndio aí em cima, deu só safety-car virtual. Porque Russell parou na saída dos boxes, facilitando o trabalho de retirada do carro da pista. Mas se fosse, sei lá, a cinco voltas do final… O que faria o diretor de prova? Inventaria uma bandeira vermelha?

Tem razão Toto Wolff. É preciso estabelecer critérios claros para as intervenções do diretor de prova. Não dá para tratar incidentes semelhantes com procedimentos distintos, dependendo do momento da corrida em que eles acontecem. Todo mundo gosta de fortes emoções. Mas não se pode criá-las artificialmente.

O NÚMERO DE MELBOURNE

26

…pontos tem a Ferrari em três corridas, seu pior início de temporada desde a adoção do atual sistema de pontos, com 25 para o primeiro colocado, 18 para o segundo, 15 para o terceiro etc. Tal sistema foi inaugurado em 2010. Sainz tem 20 e Leclerc marcou seis. A equipe italiana está em quarto no Mundial de Construtores. No ano passado, após três GPs, a Ferrari era líder com 104.

GOSTAMOS & NÃO GOSTAMOS

GOSTAMOS… de sorrisos! As fotos acima foram escolhidas porque, afinal de contas, o GP da Austrália não foi apenas um amontoado de bobagens da direção de prova. Teve bons momentos e boas atuações, até. Como a do jovem Piastri, da McLaren. Em oitavo, fez seus primeiros pontos na categoria. Sua equipe estava zerada no ano e também pontuou com Norris em sexto. Alonso vem sendo o grande nome da temporada. E Verstappen segue desfilando seu incrível talento e empilhando números impressionantes. Será tricampeão. E merece.

Leclerc: péssimo começo de ano para a Ferrari

NÃO GOSTAMOS… de ver a Ferrari tão capenga quando neste início de ano. Lá no alto deste rescaldão, no “número de Melbourne”, mostramos: é seu pior começo de campeonato desde 2010. Não é coincidência. A gestão atrapalhada do time traz consequências. A saída de Binotto foi contestada por muita gente. É aquele negócio de trocar de técnico depois de duas ou três derrotas, como no futebol. Quase nunca funciona. Vasseur, que acabou de chegar, tem alguma culpa? Provavelmente não. Mas vai sobrar para ele? Provavelmente sim. Tem muita coisa errada em Maranello. E, na modesta opinião deste que vos escreve, os problemas passam pela dupla de pilotos. Que é fraca.

Subscribe
Notify of
guest

50 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio Neto
Antonio Neto
10 meses atrás

Concordo que o Sainz não se encaixou dentro da estrutura da Ferrari. E acho difícil que consiga. Já o Leclec é excelente piloto, porém erra demais.

Grasi
Grasi
10 meses atrás

Odeio essa Nascarização da fórmula 1, só falta colocarem as bandeiras amarelas pra juntar o grid

Fernando
Fernando
10 meses atrás

Excelente texto. Mais um.

Otavio
Otavio
10 meses atrás

Esqueceram que um dia o imbativel Charlie Whiting teria que se aposentar ou deixar este plano da existência, o que aconteceu, e não formaram um substituto a altura. Depois do último diretor fixo ser defenestrado pela Mercedes, virou bagunça. Interpretacao das regras, comissários, direção de prova direção da FIA… só pastelão e pastelao perigoso.. poderiam ter causado algo mais grave nessa corrida na Austrália….

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Verstappen eh implacavel. Ja eh o melhor piloto do Mundo em sua epoca.

Yuri Campos
Yuri Campos
10 meses atrás

Essa “americanização” da F1 vai continuar até o ponto em que a Ferrari falar que está fora… Lembra do Montezemolo? O único ponto é que para ela falar ou fazer algo parecido ela tem que estar em alta, ganhando corrida ou brigando pelo título…. esportivamente estão matando a alma da F1

Rodrigo da Silva
Rodrigo da Silva
Reply to  Yuri Campos
10 meses atrás

Ferrari sair agora que a F1 está quebrando recorde após recorde de receitas, e pela primeira vez na história, sendo lucrativa para as equipes graças ao teto de gastos? Sem chances, mesmo que termine o campeonato em último lugar!

Edu Zeiro
Edu Zeiro
10 meses atrás

Bicho, e essa história do Massa entrar na justiça para conseguir o título de 2008? Pra mim não há qualquer argumento que leve a um desfecho positivo para ele, mesmo com a “confissão” de Bernie. Cingapura foi uma armação da Renault, Lewis foi favorecido na loteria da coisa, como poderia ter sido prejudicado. Massa o mesmo, só que ao contrário. E, se a moda pega, Lewis poderia reivindicar o título de 2021 na justiça também. E teria argumentos muito mais fortes, na minha opinião.

Sakamoto
Sakamoto
Reply to  Edu Zeiro
10 meses atrás

Bicho, a tua opinião não contara podes ter certeza. chupez

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Sakamoto
10 meses atrás

Bicho, acho que deixei claro ser uma opinião, não me importo se contará ou nao, ou se você concorda ou não (até prefiro que não). E me desculpe, amiguinho, mas você também está me confundindo com outra pessoa.

Wbj
Wbj
Reply to  Sakamoto
10 meses atrás

Vai se tratar

Tony Mietto
10 meses atrás

“Vasseur, que acabou de chegar, tem alguma culpa? Provavelmente não. Mas vai sobrar para ele? Provavelmente sim.”
ele, pessoalmente, não tem culpa, de fato. chegou agora. ainda tá se inteirando das coisas.
mas, pra azar dele, ele tá sentado na cadeira de quem responde pelo êxito e pelo fracasso de todo o time — e ganha uma quantidade pornográfica de dinheiro pra isso.

Marcos Bassi
Marcos Bassi
10 meses atrás

FG….você acha que o fato de não ter ninguém da equipe pra recepciona-lo (Lewis) e ele reclamar da equipe na entrevista sobre isso, pode indicar alguma crise entre os envolvidos? Porque é curioso só ter o surfista Slater para recepciona-lo. Acho o posicionamento atual dele e do Russell tão oposto. George elogiando o carro e Lewis se dizendo desconectado.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Marcos Bassi
10 meses atrás

A questao eh que a grande maioria .continua a substimar o Russell. Para mim o Russel eh a versao remasterizada do Mika Hakkinen: Quieto, sereno e veloz. O problema pode nao ser o Hamilton… mas o Russel pode ser a solucao para os proximos 10 anos.

Sera que o pessoal da Mercedes ja nao viu isso? Russel parece ser tao rapido quanto o Hamilton, a unica certeza que temos eh que Ele eh muito mais barato que o hepta campeao. Sera que se o Russell tivesse guiado a Mercedes em 2014, 2015 e 2016 ja nao tivesse um ou dois titulos na estante de casa?

Sao apenas suposicoes de minha parte.

Last edited 10 meses atrás by Ricardo Bigliazzi
Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Eu, ao contrário de subestimar George Russell, eu superestimo. Tirando Hamilton, Verstappen e Alonso, acho ele o melhor piloto do Grid. Acho Hamilton meio desmotivado nesse segundo ano de carro ruim, ano passado ele ainda tentou com todas as forças. Não dá pra comparar o famoso tesão em épocas distintas na carreira. Hamilton tem quase 40 e está em outro nível de buscas. George ainda “cavuca” seu espaço. Imagina Hamilton perder aquele título em 21 de forma estranha e chegar cheio de vontade pra ganhar no ano seguinte e descobrir que não seria possível. E ano passado ele tentou de tudo e manter a equipe lá em cima por isso achei estranho, mesmo que tenham percebido qualquer coisa, não ter ninguém pra recepciona-lo, e naquele momento, ele acusou o golpe. Eu gostaria de ver Hamilton, Verstappen e Alonso com carros iguais. Ainda apostaria minhas fichas em Hamilton, pra mim, o melhor piloto da história ao lado de Schumacher.
Obs: falar de Russell na F1 em 2014, 15 e 16, estaríamos falando de um garoto de 15, 16 e 17 anos respectivamente. Melhor considerarmos isso em 2018, 19 e 20.

Bento
Bento
10 meses atrás

Melhor imagem da corrida: Toto, na cara dura, tentando descobrir algum segredo oculto no carro do Verstappen…

Will
Will
10 meses atrás

Da dupla da Ferrari, o Leclerc se salva -com a Ferrari de novo em baixa. O Sainz é bem instável, fez um primeiro ano muito bom (no regulamento antigo) e depois sucumbiu ao Charles.

DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
10 meses atrás

Leclerc sendo o piloto principal da equipe Ferrari fez menos até agora que os segundo pilotos declarados Barrichello e Massa (em 2008 F Massa foi o principal e chegou a conquistar o título) e não é pra falar mas Sainz nao fez nenhuma corrida destaque até hoje, Ferrari só daqui dois anos se tudo ocorrer bem.

CHAGAS
CHAGAS
10 meses atrás

Continuo achando que o erro de Sainz comprometeu apenas o carro de Alonso.
Gasly deveria ter cuidado pois à sua frente havia uma disputa roda a roda entre os espanhóis, mas freou tarde, fritou os pneus frios, perdeu a aderência e saiu da pista. Depois errou miseravelmente voltando à pista pela esquerda e cruzando toda ela sem importar que uma multidão estava atrás.
Já o ultimo frame entre Williams e Alpha Tauri, nem a curva fizeram. O americano de forma alucinada encheu a traseira do pobre taurino, provavelmente nem viram que Sainz e Alonso haviam colidido.
Aproveitando a deixa do blogueiro sobre a dupla da Ferrari, semana passada tive um debate com um comentarista do blog sobre pilotos medíocres. Sainz é um exemplo, piloto inteligente, mas no braço é bem mediano além de cometer muitos erros. Sainz é daqueles que se destacam em equipes pequenas e depois vão para as grandes e não fazem o programado. Perez (ainda) Gasly, Albon também estão nesse balaio. Russel fez bonito na Williams e foi pra Mercedes exercer pressão em Hamilton, essa é a diferença que separam os medianos dos bons pilotos.
Já sobre o ótimo Leclerc aproveito o comentário do Wagner, o menino quer destronar Amon como o piloto mais azarado da F1, uma proeza impensável. 
Em tempo: Norris x Hulkemberg tiveram uma disputa de encher os olhos, com fechadas no ponto de frenagem e “chega pra lá” com direito a saída de pista.
Viva a F1.

DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
Reply to  CHAGAS
10 meses atrás

Sainz inteligente…. então Barrichello era um matemático da F1…..

CHAGAS
CHAGAS
Reply to  DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
10 meses atrás

Sainz é o piloto que mais entrega informações do carro para os engenheiros.
“Traduz para nos a maior quantidade de dados para melhoraria do equipamento.” Essas são palavras dos engenheiros da Ferrari.
“Sainz é o piloto que mais estuda o carro, nunca vi alguém assim.” Palavras de Hulkemberg quando dividiram boxes na antiga Renault.
Hulkemberg é esse que ficou 3 anos fora das pistas e voltou mudando o status da Hass, ou seja entende pouco de carros de corrida.
“Sainz é o piloto mais inteligente do grid.” Palavras de muita gente do padock.
Escrevi que Sainz é inteligente, mas pelo jeito parou de ler pois na sequencia lê-se que é piloto mediano.
Inteligencia não é velocidade, muito menos talento dentro de um carro de F1. Também não é necessário ser inteligente pra entender que Barrichello foi mais veloz e mais piloto que Sainz.

Paulo Z
Paulo Z
10 meses atrás

Sainz mto bagre….é difícil uma corrida que ele não cometa um erro. Ferrari tá marcando touca. Precisa de um piloto decente urgente.
Já o Leclerc é azarado mesmo. PQP. Sorte que não torço pra ele pq quem torce sofre hein.

Rafael
Rafael
10 meses atrás

A primeira bandeira vermelha tirou muito da emoção da prova.
Russel tinha parado, Hamilton e Verstappen ainda precisariam parar…teria umas estrategias diferentes que poderiam movimentar a corrida. Embora o Max provavelmente fosse vencer de todo jeito.

Jeferson
Jeferson
10 meses atrás

Sempre achei a dupla da Ferrari fraquinha, Leclerc era um protegido do Binotto, mas e apenas um piloto supervalorizado mas reclamão e mediano…Saiz e tem um sobrenome famoso, mas a Red Bull ja havia visto que ele não era nenhuma virtuose atras do volante e o dispensado, e apenas esforçado e tambem atrapalhado…se a Ferrari quiser melhorar, tem que fazer seus ajustes internos e tambem na sua dupla de pilotos.

DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
Reply to  Jeferson
10 meses atrás

É isso mesmo Jeferson, se a A Martin pintou dsuas RBR de verde e agora tá andando bem então a Ferrari pode pintar duas de vermelho!!!!????? Na minha opnião essa dupla de pilotos ferraristas já deu o que tinha, não decolaram.

Adilson
Adilson
10 meses atrás

Parabéns mais uma vez Flávio, ótimo post. E você escreveu o que eu sempre achei dos pilotos da Ferrari, fracos.
Se a Ferrari quiser alguma coisa para o futuro e parece estar de olho em Newey, que pode estar com o contrato no fim, eu mandaria um cheque em branco e tentaria contratar o trio Newey, Horner e Verstapen, com carta branca para o Horner mudar o que quiser.

Barreto
Barreto
10 meses atrás

Leclerc pode ser bom em classificação, mas sempre foi um pouco afobado. Jogar todas as fichas na primeira curva não costuma ser uma boa ideia.
Veja o comportamento do Max nas primeiras curvas quando foi espremido pelo Hamilton e cedeu para dar o troco mais tarde.

Bruno Laporta
Bruno Laporta
10 meses atrás

Até o ano passado ainda havia uma confiança na Ferrari. Mas havia necessidade de mudança e o Binotto pagou o pato. Já que na Ferrari tudo funciona assim, não que a Red Bull também já não tenha feito isso com Vettel, Kvyat ou Gasly, eu tiraria o Bottas da Alfa e passaria o Leclerc para lá. Como disse no início, até o ano passado a Ferrari passava confiança, e o Leclerc também. Mas agora mudou. É muito carro e falta um fator diferencial. O Bottas tem sabedoria em cancha numa equipe grande, como foi na Mercedes. Como você e o Fábio disseram na Pari live, essa dupla da Ferrari está fraca. Uma reformulação abrupta iria dar algumas respostas para todos os lados. Porque essa Ferrari não é ruim não. Uma das duas tinha que estar ali no bolo entre Hamilton e Alonso. E com consistência.

DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
DENIS ALAN LEITE DE OLIVEIRA.
Reply to  Bruno Laporta
10 meses atrás

Voce acha que o problema da Ferrari está somente no diferencial?

Wagner
Wagner
10 meses atrás

Sainz é o medíocre esforçado. Já o Leclerc está caminhando pra ser um novo Alesi. E pra piorar, o cara é chorão como o Prost e azarado como o Chris Amon.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
10 meses atrás

Sainz of a bitch!

Iuri Jacob
Iuri Jacob
10 meses atrás

E se não me engano, aquele pódio de 2018 também tinha 11 títulos na ocasião.

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Iuri Jacob
10 meses atrás

Não, eram nove: quatro de Lewis (2008, 2014, 2015 e 2017), quatro de Sebastian (2010, 2011, 2012 e 2013) e um de Kimi (2007). Lewis ganharia o quinto nesse ano.

Edu Galinha
Edu Galinha
Reply to  Edu Zeiro
10 meses atrás

ELE ESTA FALANDO DE 2018, PRESTE ATENÇÃO

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Edu Galinha
10 meses atrás

Eu também, penosa. E não precisa gritar, quanto mais estando errada. Que eu saiba quatro mais quatro mais um ainda são nove.

Last edited 10 meses atrás by Edu Zeiro
Endurancer
Endurancer
10 meses atrás

“esforço desnecessário; ninguém iria deixar de ver F-1 por causa de uma corrida ruim, e não se conquistou um único fã novo com essa demonstração explícita de falta de critérios para conduzir uma competição esportiva.”

Pois é. E por outro lado, alguém com um mínimo de gosto pelo esporte pode se sentir desmotivado a continuar acompanhando a F1 uma vez que essas palhaçadas estão virando regra.

Clodoaldo
Clodoaldo
10 meses atrás

Ferrari afundando cada vez mais carro ruim pilotos, bonzinho o Leclerc e Sains 1/2 boca vai encerrar a carreira com 1 vitória só mesmo

Celio Ferreira
Celio Ferreira
10 meses atrás

A F1 2023 , se resume em torcer pela Mercedes , se igualar com a
Red Bull , porque senão o campeonato será de novo dos taurinos
com Max nadando de braçadas assim tipo Mansel com a Williams
que andava sózinha….

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
10 meses atrás

Austrália: corrida 1082 da história da F1. A FIA ( e jornalistas) gostam muito de número redondo. Teremos um em 2023. A corrida número 1100 será em Interlagos.

Pedro
Pedro
10 meses atrás

flavio, suponhamos que a ferrari queira mudar sua dupla de pilotos. quem contratar? norris?

Enio Peixoto
Enio Peixoto
10 meses atrás

Mercedes não é um carro ruim.
Na Austrália foi o segundo melhor carro!
O Hamilton acha ruim porque estava acostumado com moleza.
Agora tem que dar duro.
Estava acostumado com carro que larga em último no GP do Brasil e vence a corrida.

Marcelo Dalbelles
Marcelo Dalbelles
Reply to  Enio Peixoto
10 meses atrás

nenhum piloto gosta de carro ruim, o sonho de qualquer piloto é sumir na frente e não ver ninguém na corrida, o resto é conversa pra boi dormir

Vai Vettel!
Vai Vettel!
10 meses atrás

Chamem o Michael Masi e teremos mais emoção!

Adriano
Adriano
10 meses atrás

Acho injusto dizer que a dupla da Ferrari é fraca. Não são os mais fortes, concordo. São instáveis e afetados pelo mal momento da Ferrari (e pelo mal desempenho do carro em corridas), mas daí a dizer que são fracos, acho demais! Sainz ontem teve um excelente ritmo de corrida (em uma pista que não desgasta pneu). Cagou no final, é verdade, mas considero um acidente de corrida (pneus e freios frios, sol na cara, etc… Max e Lewis também escorregaram na primeira curva) e não uma barbeiragem dele. Acho que a punição foi injusta.

Wbj
Wbj
10 meses atrás

Nunca tive duvidas de que o pior dos segundoes que ja vi (Sainz) nao tem o menor cacife pra pilotar uma Ferrari, mas estou me convencendo tbem de que o Charles tbem nao faça por merecer esse cockpit

Gus
Gus
Reply to  Wbj
10 meses atrás

Até Ivan Capelli e Luca Badoer fizeram por merecer pilotar uma Ferrari.

GPRACE
10 meses atrás

Valeu FG, foda o texto e o rescaldo. Sempre leio aqui e to comentando pra você não falar que ninguém lê o blog. Abração!

Jão Bom Jovem
Jão Bom Jovem
10 meses atrás

Pouts, tenho que discordar. A dupla de pilotos não é fraca. O Leclerc foi tocado e acabou na brita. O Sainz fez uma boa corrida, seria o segundo piloto, mas falta carro. O problema da Ferrari é o carro com desempenho muito irregular. Uma hora funciona, outra não, outra quebra… Assim não tem piloto que mantém a moral alta. Se Leclerc estivesse na Aston Martin, estaria andando junto com o Alonso. Mas o pódio da Austrália representa bem quem é quem nesse grid de largada. O resto está um patamar abaixo.

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Jão Bom Jovem
10 meses atrás

Seu nickname me fez lembrar de um bar que tinha em São Paulo…João Sebastião Bar…

Carlos
Carlos
Reply to  Jão Bom Jovem
10 meses atrás

Assino embaixo.
E também lembrando que a paixão dos tifosi acaba reverberando dentro dos boxes da Ferrari, como em nenhuma outra equipe do grid, em tempo algum da história.
Charles Leclerc é bom piloto, mas muito chorão e azarado, coitado. Carlos, meu xará, não tá no mesmo nível, mas é bom piloto, trabalha bem sob pressão.
E não quero saber de Mercedes duelando (de novo) com a Red Bull; quero ver é a ascensão cada vez maior (oxalá!) da Aston Martin. Porque podem falar o que quiserem do Mr Stroll, mas ninguém pode negar que o cara teve (e tem) culhões para socar grana numa empresa à beira da falência, investir pesadamente em estrutura, angariar os melhores profissionais no mercado…e agora, com Alonso, começar a desfrutar o sucesso desse corajoso investimento.