ASTON MARTIN AMR24: GANHA CORRIDA?

SÃO PAULO (acho que sim…) – Fernando Alonso e Lance Stroll não tiveram de esperar muito para dar umas voltas com o AMR24, modelo da Aston Martin mostrado hoje em Silverstone. Lá mesmo a equipe gastou sua cota de 100 km antes da pré-temporada para fazer imagens com o carro andando e garantir que tudo estava funcionando — é o que se chama de shakedown. Foi a primeira apresentação da semana, que tem ainda Ferrari amanhã, McLaren e Mercedes na quarta e Red Bull na quinta, fechando o lote das dez equipes que disputam o Mundial.

Nessas primeiras voltas ninguém se preocupa com tempos, evidente. Mais importante são as entrevistas antes, as declarações dos dirigentes e dos pilotos, a expectativa por alguma surpresa.

Não dá para dizer que todos tenham ficado boquiabertos com o carro novo, que leva no nome código as iniciais de Aston Martin Racing e o ano em disputa. A primeira olhada sempre mira na estética, mesmo: pintura, patrocínios, essas coisas mais visíveis a olho nu. Depois vêm os aspectos técnicos, reservados aos especialistas de plantão.

O AMR24 tem a assinatura de Dan Fallows, que a Aston Martin tirou da Red Bull em 2022. Dizem que ele era o segundão de Adrian Newey, com quem deve ter aprendido alguma coisa. E, de fato, o início de temporada da equipe no ano passado deu essa impressão: seis pódios nas primeiras oito corridas, com Alonso numa forma exuberante e a vice-liderança no Mundial de Construtores até a sexta etapa. Depois do GP da Áustria, porém, a maionese parece que desandou. Foram 175 pontos nas primeiras nove corridas — média de 19,4 por GP –, contra 105 nas últimas 13 — média de 8,1. No final, a equipe terminou o ano em quinto lugar.

E o que aconteceu? Nunca é uma coisa só. Primeiro, a ascensão da McLaren a partir da Áustria, com seu carro praticamente novo. Depois, o mau ano de Stroll. Ele marcou 74 pontos, contra 206 de Alonso. Por fim, os esforços concentrados na conclusão das novas instalações da fábrica, largando o desenvolvimento do carro de 2023 para pensar em 2024.

Alonso entrou na onda das especulações hoje ao dizer que seu contrato com a Aston Martin termina no final do ano e que é “o único campeão mundial disponível para 2025”. Claramente se referia à vaga aberta na Mercedes com a anunciada saída de Hamilton para a Ferrari. Aos 42 anos — faz 43 em julho –, o espanhol disse que antigamente ninguém esperava alguém competitivo na F-1 até os 40, mas que essa ideia nos dias de hoje deve ser deixada de lado. “Meus exames físicos mostraram que estou melhor do que nunca, e hoje não é nenhum absurdo pensar num piloto correndo na F-1 até os 48, 49, até 50”, falou. A foto de Toto Wolff com seu empresário Flavio Briatore, postada hoje (veja a nota anterior), jogou gasolina nessa fogueira.

Esse assunto, e outros, mereciam uma abordagem mais próxima, e no fim do dia na Inglaterra consegui contato telefônico com importante membro da equipe, que pediu anonimato para não se comprometer. Chamá-lo-ei de “Miguel Bomdebola”, de forma a atender sua solicitação. Segue a conversa.

Não sei bem se é meu olhar pouco atento, mas tudo me pareceu muito parecido com o ano passado…
Miguel Bomdebola – O cabelo, não. Olha o topete. E, se bobear, colocou até botox. Já falei que não precisa. Ele disse que é por causa de aerodinâmica.
Estou falando do carro. Você se refere a quem?
Miguel Bomdebola – Ao Alonso. Ele falou que as rugas causam turbulência.
Mas a viseira fica fechada, não há como isso afetar…
Miguel Bomdebola – …sim, sabemos, mas sabe como são esses tiozinhos da Sukita.
Sukita?
Miguel Bomdebola – Você sabe muito bem do que estou falando.
OK, vamos deixar essas questões estéticas de lado. Ano passado a equipe conseguiu oito pódios. Seis deles nas primeiras oito etapas do campeonato. Depois, perdeu rendimento. O que aconteceu?
Miguel Bomdebola – O menino disse que a partir dali os troféus teriam de ser divididos. Mesmo se o outro piloto conseguisse um pódio. Que não era justo ele ficar sem nada, porque sempre disseram que ganhamos juntos e perdemos juntos. Se ganhamos juntos, ele disse, quero troféu pra mim. Fernando disse que não ia entregar seus troféus para ele, mesmo sendo filho do chefe. E falou que se fosse para dividir, não ia mais ganhar nenhum.
Mas isso não causou um certo mal estar na equipe?
Miguel Bomdebola – Na equipe, não. Mas na família, sim. O pai tirou o videogame dele e falou que celular, só duas horas por dia. Aí o moleque ficou irritado e jogou o PlayStation no chão. O pai disse que não ia dar outro. Foi um momento delicado da temporada.
Só para deixar claro, você está se referindo ao Lance Stroll?
Miguel Bomdebola – Isso é você que está falando.
Bom, mas ele pelo menos mostrou força de vontade no começo do ano, correu com os punhos lesionados…
Miguel Bomdebola – Isso zangou mais ainda o pai. Porque ele não tinha autorizado o menino a andar de bicicleta sem rodinha. Tomou um tombo, vimos no que deu. Ele não tem idade pra isso, ainda.
Entendo. Bem, voltemos à equipe e às perspectivas para 2024. O que você pode falar sobre o carro?
Miguel Bomdebola – Que é verde.
Isso ficou bem claro. Mas deve ter alguma novidade técnica, algo na suspensão, nos difusores, endplates, sidepods em forma de letterboxes…
Miguel Bomdebola – Forma de quê?
Letterbox.
Miguel Bomdebola – O que é isso?
Sei lá, andei lendo por aí. Sidepods em forma de letterbox. Imaginei que você saberia o que é. Letterbox, caixa de cartas.
Miguel Bomdebola – E quem é que manda carta hoje em dia? Só se for o Alonso! Hahaha, desculpe, não resisti à piada.
Bem, já que tocou no assunto, hoje Toto Wolff foi visto tomando café com Flavio Briatore, que cuida da carreira de Alonso. Já estão dizendo por aí que ele vai para a Mercedes…
Miguel Bomdebola – Isso é bobagem. O que oferecemos ao Fernando para ficar quanto tempo quiser com a gente ninguém vai cobrir.
E o que foi?
Miguel Bomdebola – Um plano de saúde vitalício da Prevent Senior.

Subscribe
Notify of
guest

26 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Hilton Vaz Pezzoni
Hilton Vaz Pezzoni
5 meses atrás

Kkkkkk. Prevent Senior ? Esse texto é que é um senhor presente !

Marcus
Marcus
5 meses atrás

Quanto ao Alonso correr mais anos, se não me engano, o Graham Hill correu na F1 até pouco antes de morrer, aos 46 anos.

Last edited 5 meses atrás by Marcus
Carne Nobre
Reply to  Marcus
5 meses atrás

Quem sabe alonso faz o mesmo

Marcus
Marcus
Reply to  Carne Nobre
5 meses atrás

Acredito que o Alonso vá alem dos 45 anos na F1. Se nos anos 70 e 80, quando a preparação física era quase inexistente (quem começou de fato a levar isso a sério e virar exemplo foi o Senna) e a medicina esportiva era incipiente, pilotos como o Laffite, o Rosberg, o Arnoux, o Jones etc estavam para muito além dos 30 anos ou entrados nos 40 e eram competitivos, o que impede Alonso ou Hamilton, com todos os recursos possíveis, de guiarem até quase os 50?

Paulo Dantas Fonseca
Paulo Dantas Fonseca
5 meses atrás

Lance e El Fodón , vão precisar de muito trabalho para chegar ao podium, além de muita boa sorte.

Amalio Damas
Amalio Damas
5 meses atrás

A qualidade deste texto que ninguém lê e é uma tristeza (Gomes, Flávio – 2024), está se deteriorando. Nesta frase faltou um que para dar sentido à mesma. Por gentileza, corrija: “Não dá para dizer todos tenham ficado boquiabertos com o carro novo, que leva no nome código as iniciais de Aston Martin Racing e o ano em disputa.” Parece que os Strolls já fizeram as pazes e Lawrence já comprou um Playstation 5 novo para Lance, que já tinha feito um lance em um Playstation 5, em um leilão da Internet, o que deixou Lawrence irritado com esse lance de Lance, que reatou um lance com uma garota que a família odeia, porque Lance sabe que esse lance, poderia gerar um novo lance de irritação em Lawrence que sempre está irritado com o lance de Lance não saber dirigir direito. Grande abraço!

Marcus
Marcus
Reply to  Amalio Damas
5 meses atrás

Uma tentativa canhestra de corrigir o jornalista e fazer um chiste.

Fil
Fil
5 meses atrás

kkkkkk

Chupez Alonso
Chupez Alonso
5 meses atrás

Do jeito que o Al Caponso sabe tomar decisões em sua carreira, corre o risco dele ir para a Mercedes em 2025 e a Aston Martin se tornar a equipe a ser batida!

Rumo ao 8cta!

IMG_0688.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Interessante é que você pode achar seu rumo este ano mesmo. Só não sei qual seria a sua reação.

Last edited 5 meses atrás by O crítico
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Em 2025 LH44 será o homem a ser batido. Não adianta choro nem vela. Vela só se for pra te enfiar…

Markonikov
Reply to  O crítico
5 meses atrás

Sera que e homem mesmo ?

Marcus
Marcus
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Isso é inegável: a pior decisão do Alonso é sempre a próxima.

Markonikov
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Alonso deu pau no Hamiltom so qow o Kimmy atrapaiou.
Piloto por piloto Aloso sempre.

Glauciobranco
Glauciobranco
5 meses atrás

Notei que a XP nao aparece como patrocinadora. Diferente do ano passado. Isso pode ser ruim para o piloto brasileiro reservaa da aston martin !

Gabriel
Gabriel
Reply to  Glauciobranco
5 meses atrás

pelas noticias mais recentes, tudo leva a crer que a tal da “XP Investimentos” desde sempre foi um esquema de piramide de Ponzi. A melhor coisa que o Drugovich pode fazer eh se desassociar dessa empresa o quanto antes ou tem enormes possibilidades de ficar com a reputação arruinada… mudando de assunto: ansioso pela entrevista com o Gola Profunda no post da Ferrari

Marcus
Marcus
Reply to  Glauciobranco
5 meses atrás

Drugovich, se tanto, pode ter algum futuro na F-E ou no Endurance. Brasileiro na F1 é bem difícil, só em 2026, e se o Bortoleto for impecável.

Marcus
Marcus
5 meses atrás

Não ganha corrida em 2024.

Thiaguinho
5 meses atrás

Acho que sim acho que não em 24
Salvo alguma corrida maluca. É a terceira da fila

Piloto de carrinho de supermercado
Piloto de carrinho de supermercado
5 meses atrás

Se ficar na Aston Martin, Fernando Alonso pode esticar a carreira, pois seu parâmetro de comparação será Lance Stroll, mas talvez só venha a ter carro para conquistar alguns pódios; se for para a Mercedes, pode ter carro para ganhar corridas, mas terá George Russell de companheiro e talvez Kimi Antonelli pedindo passagem… Pode ser que essas declarações de hoje e a foto do Briatore sejam para valorizar seu “passe” e tentar pressionar a Aston a oferecer uma renovação logo no início do campeonato.

Em relação a correr até os 50, acho que tem um empecilho: a visão, que começar a decair de maneira mais perceptível a partir dos 40, né? Como contornar isso? Muita gente se lembra do Piquet, que perdeu a noção de profundidade e ficou mais lento, depois da pancada em Ímola, mas se esquece, por exemplo, do Schumacher, que sofreu um acidente correndo de moto, no qual bateu a cabeça e chegou a ficar inconsciente e que foi mais tarde usado como justificativa para não substituir Massa em 2009. Eu me lembro bem de uma entrevista do brasileiro se dizendo surpreso com a volta de Michael à Fórmula 1, porque Schumi dizia que, por causa do acidente, perdia a visão a cada vez que pegava uma ondulação na pista – ou algo assim. Dei essa volta enorme, só para dizer que, mesmo que o piloto tenha físico de 20 anos, a sua visão pode atuar como um gargalo – o que me deixa curioso para saber até quando o Alonso vai manter seu desempenho em alto nível.

Marcus
Marcus
Reply to  Piloto de carrinho de supermercado
5 meses atrás

Eu citei acima o Graham Hill, que correu até os 46. Mas o Laffite, o Andretti, o Mansell, todos correram na F1 com 42 anos pelo menos, e foram competitivos nos anos 80 e depois. Poderia citar os dos anos 50, também – Farina, Fangio, Chiron.
O Piquet teve o problema da visão por causa do acidente em 1987, não pela idade. O Schumacher ficou 3 anos parado. E hoje, em 2024, a saúde média da população é melhor no geral do que em décadas anteriores, bem como a medicina esportiva.
Vai ser normal vermos atletas no futebol, no vôlei, na F1 etc competindo em alto nível para bem além dos 40 anos.

Last edited 5 meses atrás by Marcus
Piloto de carrinho de supermercado
Piloto de carrinho de supermercado
Reply to  Marcus
5 meses atrás

Marcus, eu citei o Piquet justamente porque ele ainda estava no auge como piloto, quando deu aquela pancada em Ímola, e o problema de vista o fez automaticamente ficar mais lento. Fernando Alonso e Michael Schumacher retornaram à Fórmula 1 com idades próximas. O espanhol levou cerca de 6 corridas para começar a andar na frente do Ocon, enquanto que Schumacher passou 3 anos apanhando do Rosberg. Como o alemão era reconhecido pelo seu excelente preparo físico, pois se dizia que nem parecia estar suado após o término das corridas, eu especulo que talvez não estivesse enxergando perfeitamente, por causa do acidente. Extrapolando, penso que os avanços da preparação física TALVEZ não sejam suficientes para aumentar a longevidade das carreiras dos pilotos, porque TALVEZ as dificuldade visuais que surgem a partir da meia idade fará com que fiquem mais lentos.

Em relação aos nomes que você citou, não acho que Graham Hill e Mario Andretti estivessem em alto nível após os 40 anos, não. Dos caras dos anos 50 é difícil falar, porque era quase outro esporte, embora o Fangio me pareça meio alienígena. O Mansell, sim, parecia em condições até de disputar títulos, já que marcou sua última pole e ganhou sua última corrida aos 41 anos. Isso depois de ter ficado quase dois anos longe da F1 e ter tido pouquíssimo tempo para se readaptar. Uma pena que a Williams não o manteve para 95 e que ele não tenha tido paciência para fazerem as coisas funcionarem com a McLaren, pois dava sinais que conseguiria pelo menos andar no ritmo do Mika Häkkinen – mais tarde ele se arrependeria da decisão.

Para fechar, justamente para ajudar a responder à questão de quanto tempo um piloto pode correr em altíssimo nível, eu gostaria de ver Alonso na Mercedes e também anseio pelo duelo na Ferrari entre Hamilton e Leclerc.

Leonardo
Leonardo
5 meses atrás

Sensacional 😂😂!

O crítico
O crítico
5 meses atrás

Mais um belíssimo carro ecológico. Além do que, verde é a cor da esperança. Esperança de um mundo melhor que se renova com a provável ida do Príncipe das Astúrias para a Mercedes em 2025. Quero ver como fake-tri (como eu odeio tudo que seja fake), genro do motorista do capetão, vai se virar ano que vem com LH44 na Ferrari e FA14 na Mercedes. É muito 4 na vida dele. Tomara que tome de 4. Haasistas não passarão.

O crítico
O crítico
Reply to  O crítico
5 meses atrás

Tão engraxadinho esse fake, não? E, como ele mesmo confessou, ele se odeia, coitado. Tá confirmado o motivo da falta de identidade e personalidade próprias que eu já havia percebido e exposto aqui. Pobrezinho, desse jeito não deve nem aguentar se olhar no espelho.

Oto
Oto
Reply to  O crítico
5 meses atrás

Acho que um alemão vai pra Mercedez