MENU

segunda-feira, 5 de setembro de 2011 - 13:59Indústria automobilística

ROMI-ISETTA, 55

SÃO PAULO (velinhas) - Vários blogueiros me lembram que hoje, 5 de setembro, é dia de aniversário da Romi-Isetta: 55 anos. Tem um material bem legal no G1. Há uma eterna discussão sobre qual o primeiro carro brasileiro: a Romi-Isetta, apresentada em 5 de setembro de 1956, ou a caminhoneta DKW-Vemag Universal, de 19 de novembro de 1956.

Tecnicamente falando, a peruinha deve ser considerada o primeiro automóvel nacional, por uma razão simples: a definição de “automóvel” para o GEIA, órgão do governo que cuidou da implantação da indústria automobilística brasileira. Para o GEIA, um automóvel deveria ter pelo menos duas portas e capacidade para um mínimo de quatro ocupantes e espaço para bagagem. A Romi-Isetta não se encaixava nessa definição.

Mas isso, claro, não tira do lindo minicarro seu valor e pioneirismo.

Sendo assim, palmas para a Romi-Isetta, que ela merece!

19 comentários

  1. julio cesar disse:

    gostaria de saber se alguem tem o esquema eletrico da romi isetta 1965 motor bmw

  2. julio cesar disse:

    gostaria de saber se alguem tem o eskema eletrico da romi isetta 1955 porfavor motor bmw

  3. juninho queluz disse:

    Os primeiros carros fabricados no Brasil são da
    FNM no ano de 1951.
    Fonte:
    Revista quatro rodas edição especial de 2002 ou 2003 pag. 45.

    • Eugenio Chiti disse:

      Juninho, o primeiro veículo de fabricação nacional foi um caminhão, o FNM D-9.500, lançado em 1951. A FNM só iria lançar um automóvel de passageiros em abril de 1960, com o FNM JK-2000. O primeiro veículo de passageiros brasileiro foi a Lambretta, lançada em 1955. O primeiro carro de passeio foi o Romi-Isetta, em 5 de setembro de 1956.

    • juninho queluz disse:

      Prezado Eugenio:
      Fiz o comentário baseado na fonte
      que eu indiquei.
      Abraços.

  4. Romeu Nardini disse:

    Lembrando que em homenagem ao lançamento da Romi Isetta, na data de 5 de Setembro tambem é comemorado o dia do Antigomobilista, em São Paulo.

  5. Vainer disse:

    Caro Flavinho, sou seu fã desde os tempos da F1 na Jovem Pan, sei também de sua admiração pelos DKW, os quais eu também tenho, principalmente o Fissori, esta discussão de quem veio primeiro, se Roimi-Isetta ou DKW-Vemaget, é algo levado pela paixão, a classificação do GEIA não passou de equivoco histórico, classificar o veículo pelas suas característica é normal, mas o que se fez quando conceituou um carro pela sua quantidade e passageiros não me parece razoável, em fim, penso que a discussão deva ser olhada pelo lado cronológico dos fatos, o lançamento do Romi-Isetta se deu antes do DKW. O pioneirismo daqueles que apostaram na industrialização brasileira é o que importa, graças a eles nossa indústria automobilística prosperou e chegou no que temos hoje.

  6. Marcelo disse:

    O site das replicas está fora do ar… Vc sabe o que aconteceu Flavio?

  7. Fabio disse:

    Eu estive no encontro de Romi-izettas aqui em Santa Barbara D’Oeste! Uma mais linda que a outro e ouvir o doce barulho de uma funcionando nao tem preço, mesmo eu com meus 25 anos, me senti transportado anos 50!

  8. Pedro Jungbluth disse:

    vale ressaltar que dizer quem foi primeiro é bobagem. Primeiro foi o Benz de patente, e ele tinha menos cara de carro que uma romisetta, então pra mim a discussão é vazia. Na minha opinião, a definição da GEIA foi pra agradar a DKW simples assim.

  9. Roberto disse:

    E lembrar que as Romi-Isetta tiveram motorização da BMW! Made In Germany.

  10. Fernando Alniezi disse:

    E o encontro com os carrinhos Romi-Isetta, foi sábado, a 10 min da minha casa aqui em SBO, e eu não pude ir. É de passar o resto do dia mal humorado.

  11. disse:

    O Cedoc da Romi teve ter cada foto…

  12. Eugenio Chiti disse:

    Flávio, o decreto do Geia a que vc se refere (41.018, de 26 de fevereiro de 1957) não falava sobre número de portas, e sim sobre capacidade de passageiros. Foi “baixado” depois que o Romi-Isetta e a Universal já estavam nas ruas, e visava o Setor como um todo. Veja mais no capítulo dedicado ao esclarecimento deste assunto no histórico do Romi-Isetta no site da Fundação Romi: http://fundacaoromi.org.br/fundacao/cultura.php?foto=is_historia&area=cultura&p1=3&p2=21&p3=23&p4=132&id_is_historia=12 . Tem muitos outros assuntos legais sobre o carro, como as corridas, os artistas de cinema, etc.

    Abs!
    Eugenio

  13. Sergio Ricardo disse:

    Legal e como vai a restauração da Universal. Bais Ibagens por favor.

  14. Roberto Pesserl disse:

    Tem noticias da répica, vc não ia comprar uma?

  15. heraclito disse:

    Bonito, quando queremos sempre achamos uma justificativa para tudo.

    guando e eu menino, existia uma na Av. Sabará, em interlagos, acho que pertencia a um mecânico, se alguém soubesse a história desse caro ia ser legal, nunca mais vi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>