NAS ASAS (DA STOCK) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016 - 19:47Stock Car

NAS ASAS (DA STOCK)

SÃO PAULO (que dia…) – Vocês vão entender. Essa imagem aí embaixo é do troféu que será entregue domingo para o pessoal da Stock no encerramento da temporada. Veio um release que explica tudo, abaixo da foto. Depois volto com minhas dúvidas.

301670_666946_15416925_10211045600398416_1882303770_n

A Stock Car firmou parceria com o Museu 14 Bis, que terá um estande no Village, em Interlagos. No espaço, o projeto terá maquetes de montar do 14 Bis, avião projetado e construído pelo pioneiro mundial da aviação Santos Dumont. Além disso, o estande colocará à venda banners, pôsteres, mouse pads e canecas do museu.

A renda será revertida ao projeto de construção do prédio que abrigará o museu, que busca reproduzir a maioria das aeronaves projetadas e construídas por Santos Dumont; a arquitetura do projeto do imóvel prevê a reprodução do 14 Bis. A iniciativa da parceria partiu do idealizador do projeto, Rubens Herédia, que procurou a Vicar.

A relação de Santos Dumont com a velocidade foi muito além da aviação. Primeiro brasileiro a disputar corridas de carros na França, o inventor brasileiro foi o responsável pela ideia, promoção e premiação da primeira corrida em circuito fechado na história, em prova realizada em Paris no Parque dos Príncipes, entre o ano de 1894 e 1895.

As homenagens ao pai da aviação estarão também nos troféus entregues na etapa final, feitos pelo artista plástico Hermes Santos em impressão 3D. A peça é inspirada na escultura “Ícaro de Saint Cloud”. O conjunto foi confeccionado em poliestireno com resina epóxi e revestimento de estrôncio fluorescente — que brilha no escuro. O troféu está solidificado em base e suporte de acrílico negro, inspirado no característico chapéu de Santos Dumont, e traz a frase gravada “Motor de explosão interna unindo geração de vencedores”.

Legal. Gosto de troféus temáticos. Mas não entendi direito algumas coisas nesse caso. Que museu é esse? Adoraria conhecer o projeto. Será que tem a ver com o acervo do museu da TAM de São Carlos, que foi fechado. Quanto ao troféu em si, tudo é questão de gosto. Só não entendi direito o lance do chapéu.

Enfim, o que acharam?

27 comentários

  1. Cristiano disse:

    Puxa! Poderiam ter tirado aquela toalhinha de renda de cima do troféu, não tem como ver direito assim.

  2. Marino disse:

    Feio pra caralho, convenhamos. Mas, respeito sua opinião. Quanto a mim, achei muito feio. Olha que a FIA capricha nas taças cocozinho e outras, mas essa aí…fala sério!!! Um batman de crochê sobre algo que com muita força de vontade parece um chapéu daqueles usados pelo Santos Dumont.

  3. Brabham-5 disse:

    É de crochê? kkkkkkkkkk

  4. moisesimoes disse:

    “A renda será revertida…” Enfim, está mais pra Aerosmith a Santos Dumont.

  5. Jr Moreto disse:

    Hoje à tarde, enquanto assistia a Mercedes e depois a F-3, comecei a conversar sobre a corrida com o cara ao meu lado. Papo vai e papo vem, ele se apresentou como o idealizador do projeto do museu.
    Falou sobre o projeto, que pareceu interessante em um primeiro momento e espero que dê certo se for realmente bom.
    Achei uma baita coincidência, por causa do blog. Se quiser passo o contato.

  6. Marco disse:

    Disparada uma das coisas mais ridículas que já vi.

  7. Hugo disse:

    Horrível parece umas coisas que minha avó fazia de crochê

  8. Rogerio Carvalho disse:

    feio pra caralho!!! lembrando que pra caralho é advérbio de intensidade!!!

  9. GArlet disse:

    Sou designer. A parte de baixo parece 2 dildos. Feio, muito feio, e de mal gosto. Sendo bem sincero.

  10. Renato de Mello Machado disse:

    Tá mais para a Red Bull.”Te dá asas”.Uma base de granito com um 14 Bis espetado, remeteria logo ao assunto.

  11. Marcus Lins disse:

    Ao menos, é melhor que os cocozinhos do Santander, que inundam a F1.

    O texto dá a entender que algo preto tem a ver com o chapéu, mas, conforme já foi dito acima, o chapéu é o cabide das ‘asas de rendinha’.

  12. Eltontoptec disse:

    Me parece uma asa de crochet resinada.

  13. Squa disse:

    Toda a história a parte, esteticamente achei ridículo

  14. clodoaldo disse:

    culpa do santander que introduziu o troféu feio no automobilismo o unico bonito é o do gp da hungria de f1 (que diga-se de passagem só o trofeu presta o corrida chata desde sempre)

  15. GABRIEL CONTE CORREA disse:

    Pseudonacionalismo barato na onda da abertura dos JO. Santos Dumont é muito mais europeu que brasileiro. Não deve nada ao Brasil, talvez seu racismo. Irmãos Wright também não tem nada a ver com o Brasil, portanto Brasil não tem nada a ver com tecnologia e invenção do avião. Nunca teve.. 99% dos voos aqui são feitos em avião estrangeiro. Não temos uma indústria aeroespacial, assim como não temos uma indústria do automóvel e do petróleo. Temos rebarbas e nacionalistas de ocasião.

    • Pedro Araújo disse:

      Realmente não temos nem Embraer nem Petrobrás.

      Tínhamos, mas agora não mais.

      A Gurgel perdemos já no início dos ’90.

      Mas ignorantes entreguistas, ah, isso temos de montão.

    • Rafael Friedrich disse:

      Pois é.

    • Rodrigo Moraes disse:

      De fato, concordo que esses tipos de feitos dependem mais do indivíduo do que do seu local de nascimento. Dumont era um visionário e provavelmente teria inventado essas coisas independentemente de sua origem. Da mesma forma, Einstein, Newton e van Gogh e, apesar disso, também são reverenciados por Alemanha, Inglaterra e Holanda, embora seus feitos praticamente independam de suas origens. Portanto, o brasileiro não poder se orgulhar de Dumont me parece um pouco de viralatismo. Eu moro em Campinas e por isso voo muito de Azul, e a maioria de sua frota é composta por aviões da Embraer. Considerando que a Azul é a terceira maior empresa aérea do Brasil, acho difícil 99% dos voos feitos no Brasil serem feitos em aviões estrangeiros. O Brasil é o quinto maior exportador de aviões do mundo, atrás apenas de EUA, França, Alemanha e Canadá. Convenhamos, não estamos em má companhia. Pode me chamar de pseudonacionalista barato, mas no que se refere à aviação, eu me orgulho do Brasil.
      Em tempo, o troféu parece uma toalhinha de crochê com palitos plásticos de sorvete descansando em um cabide.

  16. Fernando Kowalski disse:

    Ficou um trofeu bem diferente, mas legal de ter na coleção de troféus que geralmente são muito parecidos. A idéia de brilhar no escuro acho meio cafona.

    Em relação ao lance do chapéu, Flavio, olhe o suporte branco que está apoiado as asas. O formato é a vista de corte vertical do chapéu do Santos Dumont.

  17. Henrique disse:

    O perfil do característico chapéu do Santos Dumont está servindo de cabide, escondido debaixo das rendas. Haja criatividade…

  18. Ricardo Fulgoni disse:

    A silhueta do chapéu está atrás da asa.

  19. PAULO CELSEN MESQUINI disse:

    Achei que ficou fácil virar “artista plástico”.
    Basta arranjar uma impressora 3D.
    Rsrsrs

  20. Thiago Leal disse:

    Achei feio. Parece aqueles lenços rendados, que se coloca no meio de mesas, centros… só que como se tivesse estendido, pra secar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>