A ESCOLHA DA AUDI

SÃO PAULO (faz sentido) – Nico Hülkenberg foi anunciado agora cedo como novo piloto da Sauber para 2025 e, consequentemente, é o primeiro recrutado da Audi para sua aventura na F-1. A montadora alemã já comprou a equipe suíça e passa a usar seu nome em 2026. O contrato com o piloto é “plurianual”, termo que tem sido usado nos anúncios oficiais da categoria para não especificar sua duração. Não sei por que essa bobagem. Será de três temporadas.

Aos 36 anos (faz 37 em agosto), é um verdadeiro um highlander, esse alemão. O cara ficou praticamente três anos fora da categoria, depois de encerrar seu contrato com a Renault no fim de 2019. Foi chamado apenas para substituir colegas impossibilitados de correr por causa da covid — duas vezes pela Racing Point em 2020 e mais duas por sua sucessora, a Aston Martin, em 2022.

No ano passado, a Haas foi atrás de alguém experiente para a vaga de Mick Schumacher e chamou quem? Hulk de novo. Nessas, desde a estreia em 2010, são 208 GPs nas costas por sete times diferentes: Williams (onde fez sua única pole, em Interlagos), Force India, Sauber (em 2013, portanto conhece a casa), Renault, Racing Point, Aston Martin e Haas. É o piloto que mais correu na história sem conseguir um pódio sequer.

(OK, Force India + Racing Point + Aston Martin = a mesma equipe, mas estatisticamente tem de contar três vezes.)

Em 2015, Nico disputou as 24 Horas de Le Mans pela Porsche e venceu. Quem comandava a equipe, que pertence ao grupo VW, era Andreas Seidl. O engenheiro alemão hoje está à frente do projeto da Audi, que também é da VW, na F-1. São velhos conhecidos.

A Haas não terá grandes problemas para preencher essa vaga na próxima temporada. A Ferrari, com quem tem parceria técnica e até uma salinha em Maranello, irá indicar Oliver Bearman, o jovem inglês que foi chamado às pressas para o lugar de Carlos Sainz na Arábia Saudita e terminou a corrida em sétimo. Com a saída de Hülkenberg, é possível que Magnussen siga no outro carro.

Já a Audi precisa pensar num segundo nome para fazer companhia ao veterano Hulk, uma clara bola de segurança da Casa de Ingolstadt. Bottas e Zhou não estão nos planos. Sainz segue sendo a prioridade. Se os alemães conseguirem convencer o espanhol a abraçar a causa, será reeditada a dupla que formou com o alemão em 2018 na Renault. Carlos, no entanto, reluta em assinar já, apesar de ter recebido uma proposta financeiramente generosa. Ele ainda quer saber o que acontecerá com Pérez na Red Bull (e com a Red Bull…) e para onde vai a Mercedes.

Mas minha aposta segue sendo a mesma de algumas semanas atrás. Acho que o espanhol vai de quatro argolas.

Subscribe
Notify of
guest

10 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vai Vettel!
Vai Vettel!
1 mês atrás

A Era dos alemães dominarem a categoria já passou, mas deixou três campeões e doze títulos. E continua nos pontinhos com o teimoso Hulk.
E o Vettel? Será que volta?

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás

Não veremos tão cedo um Audi entre os cinco primeiros do grid. Hulk vai para Sauber implantar o jeito VW de ser! E o futuro nos dá surpresas. Fangio foi campeão com Maserati, Alfa Romeo, Ferrari e Mercedes Benz! Talvez Hamilton termine sua vitoriosa carreira campeão na Audi…

Thiaguinho
Thiaguinho
1 mês atrás

O incrível Hulck tem lá seus méritos pois permanecer viável como piloto num mar de interesses da F1 sem vitorias e nem resultados expressivos deve revelar outras características dele e pra quem tá começando melhor um domador de burros brabos tipos Hass do que um jóquei tipo RedBull

Marcus
Marcus
Reply to  Thiaguinho
1 mês atrás

Então esse mesmo argumento serve para justificar a longevidade de Grosejan também. Que, com toda a sua ruindade, conseguiu chegar ao pódio.

Thiaguinho
Thiaguinho
Reply to  Marcus
1 mês atrás

Pode ser mas o francês era mais animalesco

Marcus
Marcus
Reply to  Thiaguinho
1 mês atrás

Sim, era. Fez hora extra demais na F1. Como o Hulkenberg, que teve carros razoavelmente competitivos e condições plenas de pelo menos chegar ao pódio. Ambos devem ter ótimos empresários.

Gustavo Serpa
Gustavo Serpa
1 mês atrás

Parabéns pelo jornalismo de qualidade na superquinta 4! Que dia animado!!

Marcus
Marcus
1 mês atrás

Se eu tivesse o empresário do Hulkenberg para administrar minha vida profissional, estaria feito na vida.

Plinio
Plinio
1 mês atrás

Ficaria surpreso se a RBR colocasse o Sainz. Devem deixar o Perez mesmo, especialmente se ele seguir mantendo a equipe tranquila nos construtores. A Mercedes está empolgada com o tal de Antonelli. Deve sobrar a Audi, que ficará muito bem servida com o Sainz. Já ele, fica a dúvida se terá um carro competitivo o suficiente pra brigar no bloco da frente da F1.

Jonivan
Jonivan
1 mês atrás

E o Ricciardo tem o risco de ficar a pé em breve, deve estar sem clima pra fazer a brincadeirinha do “Huuuulkenberg”