NO PAÍS DOS SOVIETES (3) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

domingo, 30 de setembro de 2018 - 11:22F-1

NO PAÍS DOS SOVIETES (3)

rus189a

RIO (dá no saco, isso) – Ontem, terminei o texto sobre a classificação assim:

Bottas fez a pole, parabéns para ele. Hamilton errou na sua última volta, ficou em segundo. O finlandês parece gostar dessa pista e se dá bem nela. Foi onde ganhou sua primeira corrida, no ano passado. Hoje fez a sexta pole da carreira, segunda do ano. Pode ser até que vença a prova, porque a Mercedes não vai se desgastar por bobagem com ordens de equipe. Se Lewis chegar em segundo, não muda muita coisa na classificação, aumenta a vantagem um pouco menos do que poderia em relação a Vettel. E ele pode ganhar, também, pelo simples fato de que é melhor que o companheiro de equipe.

Em negrito e sublinhado, faço questão, a prova mais cabal de que, no fundo, a gente não entende é nada. Da cabeça das pessoas, não do esporte. A gente tenta tratar o esporte como esporte. Não deveria. Porque o ser humano é pródigo em ser babaca. E são humanos que comandam as coisas, no fim das contas.

O que a Mercedes fez hoje com Bottas foi uma grande babaquice, muito parecida com a da Ferrari com Barrichello em 2002 na Áustria. Alguém pode argumentar que aquela foi pior, porque a Ferrari corria sozinha e o campeonato estava no começo. Mas isso é retórica. Foi igual. Vettel não vai ser campeão. Hamilton não vai ser penta por causa dessa troca de posições em Sóchi.

Na época, lembro bem, minha artilharia voltou-se contra todos: Schumacher, Barrichello, Todt, Brawn, a cambada toda. Achava, e acho, que algum elo dessa corrente poderia ter desrespeitado as ordens ou, o que seria muito melhor, jamais tê-las cogitado. Achava, e acho, que uma atitude forte de um dos pilotos receberia o apoio de todos, menos da cúpula ferrarista. Que, em algum momento no futuro, reconheceria a babaquice daquela decisão.

O mesmo vale para hoje. O babaca-mor foi Toto Wolff. Bottas e Hamilton poderiam transgredir. Mas, no fundo, todo mundo tem medo de fantasmas.

O que é mais curioso é que no ano passado, na Hungria, Hamilton pediu para passar Bottas para tentar superar Raikkonen um pouco mais à frente, e a equipe rapidamente resolveu a situação: vai lá e tenta. Se não der certo, devolve. Não deu, e ele devolveu. Vettel venceu a corrida. E Hamilton estava atrás do alemão na classificação. Chegara a Budapeste um ponto atrás, saiu 14. O campeonato estava muito mais difícil. Uma troca ali, embora sempre sujeita a críticas, talvez até se justificasse pela situação na tabela.

Mas agora? O cara chegou à Rússia 40 pontos na frente, e em franco progresso técnico diante de uma Ferrari que parece estacionada. Precisava mesmo?

Não, claro, que não. Tudo que a Mercedes fez de digno na Hungria em 2017 com seu segundo piloto foi enterrado por uma decisão catastrófica do ponto de vista esportivo e moral. Por isso insisto: Bottas poderia ter dito não. Hamilton também. E se partisse de Lewis esse “não”, ainda melhor. Ele tem moral e peso na equipe para fazer essas coisas. Valtteri é um coitado. Entende-se, até. Corre na melhor equipe do mundo, tem uma situação confortável, a vaga caiu no seu colo com a aposentadoria-surpresa de Rosberg, é a esse papel que se presta. Mas se comportando assim, será um coitado eterno, capacho permanente. E, sendo assim, não tem de reclamar. Da próxima vez, que abra um sorriso e não fique com essa cara de bunda.

Do ponto de vista jornalístico, foi até bom que isso tenha acontecido. Não fosse assim, este GP da Rússia passaria para a história como mais uma corrida chata entre tantas. Ao menos gerou notícia e discussão. Bernie Ecclestone adoraria — era adepto do “falem mal, mas falem de mim”. Hoje é dia de todo mundo falar mal.

Wolff, o vilão do episódio, justificou a ordem de troca de posições na 25ª volta da prova pelo que chamou de “erro nosso”. Até ali, Bottas era o virtual vencedor depois de uma boa largada e a manutenção da liderança até as paradas para trocas de pneus. Naquele exato momento, ocupava a segunda colocação atrás de Max Verstappen, que largara em 19º, fazia uma linda corrida, mas ainda tinha de realizar seu pit stop. Hamilton, segundo desde o início, acabou perdendo a posição para Vettel nas paradas. Foi na volta 14, mas muito rapidamente recuperou o lugar, ultrapassando o alemão na 16ª volta sem muitas dificuldades aparentes.

O dirigente argumentou que o erro da Mercedes foi ter devolvido Lewis à pista atrás de Tião Italiano, e que para superá-lo ele teve de atacar forte o rival, fazendo bolhas num pneu. “Por isso trocamos as posições, para Bottas proteger Lewis.” O time avaliou que o segundo lugar do inglês, com as tais bolhas, estava “ameaçado” pela proximidade de Vettel — que nunca atacou o #44, porque não tinha carro para isso.

Desse momento até o final, o único interesse da corrida se voltou para as mensagens de rádio entre a Mercedes e seus pilotos. Assim que Bottas quase parou o carro para o companheiro passar, foi ao ar a ordem que recebera pouco antes de seu engenheiro Tony Ross: “Valtteri, você tem de deixar Lewis passar na curva 13″, foi o que ouviu. Logo depois, o estrategista James Vowles voltou ao rádio para dizer a ele que Hamilton tinha uma bolha nos pneus: “Há uma ameaça para ele com Vettel por causa das bolhas. Tive de fazer isso para evitar riscos”. Valtteri não respondeu nada, ao menos que se saiba pelas gravações liberadas pela transmissão oficial.

Mas, na última volta, o finlandês perguntou, sim, se a corrida iria terminar daquele jeito. E ouviu de volta: “Sim, vamos manter as posições. Falaremos sobre isso mais tarde”. Em seguida, bandeirada dada, quem entrou na linha foi Wolff: “É um dia difícil para você e para nós. Conversaremos todos juntos depois”.

O resultado dessa papagaiada foi uma sequência de imagens constrangedoras desde o momento em que os carros foram estacionados debaixo do pódio, até a entrega dos troféus. Hamilton, que venceu pela 70ª vez na carreira e abriu 50 pontos para Vettel, não fez festa e tentou fugir da entrevista obrigatória com o ex-piloto de F-1 Paul di Resta. “Foi um dia difícil”, repetiu o chefe. “Valtteri foi um cavalheiro e merecia vencer. Há uma situação da equipe, do campeonato, mas sei como é difícil para ele. Não foi uma vitória espetacular.” Bottas recebeu o abraço quase envergonhado do parceiro e também usou a expressão “dia difícil”, tentando racionalizar: “Lewis luta pelo título, então sempre temos um plano. Enfim, é assim que as coisas são”.

No pódio, Hamilton puxou Bottas para o degrau mais alto após a cerimônia formal, e ainda tentou, meio encabulado, oferecer seu troféu para ele. Valtteri, pelo menos isso, não topou a encenação. O público viu tudo aquilo com frieza. Vettel, terceiro colocado, era o único que esboçava um sorriso. Parecia dizer: “Será que esses caras precisam mesmo disso tudo para ganhar de mim?”.

Depois dos três que foram ao pódio, o GP russo teve, na zona de pontos, Raikkonen, Verstappen, Ricciardo, Leclerc, Magnussen, Ocon e Pérez. Houve uma ou outra disputa no meio do pelotão, mas nada realmente digno de nota. Max, sim, foi o responsável por uma exibição quase de gala, especialmente nas primeiras voltas. De 19º no grid, ultrapassando quem estivesse à frente em qualquer ponto da pista, chegou ao quinto lugar já na oitava volta. Chegou a liderar e só foi fazer seu pit stop na volta 43, quando voltou à quinta posição — o máximo que poderia almejar se ninguém à sua frente tivesse problemas. Mereceu o voto de “Piloto do dia” que lhe foi consignado pelo amigo internauta.

Mas se tivéssemos um “Babaca do dia” hoje, talvez a disputa tivesse mais concorrentes. O favorito Toto Wolff, porém, levaria fácil a comenda para casa.

231 comentários

  1. ms disse:

    Para entender Toto Wolf

    sobre todo esse chororo melodramatico por conta da ordem dada pelo toto woff, acho que vale a pena reproduzir aqui a seguinte história: certa vez, um grupo de representantes de alguns paises nanicos do leste europeu interessados em estreitar relações comerciais com os EUA se reuniram em washington com um representante “.FODEROSO…” da diplomacia americana para tratarem de assuntos comerciais. Os representantes daqueles países iniciaram a reunião derramando em elogios aos EUA, valorizando sobretudo a condição de quererem ser parceiros e, acima de tudo, serem países AMIGOS dos EUA. Após as falas de todos os representantes daqueles países, o representante do Departamento de Estado dos EUA começou seu discurso dizendo as seguintes palavras “….Senhores, gostaria de íniciar minha fala dizendo que os Estados Unidos não tem amigos…..os Estados Unidos tem interesses…….

  2. Ronald disse:

    Qual a diferença do que foi praticado no passado por Nelsinho Piquet para beneficiar Alonso ?
    Acredito que nenhuma afinal o que a F 1 está fazendo atualmente um resultado manipulado! E o cara que venceu ainda quer se comprara ao Senna; esse pelo menos começou por baixo com carros inferiores e vencia, e na era top como piloto parece que não precisou que lhe dessem vitorias, alias até ajudou Berger, não q isso faça de Airton um heroi mas um piloto bem melhor

  3. Bola da Vez disse:

    Tem gente aqui no blog que dá uma de burro ou idiota quando é o seu protegido que faz merda.

  4. CRSJ disse:

    Nem Hamilton e nem Bottas, simplesmente Toto Wolff foi o cara da corrida!

  5. Adão disse:

    Fazia tempo que não via Formula 1.

    Fui ver essa. Não demorou pra lembrar o motivo do abandono.

    Uma piada.
    Voltemos ao que interessa.

  6. Aylton Ladislau Neto disse:

    Caraca…. Leclerc venceu a “segunda corrida”(abaixo das equipes grandes) com a Sauber com uma ultrapassagem maneira, Magnussen colou no Hulkenberg no campeonato de pilotos… a briga pela 7 posição no campeonato está esquentando…

  7. Luiz G disse:

    Oi Flavio, tudo bem?
    Não li os 189 comentários anteriores ao meu e imagino que não há nada que eu possa comentar que já não tenha sido comentado, criticado e rebatido.

    Ainda assim, vou me arriscar num comentário (que provavelmente ninguém vai ler) e, se eu der um pouco de sorte, você me dá sua opinião.

    Quanto ao episódio entre Hamilton e Bottas, minha decepção do ponto de vista esportivo é a mesma de todo mundo e minha opinião quanto ao assunto é igual a sua e provavelmente igual a de todo mundo.

    Quando Barrichello teve que ceder a vitória para Schumacher em 2002, eu fiquei desapontado como todo mundo, achei que Barrichello fez errado, devia ter peitado a equipe, etc e tal…

    Muito tempo depois, vi uma entrevista do Barrichello contando que ele ganhou o prêmio (em dinheiro) pela vitória, ficou com o troféu, os mecânicos ganharam a devida premiação…..e depois, Rubens ainda ganhou uma vitória de Schumacher no mesmo ano, em Indianápolis.

    (Gesto gentil, mas ineficaz, pois já não podia mais disputar o título e o público se sentiu enganado novamente).

    …Mas naquela entrevista me dei conta de que a Formula 1 é um esporte de EQUIPE.
    A gente sabe disso, mas sempre esquece.
    Não é um esporte em que dois caras (pilotos) disputam uma corrida e “que vença o melhor”.

    É um esporte de EQUIPE, no qual, a vitória do piloto, é a vitória da equipe inteira.
    O fracasso do piloto, significa o fracasso de uma equipe inteira.

    Lembrando que a F1 é um trabalho e os funcionários da equipe são assalariados, que ganham premiações de acordo com os resultados dos pilotos nas pistas, fica mais evidente que o fracasso do piloto, resulta na decepção financeira de muita gente.

    Deste ponto de vista, fica mais fácil entender por quê os chefões tem que ser babacas e fazer troca de posições para garantir o título de pilotos para a equipe, pois isso vai significar premiações pra todo mundo na empresa.

    Funcionários que tem esposas, filhos, familia e dependem dessa premiação pra fazer um pé de meia pro futuro ou pagar algo que o filho precise, ou uma dívida, uma prestação de uma casa, etc…

    Assim, se um piloto não quer ceder a posição para o companheiro que é líder do campeonato apenas por seu orgulho pessoal de subir no alto do pódio, e isso significar a derrota do mundial de pilotos e, consequentemente, tirar a premiação de vários funcionários só por causa de seu orgulho, realmente é algo que vai acabar com o cara dentro da equipe.

    Formula 1 não é esporte de bons samaritanos, mas a relação do piloto com os outros funcionários da equipe faz uma diferença enorme em toda a qualidade de vida do cara.

    Se ele pensar em si mesmo, sem considerar as necessidades dos outros funcionários, vai acabar perdendo o emprego da mesma forma.

    Barrichello, por exemplo, nunca foi demitido da Ferrari.
    Ele saiu quando quis e tinha o respeito na equipe, provavelmente por engolir o orgulho e pensar no coletivo antes de si mesmo.
    Provavelmente vai acontecer o mesmo com Bottas.

    Com este ponto de vista, não vejo o segundo piloto como um “capacho”, mas como o funcionário (piloto) de uma empresa (equipe) que tem que fazer o melhor pra empresa lucrar para continuar no topo do automobilismo mundial.

    Sim, do ponto de vista esportivo, isso é grotesco e sua colocação sobre “Formula 1 – Laboratório de carros” em outro post expressa o que penso, mas econômicamente, talvez não haja como ser diferente.

    Não acompanho as outras categorias de automobilismo com a mesma intensidade que acompanho a F1, mas acho que esse tipo de mutreta (ultrapassagem combinada) é coisa que só acontece na F1.

    Não há tantos escândalos assim na F-Indy ou Nascar.
    Talvez o sistema de premiação seja diferente…..não sei.

    Mas creio que, enquanto o sistema da F1 como um todo for o vigente, isso continuará ocorrendo como algo “normal” na categoria.

  8. Alfredo Aguiar disse:

    Há 2 corridas atrás a Mercedes perdia a pole pra Ferrari, as 2 equipes andavam encostadas, eram pentelhésimos que definiam a pole, Nas corridas as Mercedes hora ganhavam com erros do Vettel, hora com cagadas da Ferrari. DE REPENTE a Mercedes enfia 6 décimos no qualify (não enfiou 1 segundo ou mais porque Hamilton errou no final uma volta em que vinha voando). Até então meio segundo era a diferença da pole pro cara em décimo. Aí Hamilton passa Vettel, 2 vezes, (na largada e depois do pit) como se estivesse passando um retardatário, De onde a Mercedes tirou tanta “cavalaria” sem upgrade na UP? Alguém vai tentar me convencer que foi na aerodinâmica aquele passadão? No trato com os pneus? Tem caroço nesse angu!!!

  9. Alexandre K disse:

    A F1 não apaixona ninguém há tempos.
    Rarissimas são as disputas roda a roda, o nível dos pilotos em geral não é mais o mesmo. E ainda temos essas ordens exdrúxulas e descaradas.
    O Hamilton não está errado em dizer que o Schumacher fazia o mesmo, porque de fato fazia. Porém, entendo que perdeu a oportunidade de fazer diferente, e de ser ainda maior do que a lenda, se tivesse devolvido a posição para o Bottas.
    A F1 se considera um esporte e, nessa toada, deveria valorizar princípios básicos, como honestidade, ética e mérito.
    Vão dizer que é antes de tudo um negocio. Ok. Daqui a pouco vão achar normal o time do coração perder para um arqurrival só para pegar uma chave mais fácil à frente, pensando em vencer o campeonato. Afinal, o que vale é ser campeão, não é? Posso ser um puritano, mas não acho que deva ser assim.

  10. Elaine Cristina disse:

    Adoro as ordens de Equipe da Mercedes e de outras, mostra que são todas iguais na Época do Shumi o narrador queria sempre provar que o sacana era o piloto em questão. Agora fica procurando desculpinhas!!!!!!

  11. Fábio Peres disse:

    Quanto custa a diferença entre o título de pilotos e o segundo lugar, em contratos de publicidade, visibilidade na mídia e premiações? Quanto Toto Wolff (ou qualquer um dos senhores) daria de prejuízo a uma empresa por ter sido um bom esportista, e deixado o melhor vencer, correndo o risco do favorito perder o título?

    É muito fácil falar quando não se pode quantificar o prejuízo por ser “bonzinho”. Que paguem, portanto, um bônus polpudo ao Bottas, por ter aceitado o vexame.

  12. Paulo Pinto disse:

    Lambe-Bottas: o apelido que coloquei no escudeiro capacho da Mercedes caiu como uma luva.

  13. Luiz Guimarães disse:

    Para que acha que o assunto é novo, vale a pena lembrarmos do GP Brasil de 1981, quando a Williams exibiu a placa JONES/REUT para o argentino que liderava a prova. Detalhes: http://www.gpexpert.com.br/2010/04/alan-jones-x-carlos-reutemann.html.

  14. Acarloz disse:

    Medo. A Mercedes tem medo da Ferrari, pro mundo isso é uma certeza hoje.

  15. Marmelada-44 disse:

    Lewis Carl Davidson Hamilton, seja bem-vindo ao CLUBE DOS VIGARISTAS!

    Hahahahahahahahahahahahahahahahahahaha!

  16. Guto disse:

    Bottas sem culpa nenhuma na parada.
    Hamilton… ahh esse Hamilton…..o Neymar da Fórmula 1.
    Poderia ter se negado a passar… mas passou.
    Poderia ter devolvido a posição… mas não devolveu
    Então que não ficasse com cara de coitado. E a tentativa de fugir da entrevista foi patética.

  17. Fabiano Metidieri disse:

    O engraçado é que, na Alemanha, a Ferrari inverteu as posições e não causou todo esse alvoroço de choradeiras. Com a diferença que lá o alemão não teve competência para vencer (bateu sozinho) e na Rússia o Hamilton foi brilhante (inclusive recuperou a posição do Vetel na pista). Gostaria de saber sua opinião Flávio que, por sinal, respeito muito.

  18. Clayton Araujo disse:

    E assim o Hamilton segue pisando na cabeça do Vettel e da Ferrada! KKKKKKKKKK
    Quanto a ordem de equipe pro Bottas deixar o Hamilton passar: nada de novo na F 1 que já está podre há algum tempo.

  19. Moy disse:

    É por essas e outras que Hamilton agradece a Deus pela aposentadoria do Rosberg.

  20. Laercio disse:

    Suspeito que, no fim, a Mercedes não errou nos pits como alega. A ideia seria Hamilton continuar na pista e fazer voltas voadoras com pista livre, e ganhar a posição nos boxes. Por isso ficou mais tempo na pista. Não deu, Hamilton não conseguiu cumprir o combinado, e alguém precisa consertar a coisa toda… simples assim.
    Acredito que em nenhum momento no fds todo passou pela cabeça de qualquer um da Mercedes que Bottas venceria a corrida.
    Mas na hora do “Fernando is faster than you”, o cara azeda né…

  21. Alberto disse:

    Obrigado Toto Wolf por nos fazer lembrar o que é Fórmula 1 hoje.
    Negócios, business..
    O motivo de milhões de torcedores no Mundo todo não acompanharem mais a categoria..
    Quando o chefe de equipe opta por tática, ele garante a vitória do primeiro piloto da equipe..
    O problema Toto é a imagem negativa que isso gera para a categoria e equipe…
    E isso em negócios se chama prejuízo..
    Você até garante e ganha o campeonato, mas não conquista mais fãs…
    É o fã que compra camisa, boné, produtos da equipe, ingresso caro para ver a corrida, etc.
    E isso também gera receita para a sua equipe…
    Tenho certeza absoluta que você não pensou nisso quando ordenou a troca de posição entre Bottas e Lewis…
    Isso para mim so ficou caracterizado que: quando Hamilton devolveu a posição para Bottas no GP da Hungria do ano passado que gerou um grande respeiro ao Hamilton caiu por terra ontem. Ele por ser Hamilton poderia ter dito a equipe: Não vou obedecer a esta ordem TOTO. Este esporte perdeu a sua lisura. Sei que sempre existiu mas escancarado assim? Não gastarei mais o meu dinheiro para ir a Interlagos para ver uma babaquice dessa. Lamentável…

  22. Doni disse:

    Gosto muito de tecnologia e portanto da F1, mas tenho visto ano após ano esse jogo que simplesmente desvirtua a alma desse esporte. Artifícios como esse deveria ser proibido, pois mascara vergonhosamente o resultado genoíno, seja ele qual for. Mas infelizmente em todos os lugares que manejam grandes somas de dinheiro essa vergonha humana está presente. Como dizem os ingleses; “Shame on you Mercedes”.

  23. Candando disse:

    Sou apaixonado por automobilismo,mais essas atitudes me ,decepciona como torcedor.se cada equipe tem dois pilotos deveriam disputar entre eles ,tbm.afinal são adversários.ou então cada equipe passe a ter um único piloto,já q outro não pode vencer..bottas não passará de ser mais um Barrichello e massa na f1,pau mandado só pensando no dinheiro é não em ganhar corridas…por isso respeito muito a redbull seus pilotos brigam entre si na pista.sem picaretagem….duvido senna ter aceitado isso.tinha sangue nos olhos para vencer a tds ,principalmente o Prost.

  24. J F Oliveira disse:

    Pensei que era Áustria 2002.
    Inclusive no pódio, o vencedor da prova manda o segundo colocado subir para o degrau mais alto e tenta trocar os troféus. Putz, pensei que o Bottas ia aceitar e beijar o troféu chorando, para o deja vu ser completo, mas ele recusou.
    Agora Hamilton pode dizer que já se igualou a Schumacher.

  25. Comentarista Crítico disse:

    O que acho bom em tudo isso é que a Mercedes se mostra nitidamente o carro mais rápido do grid. Limpou a barra do Vettel! Com a superioridade do carro consumada, Hamilton será penta(se bobear, Vettel nem ganha mais em 2018). E que venha logo 2019. Porque esse ano de 2018 já deu. E que Vettel evolua em alguns quesitos e reaprenda em outros pra acabar com essa hegemonia chata de Hamilton e Mercedes.

  26. Mario Epifanio disse:

    Comcordo com você FG, foi muita babaquice.

  27. Carlos disse:

    Eu não sou um grande fã de Hamilton, embora o seu talento seja indiscutível. Mas eu não acho que ele pudesse fazer algo para impedir o que aconteceu hoje. Continuar atrás de Bottas ou devolver a posição eram realmente opções? Vettel possivelmente passaria os dois se o britânico decidisse encrencar em nome da moralidade.

    • Comentarista Crítico disse:

      Era só ele entregar pro Bottas na linha de chegada. Coisa que ele devia ter feito e que creio que até as Hamiltetes queriam que ele tivesse feito isso. Ele ia ficar ainda mais respeitado e reconhecido do que já é. Mas Lewis é muito ganancioso pra fazer isso. Entregar uma vitória não é a mesma coisa que entregar um terceiro lugar. E ele acabou dando um de Schumacher. Se Senna em seu espírito assiste Hamilton, ontem foi a primeira vez que ele se decepcionou com o Inglês. E não foi pouco.

  28. valter disse:

    Não precisava do Hamilton dar aquele show midiático do instante que saiu do carro até o apagar das luzes. Se não concordou com as ordens do patrão bastava não aceitar. Devolvesse a posição pro Bottas. Já que aceitou então saisse do carro comemorando e retribua mais adiante com os campeonatos seguros. Fazer toda aquela encenação ao estilo do Neymar ficou pior. Hamilton é um dos maiores pilotos da história da F1 e ganhará muitas corridas e títulos. A ordem de Totó não foi errada. Pilotos de nivel mediano como Bottas assinam seus contratos e sabendo das clausulas como segundos pilotos. Só que quando aparece uma chance em um milhão de bater o titular ficam chateados ao ter que cumprir as suas obrigações contratuais.

  29. J Alves disse:

    A palavra que FG usou foi a que eu pensei (e com certeza muita gente também) quando acabou aquilo: na F1, uma vez capacho, sempre capacho. Bottas já era –psicologicamente, aos olhos do resto da F1, para os fãs de F1, e por aí vai.

  30. Fernando disse:

    Bottas, bem vindo nosso clube. Rubin, Massinha e Nelsin. E o Grassi cheio de inveja do Nelsin

  31. Guerrando Palei Junior disse:

    Uma idéia para tentar acabar com essas ordens que ao meu ver não fazem parte do “espírito esportivo” seria cada carro ter um patrocinador próprio, como acontece na Nascar ou na Indy. Duvido uma empresa abrir mão da exposição na mídia através de uma vitória ou melhor posição em benefício de outra.
    Ou então acabar com o campeonato de pilotos, ficando apenas o campeonato de construtores. Aí sim as ordens de equipe seriam legitimadas.

    • Atenágoras Souza Silva disse:

      Olha, a Danica já rodou no pit para ajudar o companheiro dela a ganhar o título (não me lembro em que temporada), mas de fato essas coisas acontecem menos na Indy.

      Lembre-se, porém de que automobilismo é um esporte de equipe. Hoje, porém, foi desnecessário.

      Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
      Atenágoras Souza Silva.

  32. Paulo Fonseca disse:

    Prezado F&G: Toto, manda na F-1, ele fez a regra da corrida .Botas é o número dois, obedece a ordem de quem manda é o Toto disse : Hamilton passa.Sempre critiquei o Menino Max, hoje ele foi fantástico o melhor momento da corrida, O pior momento foi a interferência do Dedo de Toto no rabo do Botas, o resto é crítica de jornalista,torcedor,fico imaginando quem pagou ingresso, e foi enganado,pagou para assistir uma corrida ,acabou assistindo um show de circo.

  33. Mauro disse:

    Campeonato manchado não tem valor.

  34. O. BEVILACQUA disse:

    Pessoal, jogo de equipe sempre houve, exemplo Cevert / Stwart e muitos outros.
    Antigamente não havia a tecnologia que existe hoje, as ordens eram enviadas através das placas ou já se saia para pista sabendo da decisão a ser tomada.
    As equipes tinham bem definido quem era o primeiro piloto e o segundo, no treino de classificação chegava-se um piloto puxar o outro através do vácuo.
    Não gosto da maneira como é feito, mas se existe equipe não é um esporte individual.
    Uma das formas de reduzir isso, seria permitir patrocinadores diferentes entre os carros da mesma equipe, assim como é na Indy.

  35. Jonny'O disse:

    Acho normal ordens de equipe , mas a opinião publica fica enchendo o saco e assim tem que usar a cabeça, fazer as trocas no boxe, se alguém errou e essa troca não foi feita tem que engolir o sapo oras, foi burrice mesmo.

    Acho que trocas como essa são aceitáveis em final de campeonato quando esta ponto a ponto a coisa.

    Pra mim é isso, todo mundo vai na zona…….mas ninguém trás recibo pô!

  36. Zé 100 disse:

    A verdade é só uma,Como no velho Oeste,atire primeiro e pergunte depois,quem realmente é apaixonado com F1,quer ver seu piloto ser campeão,os adversários que se dañen.
    No futebol que é o esporte mais popular do mundo,o melhor gol é aquele de mão,na banheira e aos 55 do segundo tempo,detalhe o jogo estava zero a zero.
    HAMILTOM desde criança

  37. Comentarista Crítico disse:

    Recordes de vitórias. Frieza inabalável. E de quebra ainda vence corrida com entrega do companheiro de equipe… Cada vez mais Hamilton lembra Schumacher pra desespero das viúvas. kkkkkkkkk. E pra fechar o comentário: Viúvas, até o signo de Lewis é o mesmo que de Schumi. kkkkkk

    • Segafredo disse:

      Esperneia…..Sapateia Schukruzete, kkkkkkkkkkkkk. Tomou uma enrabada categórica hoje!!

    • Vai Vettel! disse:

      Hamilton = Alonso = Schumacher.

    • Comentarista Crítico disse:

      Segafredo, quero que tu saiba que Senna foi na minha opinião o melhor piloto de sua época. Apesar de não ter sido o maior Campeão da mesma. Mas não era um piloto perfeito. Sabe porquê? Porque pra ele só o primeiro lugar prestava. Senna como piloto era ganancioso, arrogante(por valorizar somente a vitória, parecia que não tinha ninguém mais correndo além dele), impaciente(perdia as estribeiras quando a corrida não estava como ele queria), inconsequente, pouco calculista e pouco inteligente. Mesmo quando via que os pneus não estavam em bom estado, mesmo quando sabia que o motor corria risco, em muitas corridas quando tinha garantido pelo menos o pódio, ia Senna dominado por seu estilo ganancioso, atrás do líder da prova, porque só a vitória importava. O resto era lixo(mesmo que pudesse beneficia-lo no fim do campeonato). E muitas vezes Senna se estrepava em sua ganância e… Clack! Quebrava. Se prejudicando no Campeonato. Hamilton só lembra Senna em pista molhada. De resto parece mais Schumacher. Hamilton é frio e calculista. E nos últimos tempos tem se mostrado de uma frieza inabalável. Ele prioriza a vitória. Mas não vê um segundo, um terceiro e até mesmo um quarto lugar como inúteis. Sabendo que com essas posições vai ganhar pontos que podem fazer diferença a favor dele no fim do Campeonato(no ano passado Hamilton chegou em nono no México e ficou quietinho sabendo que os dois pontinhos daquela corrida lhe dariam o campeonato). Ele se mostra um piloto mais completo que Senna e Prost. E até mesmo que Schumacher que apelava pra trapaças.

      • Segafredo disse:

        Por tudo que falaste aqui em cima, é que Senna foi unico mesmo, o maior de todos os tempos e não dito por mim, mas pela grande maioria de críticos, especialistas e pilotos do esporte F1. Concordo com alguns adjetivos que vc atribui à ele, mas ainda assim isso não o fez menor quando comparado aos outros grandes. Agora vc tem que entender o porquê do comportamento dele ser daquele jeito, entendendo isso vc tbm se juntará àquele time que o apontaram como o maior de todos. Te dou uma dica se quiser entender o mito Ayrton: Não sera por aqui, Youtube ou os videos de suas corridas, mas a grande verdade sobre o piloto está nos livros.

      • Francisley disse:

        Comentário perfeito! Somente quem deixa o coração de lado e realmente acompanha o esporte, pode dar uma definição tão assertiva!

      • Paulo Pinto disse:

        Foi por essas e por outras, Comentarista Crítico, que Senna não passou de tri.

      • Comentarista Crítico disse:

        Concordo Paulo Pinto. Muito kamikazismo! Mas há de se levar em conta também que a morte do Senna colaborou pra ele ter sido apenas tri. Com sua morte, Senna parou com 34 anos. Enquanto o Prost que foi tetra parou com 38. E o Schumacher que foi hepta parou com 37.

      • Paulo Pinto disse:

        Senna poderia ter ido mais longe na carreira se prestasse atenção aos sinais no GP de San Marino.
        A ganância por resultados o fez correr em um GP, que começou errado a partir dos treinos de sexta.

  38. Gadelha disse:

    Só há uma forma de acabar com essa Zona!!! Um carro pra cada equipe!
    Não achei o Galvão hipócrita como muitos estão dizendo. Ele pensou na situação do piloto, ter de abrir pro companheiro passar estando a quase 2 segundos de distancia. Poderia realmente ter resolvido isso nos pits. Mas considerando que os pits já tinham passado, chego a pensar que eles não tinham pensado nisso antes. O “Lobo” agil no impulso, mas tomando uma decisão infeliz, porque Vettel não iria conseguir ultrapassar Lewis de jeito nenhum.

  39. Sandro Daniel Dondori disse:

    Ficou feio???? Ficou. Não precisava????? Ooooooopa, se precisava. Em um campeonato em que tudo pode acontecer, qualquer ponto é precioso. Imaginem 7. Bottas não teve capacidade de andar no ritmo dos postulantes o ano todo, e agora fica de coitadinho pq não venceu um GP?????? Pára com isso. Acredito SIM que se Lewis se esforçasse e fosse pra cima, poderia passar normalmente. Ainda mais quando tudo se desenhou antes do meio da corrida. Mas arriscar pra quê???? Já se arriscou com o Vettel, só faltava se arriscar com companheiro de equipe também né. Tem muita grana rolando ali, contratos enormes inclusive de salário dos pilotos. Bottas que tivesse se colocado em posição de dizer NÃO. Aí poderia reclamar. Palhaçada nesses casos, isso sim, são os casos esdrúxulos e desnecessários, como o de Barrica e Schumi, que já tinha o camp ganho e 1 milhão de pontos na frente. aí é sacanagem. O de hoje foi feio, mas eu como chefe de equipe seria tão ou mais chato que o Toto. Minha equipe, minhas regras. Manda quem pode e obedece quem tem juízo.

    • Comentarista Crítico disse:

      E você acha que Hamilton(veja bem, O HAMILTON) vai dar mole de perder um Campeonato tão encaminhado? Se em pistas travadas que são as favoráveis a ele, ele não tem deixado uma vitória sequer escapar e tem vencido até em pistas não travadas como Hockenheim e Monza, é lógico que ele vai vencer o Campeonato. Pra ele perder o Campeonato só com quebras consecutivas. O que convenhamos: É muito difícil!

    • Leandro disse:

      Bobagem. Se Vettel ganhasse o penta ia ser no mesmo palco do tetra. Só isso.

  40. Celio ferreira disse:

    Desculpe – me FG ..mas Toto Wollf é cria de uma formula 1 , que não arrisca nada,
    pois é investido mulhões , pra vencer tudo o que puder , e êle não podia arriscar .
    Quem me garante que nas 5 provas finais Hamilton não quebra dua s vêzes e
    embola o campenato de novo. Por outro lado o Sr. Bottas teve 15 corridas
    pra brigar de igual pra igual com Hamilton , como fêz Rosberg , Podem mudar tudo
    na F1 , menos a cabeça de um chefe de equipe que recebe milhões pra fazer
    sua equipe campeã mundial de PILOTOS e por equipe. Segundo piloto será sempre
    segundo nas tomadas de decisões , como é Kimi na Ferrari..e ponto final.

    • Marco disse:

      Perfeito!! É isso aí!! Fiz um comentário semelhante aki!! Tem torcedor achando q a mercedes vai deixar de pensar no campeonato pra pensar q o bottas correu bem!! Quanta hipocrisia!! Ele correu bem p equipe e não. P ele!!!O cara é o segundo piloto e é pra isso q ele ganha muito dinheiro. Se não quiser tchau q outro quer!! A Mercedes tinha era q mandar ele ficar calado!!! Qdo q o bottas consegue ganhar campeonato do Vettel!! Só se for rolimã!!

  41. Comentarista Crítico disse:

    Eu disse ontem que esse capacho não faria o menor esforço pela vitória e entregaria de graça pra Hamilton. Dito e feito! Valteri Bottas o Rubens Barrichello Filandês.

  42. tevez disse:

    Horrivel
    Eu tenho ctza que o Lewis poderia passar no braço e não precisaria ser feita essa canalhada
    Podres…

  43. Otávio disse:

    Não sei o porquê de tanto mimimi com ordem de equipe… sempre existiram. Um dos casos mais antigos se deu entre Andretti e Peterson sendo que este estava proibido de chegar a frente. Berger não podia chegar na frente do Senna. Barrichello, nem se fala… enfim, tudo normal. Se o Bottas não gostou, que faça como o Rosberg, se tiver talento para isso, ou procure outro posto.

  44. Fico é indignado com tanta hipocrisia, até da imprensa, perde-se um campeonato por apenas meio ponto, então qualquer ponto que se possa tirar do adversário é valido, Rubinho, Massa e Bottas, não quer ser segundo piloto ou ajudar a equipe, muda de equipe, simples assim, vocês condenam mas em momento nenhum sabe como foi à assinatura do contrato, como eu posso contratar um piloto por 65.000.000 de dolares e outro por 5.000.000 e na hora de decidir um campeonato eu dou preferência a o que ganha 5.000.000 ahhh me poupe desse discurso, Rubinho era humilhado na ferrari, mas ficou rico, teve chance de ir para outra equipe mas preferiu continuar a ser humilhado, eu apoio jogo de equipe sim, quem não deveria apoiar é o cara que entra na equipe de Hamilton e Vettel achando que vai ganhar corridas com eles.

  45. Alexandre disse:

    Não entendo o choro o Bottas é funcionário da mercedes cumpre ordens como qualquer funcionário

Deixe uma resposta para Aylton Ladislau Neto Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>