MENU

terça-feira, 10 de janeiro de 2006 - 15:37F-1

NÚMEROS E MAIS NÚMEROS

MADONNA DI CAMPIGLIO – Cheguei. Mas depois falo da viagem. Por enquanto, um festival de números. Já que a Renault estreou hoje seu carro novo, vejam as cifras que a assessoria da equipe mandou. Alguns são interessantes. Outros, nem tanto.

0,06 – É o coeficiente de fricção dos lubrificantes da transmissão do modelo Renault R25 de F-1. Este número é 20 vezes mais baixo do que o encontrado em um carro de rua.

0,3 – É tempo estimado (em segundos) que a carga de 10 kg de combustível pode adicionar à volta de um carro em um autódromo.

9 – Peso, em kg, do combustível bombeado para o tanque do carro por segundo em uma parada de box.

70 – Quantidade em litros, aproximada, de combustível Elf consumido pelo R25 a cada 100 km.

100 – Pressão, em toneladas por metro quadrado, em certas partes do motor RS25, como no sistema de distribuição.

130 – Nível de ruído, em decibéis, do motor RS25 a plena aceleração.

200 – Total de famílias químicas (moléculas) no combustível especialmente formulado para queima no motor RS25, possibilitando um significativo ganho de potência.

600 – Um pistão vai de 0 a 37 metros por segundo 600 vezes quando o motor está sob plena aceleração. Nestas condições, a espessura do óleo entre certas peças é de apenas vários milhares de um mícron (0,1 mm), e a pressão pode superar um GigaPascal (100 toneladas por metro quadrado).

2.500 – Quantidade média de mudanças de marcha executadas durante um GP.

9.700 – Distância total em km completada pela Renault nas corridas de 2005.

19.000 – Giros do motor superados pela unidade RS25 durante o GP de Xangai (China).

79.000 – Quilometragem completada por carros totalmente fabricados pela Renault em condições de corrida desde o GP da Inglaterra de 1977 – ou duas vezes a volta ao globo terrestre.

259.000 – Distância total completada por motores oficiais Renault desde que a marca chegou à Fórmula 1 – ou o equivalente a 6,5 voltas pelo globo terrestre.

14 comentários

  1. STEFANO MODENA disse:

    Para Onon Nono .
    Como diria o Ricardão , antes a tarede do que nunca… O correto é 37 mts. / seg. Velocidade média ( e não máxima ! ) de um pistão de F1 na rotação máxima , alí pela casa dos 19.000 !!!! Quem sou eu prá corrigir alguém , tem um Engenheiro aí que pode corrigir , mas que é isso , é .

  2. PedroJungbluth disse:

    não dá para por valores de 0-100 e vel m´paxima, pois isso depende do acerto em cada pista.

  3. Onon Nono disse:

    ao Pablo

    portanto seriam 37 cm e nao metros

    600 – Um pistão vai de 0 a 37 metros por segundo 600 vezes

    ou seria qdo ele explode e vai a 37 mts de altura =P

  4. Rangel disse:

    Muito bem observado Rafael Nunes, motor para uma corrida, simples…

  5. Marcio Almeida disse:

    Queria saber qual o tempo que leva para fazer de 0 a 100km/h…

  6. Rafael Nunes disse:

    Uma coisa que não vi ninguém comentando a respeito do GP da China. Por que as Renault foram mais rápidas que as McLaren naquele GP?
    Simples. Como a temporada teve 19 GPs, aconteceu da Renault usar um motor que só precisava agüentar aquele GP, permitindo a seus pilotos explorá-lo mais. A McLaren teve de usar o mesmo motor do Japão.

  7. Ricardo Marx disse:

    Os números mágicos da F-1… são fascinantes.

  8. Pablo disse:

    Flávio, não que valha a pena a correção, mas um mícron equivale a 0,001 mm…
    E para cada milhar de mícron, nasce um milímetro… Se existisse um folga de vários milhares de microns, ou seja, milhares de milímetros, as bielas iriam pedir demissão.

    Coisa de engenheiro chato.

  9. Carlos Trivellato disse:

    Boa tarde!

    Estou emocionado de saber que você está na terrinha! Conte as novidades por conta da “Scuderia”, um abraço!

  10. Punk Rock disse:

    Zero – Renaults que vou comprar na vida
    Zero – GPs em 2005 eu escutei a “mãe dinah” narrando na Globo
    3 – Rádios transmitem a F1 em SP, Pan, Band (do nosso turista-repórter)e CBN.

  11. roger disse:

    1 – Scenic (nova) que deixei de comprar porque a Renault não tem mais produtos de ponta no Brasil.

  12. Alessandro disse:

    hahahahahahaha
    é bem por ai mesmo…
    O Luciano Burti já explicou uma vez que todos os pilotos chamam o Schumacher de “Maicou”… e o Reginaldo Leme disse que ele já perguntou como ele gosta de ser chamado… ai o Schumacher respondeu: “Mícael”
    Ao contrário do q “nós” falamos… MicÁel..

  13. Stefano Modena disse:

    5-número de vezes que assiti às corridas de F-1 durante o ano passado , com o áudio desligado e ouvindo a CBN.
    16-número de vezes em que o Luciano Burti falou “Maicou” Schumacher em vez de “Micael” causando grande mal estar nos estudios da Globo por conta da insistência do Galvão em pronunciar o nome do piloto alemão como se ele fosse russo !
    28-número de vezes que o Galvão referiu-se à “Alonsomania” como se isso fosse a maior revolução ocorrida na F-1 moderna !
    279- números de vezes em que pensei em mudar-me para a Europa afim de assistir a corrida de F-1 sem ter que ouvir as besteiras do Galvão !
    574-número de vezes que o Galvão não deixou o Bassan entrar na transmissão alegando que tinha algo de importante para narrar , quando na verdade era só prá deixar o coitado esperando com a informação que queríamos realmente escutar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>