66 velinhas

SÃO PAULO (parabéns, velho amigo) – Ainda bem que tem quem me lembre dessas coisas, porque aniversários, esqueço todos. O Rafael Linhares, de BSB, traficante de grades de DKW, me escreve perguntando: “Não é hoje que Interlagos faz aniversário?”.

Sim, é hoje. O circuito foi inaugurado em 12 de maio de 1940 (foto abaixo), com uma corrida vencida por Arthur Nascimento Júnior.

Aproveite este generoso blog e faça sua declaração a Interlagos. Ou conte quando foi sua “estréia” no circuito. Ou diga qualquer coisa…

(Pior é que estive lá hoje cedo e não dei parabéns ao asfalto.)

Comentários

  • Minha primeira vez ( a 1a. vez nunca se esquece ) foi nos idos de 59. Fui com um tio. Por mais que implorasse, meu pai sempre se recusou a me levar. Só voltei ao autódromo no início dos anos 60 ( 62 ) quando, na época da escola, tinha um colega de classe que o irmão era piloto da Vemag ( Scuracchio ). Aí deitei e rolei. Iamos sempre ao autódromo, fosse corrida ou somente treine. Ficavamos nos boxes, auxiliavamos na limpesa dos carros. Foi quando conhecí meus grandes ídolos, todos pilotos da Willys, Vemag, Sinca Dacon, etc.
    Hoje em dia não vou mais ao autodromo. Acho que, a última reforma, simplesmente matou o autódromo. Seria muito bom que, todos reunidos, pilotos, chefes de equipes, entusiastes, se reunissem e conseguissem retornar o autodromo ao que era.

  • Minha primeira vez em Interlagos foi nos 500 km de 1964. Vitoria de Jaime Silva c/ Simca Abarth #26 em segundo Wilson Fittipaldi com Willys Gavea Formula 3. Naquela prova correram GT’s junto com Formulas, hoje uma curiosidade impensível de acontecer.

  • Outubro/2004 – Primeira e única vez em que estive no autódromo…GP Brasil F-1…portão R (acho)…pedi para ficar com o ingresso…não deixaram (maldade!!!)…beijei o chão assim que entrei…classificação no sábado…ver as Ferraris saindo dos boxes (estava na Curva do sol, início da oposta)…o barulho dos Honda …a troca das marchas…confesso que os olhos marejaram…desde 1972…sonho realizado, finalmente…pole do Rubinho transmitida com minha narração via celular para o meu filho que teve de ficar em casa…sempre retorno ao autódromo via imaginação ou através do Google Earth… espero beijar aquele asfalto em breve…viva SP…nem o PCC e as autoridades com postura de avestruz vão fazer este fluminense de nascimento que “apaulistanou” deixar de sentir o amor que sinto pela paulicéia desvairada…Interlagos dentro!!!

  • Minha estréia em interlagos foi no treino do GP de 1979. Sai de onibus da Vila formosa com o dinheiro da passagem e o do ingresso contadinho. fiquei sentado no barranco do kartódromo, havia chovido e quando cheguei em casa parecia que tinha chafurdado na lama.

    Burgão,

    Quando o Dimas fez a estréia do escort V8 dele em interlagos com toda aquela pompa, paráquedas para parar o carro e tudo o mais. Tinha um carinha chamado Yastaro com uma gaiola com motor VW boxer a AR que baixou o tempo dele e em quase 1 segundo. Eu estava nos boxes esse dia. foi demais ver que um velho boxer humilhou o cara que gastou uma fortuna no carro.

  • Interlagos é magico ,e vou falar de novo:
    Tem que fazer campanha pra reativar tudo.Não é possivel…….

    Pro Joaquim.
    Esse tal de sunny não poderia tirar uma foto do Fitt-alfa pra gente?

  • Só fui ao Autódromo de Interlagos 1 única vez, no GP Brasil de F1 em 1999. Também foi a primeira vez que ví um carro de F1 em ação. (A segunda e última vez que ví foi em Jerez de la Frontera, também em 1999). Só por estes fatos, já ém um lugar muito especial para mim, mais do que isto, é um lugar sagrado. É um dos grandes templos do Automobilismo, e assume um lugar de destaque para mim, ao lado do Autódromo de Londrina.
    Tem grande importância porque é um dos centros no qual o automobilismo brasileiro iniciou suas atividades, desde o seu período pré-Cambriano.
    Foi o local de aprendizagem e treinamento de vários de nossos pilotos, como o Emerson.
    Foi o primeiro autódromo onde meu pai ia assistir corridas, no qual chegava a acampar por alguns dias. Foi lá que ele percebeu o quanto era apaixonado por automobilismo.
    Foi meu que me apresentou o automobilismo, foi meu companheiro de corridas de F1 pela tv, corridas no Autódromo de Londrina, treinos de kart e de Speed Fusca. O automobilismo é a minha maior paixão. Hoje, se assisto tv é graças à F1 e é o assunto que mais me interessa na internet. E se hoje não corro é porque não tenho dinheiro. O dia que tiver, estarei correndo. E farei questão de correr em Interlagos, que indiretamente, foi um dos responsáveis por eu gostar tanto de carros.
    Parabéns a Interlagos, e muito obrigado.

  • A vista do heliporto é uma coisa linda, se vê a pista toda. Olhar do kartodromo os carros descerem o “s” do senna, e os moleques do outro lada acelerando as baratinhas, so tenho boas lembranças de interlagor. Sem falar nos patos e bichos exoticos que sempre aparecem por la.

  • Fui pouquíssimas vezes a interlagos, a primeira acho que em 95 ver a Stock comos Omegas, teve Corsa e fórmula chevrolet, vc’s que foram bastante onde é o melhor lugar pra acompanhar as corridas?? qual o melhor ponto de observação?? Abraço a todos!!!!!

  • Parabéns ao autódromo. Estive lá em 97, 99, 00 e 02. Estive no Rio em 86 e 87. A turma tinha o cuidado e o capricho de levar ovo podre para jogar nas fileiras abaixo. Urina tbm. Já fui nos setores A, G, M e nunca vi isso acontecer em São Paulo. A galera é educada. Saudades!!! E foi em 99 que o Rubinho levantou a torcida sim. O melhor ano dele na F1.

  • Entrei pela primeira vez no autódromo em 1999, no treino para o GP Brasil que teria Barrichello por 20 e tantas voltas na liderança, se não me falhe a memória.
    Lembro do arrepio que senti ao ver ao vivo, pela primeira vez na vida, um F-1 na minha frente, na Reta Oposta. Não me lembro qual carro era, mas achava aquilo uma coisa de outro mundo.
    A partir daquele dia, passei a comparecer em todos os finais de semana de F-1 no autódromo. Fiz parte da torcida Pisafundo, fui fantasiado às corridas, acampei nos gramados ao redor do setor G, fiz o diabo a quatro naquele muquifo!!!!Freqüentei as corridas até 2004. No ano passado, comecei a trabalhar com jornalismo esportivo e, se depender do meu rumo profissional, não voltarei tão cedo a Interlagos.
    Saudades!!!!!!!

  • Entrei no Autódromo de Interlagos pela primeira vez em 1955.
    Naquela época pagava-se alguns “merréis” de entrada e podia-se passear pela pista.
    Um tio meu (Fausto) que era fanatico por corridas, um domingo colocou a familia em um Standard Vanguard 51, e fomos dar umas voltas na písta.
    Me lembro que não haviam mais que 5 ou 6 carros, passeando mesmo, como se fosse um parque.
    E uma coisa me deixou alucinado naquele dia.
    A incrível inclinação da cruva 3, no final do retão. Achei aquilo a coisa mais linda do mundo. Eu tinha 7 anos.
    Em 1956 tive a o prazer e honra de assistir a largada da primeira Mil Milhas de Interlagos.
    Levados por esse mesmo tio, eu e meu pai nos aboletamos nos “barrancos/arquibancadas” da então reta dos boxes, para ver a maravilhosa largada daquela inesquecível corrida.
    Daí em diante não parei mais de ferequentar o autódromo, vi de tudo, corridas internacionais, corridas de estreantes e novatos, Mil Milhas, 500Km, 24 horas, Formulas 3, 2, 1, testes de montadoras, demonstrações de lançamento de carros, acrobacias, desfiles de carros, motos, e até corrida no sentido inverso ao original.
    Porisso sou uma viuva revoltada do autódromo com o “estupro” do antigo traçado.
    Aqueles 7.948 metros eram perfeitos, com 80% de visibiliadae para o publico e seletivo para os pilotos como talvez nenhum outro no mundo.
    A minha relação com Interlagos é tão doentia, que eu detesto saber que correm de Formula Truck, lá.
    Nos fins de semana de Formula Truck, não gosto nem de ver pela televisão.
    Detesto ver aqueles monstrengos saindo da pista, destruindo muros, cercas, gramados etc.
    Parabens meu querido Autódromo de Interlagos, pelos seus 66 anos!

  • Não lembro exatamente o ano, mas deve ter sido em 73 ou 74. Eu deveria ter uns dois ou tres anos de idade e meu pai costumava me levar lá, tenho alguns slides desta época.

    Porém a primeira vez que realmente me lembro de estar lá, eu ja deveria ter meus cinco ou sies anos e foi durante um passeio ciclistico. Eu, meu pai e minha irmã. Me lembro perfeitamente que eu tinha acabado de passar pela curva do sol e estava na reta que levava a curva do sargento e o pneu da minha caloi dobravel estourou, fazendo que meu pai a carregasse num barranco que dava acesso a area dos boxes. Um dia inesquecivel, ahhh detalhe; estava um baita frio e nublado. Depois disso fui muitas outras vezes lá; mil milhas, stock, formula 3, arrancadas, motociclismo (muitas corridas na época do Casarini), Renault, formula 1 e principalmente as etapas do paulista de automobilismo (que eram as melhores oportunidades de entrar lá nos boxes e ver os fuscas da speed 1600 e um maverick branco e azul que ganhava tudo na força livre… mas faz tempo)

    Parabéns Interlagos!
    Abraços

  • Deu pau de novo no blog, então não sei se isso vai para o ar.

    Minha primeira vêz em Interlagos foi em 1962 quando eu tinha 6 anos.
    Era os treinos para a corrida dos 500 km e fui com o meu tio junto com a equipe do piloto Edmundo Bonotti que corria com um Mecânica Continental, que era uma Maserati F-250 com motor Chevrolet 350 bem envenenado.
    Foi absolutamente lindo, jamais irei esquecer esse dia em que ví tantos carros, tantos sons maravilhosos e tanta gente fera que conheci e até conversei, como o Chico Landi e seu sobrinho Camilo Christófaro, Cristian Heins (o Senna da época), e um garoto irriquieto de óculos tipo professor que não saia de perto do Ciro Cayres e quando andou na Maserati dele fêz um tempo melhor que o dono do carro, e se chamava Bird Clemente e seria também o futuro cunhado do Ciro.
    Todos os pilotos eram amigos, conversavam uns com os outros, trocavam informações, ajudavam os mais “duros” e suas esposas ou namoradas ficavam todas juntas e conversavam animadamente torcendo por seus parceiros e pelo das amigas.
    No ano seguinte, 1963, o Bonotti morreu nos treinos para essa mesma corrida e ela quase não se realizou pois todos os grandes pilotos foram até a casa dele prestar os pêzames à família e não queriam correr no dia seguinte, tendo que o prefeito quase que implorar para que eles fossem pois a prova fazia parte das comemorações do 7 de setembro na cidade.
    Como era vizinho do Bonotti e nossas famílias eram muito amigas, ví o estado emocional que todos os pilotos estavam como o Landi, Caetano Damiani, Camilo, Ciro Cayres, enfim, todos os feras lá e muito emocionados pela perda do companheiro e amigo.
    Lembro que o Chico Landi, Camilo, Ciro e o Damiani ficaram muito tempo na garagem da minha casa conversando com o meu pai, meu tio e meu avô, pois a casa do Bonotti estava lotada de gente.
    E hoje, alguém imagina uma cena dessas, tanto nos treinos de uma corrida quanto no enterro de algúm piloto de uma categoria top ?
    E ainda querem que gostemos dos dias e tempos modernos.

  • Interlagos… infelizmente nunca pude pisar em seu asfalto com motores roncando. A única vez que andei nesta pista foi em 1995 fiz uma visita durante minhas férias escolares e fui pra Sampa. Pedi autorização e consegui entrar no autódromo fui caminhando até o “S” do Senna… e pude me emocionar por estar no lugar onde mtas vezes sonhei assistir meu grande ídolo Senna. Ainda não tive a oportunidade de estar aí durante uma corrida de F-1, mas é um sonho que pretendo realizar. Interlagos! Parabéns! É um orgulho ter vc no cenário mundial do automobilismo!

  • Incrível, moro em São José dos Campos que fica cerca de 80Km de São Paulo e nunca fui a Interlagos. Só mesmo em Jacarépagua que fica a mais de 350Km daqui. Mas ficam os meus parabéns e em breve estarei com certeza nele vendo, dentre outros, o 96 hehe. Parabéns Interlagos.

  • Já entrei nos boxes da F1, Padock, andei na pista, mas na se compra ao Warn-up do dia da corrida de 1995. A primeira vez que entrei no autodromo e vi um F1 de verdedade ao vivo !!! Simplesmente Emocianete

  • A minha primeira vez foi quando peguei uma colega do curso de inglês e mandei ver. A gente estava dentro do quarto dela, e a empregada bateu na porta perguntando se a gente queria um lanchinha da tarde. Se foi em Interlagos? nào foi, mas foi QUASE tão bom quanto pilotar na pista. O nome dela eu não me lembro mais, mas me lembro de cada pedrinha da pista. Interlagos, o Vaticano da velocidade !

  • Fórmula 1 1990. Estreei no autódromo junto com a “reestréia” de Interlagos. Eu com 16 anos e o meu hoje falecido pai. Viemos numa excursão de Londrina cujo ônibus estacionou perto da entrada principal. Como os ingressos eram para o setor G, demos a volta por fora, e no meio do caminho cruzamos com Nigel Mansell chegando num Fiat Uno vermelho. Valeu muito pela experiência de ver tudo ao vivo, mesmo considerando a batida de Senna em Nakajima. A estréia dentro do autódromo, na pista foi em 1994. No final da reta oposta, bateram quatro carros (McLaren, Benetton, Ligier e outro que não me lembro agora). O barulho foi ensurdecedor, e a confusão muito grande, bem como a nuvem de poieira e destroços. Os mesmos destroços que motivaram a mim e minha turma a permancer no autódromo até muito depois do fim da corrida. Quando os fiscais de pista deixaram seus postos, entramos na pista por um buraco no alambrado, recolhemos vários “souvenirs” dentre os destroços da batida e fomos caminhando até a entrada dos boxes, vendo e conversando com alguns pilotos e mecânicos, até que alguém finalmente nos barrou… mas já estava bom demais!

  • Minha primeira vez na arquibancada de Interlagos foi na corrida descrita pelo Roberto Brandão em sua coluna Água. Também não tenho certeza se foi em 73 ou 74, mas acho que em 74, e aquele banho foi mesmo muito bem vindo.

    Naquela época eu já corria em Interlagos há algum tempo e sabia o traçado de cor, graças ao jogo de dados da Estrela, que era genial para um moleque de 12 anos.

    Acho que vou pegar o filme do Roberto Carlos na locadora…

  • Minha estréia nos boxes e arquibancada foi quando tinha por volta de 5 anos de idade… mas na pista mesmo, foi no final de semana passado… andei de kia cerato no 4 rodas experience… coisa de louco. Não o carro, porque não me liguei nele, mas sim a pista que arrepiou do começo ao fim das quase 2 voltas. Ainda volto lá, mas com meu carro de corridas… Abraços.

  • Minha primeira vez em Interlagos foi no Mini-Baja de 98. Cheguei a noite, e direto nos boxes. Foi dificil concentrar em qualquer coisa. Ficava só “viajando” na beleza do autodromo a noite. Só o frio e a sujeira do banheiro pra trazer de volta a dura realidade. Depois voltei várias vezes, inclusive pra fazer uma pista dentro da pista, do lado da reta oposta. Até hoje deve ter buraco nosso lá, no meio daquele mato cheio de inseto gigante.

  • mesmo após frequenta-lo por anos a fio, trabalhando, e hoje em dia só para curtir as corridas, me arrepio ao entrar, para mim, é uma energia diferente e super positiva, me sinto bem lá, chovendo, fazendo sol, brincando com meu filho, ou caminhando de manhã para desenferrujar. As vezes acho que é minha casa. Algumas vezesde manhã são os carros que me despertam, aquele ronco gostoso que ouço da minha casa que é colada ao muro do autódromo quando fazem o lago. Vem de cano cheio freiam reduzem 2 marchas e cravam o acelerador, dos fuscas a f1, já sei até quando o cara toca bem só pela reduzida e reaceleração. Mas saudades mesmo eu tenho do antigo interlagos, pista monumental, para pilotos técnicos e machos, que tinham corajem de fazer 1 e 2 de cano cheio sem contar o sol com suas 2 tangências intermináveis, quase caindo no barranco do sargento. Sem contar a beleza das árvores que sombreavam a reta dos boxes e ali marcava um de seus valiosos segredo, sempre a pista estava úmida. Assim como o pacaembú com o seu horripilante tobogã, interlagos se rendeu ao dinheiro, teve como azar ter sido “parido” nesse país terceiro mundista eterno que não sabe preservar o passado nem a história. Interlagos Parabéns pelo seu dia continuas majestoso e imponente mas sempre será, para mim, minha casa. sempre.

  • Interlagos, acho que é o Pacaembú dos autódromos nacionais, o mais histórico, o mais simpático, onde aprendir amar F1 e Stock, onde nasceram grandes pilotos…e ainda vão nascer outros! (espero) Parabéns Interlagos!!

  • Minha primeira vez em Interlagos foi em 2003, GP Brasil de F1. Fui pq gosto muito de automobilismo e pq ganhei os convites para as arquibancadas do ABN, sexta, sábado e domingo: foi muito bom. Inclusive vi uns antigos correndo… E depois voltei lá em 2005, para ver “alguém” correr de DKW. Visitei os boxes (principalmente o famoso dos antigos) , fui no paddock (tava desmontado, é claro), na torre, fiquei debruçado na mureta dos boxes até o segurança vir me importunar, e o q me deixou mais emocionado: fui caminhando até o Sargento e comecei a imaginar como era bom…

  • Primeira em Interlagos = GP BRASIL DE F1 de 1976 com EMO no Copersucar e também a LELA LOMBARDI mandando ver, há que saudades daquela VELHA pista… S do SENNA é coisa de Autorama…

  • A primeira vez que fui em Interlagos, foi em uma corrida de F-Uno por volta de 97, quatro pessoas e duas credenciais para os boxes, duas entraram e eu e mais um esperando no portão, de repente, a surpresa, um cara todo bravo, saiu pelo portão, nos viu e perguntou, vcs querem entrar aí?então toma que eu estou indo embora!! Duas credenciais e dois felizardos entrando nos boxes, olhando tudo, a pista, tudo.
    Fora essa, F-1, 2000, estréia de Rubinho na Ferrari, todo o autódromo de vermelho, arrepia até hj.

    Abraços

  • Não me lembro se em 1965 ou 1966, eu de castigo por estar de segunda época na escola, pulei a janela de casa num sábado a noite e fui, de ônibus, para Interlagos assistir as Mil Milhas. Veio ao Brasil uma equipe portuguesa com Lotus e Porsches e eu não podia perder. Tinha Fitti-Porsche também. Chegando lá dei de cara com um amigo do meu irmão que, claro, contou a ele que me viu no autódromo. Nunca mais esqueci essa aventura.

  • Interlagos é uma das pistas mais lindas do mundo conheço Interlagos desde que me entendo por gente. Assisti por vários anos , meu primo que corria de moto e depois passou para os carros. Esse autódromo merece o maior parabéns que pudessemos dar. Realmente hoje é um grande dia. Parabens tambem Sr Flavio seu blog é muito legal e vc parece ser uma grande pessoa. abraços