A pizza do seu Vito

SÃO PAULO (sozinho no S) – Às vezes a gente se sente sozinho numa corrida. Você e o carro. Foi assim na maior parte da prova de ontem da Superclassic, até a entrada do safety-car. Pela primeira vez no ano eu ia chegar na frente de dois carros da minha divisão que estavam na pista. O Chicão, do Fusca, e o Marcelo, do Fiat, tinham tido problemas nas primeiras voltas, pararam nos boxes e estavam muito atrás. Embora virando bem mais rápido que eu, seria difícil descontar quase uma volta.

Veio o safety-car (sempre na sétima volta, para juntar o pelotão) e eu crau! Os dois me passaram. O Chicão, gentileza em pessoa, me deixou chegar na frente, no final. Foi mais por generosidade e diversão, na verdade. Virei bons tempos na classificação, na casa de 2min36s215, mas alto na corrida, 2min37s959. A maioria piorou na corrida, porque estava bem mais quente e a pista estava razoavelmente emporcalhada pelas duas preliminares de Porsche. Na segunda prova dos milionários aconteceu um seríssimo acidente com o amigo Totó Porto, cujas fotos estarão no Grande Prêmio daqui a pouco, ou amanhã.

Fotos, aliás, tiradas pelo blogueiro Cláudio Ceregatti, um dos vários que me deram o prazer e a alegria da presença em Interlagos. Posso esquecer algum nome, mas vamos lá: Eduardo, Magno, Máximo, Joaquim, Cláudio, Emerson, o famoso Veloz HP (estava na arquibancada)… Alguns ganharam camisetas do #96 e todos foram visitar os boxes. Espero que tenham gostado, embora eu não tenha podido dar a atenção devida a todo mundo.

A corrida em si foi legal, mas gostei mais da etapa anterior, com mais gente no grid. Também, para duas provas em três semanas, haja cacau. A próxima será só no dia 10 de junho, quase um mês para nos prepararmos. Já anote na agenda, é um programa legal passar o sábado em Interlagos.

Outra coisa boa ontem foi o presente que ganhei do seu Vito, avô do querido Marcelo Giordano, a simpatia em pessoa, que finalmente estreou com seu Fiat amarelo encantado. Chegou em quinto na D1 e já deu pódio, troféu na estante. Mas eu falava do presente… Seu Vito é um italiano da gema e cozinheiro de mão cheia. Toda corrida ele manda uma espécie de pão caseiro com tomate, orégano e aliche, que já virou tradição no box 21. Como eu me encho daquele negócio entre o treino e a corrida, desta vez ele trouxe um inteiro para mim!

Beleza pura, fez parte do nosso almoço do Dia das Mães! Boa, seu Vito, pode fazer mais que até dia 10 de junho a fome será enorme! Sou fã da pizza do seu Vito, que não é pizza, mas esqueci o nome do pão.

Abaixo, uma foto da corrida feita por outro amigo querido, o Celso Santoro, vemagueiro histórico que veio do interior com a família a tiracolo para ver o #96. O resultado da corrida está no Grande Prêmio.

Comentários

  • Prezados Joaquim e Roberto Brandão…

    entendo que o “serviço” da equipe MUG-DKW foi deficitário nesta etapa devido ao capital direcionado para a construção do kombi-home da equipe.

    até a próxima etapa o Flavio tá com crédito, mas realmente esperamos um serviço de primeira dia 10 de junho

  • Flávio, meu micro ficou embargado com a patroa até agora a pouco, mas te mando em minutos as fotos do sábado – obrigado pela atenção dispensada…

    Joaquim, GRANDE FIGURA…
    vê se organiza pelo menos meia dúzia de “causos” pra contar pra galera…

    “seo” Claudio, dessa vez vai aparecer nas fotos

    VELOZ-HP… é um absurdo você não se revelar… parece o corredor X… caramba, dá uma colher de chá pra galera… hehehe

    Tive o prazer de conhecer o Roberto Brandão, e de rever o Magno e sua turma… pra quem mora em SP só posso dizer que é um excelente programa dar um pulo em Interlagos…

  • Ao Roberto Brandão,
    Brandão, veja a que ponto chega a mesquinharia do Sr. Flávio Gomes: enquanto nos ofertava aquele bufê sofrível, nos privou do pão (pizza?) do seu Vito. Ah, não…exijo respeito… Abs.

  • Parece que o titular do blog tem uma torcida organizada nominal. Sugiro que ao invés dos três moqueteiros do Limite ficarem lendo e-mails (parece aqueles programas matinais onde as apresentadoras ficam lendo revistas de fofocas), façam matérias com os carros da Fórmula Classic, para os incautos que não moram em Sampa e não têem oportunidade de ver ao vivo.

  • Pessoal:
    Agradeço a todos as honrosas citações de meu nome, de coração.
    Conversei rapidamente com o Joaquim e o FG no sábado, sobre o infinito poder da informação e sua democratização via Internet.
    Acompanho autobilismo por toda a minha vida, e sem o Site Grande premio e sem o Blig do Gomes JAMAIS teria tido a oportunidade de encontrar “meus irmãos” de amor e obcessão.
    Como digo: “Obcessão não se explica: Se tem, e pronto.”
    Agradeço ao Flavio Gomes este espaço, e acredito que nem mesmo ele poderia imaginar tamanha extensão e alcance, alem dos efeitos colaterais:
    Conseguir reunir no Box 21 uma dúzia de aficcionados pelo esporte que tem mais títulos mundiais que futebol.
    Lentamente essa dúzia se multiplicará, não tenham dúvida.

  • Ao Joaquim : O que vcê acha de fazermos uma vaquinha para o cardápio do MugMóvel? Já que o FG está se tornando o novo Ayrton, levando multidões aos autódromos, só para ver o DKW 96, o CapaMug e o valente piloto. Sugiro levarmos umas champagnes, para o FG estourar no pódio, e uns quitutes para a nervosa torcida.

  • Já comentei o que ví do acidente do Porto lá no post “Chatice Catalã” no sábado mesmo.
    Quero agora contar o que ví da arquibancada onde estava, no início da reta dos boxes no fim do grid, quando no alinhamento para a segunda corrida dos Porsches, o Totó Porto desceu do carro, já alinhado para a largada, foi para tráz dele e defronte às arquibancadas tirou o “bilau” para fora e urinou copiosamente sem perceber que haviam várias pessoas na parte alta dela, inclusive um casal com dois filhos pequenos que começaram a rir e apontar para ele e comentar alguma coisa para os pais que sairam rapidamente dalí com as crianças, meio constrangidos.
    Isso demonstra o quanto ele estava nervoso e adrenilado para a corrida, certamente pelo “tótó” desleal que deram nele na primeira prova, quando liderava com maestria a prova.
    O que ele andou na segunda corrida foi demais, virava voltas em 1:43, uma atráz da outra, enquanto os outros viravam em 1:44 e 1:45.
    Por isso quando bateu, estava colando no terceiro colocado, e ele largou em décimo oitavo ou décimo nono.
    Essa incontinência urinária é tipica de momentos de tensão onde você será colocado à prova para algúm desafio e me fêz lembrar do Alain Prost quando corria na McLaren junto com o Senna e volta e meia saia correndo para o banheiro e uma vêz fêz na pista mesmo, com um monte de gente fazendo paredinha e rindo muito.
    Do jeito que terminou a coisa, acho que o Totó vai urinar na comadre do hospital por algúm tempo.
    É uma pena, talvez ele tenha encontrado a sua Tamburello na carreira, numa alusão que sempre faço àquela curva de Ímola onde quem bateu forte alí, nunca mais foi o mesmo piloto. Vivo ou morto.

  • um programasso!
    é assim que defino minha primeira vez em interlagos ( fora F1, stock)…
    Cheguei tarde e vi os Porches da arquibancada… depois via passarela cheguei aos boxes , falei rapidinho com o FG que ja ia entrar no DKV…
    curti mto a corrida! tirei umas fotos que estou mandando pro Gomes…
    vou virar fregues! anotem

  • Flávio, grande corrida e quem te agradece sou eu pela oportunidade de desfrutar a presença e o conhecimento de tantos novos amigos blogueiros, especial atenção ao Ceregatti, um cabedal de informações e o grande Roberto Brandão, do qual humildemente ouvi grandes lições, sem contar o restante do pessoal que vc já citou aqui, grandes papos. Agora, já postei la´atrás e não custa repetir: o serviço de bufê do MugMóvel estava sofrível, o serviço meio errático, aquele visual Hooter´s das MugGirls abaixo da crítica e, convenhamos Seu Flávio, não casou bem aquele Valpolicella com lagostas ao Thermidor. Por último, coquetel de camarão servido aos convivas…? Ah, não, seu Flávio, tenha a mais sacrossanta paciência…..Na
    próxima, estou lá. Obrigado a todos.

  • Pela primeira vez fui ver a corrida em Interlagos e te digo que é emocionante ver o DKW #96 na pista apesar de ver passar primeiro aquele posche verde (diferenca absurda) !

    Só mais uma coisa, o que aconteceu com o Totó Porto pra ele bater daquele jeito na reta ???????

    To perguntando se o FG ouviu alguma coisa pq só depois do acidente ele desligou o tel. (vai falar no tel. la longe)

    Abs.

  • Será um prazer Roberto, inclusive nessa corrida levei uma mochila lotada de álbuns de fotos antigas que tirei em Interlagos em 1970 na temporada de F3 e na Divisão 1 e 3 de 1973 e 1974, além de fotos originais do museu de Indianápolis dos anos de 1965 a 1970, inclusive com uma histórica do Jim Clark ao lado do Chapmam, do dono da STP, do Parneli Jones e do dono da Firestone, todos ao lado da Lotus turbina com a qual ele iria correr naquele ano, 1968, mas morreu na Alemanha antes.
    Queria mostrá-las para a galera do blog mas fica para a próxima corrida.
    Um grande abraço.

  • Grande Veloz HP! Você está parecendo o misterioso Piloto mascarado X do Speed Racer. Eu estava lá e não o conheci! Você é referência do Blog e dos e-mails que recebo dos leitores! Na próxima, vou conhecê-lo pessoalmente!

  • Faço minhas as palavras do Petrus. Tenho ido acompanhar o intrépido DKW e seu piloto e, a cada prova, tem mais gente assistindo e torcendo.
    O que mais me encanta é a honestidade e a ética do FG. Na categoria dele participam vários “originais” que voam na pista, deixando-nos com suspeitas. Ele, apesar de seguir lá atrás, leva o regulamento a sério e, através desse seu carisma vem trazendo público para Interlagos. A cada prova da Classic, vejo mais gente nos boxes, nas arquibancadas, comentando o assunto. Falei com a adminitração do autódromo e eles estão com idéias interessantes. Estou tentando trazer de volta “Estreantes e Novatos”, cada um com seu carro de rua, para se divertirem e divertirem o público. Eles pensam em montar uma espécie de shopping intinerante de final de semana, para que mães, esposas, namoradas e filhos possam acompanhar os fanáticos, criando um ambiente familiar e aconchegante.

  • Grande Flávio, como sempre fui na corrida e curti adoidado.
    É sempre um prazer participar de um evento muito bem organizado, com os horários respeitados, tempo mínimo entre as baterias e um show de carros de várias marcas e cilindradas desde às 8 hs da manhã
    numa bela overdose de rpm.
    Fiquei na arquibancada porque adoro vêr a corrida e analizar todos os desmpenhos, inclusive cronometrando voltas e diferenças entre os competidores, sua melhor volta, por exemplo, foi a 6ª em 2:35, a BMW enquanto andou redondo em 2:06 na 4ª volta e o Porto antes do porrão, virou em 1:43.
    Foi demais, muito bonito e divertido, e nós da arquibancada sempre aplaudíamos quando você passava com a Deca voadora.
    Parabéns, na próxima estarei lá de novo e a galera vai aumentar.

  • amigo Petrus, viajar 2 horas não é nada para ir em interlagos…..eu viajo 4hs e meia toda vez pra ir hehehe…..e a msm coisa pra voltar!!!! e pra mim não é sacrificio nenhum, é um super prazer, como imagino q seja para vc tbm….

    o flávio é um grande cara e super atencioso com td mundo q vai lá…..sem contar q a corrida é super disputada e vale a pena assistir!

  • E aí, quando o Schumacher ganha ele é o experiente, o professor, o sagaz, o super-piloto. Quando o Alonso ganha, ele tem sorte, o melhor carro, inexperiente aprendendo alguma coisa… Que coisa hein?

  • Flavio
    Cara, só um toque, continue com esse seu trabalho nesse formato, é certo que não dá pra dar atenção a todos mas o que você tem feito através da TV, Blig, Imprensa, Limite (programa 10), seu Livro (que é muito legal) e alem de tudo dar atenção e interagir com simples pessoas como nós bloggeiros nos dando a chance de fazer parte dessa pagina ou lendo nossos e-mails no ar, como diz a propaganda do cartão, não tem preço, por isso que a galera foi até lá, por isso que algumas pessoas, como eu já fiz três vezes, viajam 2 hs pra ir e 2 para voltar e ver DKW 96 correr, não desmerecendo os outros pilotos, mas é que você está fazendo algo importante pra todos nós e o mínimo que, creio eu todos concordam, podemos fazer é te prestigiar lá na pista Mãe dos Brasileiros, o velho e bom Interlagos, Valeu cara!!!

  • Grande Gomes até que enfim noticias da classic no domingo mesmo , sabe como é , que gosta fica esperando saber algo.
    Mas o que vale é a torcida e vc não pode desistir, jamais.
    Esse Domingo quase levei minha turma daqui (Minas) mas na verdade fiquei com medo por causa desse rolo todo que está nas TVs ,esse maldito rolo todo dos bandidos e policia.