Até que enfim

SÃO PAULO (corra!) – A boa notícia do dia: a Warner Home Video anunciou que, finalmente, o clássico “Grand Prix”, o melhor filme de F-1 jamais feito, será lançado em DVD. Será uma edição especial dos 40 anos da fita de John Frankenheimer, que incluirá vários extras, como quatro documentários inéditos sobre a F-1 dos anos 60.

O lançamento está marcado para 11 de julho nos EUA, e quem quiser pode reservar o seu no site Put Grand Prix on DVD. Há alguns meses sugeri aqui que todo mundo entrasse nesse site para implorar pela remasterização de “GP”. Bom, vamos imaginar que deve ter ajudado…

Comentários

  • Tenho uma cópia em DVD, assisto sempre. Na verdade na época de seu lançamento, passei o dia dentro do cine majestic/rua augusta, meu pai me tirou de lá com a cinta da calça. ja assistí sem dúvida umas trinta vezes e sempre descubro algo novo.

  • Amaral, isso é que eu estava em dúvida. É uma estranha coincidência, no filme há um acidente com uma Ferrari se lançando no mar. O Bandini morre numa Ferrari em Mônaco, tendo participado como dublê em algumas cenas do filme. Estranha coincidência, não? SDS.

  • caros joaquim e veloz hp, vão ter q me desculpar mas as datas não batem, o filme foi rodado durante a temporada de 1966 e bandini sofreu o acidente fatal em monaco em 67.
    minha saudação a quem viu o filme no cinema, cinerama , é de dar inveja ; eu pude ver o “le mans” do steve mcqueen no cinema, mas nunca o “grand prix”.
    abs

  • É isso aí Joaquim, o Bandini morreu nesse mesmo ano em Mônaco na chicane do porto, e se você notar com atenção, verá que tem diferença na pintura da faixa preta do capacete do piloto da Ferrari, pois as do Bandini eram mais finas.
    Dependendo da época em que a cena foi filmada, antes ou depois da morte dele, as faixas aparecem mais finas ou mais grossas.
    São detalhes muito pequenos que absolutamente não tiram o brilho do filme, que é excelente.

  • Ai pessoal, assim que sair a cópia alternativa na net eu coloco os links aqui para todo mundo baixar de graça ok. As legendas devem demorar um pouco mais do que o filme porque no site especializado tem fila. Se na época eu tiver tempo posso ate upar pra voces já com a legenda embutida e convertido para svcd que roda em qualquer dvd ou no pc. Vamos aguardar.

  • Veloz, o Brian Bedford, o ator inglês, não tem uma certa semelhança física com o Jim Clark? E, posso estar enganado, há muito tempo não revejo o filme, não há um acidente com uma Ferrari em Mônaco? O Bandini não morreu em Mônaco, num acidente semelhante? Dúvidas, dúvidas…Saudações.

  • Este filme fez a minha cabeça.
    Tive a felicidade de assistir no antigo Cinerama, em película de 70mm, junto com meu pai.
    Saí chapado, bestificado do cinema.
    Tinha apenas 12 anos e foi ali que fiquei definitivamente apaixonado por corridas.
    Na época ia a Interlagos de caminhão, com vizinhos de São Bernardo, e lembro bem das DKW’s andando junto das carreteras…
    Porém, foi a primeira vez que vi Formula 1, que “vi Monaco”.
    A primeira vez que “vi Spa”.
    A sequencia inicial, com a tela sendo multiplicada com cenas e closes é maravilhosa, acho que fui hipnotizado exatamente ali, naquele momento, naquela sala de cinema.
    Pirei e me apaixonei, fiquei fissurado, virei maníaco.
    Foi ali que comecei a amar este esporte ingrato, a ter esta paixão de uma vida inteira…
    Como dizem, obcessão não se explica. Se tem e pronto.
    Aparecem também Jochen Rindt, Graham Hill e muitos outros, numa reunião entre os pilotos.
    Assistam. É “felomenal”. Eu “rrrrricomendo”.

  • É isso aí Joaquim, só acrescento que nas tomadas reais de F1 quem dublou aquele piloto que sofre a porrada no início do filme e era o queridinho da equipe escocesa foi Jackie Stewart e o dublê da Ferrari do Ives foi em muitas cenas o Bandini.

  • Oi Joaquim!

    Muito obrigado!

    By the way, realmente é um desperdicio que a Francoise Hardi nao falou quase nada no filme. Aliás, a musica que vc citou eu consegui baixar da internet há alguns anos e é uma das minhas preferidas!!!
    Um grande abraço e um otimo final de semana.

    Ricardo Bifulco

  • Ricardo, em tempo: há uma matéria também na Quatro Rodas, não sei se de 67 ou 68, que aborda a produção do filme. Creio que esses dados constam lá também. Boa sorte e abraços.

  • Ao Ricardo Bifulco,
    Ricardo, eu tinha uma matéria da Autosport inglesa da época que dava todas as informações sobre a produção do filme. Foi nela que baseei as informações, infeliz\\mente não possuo mais a publicação. Abs.

  • Para o Joaquim.******

    Boa tarde !!

    Joaquim, fiquei super curioso com esta informacao que os carros eram formula 3 travestidos ,mas nao é dificil de acreditar pois no filme Le Mans, a Ferrari 512 e o Porsche 917 que aparecem nas sequencias em que sao completamente destruidos, eram na verdade 2 pobres Lolas t70 travestidos(que desperdicio…)que foram utilizados.

    Por fvr , gostaria de saber onde informaram que estes carros do Grand Prix eram F3.(Não estou questionando a veracidade da informacao, é só curiosidade mesmo como fonte de consulta)
    Obrigado e um abraço.
    Ricardo

  • Boa Joaquim!!! Essa dos carros serem F-3 faz sentido… Quando eu vi alguns pedaçoes desse filme, achei os carros “fraquinhos” mas como não tenho conhecimento histórico… Ficou por isso mesmo…. Aliás, os carros fracos foram uma das coisas q me desanimaram a ver tudo…
    Geral vai xingar, reclamar, pedir pra tirar o meu post… Mas eu ainda sou mais o Blues Mobile dos Blues Brothers… De 1980!!! Filmaço com a dupla Jake and Elwood Blues (John Belushi e Dan Akroyd) música de primeiríssima qualidade e lances inesquecíveis e perseguições de carros sem igual.
    Filme obrigatório na estante de qualquer fanático por automobilismo! Já tem em DVD faz tempo!
    Pra não dizer q não tem nada parecido… Coloquem a série de filmes Agarra-me se puderes (Smokey and the Bandit) do ex-duble e duble de canastrão Burt Reynolds um degrau abaixo!!! Pontiac FireBird V-8 BigBlock (meu sonho de consumo!!!)
    Abraços!!!!

  • Algumas curiosidades sobre o filme: os carros utilizados foram F-3 travestidos de F-1 da época por Bob Bondurant, piloto e dono de escola de pilotagem. O capacete do James Garner tem a mesma pintura do Chris Amon, que inclusive aparece no filme junto com Bruce MacLaren (fundador da MacLaren, lógico) e Grahan Hill. Elenco “all star”: Yves Montand, Eva Marie Saint e Toshiro mifune. Sem contar o tremendo desperdício da bela cantora francesa Françoise Hardy (“Comment te dire adieu”) que só diz uma frase no filme; “I don´t drink, I don´t smoke”. E o resto, querida, faz? Quanto desperdício….

  • Bela notícia, Flavio. O filme realmente é muito bom. Aquelas cenas de Monza são impressionantes! Outro dia vi outro de automobilismo, aquele das 24 horas de Le Mans. Muito bom, também.