Gira mondo, gira (segunda)

SÃO PAULO (cinzenta e gelada) – Tem país novo na área. Montenegro agora é independente e desconfio que sua última aparição como co-irmã da Sérvia será a Copa do Mundo. Ainda bem, porque Sérvia & Montenegro não é nome de país, ou é Sérvia, ou é Montenegro. E a independência se dá com paz e tranquilidade. Há pouquíssimo tempo, o sangue jorrou nos Bálcãs para que o desfecho fosse o mesmo. Como se mata à toa.

Perguntinha que me faço, sempre que me deparo com as folhas. Por que o Irã não pode ter bomba atômica? E a Coréia do Norte? Porque são loucos? Ora, os EUA podem ter bombas atômicas espalhadas de Utah ao Mississipi. E não são igualmente loucos? E a Índia e o Paquistão? Podem porque são “aliados”? Quem é que decide quem pode e quem não pode ter sua ogivazinha? O que faz o mundo que se acha civilizado ter certeza de que uma bomba atômica americana é inofensiva e uma bomba atômica iraniana é ameaçadora?

Um pesquisador israelense afirma com todas as letras que os muçulmanos intepretam mal o Corão, e que até Maomé acha que Israel pertence aos judeus. Tecnicamente, haveria um ruído entre o que dizem as escrituras e o que o Islã acha que dizem.

Isso é pólvora pura. Já imaginou se alguém descobre que Maomé foi um defensor da Terra Prometida? Haverá suicídios coletivos por todo o Oriente Médio.

Bom dia a todos, vamos começar a semana.

Comentários