Podia ter sido assim…

SÃO PAULO (só faltaria uma rede wireless) – O amigo Rui Pastor manda o recorte da revista “Autoesporte” #13, de novembro de 1965. O autódromo de Jacarepaguá estava para ser inaugurado. Os planos eram ambiciosos.

Aliás, folhear essas revistas dos anos 60 dão bem uma idéia do país que se esperava que teríamos hoje, 40 anos depois. A “4 Rodas”, por exemplo, tinha um projeto de motéis como os americanos espalhados pelas estradas que certamente, a esta altura, cortariam o Brasil de norte a sul, de leste a oeste. Fizeram até um concurso, e os projetos arquitetônicos eram maravilhosos.

Pensava-se também em áreas de camping, turismo interno, o automóvel levando o progresso para glebas selvagens e distantes.

Continuamos selvagens e distantes.

Comentários

  • Já comentei no sosautodromorj, que ,está acontecendo algo muito grave sobre as obras da pista no Rio, envolve gente menos importante mas com poder, jogadas politicas finaceiras, estamos talvez perdendo, mas, espero que a casa caia, mentiras sempre acabam sendo desmacaradas.

    Fitti, #63, equipe speedrj.com.br, esperando a justiça

  • Pessoal ainda há esperança! Quem conheceu o este traçado do autódromo de Jacarepaguá e conhece a região sabe que por volta de 1970 a área da pista original virou um banhado. É verdade, cheguei a caçar marrecos com meu tio nas pequenas lagoas que se formaram no interior do circuito. Depois transformaram aquela coisa no autódromo que no presente foi sumariamente executado pelo alcaide. Quem sabe se daí surja um novo autódromo que faça jus a categoria do automobilismo brasileiro?

  • É pessoal, greve de fome mostra a falta de vontade politica, o Autodromo do Rio erá para ser o maior, em todos os sentidos, melhor do Brasil, mas, não é.

    Fitti, #63, equipe speedrj.com.br, sem Autodromo

  • Nao sei nem o que dizer… dói ver umas coisas dessas. que desenho lindo, que vontade mais linda ainda. Essa história só faz desacreditar cada vez mais. País lamentável esse em que a gente vive.

  • dessa época, só vingou mesmo o sonho de fazer um campeão mundial de automobilismo (e ainda bem que em dose tripla, sem contar as conquistas do Boesel e do Zonta nos Esporte Protótipos/GTs, que na época da revista em questão eram muito mais importantes).

    o resto, morreu na curva ou parou no acostamento.

  • Essas revistas não seriam de ficção científica? Não dá para levar a sério um país como esse! 506 anos sonhando com o país do futuro. Como disse o Taz em seu blog, bem que todo político que roubasse fizesse greve de fome, pra ver se Deus levava logo embora ou no mínimo sentir o que mais de 1 milhão de brasileiros sentem todos os dias.

  • É meu caro Flávio, eu montei uma pasta, que agora virou quase um livro, com todas essas reportagens de todos os autódromos do Brasil, realizados e sonhados, e folheando do início ao fim é uma aula de sonhos não realizados que viraram horríveis pesadelos.
    De Interlagos tenho todas as sequências em ordem cronológica e numa delas, com direito a desenhos em planta do tipo vista aérea de satélite, existiu um plano aprovado pela prefeitura de então, que criava em volta do circúito uma cidade do automóvel com centros específicos de oficinas, lojas, postos, escolas mecânicas, escolas de pilotagem, Senai, e até um condomínio residencial de casas e apartamentos específicos para quem é do ramo da velocidade.
    Esse condomínio estaria, no desenho, apropriadamente projetado para ser onde hoje existe aquele imenso morro no fundo do vale atráz da Curva 3, que nos anos 80 foi sendo formado por um aterro sanitário, ou seja, uma montanha de lixo despejado e compactado dia e noite e que hoje tornou-se aquele lindo morro verde de mato cortado por estradinhas de acesso e tubos de ventilação subterrânea.
    Uma horrivel e melancólica metáfora, tão ao gosto do nosso Bêbado Mór do Brasil, comparar o que se sonhou e no que virou, as idéias dos órgãos públicos desse infeliz Brasil.

  • Veja só que interessante o texto… “o que fará deste autódromo o Maracana do automobilismo”… e não é que foi feito mesmo… afinal de contas, o maraca atualmente é um grande mico… mal administrado, caindo aos pedaços apesar das reforma milionárias que só fazem alguns encherem os bolsos… enfim, um mico para a cidade…