Um ano: Foto do dia

SÃO PAULO (que deveria ter outro nome) – Acervo da Joalheria HP, que nos primórdios foi batizado como “Foto do Dia”, na ingênua idéia de que ele seria meu único “fornecedor”. Que nada, depois do Veloz-HP (ainda tenho muita coisa dele para colocar no ar, fiquem tranquilos) vieram muitos outros blogueiros com suas contribuições inestimáveis.

Na seção, coloquei sempre as legendas originais. É o que farei hoje, nesta festinha de um ano do blog.


Interlagos, 1974 – Divisão 3: saída do Mergulho e início da Subida dos Boxes.
Fim do dia, e a névoa baixando sobre o velho traçado, dois Fuscas ao cair da tarde.

Comentários

  • Tenho boas lembranças dessa época. Eu era garoto, de 15 para 16 anos quando comecei a dirigir, incentivado pelo Betinho, filho do “Seu Rui” um policial militar que para ganhar uns trocos a mais, também exercia a profissão de “guincheiro” com seu Marta Rocha 1956, naquele tempo em que a Via Anchieta não era servida pelo sistema da Ecovias, juntamente com outro guincheiro famoso: o Nenao que tinha um F600 1959/60, ficando baseados e que ficavam baseados no posto do antigo Restaurante das Colônias, no Km 18 da Via Anchieta em São Bernardo do Campo no bairro Planalto.
    E foi no Planalto que conheci o “Bico”, Luiz Álvaro Guimarães.
    Eu morava perto do local onde o fusca #38 muitas vezes ficava guardado até que a Motor Girus reparasse os estragos que o Bico tinha feito na corrida anterior………….kkkkk.
    Esse local era a casa e oficina do Wilson, apelidado de Shazzan, em alusão ao Gênio que realizava os desejos de um casal de jovens e seu camelo alado nos anos 70, com certeza o apelido era porque o Shazzan mecânico resolvia os problemas de muitos que frequentavam sua oficina…….kkkk
    Por muitas vezes tive contato com o Bico, lá na oficina e eu era apaixonado pelo fusca #38. Infelizmente pedi o contato com esse pessoal, o Nenao já faleceu a muitos anos e seus filhos, com quem tinha muita amizade nunca mais eu vi.
    Mas enfim, foi muito legal encontrar esse post.
    Grande abraço a todos…….

  • Na foto dos divisão 3, o 38 sou eu!!!, que emoção em ver isso e relembrar. Eu corri na div 3 de 1974 até 1982 +-
    Eu tenho essa mecanica até hoje.
    weber 48 caixa 1 coroa 9×31 etc.
    Um abraço a todos e em especial ao flavio gomes. O serviço historico que vc presta para o automobilismo e inestimável.
    Alvaro Guimarães

    • Que legal. Hoje revendo esse blog na seção nostalgia, trabalhei na Motor Girus em 1978 e 1979.
      Fui muitas vezes com o Bico buscar peças em SP e acompanhei todas as corridas. Ele era incrível na lagarta. Lembro de uma largada em uma prova a noite. Tenho orgulho em ter pintado o olho vesgo no farol. Foi o maior sucesso. Depois acompanhei outro grande piloto Expedito Marazzi . Ótimas recordações. Abraços a todos que fizeram parte da melhor época de minha vida.

  • Grande Nuvolari!!!!!
    Inesquecivel ,foi a primeira pessoa que conversei no farnel, e logo já foi me mostrar os boxes de interlagos e me apresentou o Guarana,lembra?
    Um grande abraço ó Comendadore!!

  • Johnny, nada disso…
    O Veloz é uma figuraça, de barba curta, óculos de intelectual (deve ter problema de visão de tanto ler aquela biblioteca maravilhosa e exclusiva), sempre de blusão de motociclista (não motoqueiro) e um tremendo sorriso no rosto.
    Assim como voce e o Vitão, fez uma falta danada no último farnel…
    Por falar nisso… Por onde andas, ó glorioso Johnny O ????

  • Eu ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o VelozHP, ainda fico imaginando um cara de cabelos longos ,rabo de cavalo, e mancando de uma perna,claro ,alguém que já abusou de uma H2 deve mancar de uma perna.
    E a Joalheria HP sempre ajudou a chamar os valiosos comentarios de quem realmente viveu aquela época.
    Parabéns Veloz!!

  • Valeu, Veloz !!!
    Saiba que todas as fotos que voce tem do Fusca da Motorgirus a partir de 1977 ou 78, onde aparece o número 38 foi eu que pintei com essas mãos que a terra há de comer.
    Esse número 38 que aparece nessa foto é bem feinho, grande e redondo.
    Veja aí nos seus arquivos um número mais bem desenhado, mais quadradinho com cantos arredondados e caprichado, meio inclinado.
    Obra do velho maluco aqui.
    Ahhh… E toda a pintura da Auto Run, do Tide Dalecio e seu #37 divisão 3.
    Abraçasso.

  • Bem amigos da Rede Gomes, bom dia.
    Que beleza, minhas fotos voltaram, obrigado Chefe.
    Sim Comendatore esse é o Bico, nosso John Force das largadas.
    Ele na Div. 3 classe A e o Fábio Crespi na Div. 3 classe C com Maverick, foram os melhores largadores que ví naquela época.
    A MotoGiros deve ter várias caixas de engrenagens moidas, bielas tortas e virabrequins ovais dessa época, tudo obra do Bico.
    Mas dessas caixas todas pelo menos uma dessas peças moidas não foi culpa do pé pesado dele. Uma das embreagens queimada e torrada antes da largada foi culpa minha, quando invadi a pista para fotografar a largada no meu velho truque de me esconder atrás do guard rail e então foi aquele rôlo, atrasou tudo, váia da arquibancada, polícia, um inferno, e o Bico lá, espumando de raiva, marcha engatada acelerando a usina, motor esquentando e afogando lentamente pelos Weber 48 e a embreagem morreu calcinada num verdadeiro forno de Treblinca.
    Acho bom eu nem aparecer por lá e contar essa história para eles pois, creio que serei queimado vivo com o primeiro maçarico que encontrarem.
    Êita tempo bom, não é mesmo Don Ceregatti ?
    Nós é que nos divertimos de verdade lá no Templo Sagrado. E de noite tinha mais no Ibirapuera, 23 de Maio, Rubem Berta, Serra de Santos, Café Concerto, Rick Store, Rua Augusta, Deck, La Licorne, Caverna, Terraço Itália, Senzala, Ilha, etc, etc, etc…
    Grande abraço a todos os velhos malucos e bem vividos, e às jovens crias, que por aqui aprendem a curtir a vida de uma forma mais Rock and Roll.

  • Caso seja mesmo o Bico – Alvaro Guimarães – com o fusca da Motorgirus voces estão vendo um dos maiores largadores da história da Divisão 3. Um monstro.
    Barbarizava na largada, saindo no meio do pelotão e quando chegava na curva 3 quase sempre estava entre os ponteiros.
    Pena que tambem era o maior moedor de motores e embreagens que conheci…
    Quase nunca terminava.
    Alguem aí já consultou os alfarrábios pra ver se é ele mesmo?

  • O fusca da Motorgirus há pelo menos uns dois anos, estava lá ainda na loja sobre 4 cavaletes…Conversando uma vez com o dono, senão estou enganado, ele disse que naquele fusca, o Piquet já tinha andado…

  • Putz, será que é o Bico mesmo?
    A Motorgirus sempre correu com o #38? Sinceramente não sei.
    Os Matuzas com suas coleções de 4 Rodas e Auto Esporte bem que podiam ajudar…
    Certeza mesmo do Fusca #38 do Alvaro “Bico” Guimarães e da Motorgirus só tenho lá pelos anos de 1977 ou 1978, antes não sei…