MENU

terça-feira, 27 de julho de 2010 - 17:04Colunas Apex

EM DEFESA DE MASSA

SÃO PAULO (que frio é esse?) – Nosso batera Andre Jung acaba de pingar a coluna Apex no Grande Prêmio. Ele acha um exagero a execração que despencou sobre os ombros de Massa. Mais um ponto de vista. Como sempre, muitíssimo bem defendido.

Leiam lá, comentem aqui!

305 comentários

  1. Nivas disse:

    Sempre teve jogo de equipe na formula 1, o que me irrita, é a cara de nervosinho que o Massa fez após a corrida, esta claro que foi uma ordem de equipe, se ele aceitou, que se ponha no lugar dele (2ºpiloto), ou então não aceitasse a ordem, mostrando que ele tem principios.

    Esta claro para mim que ele não tem perfil de campeão.

  2. AndreMax disse:

    Jung fez uma análise coerente, faço parte dos 4% que concordam.
    O Alonso é um babaca, ok, mas porque manter o cara grudado atrás do Massa a corrida inteira quando ele comprovadamente é mais rápido, a aerodinâmica e condições da pista não facilitavam a ultrapassagem (diferentemente dos tempos antiguos de F1), ele tem 36 pontos a mais no campeonato e o Massa já deu adeus ao título?
    Acho que o Jung foi feliz em dizer que existe um outro ponto de vista e não precisamos execrar o Massa.
    Toda essa polêmica é porque foi com um brasileiro, SÓ ISSO. Situação contrária a gente “esquece”. Berger foi o escudeiro fiel do Senna por vários anos e quero ver alguém aqui dizer que a equipe não privilegiava o brasileiro. Talvez nem precisassem dada a diferença de qualidade entre os dois, mas isso era tão verídico que um dia o Senna abriu e disse “leva essa mermão, vc me ajudou pacas” e deu uma vitória ao austríaco. Mas aí o cara já era campeão, maneiro, gente boa e o Galvão disse “eu sabia, eu sabia, o Senna é lindo”.
    F1 é maneira e não é isso que vai me tirar o sono. O que me tira o sono é a falta de ultrapassagens supostamente causada pela aerodinâmica dos carros e circuitos atuais. Proponho fazer as 18/19 provas da temporada em Interlagos, o circuito com mais ultrapassagens por volta do circuito (bom, ou quase isso). Até o Kobaiashi manda bem por lá. Mas tem que baixar o preço do ingresso.
    Abraços

  3. Alexandre Brites disse:

    Caro batera e blogueiro André Bonham Jung não concordo com você.
    Sendo um espetáculo o artista, esportista, dançarina ou qualquer outra coisa deve dar o seu melhor. Existe assistência e com isso o respeito mútuo.
    Ninguém quer ir no show pra escutar nota errada ou o cara desafinar, todo mundo vai no circo pra ver o palhaço e rir e não chorar.
    Nós assistimos e somos parte do jogo…senão acho melhor fazer campeonato de autorama, cada fabrica desenvolve seus carros e põe um programa de computador pra guiar…rs.
    O público faz parte, a emissora transmite e paga direitos e o patrocinador compra os intervalos e a gente compra a propaganda (ver).
    O público faz parte, se tiver uma cara bêbado assistindo você tem que moer a madeira…entende?

  4. Johedy Kuczkowski disse:

    só tenho uma coisinha pra dizer do Massa

    B A N A N A ! ! ! ! ! !

  5. Oldemburg disse:

    OPS: leia-se “defesa”

  6. Oldemburg disse:

    Prezado André Young. A tua defeza do Massa não obteve o sucesso desejado, fiz o levantamento das opiniões aqui postados e 96% REFUTARAM

  7. MARCOS MOREIRA disse:

    Em relação à Ferrari, Alonso e Massa, esperar o quê de um esporte repleto de moleques mimados, cuja cafonice supera qualquer limite. É ISSO MESMO: FÓRMULA 1 É CAFONA PRA CARALHO, JÁ ERA

  8. JBCarneiro disse:

    Na minha opinião, não se trata de defender Massa ou acusar Alonso, Ferrari e a FIA. Trata-se de entender como funciona a F1. De gostar ou repudiar esta categoria e o modo como ela funciona.

    É, na sua essência, um campeonato de CONSTRUTORES, de equipes. Isso é cada vez mais evidente. É tambem, cada vez mais claro, um grande negócio.

    Alonso até agora sempre foi mais rápido que o Felipe, é inegável. Perderam muitos pontos e corridas, agora tem que recuperar e o piloto com mais chances é o espanhol, outro fato.

    Enquanto a F1 tiver esta estrutura atual, esse conjunto de regras e os dirigentes que tem atualmente, será sempre assim.

    Em recente entrevista, Martin Whitmarsh, chefe da McLaren, falou sobre o período com Hamilton e Alonso no time. “Durante aquela fase, eu me lembro de conversar com os pilotos e com seus empresários e dizer que o que um grande piloto gostaria de fazer é se olhar no espelho e dizer: ‘Venci este Mundial com os meus méritos’, e não com a equipe tendendo para um lado e dando vantagens a um deles”, falou.

    Como seria bom se todos os chefes de equipe, todos os pilotos e todos os dirigentes da categoria adotassem esssa filosofia.
    Difícil hein?! Briatore, Ecclestone, Todt, Alonso, Schumacher, Montezemolo e muitos outros adotando esta atitude, relmente não vai ser fácil.

    O próprio Whitmarsh poderá manter esta filosofia até quando?
    No GP da Turquia Hamilton ficou bravo com a tentativa de ultrapassagem do Buton e nas voltas seguintes a equipe fez este diminuir o rítimo para economizar pneus, o Hamilton passou a economizar pneus e tudo terminou bem.

    Dois carros, dois pilotos e será sempre assim. É o mais lógico para dois carros e dois pilotos.

    A solução, por mais simplista e impossível ou ridícula que possa parecer, é mudar o regulamento fazendo com que cada equipe tenha apenas um carro e um único piloto competindo. Sem que nenhuma equipe tenha qualquer relação de qualquer espécie com a outra.

    Não precisa ser monomarca. É bom que tenha vários motores e várias montadoras envolvidas.

    O piloto que for campeão terá batido todos os seus oponentes, não terá moleza com nenhum. O carro, em termos de aerodinâmica, terá provado ser o melhor. O motor terá vencido todos os concorrentes e provado ser o melhor, como as montadoras querem.
    A equipe com certeza terá sido a melhor.
    Disputa pura. Competição como todos querem ver e torcer.

    As equipes seriam muito menores e muito mais econômicas. Muito mais interessados em montar equipes haveriam. Poderiam haver muito mais equipes independentes querendo vencer as oficiais.

    Ou então vamos aceitar e adorar torcer por fabricantes de carros… Inclusive vermelhos…

    Carro não é gante. Eu é que não vou torcer para carro…

    A partir de agora se o Massa ganhar uma corrida vai ser porque a Ferrari deixou, uma vez que não iria atrapalhar o título da equipe.

    Se o Massa vier a ser campeão pela Ferrari e usar toda essa manipulação, para mim não terá graça. Tem que ser em outra equipe e por méritos próprios.

    Poderia ter havido uma disputa na Alemanha entre Felipe e Alonso. Seria dissimulada de maneira que o Alonso passaria no final.
    Aí diríamos: “Como o Massa tá bem. Viu como ele dificultou a vida do Alonso? É! Temos um grande piloto, com condições de ser campeão”. E nem desconfiaríamos que teria tudo sido planejado.

    Na F1 sempre existiu esse “jogo” de equipe, Berger que o diga.
    Em 1973 Jackie Stewart ganhava corridas e títulos e Françoise Cevert era assumidamente seu escudeiro, corria única e exclusivamente para ajudar o 1º piloto. Tanto que quando Cevert morreu tragicamente em um treino, Stewart parou de correr.
    Emerson saiu da Lotus porque Chapman começou a preferir Peterson como 1º piloto.
    Senna lutou contra o numero 1 até se tornar o preferido da McLaren, aí Prost saiu fora.

    Talvez de para torcer na F1. Só temos que ficar atentos para perceber quando é real e quando é manipulado…

    Temos que torcer para ter novamente um piloto que chegue na F1 e tenha tudo o que é necessário para ser campeão e o seja. Aí voltaremos a amar a F1 e tudo ficará em paz.

  9. Japones disse:

    Outro ponto de vista do sempre ótimo jornalista Geraldo “Tite” Simoes:

    http://motite.blogs.sapo.pt/

  10. EU disse:

    Agora vai aparecer um bando de idiota querendo justificar a M..que a Ferrari fez.

    DA UM TEMPO…MENOS POR FAVOR…MERECEMOS SER RESPEITADOS E NÃO PARECER QUE SOMOS IDIOTAS.

    DEIXE ESSA FAMA DE IDIOTA PARA O OS PILOTOS DA FERRARI, AFINAL ELES PRECISAM RECEBER OS MILHÕES DE DOLARES NO FINAL DO MÊS.

  11. Olha… Com todo respeito ao excelente Andre Jung, mas acho que não é por aí.
    .
    .
    .
    1. O que vale é o regulamento.
    .
    .
    O atual regulamento proíbe qualquer jogo de equipe. Então, não pode e pronto! Não há nem o que discutir. Em suma, o ocorrido no último domingo foi, além de imoral do ponto de vista esportivo, ilegal. Pena que Jean Todt e sua turma da FIA (certamente, inspirados na CBF, na justiça desportiva brasileira, no passado do francês e afins) vão assar uma bela pizza e dizer à Ferrari um “Good job, guys!”
    .
    .
    .
    2. Alonso com mais chances
    .
    .
    Refutável. Duas corridas nas quais o espanhol não pontue e Massa vença, por exemplo, faz o brasileiro superar o “colega” de equipe na classificação. Aí eu quero ver se essa presepada da Ferrari vai ter valido a pena. Levando-se em conta a melhora da Ferrari e o bom desempenho de Felipe na etapa alemã, é uma possibilidade plausível. Afinal, “Carreras, son carreras, y terminan cuando se baja la bandera de cuadros”, já dizia um argentino bom de acelerador.
    .
    .
    OK. Pra quem não ficou feliz, vamos de números então. Voltemos a 2007, citado lá na coluna. Massa estava logo à frente de Räikkonen no Mundial de Pilotos (69 a 68) depois da Turquia. Desprezando a quebra do brasileiro na Itália, ele perdeu terreno ao ser superado pelo finlandês na Bélgica, Japão e China, o que rendeu um Räikkonen 100 a 86.
    .
    .
    Aí sim. O que era mais fácil em Interlagos três anos atrás: Massa descontar 21 pontos (em 10 possíveis!) ou o finlandês superar os 107 do então líder Hamilton? É óbvio que cabia ao brasileiro fazer o jogo de equipe. Ma-te-ma-ti-ca-men-te, ele não tinha mais chances de título.
    .
    .
    Agora, 2010. Para ficar com o “caneco”, Massa precisa descontar 72 pontos em relação ao atual líder Hamilton (157 a 85). Detalhe: ainda há 200 pontos possíveis nas últimas oito etapas. Creio que a tarefa do Fluminense para escapar do rebaixamento no Brasileirão ano passado era bem mais difícil.
    .
    .
    Mal passamos da metade da temporada. Muito cedo para a Ferrari passar tamanha vergonha com um jogo de equipe transgressor e patético desses.
    .
    .
    .
    3. E o esporte, onde que fica?
    .
    .
    Todos nós, que aqui estamos postando incessantemente neste blog, na esperança de que alguém nos leia (duvido), tornamo-nos apaixonados pela F1 graças ao talento e à personalidade dos pilotos, à ousadia e vanguarda tecnológica das equipes. Essa manipulação que a escuderia vermelha (hoje, de vergonha) promove só estraga tudo.
    .
    .
    É triste admitir. Mas atitudes como essa patetada de Massa, Alonso e Ferrari fazem com que eu comece a dar créditos aos já muitos os quais dizem que a Fórmula 1 pode ser qualquer coisa, menos esporte.

    • rubem rodriguez gonzalez disse:

      Concordo com tudo que você escrevinhou, porém o mais engraçado e hilário ainda não foi comentado por ninguém: O ridículo “ridículo” do granda cagalhão voador, o Alonso.

      Aquele “ridículo” sintetiza o que o mimadinho das astúrias acha da equipe, da torcida e do massa em geral. TODOS TÊM QUE TRABALHAR PARA ELE, AFINAL A GRANA É DO “PAPAI” – SANTANDER- E NINGUÉM DEVE CONTRARIAR O BEBÊ CHORÃO……

      Portanto sintetizando a estória toda é que não há jogo de equipe, todos tem que sair da frente, haja visto o ridículo epsodio da China tido e havido por muitos como um ato legal da florzinha das astúrias, quando na realidade foi uma velhaquice sem tamanho, mas agora caiu a máscara e deu para entender a subserviência do mais novo borra botas nacional, o felipe massa.o jardineiro fiel. bostinha……….

  12. Cesar disse:

    “Quando há um espaço, ou você compromete-se como um piloto profissional, que está ali para vencer corridas, ou você chega em 2º, 3º, 5º. Eu não estou aqui para chegar em 2º, 3º, ou 5º. EU CORRO PARA GANHAR! E se você não aproveita aquele espaço que existe, você não é mais um piloto!”

    - Ayrton Senna.

  13. Carlos disse:

    Dois pesos, duas medidas? Os fins justificam os meios? Absurda a argumentação do André Jung. Deve vencer aquele que é o melhor no momento, durante a corrida. nada justifica a troca de posições, nem a disputa pelo campeonato. Se um piloto precisa vencer para conquistar o campeonato, então que se prepare para tal. Faça a pole-position, largue bem, vença e ponto final. Grande campeão aquele piloto que precisa da ajuda de um outro para ser campeão. Se dois pilotos estão em igualdade de condições, que vença o melhor. Mas um fato que me preocupa, e que quase ninguém nota, são as trocas de posições que ocorrem, de maneira um pouco mais sutil, durante as paradas para troca de pneus ( a até o ano passado para reabastecimento e troca de pneus). Isso é tão vergonhoso quanto uma ordem direta ou indireta da equipe. Ocorreram e ocorrem, e com a desculpa de que é uma estratégia de corrida, tudo passa em branco. O que será melhor para um torcedor de uma equipe: perder um campeonato, mas recordar batalhas épicas entre seus pilotos, ou vencer o campeonato maculado por uma armação? Apesar de muitos argumentarem (com certa razão) de que a F1 é um grande negócio, se não houver público para tal, acabou-se o negócio.
    Com relação à massa concordo que a reação está sendo exagerada. Ele felizmente não é nenhum herói ou salvador da pátria.E para ser um ídolo (coisa que acredito que nunca acontecerá) falta muito ainda. As próprias declarações de massa e suas atitudes mostraram que não podemos esperar outra coisa dele a não ser subserviência (2007 e agora). Assim ele o fez, porque quis e acabou. Não tem do que reclamar, nem ser grosseiro.
    Essa reação se deve entre outros fatos a dois fatores em minha opinião. Primeiro a mídia, que até por necessidade, fabrica esses pseudo-ídolos, incensando-os, glorificando-os, levando-os à uma condição de sobre-humanos, que mostra-se, como o caso de massa, infundada e vazia. Segundo, as pessoas comuns, que compram tal idéia e de certa maneira usam tais fatos como válvula de escape para suas frustrações cotidianas.
    Como disse Flávio Gomes, menos, não devemos levar tão a sério tais coisas.

  14. D.Alfenas disse:

    Já achave que eu era o único a pensar que 2002/barrica e 2010/massa são coisas distintas.

  15. Paulo Borges disse:

    Acordava cedo pra torcer pelos brasileiros, não vou acordar mais.
    Podem justificar como quiserem. Pra mim acabou.

  16. Hector disse:

    Uma das piores argumentações freqüentes aqui é a de que isto sempre aconteceu e continuará acontecendo. É a mesma argumentação dos velhinhos decrépitos da FIFA para não incluírem a tecnologia no futebol.

    Puxa, tenho 50 anos, sou saudosista dos bons tempos de Emerson e Piquet, aonde manobras como essa seriam muito pouco prováveis pois os pilotos daquela época eram homens, a maioria chegaram a F-1 forjados no trabalho em categorias de base, como os dois brasileiros citados, hoje são garotos mimados que chegam patrocinados, sem talento, como o Grosjean e estes que compram a vaga na equipe.

    Acho muito estranho que jovens não percebam que a argumentação de que sempre aconteceu é incoerente com a evolução da ética esportiva. Hoje é inaceitável que se diga que o erro de arbitragem é o que motiva o futebol, as discussões sobre ele, como tristemente argumentou o Dunga.

    O mundo evoluiu (pelo menos grande parte de sua população), não aceita mais VITÓRIA sem merecimento, não aceita que erros de arbitragens decidam jogos de futebol. Não aceita mais que chegue na frente um piloto que não ultrapasse seus concorrentes na pista, passando-os por mando da equipe.

    O mundo evoluiu, não aceita que excrescências humanas como o Ecclestone, Todt, Gracia Montezemolo, Brawn e Alonso imponham sua ética distorcida para o resto da humanidade. Este é o motivo da revolta. Este é o motivo pelo qual o Alonso foi chamado na entrevista coletiva pós-corrida de escroto, e não por um brasileiro, que seria injustamente acusado de Pacheco.

    Então a questão se torna muito mais simples.

    Ou você faz parte da humanidade que evoluiu e se revolta com atitudes crápulas como as de domingo e as da semana nas tentativas de defender o indefensável, como feito por toda a corriola da cúpula da F-1.

    Ou você faz parte daquela parte da humanidade que ainda acha normal distorções da ética esportiva, e como conseqüência também admite estas distorções na ética pessoal, profissional, etc…

    Desenhando para quem não entendeu. Ou você tem um conceito de ética em que cabe a compreensão do que é certo e do que é errado. Ou você é daqueles que acham que tudo vale, desde que o seu esteja garantido.

    Simples assim.

    • MARCOS MOREIRA disse:

      coisa de babaca, pura cafonice. Avise o Bin Laden, ótimo mbiente para se cometer ium atentado

    • Carlos disse:

      Meu caro Hector, desculpe mas, nos “bons e velhos tempos”, o jogo de equipe era uma constante em corridas de automóveis, a diferença é que somente o pessoal das equipes sabia o que estava acontecendo, informe-se e confirme.

    • Hector disse:

      Carlos, estou muito bem informado, obrigado. Acho sim é que voce não entendeu o que escrevi. Sei que a equipe Williams pediu ao Carlos Reutmman que desse passagem ao Jones. Ele negou. O Pironi também negou, Ao Piquet e Senna nem ousaram pedir favorecimentos a Mansell e Prost. Não disse que naqueles tempos não havia jogos de equipe, mas era opcional ao piloto obedecer ou não. O que disse, é que no código de ética esportivo do século XXI não se aceita mais vitórias sem merecimento. Esse mesmo código foi o que levou a abolição das touradas na catalunha e em breve se estenderá por toda a Espanha. E acredite atingirá todos os esportes.

    • Hector disse:

      Marcos, você com suas palavras apenas mostrou a que time da humanidade pertence, Está lá no texto, junte-se aos compadres Montezemolo, etc… E já que citou ao Bin Laden, junte-se aos seus compadres e faça um favor ao resto da humanidade, detone seu cinto de explosivos.

  17. Batista Lara disse:

    Corrigindo acima: A imensa maioria dos brasileiros e os blogueiros daqui, acordaram .
    No lugar de “acordaram” leia-se “acordou”. Falha nossa.

  18. Batista Lara disse:

    Escrevi um comentário alguns posts atrás descendo o bambu no Massa. Agora, com a cabeça mais fria e após ter lido o post do Jung e o comentário muito bem feito pelo Gabriel de Amorim acima, minimizo agora os ataques ao Massa, mas quero deixar bem claro. A imensa maioria dos brasileiros e os blogueiros daqui, acordaram antes das 9 da madrugada para ver os brasileiros correrem e torcerem por eles, principalmente o Massa, que tem chances reais de vitória. Agora ficou bem claro que o mundial de F1, é um campeonato somente de equipes, não de pilotos. Acordava todas as manhãs de corrida ou de madrugada, para ver e torcer para os brasileiros, não para Mclaren ou Ferrari ou qualquer outra que seja. Agora não perderei mais o meu tempo, pois está bem claro que não adianta muito torcer para o piloto. Para mim , F1 perdeu a graça. Nunca mais quero passar por essa situação como torcedor. Uma ainda passa, agora duas é demais! Chega !!!!

  19. Anselmo disse:

    Alex vc disse..
    “O que cada construtor movimenta para por em pé toda sua estrutura, acaba por ser imperativo, pilotos são funcionários. ”
    Analiso assim…
    E pq toda essa estrutura é movimentada???
    Pq existem empresas que pagam muito para terem suas marcas estampadas em carrinhos ultra-modernos que correm o mundo inteiro ??? Qual o objetivo delas??? Deve ser para divulgar suas marcas … E para quem elas querem divulgar??? Para nós…público..E nós queremos ver corridas em que o vencedor é definido por alguêm dos boxes??? NÃO..seria a resposta lógica(menos na italia..claro),acredito eu…
    Então …Se nós somos o objetivo final…Esses caras da f-1 tão fazendo muita M….E esse tipo de argumento fica muito frágil…
    Abs
    Anselmo

  20. xandico disse:

    nao assisto mais essa merda, chega.

    barrichello eterno empolgado com a 15a. colocacao
    nelsinho marionete
    lucas di grassi sem chance
    b.senna trocado por um japones rico
    massa abriu as pernas

    to fora !

  21. Marcelo disse:

    Com certeza teve o dedo do Sr. Botin nisso … ele estava assistindo a corrida nos boxes, e deve ter soltado um sonoro “se o meu menino não passar eu não boto mais grana nesta b..sta de time!!” …. kkk

  22. Alexandre Bento disse:

    Olha só…volto a repetir…o campeonato não é de
    países e sim de pilotos!!!
    Tanto o idolatrada pela Globo e por alguns jornalistas Felipe Massa quanto o Barrichelo (acertador de carros dos melhores que já vi) estavam cumprido contrato. Não é o governo do Brasil que paga seus salários. Quem paga manda!

  23. Marcelo disse:

    Porém, no episódio do Brasil, aonde o Massa deu a vitória ao Raikkonen, foi mais bem feito, se podemos dizer assim. A troca de posições foi nos boxes, tudo certinho, sem chance de dizerem que houve ordem de equipe (apesar de ser claro). Eles tiveram a chance de fazer isso na troca de pneus e não fizeram, depois tiveram que fazer essa m… que fizeram. Coisa de quem se acha acima do bem e do mal, que se acha uma das donas da F1 (Ferrari).

  24. marcelo disse:

    Desculpem, mas esse Jung não entende nada de F1.

  25. GIL SIQUEYRA CAMPOS disse:

    E TEM MAIS:

    PELO SALARIO QUE RECEBE , O MASSA FALOU AINDA QUE AMA O ALONSO EO BEIJA NA BOCA!!!!!

  26. EDGARD disse:

    gostaria de defender o ponto de vista de Massa e devíamos fazer uma manifestação na marginal pinheiros defronte ao prédio do banco que patrocina fernando alonso este sim é responsável por este incidente.

  27. E.Martinez disse:

    Defensores por defensores há até quem defenda os Nardoni…agora esse Jung ai também nada de novo.

    Em suma é aquela velha história quando é com os outros é válido e justo, quando é “conosco” (leia-se brasileiros) ai não! É tudo “muito diferente”.

    Massa sabotou sua própria corrida, sou contratado por uma empresa mas se a chefia mandar eu baixar as calças haverá uma recusa bem clara.

    Contratos não devem se sobrepor aos seus valores e/ou dignidade, que não se confunda profissionalismo com “prostituição profissional.”

    Critico Massa não por patriotada, mas simplesmente por não respeitar a si mesmo. É indigno somente por isso,

    Ao final Massa que quis sempre dar pinta de “piloto de personalidade forte” murchou de dentro pra fora ao ouvir aquele inglês britânico cadenciado, murchou-se o que deve ter afrouxado seu pé do acelerador.

    Argumenta-se que quando Shcumacher ganhou suas vitórias a mando da equipe, o campeonato estava longe do término. Mas isso pouco importa já que a Ferrari naquela oportunidade era muito superior, dispensando esse artificio pouco importando se era a segunda ou penúltima corrida.

    Estou com o FG e o Mauro…se é errado, é errado em qualquer fase do campeonato, para que se evite subjetivismos e relativismos com bairrismos e ufanismos como pano de fundo. (quantos ismos!)

  28. Marcio Ferreira disse:

    Quando deixar de existir campeonato de pilotos e existir só de equipes eu vou concordar com ele, ao contrário NUNCA.
    São dois campeonatos distintos e não existe justificativa pra essa coisa de pensar que quando o piloto ganha, a equipe também está ganhando. Pra isso existe o campeonato de equipes.

  29. Rodrigo Duarte disse:

    Queria ver se pedissem ao Nelson Piquet para dar lugar a alguém, o que ele faria.

  30. Paulo Fonseca disse:

    Respeito muito o artigo, porem fica muito claro para o publico que e so jogo de sena ,manda a maracutaia,perde-se o prestigio construido por Emerson ,Piquet e Senna, pois a F-1 ,perde sua reputacao na praca, e os patrocinadores e empresas de midia ficam marcadas em pactuar com um lance sujo,fica o criterio de perder pontos nao so no Ibope ,mais tambem muito dinheiro,acredite ninguem vai aderir a um produto marcado por fraudes

  31. Teo disse:

    Linhas perfeitas, concordo com cada uma delas.

  32. Carlos disse:

    Eu acho indefensável.

  33. Roberto A Silva disse:

    Muito precisa a análise. Mas o histórico que temos dos pilotos brasileiros nos deixa com as “barbas de molho”

    Como torcedor estou muito decepcionado, espero que na hungria Massa possa mostrar sua força.

  34. Williams disse:

    Bunda mole pau mandado… é isso que ele é. Imagina se o IG manda o Flávio escrever uma matéria que vai contra o que ele pensa ou acredita. Imagina se mandam o Flávio detonar os Lada. Será que ele escreveria? ué, mas é o chefe dele que tá pedindo… será que ele não iria argumentar que o que estavam pedindo não era bom para o jornalismo? é a mesma coisa. O Massa mandou o esporte pra casa do chapeu, deu uma banana pra cada um dos seus torcedores e fez o que ele sempre falou ser contra fazer… resumindo: um bosta n´agua esse piloto!

  35. MAX MOSLEY disse:

    Teve uma corrida ano passado, não me lembro qual foi, que o Barrichello (em segundo) estava chegando no Button (em primeiro) e veio a ordem do box para ele manerar porque estava sem pneu. E ele, entendendo a mensagem, ficou quieto e chegou em segundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>