MENU

Monday, 16 de August de 2010 - 14:29MotoGP

A CARTA

SÃO PAULO (que coisa linda…) – Valentino Rossi confirmou que vai para a Ducati no ano que vem. E em vez de entrevista coletiva, declaração oficial, essas bobagens, escreveu uma carta. Essa aí embaixo, em italiano.

Uma carta de amor à Yamaha e, principalmente, à sua moto. É isso. Um piloto precisa, acima de tudo, amar seu carro, sua motocicleta, seu kart, seu caminhão, sua lancha. Sei bem do que estou falando…

45 comentários

  1. Marinho says:

    Imagina para a Ducati ter o melhor piloto de todos os tempos em sua equipe??? Italiano ainda??? Não sei não, mas acho que no ano que vem só vai dar vermelho na Motogp.

  2. HAMILTON says:

    Pessoal,

    A ida de Rossi para a Ducati não é motivada pelo dinheiro, pois o que receberá na Ducati é o mesmo oferecido pela Yamaha para renovação do contrato.
    O que fez ele mudar de equipe, primeiro é o fato de ter que dividir com o Lorenzo a posição de 1º piloto na equipe, o que ele não aceita, pois ele desenvolveu a moto durante anos e agora a Yamaha entrega para o Lorenzo o mesmo material que ele possui…..ele está errado? É egoista? Não sei….
    Segundo motivo é a paixão dos italianos pela Ducati! O Rossi já falou anteriormente sobre isso, ele sempre foi cobrado pelos tifossis quando iria correr na Ducati! Moto italiana, piloto italiano e patrocinio italiano (FIAT).
    Rossi já está em fase de aposentadoria…mais 2 ou 3 anos ele para de correr. Dinheiro não fez a diferença na transferência para a Ducati. O cara busca novos desafios, motivação e nada melhor que pilotar uma moto que ninguém se acerta!!! Acredito que em 2010, Rossi vai vencer corridas com essa moto.

    • rubem rodriguez gonzalez says:

      Esse papo de que eu desenvolvi e outro vai se aproveitar disso é blá, blá,blá de quem ainda se sente competitivo mas encontrou um osso duro de roer pela frente, o Lorenzo é ousado e veloz. Estando os dois na mesma máquina quem ganhar vai ser considrado o melhor, na realidade o Valentino está então é com medo da concorrência, partindo para uma nova empreitada e como a briga do baixinho contra o gigante, se perder a briga era o esperado, se ganhar humilha o gigante. É mais ou menos como virar goleiro do ÍBIS, só vão ver suas qualidades, os defeitos ficam na conta do time.

  3. Álvaro Azevedo says:

    Confesso que foi emocionante ler o que consegui entender…estou baseado nos comentários, e realmente foi uma declaração de amor, mas com letras minúsculas. Não tenho 10% da grana dele, mas por dinheiro nenhum desse mundo, eu nunca deixaria meu AMOR…nunca!!!

    • rubem rodriguez gonzalez says:

      Pô cara tú então é milionário……. pois eu não tenho 1% da grana dele e me considero razoavelmente bem de vida, a fortuna do cara passa fácil dos 200 milhões de dolares, se vc está nessa faixa só um pouco abaixo de 10% disso saiba que você é considerado milionário em qualquer lugar do planeta……

  4. formiga says:

    Tem uma tradução no blog do Fabio Seixas. Muito emocionante mesmo…. Com esta lábia o Dr deve ser o maior pegador do pedaço.

    • rubem rodriguez gonzalez says:

      Quem gosta de homem bonito e espadaúdo é viado, mulher gosta é de dinheiro, portanto tanto Valentino ou o ultimo do grid pegam quem quiser ( ao menos no universo deles) não precisa de lábia como seu curriculum e asua grana, pelo contrário!!!! tem que ter é arte para se disvencilhar dos oferecimentos.

  5. ALDO R. PINHOLATO says:

    Sem palavras. O “Doutor” é o cara. O melhor piloto sobre qualquer coisa que tenha motor…não importa a categoria. Vai deixar saudades quando se aposentar. Quem tiver a change de acompanhar as corridas da MotoGP nas manhãs de domingo, aproveite bem. O GÊNIO das duas rodas dá seu show por lá…e como é lindo vê-lo em ação. Obrigado Valentino Rossi.

  6. Meraviglioso. Anchie io ti amo, comme il melho piloti d’il mondo, de tutti tempi. Renato, renovação de energia. Capicci?

  7. FIlipe Pimenta Oliveira says:

    Aaaaaa… o despeito!

  8. fernandoHD says:

    Grande piloto,conduta exemplar e caráter irretocável…

  9. Thiago Azevedo says:

    Verdade, coisa que vem de dentro mesmo. Uma espontaneidade incrível. Tá aí um cara que conhece a felicidade em sua plenitude, pois vive o mais próximo possível da sua essência, daquilo que mais gosta.
    Não é à toa que é o maior piloto do esporte a motor de todos os tempos.

  10. rubem rodriguez gonzalez says:

    Legal pela simplicidade, mas é o mesmo blá blá blá de sempre e concordo em genêro número e grau com o colega Alberto Allatere, o negócio da rapaziada é grana, ninguém está errado em pensar assim, só não precisa achar que eu sou idiota para beber essas lágrimas de crocodilo, a paixão nossa já virou commoditie há muito tempo……

    Não conheço e nem tenho notícia de nenhum esportista movido por essa palavra “amor” como tantos apregoam, é na realidade amor de puta, com o tempo cronometrado ou mais educadamente enquanto dura o contrato, o poder e a gran inebria, os compromissos falam mais alto e o cara apesar de ter condições financeias de sobra para poder bancar esse amor , jamais o fará portanto é bem melhor quando se calam sobre o assunto.

    P.S. A única honrosa excessão que conheço é o Toninho Cerezzo que ao encerrar a carreira na Itália fez o seu ultimo contrato com o Atlético Mineiro de graça em troca da gratidão pelo clube que foi a pedra fundamental na sua vitóriosa carreira, os outros quando ninguém na europa dá vaga nem de roupeiro para ele cai de amores pelo clube que o revelou e vêm aqui ganhar mais uns trocados.

    Como toda a excessão só confirma a regra, deveriamos banir essa palavra “amor” do dicionário dos atletas em geral e dos piltos em específico, Valentino incluso.

  11. Renato Muller says:

    Desculpem ser do contra, mas se ele ama tanto assim a equipe, está indo embora por quê?

    • rubem rodriguez gonzalez says:

      Dolares, euros, barras de ouro, diamantes, e tudo o mais que pode ser guardado em um banco e que provavelmente jamais será usado por ele.
      Engraçado é que esses caras trocam esse “amor genuíno” que existe por algo que não precisam , a não ser a ganância de ganharem cada vez mais, só para ser guardado porque tudo que o dinheiro pode lhes dar materialmente já possuem, é mais fácil um operário ou um cidadão comum recusar uma proposta de melhoria de salário por achar que o local atual lhe proporciona alguns ganhos que não podem vir no contra cheques tipo ambiente de trabalho, boas relações e um quase amor pela empresa, isso mesmo não tendo nenhum bem de monta e apenas a saúde e o corpo para lhe garantir o futuro, bem diferente desses caras que não tem mais aonde colocar dinheiro e são capazes de vender a mãe por um contrato mais vantajoso.

  12. Paulo says:

    Quando o cara é diferente dos demais, não tem jeito. O Lorenzo pode passar o resto da vida imitando as comemorações do Valentino, pode ser campeão várias vezes, mas o Rossi não tem comparação.
    Quanto à carta, alguém aqui já fez uma declaração de amor para uma mulher que chegue próximo ao que o Valentino escreveu sobre a M1?

  13. Danilo Albergaria says:

    Aliás, não parlo italiano. Alguma tradução integral à mão?

  14. Danilo Albergaria says:

    Taí. Algum conhecedor poderia me dizer se há realmente tanta diferença entre a Fórmula 1 e a MotoGP quando o assunto é dinheiro e interesses comerciais? Quando avaliamos a postura dos pilotos de Fórmula 1, atribuimos sua robotização à natureza comercial da categoria.

    O que me consta é que a MotoGP também é formada por fábricas riquíssimas e interesses comerciais selvagens, mas não há algo remotamente parecido com Valentino Rossi na Fórmula 1, nem hoje, nem em sua história recente.

    A diferença é política. Raios, por quê não me interessei por MotoGP antes?

  15. … literalmente de arrepiar. A frase final onde ele fala em primeira pessoa descrevendo o primeiro beijo na boca que trocou com a amada M1, lá na grama Welkom é demais.
    Ela me olho no fundo dos olhos e falou “eu amo você”… eu lembro daquele dia e daquele momento, sensacional, sobretudo depois de ter passado a temporada anterior aturando o Max Biagi falando que as vitorias do Valentino, se deviam a superioridade da Honda. Moto invertida, mesmo resultado. Demais, demais…. na primeira corrida da nova temporada.
    Como Italiano, sinto o mesmo orgulho que o tem Brasileiro quando fala do Senna, do Piquet ou do Fittipaldi (coloquei os três para não gerar polemicas).

  16. Batista Haddad says:

    “Infelizmente, mesmo as histórias de amor mais bonitas terminam, mas deixam muitas lembranças maravilhosas, como quando minha M1 e eu nos beijamos pela primeira vez na grama, em Welkom, quando ela olhou nos meus olhos e me disse ‘eu te amo!’.”

    SÓ QUEM AMA O QUE FAZ FALA ISSO!!!!

    Esse é Valentino Rossi. Por isso que ele tem o carisma que tem.

    Espero que, se ele vier a F-1, mude a cara da categoria. Se isso acontecer.

  17. Mistral says:

    Decididamente, Il Dotore é um magnânimo campeão.

    Ainda bem que ele não levou adiante a idéia de correr na Ferrrari. Seria uma mancha indelével em sua imaculada reputação.

  18. Luís Carlos Gonçalves de Oliveira says:

    Flávio e demais leitores,

    Este final de semana tive tempo de ler o número 5 da WarmUp, O Dia negro do Automobilismo. Fiquei meio puto porque nos últimos anos uma das minhas diversões prediletas, o esporte automotivo, transformou-se em ninho de patifes para todos os gostos. Lendo agora o original da carta do Rossi, ví a tradução no site do Fábio Seixas, acho que é possível me divertir com velocidade. Toda a paixão do italiano só existe porque ele gosta muito do que faz. Nota-se que a relação do Rossi com a equipe não se baseia na hierarquia, seu vínculo está associado ao prazer de pertencer ao “team”. O que ele diz serve a todos os profissionais que trabalham em grupo, desportistas ou não.

  19. Tazio says:

    O final da carta é fantastico. O Italiano é um iluminado…

  20. Maurício MV. says:

    Alonso ,Massa,Rubinho e cia. deveriam tomar umas aulas c/ ELE.
    Bravìssimo VALE!!!

  21. Um piloto de verdade… enfim…
    Ducati = Ferrari…

  22. Renato Campestrini says:

    Valentino faz jus a fama que tem!

    Por essas e por outras, é que as “brincadeiras” de Lorenzo se tornam cópias mal feitas do original.

    O cara tem amor ao que faz, além de ser original.

    Boa Sorte #46!

    Abraço,

    RC.

  23. Tazzio says:

    Resumindo em uma palavra: FODÃO!

  24. Jorge Diehl says:

    Flávio, sempre te achei um cara muiiito metido! Mas, ler a carta de despedida do 96 e ver o vídeo dele depois me trouxe lágrimas aos olhos (num marmanjo de 50 anos). Agora vi que mereces a fama e os “puxa-sacos – onde me incluo” que tens. Grande abraço!

  25. Um verdadeiro piloto.

    Por motivo como este, após ver o vídeo no qual Lewis Hamilton guia o McLaren MP4/4, passei a simpatizar mais com o inglês.

    Outro verdadeiro piloto.

  26. ALEX B; says:

    Nao podia ser mais Rossi! Doidivanas! :)

  27. José Floriano says:

    Em tempos de tanto desapego aos valores éticos e morais no esporte, esta mensagem de Valentino é uma grata surpresa! Um cara que vive pelo desafio, vai sair da melhor equipe da atualidade (muito, pq ele a fez ser) e vai tentar fazer o mesmo com uma equipe de sua terra. Louvável!

  28. Verde says:

    Sensacional, sensacional.

  29. Rodrigo says:

    Boa tarde Flávio 69, fico feliz em ver que ainda tem piloto assim, não esses palhaços que ficam cheio de chefes, empresários, acessor de imprensa mandando fazer o que esta escrito no contrato. Por isso as pessoas gostam e torcem de verdade para esportistas como ele.

  30. Valmir Passos says:

    Esse cara sempre surpreende. Agora pela simplicidade. Vai ter muito trabalho na Ducatti. Mas tomara que seja vencedor de novo. O cara merece!!!

  31. Gustavo Américo says:

    Acho que serei repetitivo. – Sensacional Vale! E falando em ser repetitivo, logo logo o Jorge Lorenzo deve escrever alguma carta, pois não cansa de copiar a originalidade de Valentino Rossi, sem contudo ter o mesmo carisma.

  32. vitão says:

    depois as lindinhas reclamam que não entendem porque damos mais atenção a viatura ( sem crase) do que a elas; Rossi foi perfeito . A viatura (seja DKW ou uma Yamaha) não pede pensão, não pede metade dos bens, não chantageia, e ainda te dá prazer, só precisa de uns poucos cuidados básicos, e nem tão caros. Exceto é claro, para um conhecido que comprou um jeguinho de maranelo e passou a chama-la de amante argentina, só dor de cabeça e nenhum prazer. No final ele trocou por um terreno pra fábrica dele. Afinal, imóvel por imóvel, vamos a um que valoriza .

  33. Roberto says:

    Linda mensagem, mesmo! Chega até a emocionar….pena que eu não entendo nada de italiano…rs

  34. Ronei says:

    Esse Rossi é demais..melhor piloto de todas os tempos!!!

  35. Rafinha Dias says:

    E o melhor, saiu dessa moda quadrada e chata de assessor de imprensa e release padronizado pra tudo.
    Valentino é o cara

  36. Daniel AAC says:

    Sensacional a carta do Valentino… é a expressão perfeita do amor que sentimos pelos nossos automotores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *