LÍNGUA SOLTA

SÃO PAULO (a foto, antes que perguntem, é de 2002 na Paulista) – O Luis Augusto Simon, querido amigo e histórico jornalista esportivo, hoje na Revista da ESPN, me entrevistou para seu blog. Falamos de política, Brasil, futebol, F-1, jornalismo. O resultado está aqui. Comentem lá, porque desconfio que o Menon dá moleza à blogaiada e não sei se modera comentários. Portanto, se quiserem malhar o coitado deste que vos bloga, à vontade! Mas se quiserem malhar aqui, também pode.

Comentários

  • Flávio,

    meus parabéns também pela entrevista.

    Sou um admirador da sua inteligência e presença de espírito há muito tempo. Como poderia deixar de admirar o criador do fantástico #dilmafactsbyfolha ?

    Dito tudo isso, acho que já não era sem tempo da relação do homem com os carros se tornar algo mais racional.

    O carro é um meio de transporte, que pode ser excepcional em certas ocasiões, mas para um paulistano como eu se converteram em praga. Praga esa que tem o poder de transformar cidades que deixam de ser planejadas em função das pessoas e passam a ser pensadas em função de carros.

    O automóvel isola as pessoas umas das outras (atos de extrema rudeza que são cometidos por pessoas dentro de carros não seriam repetidos se estivessem em contato físico pelo embraço que causariam) polui, faz barulho e ocupa enormes espaços.

    Nada contra gostas de competições automobilísticas, mas é importante para toda a sociedade começar a pensar o carro pelo que ele é (meio de transporte individual) e não desenvolver sentimentos por ele.

    Porque não transferir todo esse amor pelo carros pelo amor a sua cidade, à praça perto da sua casa etc…
    Todos nos beneficiaríamos!

    Abraços e novamente parabéns pela brilhante entrevista.

  • Respeito suas convicções e idéias, mas discordo dessa visão salvadora da Pátria do PT. O Brasil melhorou sem dúvida, mas as classes menos favorecidas tiveram acesso a uma vida melhor apenas por conta da ajuda (bolsa familia). Na prática, quem continua mandando no país são os mesmos fisiologistas de sempre, a mesma corja, que este sr atual presidente apoiou, como os Sarney e tantos outros. Temos uma ilusão de que tudo é diferente, mas na verdade o PT é um partido tão ou mais corrupto que os outros. Não precisava ser dessa forma, mas é assim que as coisas funcionam. Direita ou esquerda, o que importa? As pessoas de bem querem um governo justo e honesto, mas para a grande maioria, o que importa é estar no poder e desfrutar dele.

    Abs

  • Flávio. Parabéns pela entrevista. Sou do PCdoB e fazemos uma análise muito parecida com a sua sobre a elite e a sua dominação total no Brasil até bem recentemente.
    Claro que muitos comunistas não concordam com suas opiniões sobre automobilismo. rsrsrsrs
    Abraços

  • O pior tipo de direitista, é oque não se assume, como esse tal Fernandão aí de cima. Vem com esse papinho cerca-Lourenço de que não existe esquerda, nem direita… blábláblá do caralho…

  • Buena esa Flavio!, interesantes respuestas a la entrevista. Descontraido, inteli gente – manejando bien la ironía y acides – y sobre todo políticamente incorrecto – Lengua suelta, como el titulo.
    Da la impresión que te divierte expresarte así, te pareces mucho a un fan mio NP.
    Saludos

  • Flavio,vc mandou muito bem! Temos as mesmas opiniões politicas.Concordo com cada palavra.Com relaçao a seus comentarios sobre o automobilismo,vale lembrar queo Senna não é fruto de um automobilismo interno forte,ele nunca correu de carro no Brasil até chegar a Formula Um.Foi Kartista e quando resolveu passar para os carros se mandou para a Inglaterra,onde poderia disputar mais provas pagando menos.Um Abraço!

    • e a bronca do nelsão com ele é porque o cara tinha grana e foi para a europa com um forte esquema montado, bons patrocinadores, acessoria de imprensa invejavel e etc, enquanto o outro foi pra durango, agora o emersom foi limpar peças e polir cabações na oficina do,cara que prepaRAVA o carro e nunca invejou nem criticou ninguem, leiam o livcro O FABULOSO FITTIPALDI, OU ASSISTAM O VIDEO.

  • Parabens, Flávio. Sua entrevista foi sensacional e suas opiniões, a de uma pessoa com uma visão crítica e honesta dos fatos e de pessoas, elites, classes sociais, castas…Enfim, parabens, mais uma vez.

  • É muita ilusão achar que os partidos de esquerda fariam uma revolução, que mudariam tudo.

    Duvido que PSOLs, PSTUs da vida tivessem sucesso se implantassem suas filosofias ao pé da letra no nosso governo federal. Destruiriam o país em segundos.

    O que mais me deixa insatisfeito com o governo do PT é o dedinho podre deles ao indicarem cargos políticos. Acho que o nosso sistema político é uma bandalha.

    O que importa mesmo é entregar um bom serviço público, sistema judiciário, sistema de saúde, transportes e geração de empregos e etc. Se é PSDB ou PT não interessa. Mas devo confessar que sempre votei no Lula, e continuo acreditando que os canditados da oposição não se sairiam melhor do que Lula. Agora consertar o que está errado a décadas, ninguém, oposição ou situação, vai conseguir estalando os dedos, temos que fazer pressão.

  • Não aprendem nada, não esquecem nada… Ainda não consigo entender como gosto do seu blog apesar de suas convicções políticas… Alguém se lembra das mortes na china comunista? revolução cultural e tudo que teve direito? alguém se lembra dos milhões de mortes na rússia comunista? Cuba? Da ligação entre inicial entre nazismo e comunismo? afff…como pode? e sem essa de que a direita matou mais, pq isso simplesmente não é verdade…fato que governo totalitário nunca é bom, mas fato também, que os governos esquerdistas são os mais sanguinários da história… Mas fazer o que? Pior para os fatos se a opinião das pessoas vão contra… eu hein!

  • E ai Flávio, beleza? Gosto muito de seus comentários e me identifico cada vez mais com seu jeito de pensar sobre determinados temas sempre que leio um texto seu ou alguma entrevista com você.

    A resposta da 4º pergunta, define bem o que acho de você, quando diz: “um grande jornalista é aquele que as pessoas param para ler, ver ou ouvir. Aquele que tem posições claras e que, acima de tudo, é honesto com seu leitor, ouvinte, telespectador.”

    Uai, chega de ‘puxação’ de saco.

    Valeu!

  • Eu não sei se é a direita ou a elite ou o nome que queira dar, mas quem mandava até 2002 manda hoje ainda.
    Onde está a reforma tributária?
    Eu pago a mesma aliquota de IR do Eike Batista e seus bilhões. Onde está o imposto para grandes fortunas?
    Onde está a reforma política?
    O voto continua obrigatório e vinculado a partidos, embora estes virtualmente não existam nesse país de Tiriricas. Cadê o voto distrital???
    Só citei dois itens mas poderia citar 50…
    O PT assumiu o governo e se aliou ao Sarney (Sir Ney) para ter mais força no congresso. tem alguém no planeta mais elite e direita do que o Sir Ney?
    O Lula é bem intencionado, sério, popular e não populista, mas as elites nunca vão largar o osso e permitirem reformas de verdade.
    Ok, podem ceder os anéis mas não vão perder os dedos jamais.

  • FG gosto muito do seu blog e respeito demais as suas opiniões. Mas não posso deixar de estranhar a sua visão de que o PT é um partido diferente dos demais.
    Acho que hoje em dia, no máximo, podemos acreditar em alguns políticos e não em legendas partidárias que sempre escondem um lado podre da política.
    Não sou “psdbista” não, mas não vejo grandes diferenças sociais, políticas ou econômicas a partir de 2002. Tudo foi uma continuidade de grandes acertos, grandes erros e um pouquinho de sorte.
    Falar em direita e esquerda é bem complicado… De que lado você colocaria o Sarney, Collor, etc?

  • Era o único detalhe que iria comentar. A direita não parou em 2002… ainda está lá. O que mudou? nada…. O pior esquerdista é o que não enxerga isto, e seja lá o que isso significa…. no brasil só existe centro-direita e nada mais.

  • Em relação a questão de direita e esquerda, só fico decepcionado é com o dedinho podre do governo Lula na hora de indicar alguém para ministérios ou outros cargos importantes.
    Nunca antes na história da minha vida fui tão bombardeado com e-mails sobre política. Era um tal de Dilma isso, Dilma aquilo. Terrorista, assassina e etc. Terrorista que eu saiba era o regime militar. Tomara que o próximo governo não seja marcado por escândalos, porque quero votar na esquerda pela enésima vez nas próximas eleições.

    Em relação a esporte, no caso jogo de equipe em F1, acho que a culpada é a Ferrarri que leva isso muito a sério. Fazer jogo de equipe uma hora ou outra é necessário, mas nas condições deste ano não dá para engolir. Tinha uma regra proibindo. Podem fazer jogo de equipe, mas quando for discutida a questão de tentar igualar e facilitar o trabalho das equipes menos endinheiradas, ou seja, diminuir os gastos, espero que a Ferrari contribua efetivamente para a esportividade e não fique apenas assegurando que as coisas continuem as mesmas.

    Acho que a diferença técnica entre as equipes é absurda. E a Ferrari tem o maior medo de disputar pau a pau com todo mundo. Por isso aconteceu o que aconteceu na época que só a Ferrari podia ter um composto de pneus melhor do que as outras. As disputas tem que ser somente nas pistas, sem covardias, sem garantias comerciais de que os outros não poderão vencer. E ameaça sair da F1, se as coisas mudarem.

    Jogo de equipe para vencer um campeonato que a rigor tem somente 4 carros rivais a serem vencidos dá a sensação que a F1 tem pouca disputa. E tem mesmo. Eu sei que a F1 sempre teve as equipes nanicas, mas isso não quer dizer que deve ser sempre assim.