MONOPÓLIO

SÃO PAULO (lavar e polir) – O anúncio da transferência da etapa brasileira do WTCC de Curitiba para São Paulo faz da capital paulista a única do país a receber corridas internacionais importantes: F-1, Indy, WTCC e FIA GT1. Apesar da força do Sul, seus autódromos não comportam competições desse nível — embora não seja o caso de Curitiba, que nos últimos anos fez o WTCC sem maiores problemas.

Mas o fato é que há uma concentração em SP que, na minha visão, é indesejada. E mostra como Goiânia, Brasília e Rio, para citar apenas as pistas maiores, poderiam estar fazendo coisas legais se seus autódromos estivessem em condições operacionais. Há oferta de boas corridas, como se vê. Só que não tem onde correr. E a CBA, claro, não percebe que o Brasil vive um ótimo momento econômico, que aqui se vende carro como nunca, que a hora para fazer alguma coisa é essa.

Em tempo: o WTCC vai correr junto com a Stock.

ATUALIZANDO…

Acabo de saber pelo Twitter do Victor Martins que a etapa brasileira da FIA GT1 vai para Curitiba, o que não invalida a nota acima, mas diminui sua relevância no que diz respeito ao monopólio paulistano. E em nada muda o quadro de total abandono dos outros autódromos.

Comentários

  • Tá aí!!!
    Esse “”podê”” que tá experimentando o eng adm do “templo” já ajudou a melar mais uma.
    Foi tanta mandação pra cima das pessoas das equipes da GT1 que todo mundo deu um jeito de cair fora…
    Algumas pessoas em bom portunhol sairam dizendo que SP nunca mais.. Tem muita gente mandando.. Até por colocarem pneus atrás dos boxes tinha bronca, esses ai que adm. só eram simpáticos quando queriam uma foto “oficial” perto dos carros e dentro dos box…
    Tá feia a coisa!!
    Sem contar com o “prespone” da CBA desfilando sua ignorancia sobre os carros e com aquela barriga de ganguru com a bolsa cheia de din-dim.. Deu umas andadas por lá, fez uma entrevista na sexta com o Reginaldo e só!
    Depois sumiu!!!! Ainda bem!!!
    O eng de zebras já melou treino da Fasp, Melou o Regional 2 vezes, e agora melou a GT1…
    Que eu saiba autodromo foi feito pra corrida e o “templo” não é nem nunca foi um “Eventodromo”.. Spturis e o Sr. Kassab vão se tocar quando? De que esse aí é a pessoa mais errada do mundo pra administrar o “templo”..

    A não ser que o “doto” eng seja só um pau mandado e está só cumprindo “ordens superiores”.. Se for isso a gente até entende, mas não aceita não…
    Uma hora ou outra o pau vai quebrar….

  • Cerjo, o IRC se foi também, se quisermos ver rally aqui em curitiba só o brasileiro com seus maravilhosos Peugeots, Gols e Celtas……
    A propósito o calendário do IRC ficou assim:
    01 18-22 January, Monaco: Rallye Monte-Carlo (Asphalt)
    02 11-13 March, Argentina: Rally de los Alerces* (Gravel)
    03 06-08 May, France: Tour de Corse (Asphalt)
    04 02-04 June, Ukraine: Prime Yalta Rally (Asphalt)
    05 23-25 June, Belgium: Geko Ypres Rally (Asphalt)
    06 14-16 July, Portugal: Sata Rallye Acores (Gravel)
    07 04-06 August, Portugal: Rali Vinho Madeira (Asphalt)
    08 26-28 August, Czech Republic: Barum Czech Rally Zlin (Asphalt)
    09 09-11 September, Hungary: Mecsek Rallye (Asphalt/gravel)
    10 22-24 September, Italy: Rallye Sanremo (Asphalt)
    11 14-16 October, Scotland: RACMSA Rally of Scotland (Gravel)
    12 03-05 November, Cyprus: FxPro Cyprus Rally (Asphalt/gravel)

  • Depois da abertura das importações, o setor automotivo brasileiro se tornou a bola da vez no mercado mundial. O mercado interno está aquecido há anos, pelo menos uns 15, temos quase 20 marcas internacionais por aqui e nossos cartolas nunca se dignaram a bater à porta das montadoras, nunca se organizaram e levaram uma proposta viável e inteligente à Anfavea. Quando nossos dirigentes ganham a eleição para a CBA, imediatamente mandar emitir o bilhete para Paris, para ‘uma importante reunião na FIA’, onde às vezes, nem assento têm. E o pior, levam esposas e amigos por conta da Confederação. Essa parece ser a prioridade #1. Depois é desfilar o ‘pudê’, que adoram exercitar através de regulamentos esdrúxulos, regras que mudam a cada prova e decisões desastrosas que invariavelmente seguem aos tribunais. Trabalhar por verbas das loterias, por uma lei de incentivo decente ao esporte que gerasse interesse às montadoras, rá rá, isso nunca, dá trabalho. Paris é muito melhor.
    É por causa dessa leniência que quase 100% do automobilismo nacional estás nas mãos do mesmo promotor, que nada de braçada, trazendo junto estes pequenos ditadores que adoram uma mordomia e um pouquinho de ‘pudê’.

  • A parte boa dessa notícia é que o IRC não vai ter outra categoria pra dividir o público, visto que os dois eventos, WTCC e IRC, eram sempre no mesmo final de semana. Tomara que continue havendo a etapa de Curitiba do rally.

  • desde que a vicar não pegue a organização também da GT1, ficarei tranquilo. até porque creio ser impossível o hermann perder o direito de co-organizar esse evento.

    tenho certeza que os curitibanos não vão se decepcionar com a troca. a GT1 este ano esteve muito equilibrada nas performances dos carros, os vencedores variando de pista a pista.
    acho impossível o traçado em pinhais não render boas disputas.
    e lembrem-se, esses carros ainda têm motorzões (8, 10 e 12 cilindros) que soam linda e deliciosamente. talvez isso seja muito difícil de ser mantido no futuro, vide a nova motorização obrigatória da F1.

  • Brasília comportaria belas corridas de GT1, caso sofresse uma recauchutada geral, o asfalto nunca foi refeito (36 anos de idade). boxes também originais etc.
    Nada contra Curitiba, penso que lá vá também render boas disputas.

  • essa era a solução certa, se tivessemos é claro dirigentes certos e com boa vontade mpara com o automobilismo brasileiro, isso geraria divisas para ois estados, incentivaria o, turismo, geraria emnpregos diretos e indiretos.

    flavio, tenho um video sobre carros movidos a ar comprimido, como faço para tge mandar?

  • Pra quem ja assistiu GT1, talvez se empolque com a F1, uma pena tirar a gt 1 de SP,Com a devida divulgação teriamos um pulblico de F1.Como sempre isto aconteceu por que alguem vai ganhar muito ,mas muito dinheiro com isto.

  • Ainda estou puto.
    Não dá pra entender…
    A corrida do Wtcc em Curitiba já era considerado como etapa tradicional da categoria.

    Pra quê mexer?????

    Parece gozação. Ninguém consegue engrenar uma categoria internacional dois anos seguidos aqui em Interlagos (a não ser o trenzinho do Bernie…)

    Se não tem público não voltam no ano seguinte (vide LE Mans Series).

    Se dá bom público, tiram daqui para levar pra outro lugar.

    Desculpa os palavreado Flávio, mas que vão estes caras da VICAR À merda e a bosta de CBA junto.

    Nunca tive tanta vergonha dos animais que “tratam” do esporte a motor no nosso País.

    Eles que vão fazer um estágio na Argentina, para aprender um pouco com nossos hermanos como se faz corrida.

    Qualquer corrida leva gente aos autódromos por lá e não se boicota “esta” categoria por “aquela”.

    Tô imaginando o campeonato de turismo que a vicar está pensando em fazer…. Celta com asinha e gol bolinha com neon…………………..

    continuo puto

    Agora os putões (VICAR) viram que a GT1 fez sucesso aqui e fizeram esta porcaria de troc

  • Gostaria de comentar o seguinte: O nosso cone sul em matéria de esporte de velocidade está ficando anos luz de distancia de saber promover bom entretenimento para o público e principalmente para os pilotos, digo isso usando
    como referência os esportes radicais (skate, street luge e até os carrinhos de rolimãs só para comparar por baixo e vejam o público dessas competições) . São Paulo como principal mercado brasileiro não está sabendo aproveitar o potencial que tem, está se deixando levar só por meros minutos de aparição na vênus platinada de algum evento que eles julgam serem importantes para eles mesmos, isso já é sentido nos públicos que frequentam outras categorias ou seja, os organizadores de eventos não estão respeitando os esportistas e nem os torcedores, deixando-os muito a quem. Todo bom espetáculo merece um bom público e vice versa, tá na hora do pessoal da FASP parar de babar ovo da CBA e começar a se mexer sózinha para que Interlagos volte a ser um templo de admiradores.

  • Ah, to com vontade de falar hoje!
    Pois é, essa falta de autódromos acaba congestionando seriamente Curitiba, aonde para se conseguir uma data em fianl de semana para a nossa escola de pilotagem é o “ó do borogodó”!
    Aqui temos uma estrutura bastante boa, mas que está se deteriorando rápidamente por conta do uso intenso.
    Bem, é ótimo ter um autódromo ativo, mas a briga por espaço aqui não seria tão intensa se o Rio não tivesse sido “tungado” do seu belo e importante autódromo.
    Se tivéssemos Goiania em bom estado, era capaz de haver um interesse maior das grandes categorias tambem por Campo Grande e Brasília em datas próximas, por questões de logística.
    Aqui no Paraná temos tres autódromos, mas na prática, só Curitiba funciona bem, pois Cascavel infelizmente não tem boxes ou estrutura para receber corridas, alem de ser um longe dos grandes centros para receber grandes circos.
    Uma pena, pois o público de lá é super receptivo, adora corridas.
    Londrina ficou melhor com as obras para receber a Stock, mas acabei de saber hoje à tarde que a prefeitura resolveu administrar o autódromo de novo e, por enquanto não se pode marcar nada por lá, o que nos deixa malucos para definir datas, pois sem datas antecipadas é impossível conseguir qualquer apoio ou patrocínio.
    Os gaúchos é que são felizes, pois tem traçados lindos, maravilhosos e em profusão.
    Não conheço ainda o Velopark, mas falam bem da estrutura, menos do traçado.
    Santa Cruz é muito legal para motos, embora ainda longe.
    Tarumã, o meu preferido, tem algum problema de estrutura e falta alguma área de escape, especialmente na Um, que de Superbike é de quinta. Encrenca!
    Guaporé é longe de tudo, asfalto super abrasivo, pouca área de escape (tô falando de moto!) e difícil de chegar, mas é uma pistinha muito legal!
    Autódromo é monumento, orgulho municipal (é assim em Cascavel e Guaporé), patrimonio público histórico e cultural e por isso mesmo que eu não entendo porque Minas Gerais, Santa Catarina (que tem bons autódromos de terra) ainda não tem um, pelo menos.
    E São Paulo?
    É inexplicável.
    Enquanto RS tem quatro pistas, PR tem tres, SP só tem uminha.
    A mais importante, sem dúvida. Mas, é só uma, pô!
    Porque não fazer um autódromo no interior?
    Tem uma malha de estradas boas (e caras), tem o aeroporto internacional de Viracopos, tem várias empresas automobilísticas que alugariam o espaço para testes, várias equipes estão no interior, tem…TUDO!
    É só chamar o Tilke (calma, é brincadeirinha!!), chamar um bom projetista, como o que fez Aragon ou o Portimão ou ainda melhor, incentivar a produção intelectual nacional e pronto!
    Nem precisa ser um super hiper projeto, só precisa ser utilizável e seguro para qualquer categoria de duas e quatro rodas.
    Pode ser bem no meio, ou perto de MG ou lá em cima, colado em MG e MS, não interessa aonde, mas TEM que ter um segundo autódromo!!
    Cadê o “non duco, ducor”, paulistada?

  • Eu preferia que os nossos dirigentes lutassem, para manter o WTCC em Curitiba e ter uma etapa adicional em Interlagos. E que lutassem para manter a GT1 em Interlagos e ter uma etapa a mais em Curitiba.
    Do jeito que tá fizeram um esforço danado e só trocaram figurinhas…

  • Flavio o que grandes pilotos lutaram para construir o nome do Brasil no automobilismo durante décadas com grandes pilotagens o grupo dos “3 Inhos” detonaram com o automobilismo brasileiro quanto à sua credibilidade.

    Parabens aos 3 merdinhas que são bund..sujas : Rubinho, Piquetzinho e Massinha.

  • M-E-R-D-A, e eu que fui a todas as edições curitibanas do WTCC, e agora?

    Ja me deu um puta frio na barriga quando fiquei sabendo que o WTCC ia sair das mãos do HSBC e Pref. de Curitiba e foi para as mãos da VICAR. (Vide “cagadas com Stock Car”)

    Tava tão bom pagar 1kg de alimento pra ir assistir a 2ª corrida mais importante do calendário da FIA, aqui, do lado da minha casa. E o pior é que Curitiba já estava adequadamente preparada para o evento, bem estruturada. A cidade entrava no clima da corrida, com casa cheia em todos os anos (inclusive o de estréia). Compensavam a não-venda de ingressos de visitação aos boxes (eram reservados para convidados de empresas patrocinadoras, HSBC em sua maioria – tinha que ter a contra partida do ingresso barato oras.) com uma tarde inteira de exposição dos carros na Rua XV. Era muito legal.

    A “generosidade” do HSBC de trazer sozinha a corrida teria fim um dia, e eu pressentia isso.

    Só quero ver a que preço trarão a GT1 pra Curitiba, já que a patrocinadora master (Itaipava), indo pela lógica, ficará por São Paulo…

    Acompanhemos via Grande Prêmio…

    • O Pedro tem toda razão, a cidade vibrava com o WTCC.
      O prefeito Beto Richa tem uma ligação forte com corridas de Turismo e sempre pre$tigiava o evento com a sua pre$ença, faziam carreatas pela cidade, apresentação dos carros e pilotos na Boca Maldita (o equivalente ao centro velho de São Paulo, acho eu)
      Mas, o pior é que serão duas perdas.
      O WTCC e o IRC, a segunda divisão do Rally mundial, já que eles usam a mesma estrutura do WTCC, dividindo espaço no autódromo, facilitando a vida da imprensa e, as vezes, recebendo uma ajuda extra dos mecanicos da categoria irmã.
      É uma categoria bonita de se ver, sem maiores frescuras.
      Trabalhei com eles em 2007 como interprete e pude conversar tranquilamente com o Kris Meeke, entre outros pilotos e mecanicos.
      Era um ambiente sossegado, com os mecanicos trabalhando de forma livre e sem barreiras, junto com o pouco público que visitava as tendas-boxes.
      Até o jornal local destinava um espaço legal para divulgar os horários e locais das especiais.
      Já nas especiais, fiquei surpreso de ver a quantidade de pessoas nos barrancos e de forma civilizada.
      O que eu não entendo é, se a IRC vier tambem para São Paulo e se a organização for a mesma, aonde vai correr o Rally?
      Bom, rei morto é rei posto.
      Então, que venha a Fia GT1, né?

  • Olá Flávio! Olá pessoal.

    sinceramente, achei uma porcaria de troca.
    A GT1(apesar de também não ter escapado da crise) é mil vezes mais interessante e o Wtcc(este já está campengando há algum tempo).

    Uma pena, pois a corrida teve um bom público em Interlagos e agora vão tirar daqui….

    Nada contra Curitiba. Espero que seja um sucesso por lá, mas que eu não entendi a troca, não entendi mesmo….

    Um abraço,

  • Nunca assisti corrida de WTCC, posso quebrar a cara.
    Fiquei mais triste por Interlagos ter perdido a etapa de GT1 do que feliz em ter ganhado a etapa de WTCC.

    GT1 a corrida mais animal que já assisti, deu de 10 x 0 até em relação aos anos que fui na F1

  • É uma pena mesmo quanto ao autódromo de Goiânia. Localização boa, acesso bom, desenho da pista indica ser agradável (não entendo muito), rede hoteleira boa, cidade boa, clima agradável, pessoas educadas e prestativas. O que falta será?

    • Goiania é o melhor traçado para corridas de moto do Brasil, pois é naturalmente seguro, não precisa de grandes modificações (na pista) para receber qualquer prova mundial.
      Mas está detonado!
      O que seria um grande orgulho para os goianos está largado.
      Será que não dá para mandar o Ministério Público para cima do governo do estado ou da prefeitura, pelo menos?

  • Convenhamos, FIA GT1 empolga muito mais que WTCC, a mim pelo menos. Principalmente agora com a debandada da BMW, o que deve tornar as corridas uma mera disputa entre os pilotos da Chevrolet. Grande negócio para Curitiba. Quem sabe o Farfus não descola uma vaga lá e os paranaenses terão uma chance de ver seu piloto na briga.