NÃO GOSTOU

SÃO PAULO (malas prontas de novo) – Bom dia, macacada. Quer dizer que Luca di Montezemolo não gostou nada do novo regulamento de motores da F-1 a partir de 2013 porque “a Ferrari nunca vai fazer um carro de rua com quatro cilindros”? Ora, não precisa fazer. A Ferrari também não faz carros de rua com pneus slicks, ou dutos frontais, ou asas dianteiras, ou adesivos do Santander. Pura bobagem. Que aprenda a fazer. E que continue a equipar seus carros de rua com os motores que bem entender.

Comentários

  • A princípio, concordaria com o italiano, pois sabemos que para o mercado da Ferrari, fazer motor econômico ou motor pequeno não vai atrair novos compradores.

    É claro que a Ferrari não aplicar todas tecnologias utilizadas na F1 em seu carros, mas acredito que ele quis dizer que a F1 precisa estar livre para aplicar novas tecnologias e não ser imposta a regras que prejudiquem as vendas das montadoras…

    Em resumo, tudo é negócio….só acho que a Ferrari, entre outras montadoras precisam pensar mais no futuro olhando para o lado esportivo, ecológico e menos no lado comercial.

    E outra coisa, será difícil ver um carro de F1 correndo com um quatro cilindros, imaginem como seria???

  • Sei de tudo isso… Mas, os V8’s mais modernos hoje em dia tem consumo muito baixo (para sua cavalagem) em alguns casos fazendo algo próximo de 8 km/litro…

    Sei lá… Vai ficar esquisito… E Olha que acompanhei toda a chamada “era turbo” dos ano 80… Deveria até estr saudoso com esse retorno… Mas, na verdade, quando lembro principalmente da baixa competitividade entre carros de equipes diferentes que reinava naquela época, me dá um frio na espinha…

    S/Mais.

  • não temos mais espaço e nem condições de uso desses motores 8 dez doze cilindros, hoje o mundo pede carros compactos e efic ientes, motores não poluentes otimizados para o consumo do combustivel que usam, sei que é lindo ouvir o berro de um motorzão de cano cheio, mas a realidade do planeta não aceita mais isso, e pode deixar que os engenheiros da f1 darão um jeito de tirar potencia dos 4 cl 1.6 lts, e não serão motores AP como muitos querem.

  • O MonteDeMerda tá solta fogo “pelas ventas” Realmente… alguém consegue imaginar uma Ferrari equipada com um motor(zinho) de 4 cilindros em linha, limitado a 1600cc, mesmo que turbo???

    Se um motor assim não é nenhum “mistério” para montadoras como Renault, Honda e VW (estas duas especuladas a um retorno à F1 com o novo motor), para a Ferrari será quase um “corpo estranho”… (algo similar tbm se pode falar da Mercedes… ).

    Sei que a F1 já usou motores turbos com essa configuração, que pouco ou nada se perderá em termos de potencia liquida (ou até mesmo se liberarem esses motores podem ser até mesmo mais potentes do que os atuais “gigantes” V8’s), etc e tal… Mas, que é meio ridículo abrir-se a carenagem de um F1 e dar de cara com um motorzinho desses que poderia esta abordo do meu Palio é !!!

    E assim como o MonteDeMerda tenho lá minha dúvidas a respeito da alegada “economia” que tão falando ai com o retorno aos turbos… Só pra lembrar/constar, quando na década de 80 pusseram fim a tal “era turbo” na F1 FOI JUSTAMENTE PELOS ALTOS CUSTOS dessa configuração de motores… E retornam agora pelo motivo inverso??? Sei não…

    mas, não tem mais jeito, já tá decidido! Logo é torcer para dar certo…

    … Mas tenho pra mim que não demorará para se banir novamente os turbos da F1!

    S/mais.

  • Parece que Montezemolo esquece que a Fiat é dona da Ferrari. Ferrari é bonequinha de luxo, o q dá grana mesmo é Uno e companhia. Se a Fiat bater o pé e pedir uma Ferrari “popular” com 4 cilindros não é o Montezemolo que vai impedir.

  • Não dá para comparar pneus, asinhas e dutos com a complexidade de motores. A Ferrari utiliza a F1 como laboratório para os carros de rua. Fabricar motores de 4 cil para F1 e com mais cil para os de rua não faz sentido para uma equipe que produz carros de rua.

  • Não é por nada não, mas minha moto é 1500 cc e o carro da minha esposa é 1.6 4 cil.
    F1 com motorzinho perde a graça pq os pilotos, “nossos herois”, vão usar um motor “parecido” com o que a minha sogra usa pra ir ao supermercado. O lance legal de ver um cara usando um motor de tamanho e potência brutais, coisa que todo mundo gostaria mas só 0,001% da população faz, se perde.
    Só uma dúvida: se os motores terão limitação de volume, rotação e potência, que eu acho que serão atingidos rapidamente pelas fábricas, a gente vai torcer pra quem??? pro câmbio?? Câmbio ainda não tem limitação…

  • tambem nao gostei do V4, para mim a F1 e o auge da tecnologia e do esporte a motor. assisto corridas da F1 no Brasil desde 1981 e para mim o motor da categoria deveria ser o V-10, som inconfundivel, quem ja esteve em Interlagos sabe bem do que estou falando …. motores V8 como os de agora, devem ficar para a categoria de acesso GP2 e a Indy …. motores turbo e aspirados V6 e V4 para campeonatos de marcas. acho que a categoria deve ter alma e personalidade, desde 2009 para ca nao estou gostando do visual dos carros ( prefiro os dos anos 80 e inicio dos 90 ), nem da troca dos V10 pelos V8 de 2006 .

  • Se a regra estabelecesse apenas a capacidade cúbica sem se importar com o numero de cilindros, é bem provável que os formatos dos anos 80 voltassem com os V6 disputando espaço com os de 4 cilindros em linha. Não lembro quem, mas acho que devem ter tentado um V8 turbo 1.5 que não deu certo.

    Acho o formato V6 perfeitamente compatível com carros de rua e tem a vantagem dos motores de 6 e 12 cilindros no que se refere a vibração e aproveitamento de potência.

    estamos perdendo uma boa oportunidade de estabelecer regras que abririam a possibilidade de se usar os mesmos blocos para a Indy e a F1, barateando os custos para todos e abrindo mercados…

  • nao vejo dessa forma nao Flavio, considero um gasto absurdo criar um novo motor e o pessoal esquece que antes ja teve 4 cilindros potentes mas que ali se podia trocar de motor constantemente, na regra nova o buraco é mais em baixo e vamos ser sinceros, F1 com ronquinho de 4 bocas nao dá,V8 neles oras!!

  • Tem cois amais broxante do que os r15 ou os peugeot turbo diesel???
    Tomara que os 4T tenham um ronco bonito…. mas acho que vai ser um sonzinho bem fraquinho tb….

    O som das ferrari de corrida tem dse remeter ao som dos carros de corrida! Não é só marqueting, é estratégia de mantensa do estigma da marca!
    E mais a mais, F1 com som de apturbo vai ser uma melda.

  • Todo ano é a mesma conversa. A Ferrari sempre se acha maior que a F1… concordo que a F1 sem Ferrari não seria a mesma coisa; mas pergunto… onde a Ferrari estaria hoje sem a enorme exibição da F1 pelo mundo?

  • Na minha opinião esta redução é uma bela porcaria. Aonde vão parar com isto???? Para mim F1 era para ser o supra sumo do automobilismo. Ano após ano eles matam mais um pouco o que resta de tradição nesta competição, ah sei lá , isso não é mais F1. Pistas novas chatas nos desertos sem graça, pilotos sem sal politicamente corretos (raras exceções ), muito dinheiro, pompa, e agora motor 1.6 de 4 cilindros. Querem ser ecologicamente corretos??? Então guardem os carros no pit e corram a pé.

    • A FERRARI É DA FIAT OU VICE VERSA, SEI LÁ, BASTA TER VONTADE E ESFORÇO QU7E OS ENGENHEIROS DÃO CONTA DO RECADO, AQUI O NOSSO GURGEL NÃO FEZ UM MOTOR DE 2 CILNDORS PARA UM DE SEUS CARROS, A FERRARIM CHORA MUITO DE BARRIGA CHEIA, QUANDO, ESTÁ GANHANDO. É O MAXIMO, QUANDO ESTÁ PEWRDENDO É O0 MINIMO. LUCA TU SEI UM PATZO.

  • Com os motores de 4 cilindros, teoricamente mais fracos, os parâmetros da F1 deixam de ser usados no carro de rua. Quem sabe é isso…

    Markeing tmabém pode ser, não poderão mais dizer essa Ferrari é o carro F1 de rua e por aí vai…

    No entanto, acho eu que é mais medo de mudar, mudanças sempre são difíceis de aceitar, ainda mais em times de ponta, que não querem perder a boquinha lá na frente.

  • Montezemolo e sua memória curta. Em meados dos anos 80 a Ferrari projetou um 4 cilidros turbo pra substituir seus V6 biturbos, que começavam a perder terreno rapidamente pros V6 da Renault, Porsche e Honda e pro 4 em linha da BMW. O projeto não vingou, mas a Alfa-Romeo chegou a construir um 4 cilidros turbo para a Ligier, muito provavelmente baseado no projeto da Ferrari. O Arnoux falou tão mal do motor pra imprensa depois do primeiro teste que a Alfa caiu fora e a Ligier teve de se virar com um Megatron…

    • 4 cilindros 2.4lts ou mais quadriturbo com entradas de ar para intercoolers do tamanho da frente de um caminhão volvo para refrigeração…. “tanquilo”…. em carros de rali fazem mais de 500cv com motores “normais” e duráveis, nao duvido que cheguem a uns 800cv de potência com motores mais desenvolvidos e forjados a “adamantium” para que não precisem trocar

  • Daqui a pouco a F1 está correndo com motores de Honda Biz. A Ferrari FXX tem pneus slicks e se aquela frente da Enzo (e da própria FXX) não é um tipo de asa dianteira, não sei o que é.
    Mas tirando tudo isso, eu não entendo a lógica da F1. Querem diminuir custos fazendo todas as empresas que produzem motores pesquisar tudo de novo?

  • Como Hurricane disse: saudade dos V12!
    Mas o Monte não quer mudar pq mudança é risco. Lembram quando começaram os turbo? A Ferrari se embananou toda e demorou para ter um motor decente, V6 diga-se de passagem. Agora é a mesma coisa.
    É medinho!

    • ELE E O ALNSOI VÃO FORMAR UMA NOVA DUPLA SERTANEJA, E VÃO LANÇAR O DISCO NO FAUSTÃO COM O O APOIO DO GALVÃO BUENO: CHORÃO E CHORÃZINHO. O REFRÃOP DA MUSICA VAO SER ESSE: EU TINHA UMA FERRARI VERMEIA COM 12 CILNDRO NAS COSTA, AGORA ELES QUER QUEU COMRRA COM UM 4 CILINDROS DE B…STA

  • Bem, eu também não gostei da idéia e acho que desenvolver motor novo, tudo de novo, vai aumentar os custos, exatamente como ele disse. Mas, a F1 sabe o que faz, se eles dizem que dá pra fazer um 1.6 turbo de quatro cilindros e que vire a 12000 rpm ter tanta potência quanto um 2.4 V8 que gira a 18000 rpm, por mais improvável que isso possa parecer, vamos acreditar.

    • Os 1,5 V6 turbo (a BMW chegou a fazer 4 cilindros) tinham mais de 800 CV. Os 3,5 V12 tinham uns 850 CV. Com a tecnologia atual, acho que dá para fazer um motor 4 cilindros adequado à categoria máxima do esporte automobilístico. Apesar disso, acho que devia limitar apenas a capacidade volumétrica do motor, não a quantidade de cilindros. Se não me engano, quando o motociclismo mudou de 500 para motoGP, o motor da Honda tinha 990 cc e 5 cilindros, ou seja, o motor da F1 vai ter menos cilindros que uma moto.

    • Na verdade os 1.5l turbo da décad de 80 tinham mais de 1000cv. O da Honda do Senna m 88 tinha 1012cv, O BMW 4 cilindros 1.5l dizem ter ultrapassado os 1250cv. O problema é que quebravam uma barbaridade.