OS MOTORES

SÃO PAULO (Lada pode?) – O Conselho Mundial da FIA se reuniu hoje em Mônaco e anunciou decisões importantes para a F-1. Uma delas: o artigo do regulamento esportivo que proibia ordens de equipe foi eliminado. Mas os comissários poderão punir pilotos e equipes caso haja ações que vão de encontro aos princípios do esporte etc e tal. Vai ficar tudo muito subjetivo, confusões à vista.

Na parte técnica, o mais importante. A partir de 2013, os motores da F-1 passarão a ter 4 cilindros, 1.600 cc de cilindrada e giros limitados a 12 mil rpm, com injeção de combustível de alta pressão a 500 bar. Hoje são V8 de 2,4 litros e 18 mil rpm. Segundo a FIA, a mudança vai ao encontro das necessidades de reduzir o consumo de gasolina (será 35% menor), e os carros terão sistemas de recuperação de energia e tal. A entidade garante que os níveis de performance não vão cair.

Cada piloto poderá usar cinco motores em 2013. A partir de 2014, quatro. Já para o ano que vem os câmbios deverão durar cinco provas consecutivas, e não quatro como nesta temporada. E a partir de 2012 as comunicações de rádio serão liberadas para as transmissões de TV.

Motores de 4 cilindros já foram usados antes, por isso ninguém precisa ficar desesperado. É fato que a indústria automobilística vem, aos poucos, eliminando musculosos V12, V10 e V8 de suas linhas de montagem. Estão fora de moda para o uso rotineiro, gastam muito, são caros para produzir e atualmente só aparecem em superesportivos caríssimos que mal saem da garagem.

As montadoras terão dois anos para desenvolver as novas unidades. Hoje, fazem motores para a F-1 a Ferrari, a Mercedes, a Cosworth e a Renault. Mas a Lada faz ótimos motores 1.6 de 4 cilindros, com o do Meianov. Se quiserem, posso dar umas dicas.

Comentários

  • Continuando no meu raciocínio…

    Um motor 2T tem menos peças móveis que um 4T.. sendo assim, menos coisa pra quebrar e teoricamente duraria mais que um 4T…

    Dá pra fazer o motor durar mais, assim como querem…

    É mais barato, assim como querem…

    Da pra fazer um 2T mais ecológico também, sem precisar queimar óleo. Não é a mesma coisa que com fumaça, mas não deixa de ser 2T.

    Sei lá…

    Devaneios, eu acho.

  • FG,

    Não sei se estou ficando Louco, mas pensa comigo…

    Motores de 1.6 girando a 12.000 RPM, sem turbo (como estão dizendo que não vai ter), não gera potencia compatível com a de hoje, potencia está diretamente relacionada a RPM em motores aspirados, até aqui, nada de novo.

    Só que eu andei pensando…

    Injeção direta funciona admitindo o ar separadamente do combustível, traz economia, mas não potencia. Certo.

    Só tem uma maneira de fazer um motor que vira a 12.000 PRM ter a potencia equivalente a outro, que tem o dobro da cilindrada e vira 6.000 RPM a mais, você conhece muito bem esta história !!!

    Fazendo ter o dobro de “queimas” por ciclo…

    3=6

    Com injeção direta, elimina-se o problema do “desperdicio” de combustível, e 12.000 RPM num 2 tempos, teoricamente, é a mesma coisa que 24.000 RPM de um 4 tempos…

    Eu estou pirando, ou vai ter DKW na parada !!!! e, seria este o interesse da VW na F1 em 2013 ?????

  • Bom, então em 2013 vou alinhar com um Uno 1.6R Turbo no GRID! hahahahaha
    Ridículo…
    Espero que com isso a Indy cresça ainda mais e volte a ser o que era em 93/94/95… COM V8!!!!!!!!

    abraços.

  • beleza, vejo que vcs gostam de assistir corrida da F1.
    Entretanto ninguém pensou no impacto que tal atitude terá nos nossos carros!!!
    alguém chegou a imaginar que a tecnologia desenvolvida vai equipar os carros que serão fabricados? Vai ser um grande salto na indústria automobilística, cosia que hoje só tem acesso quem tem uns bons R$ 400.000,00 para gastar com um carro.
    Depois destas mudanças vamos poder ter na garagem um carro 1.6 com 200hp e quem sabe fazendo uns 12km/l! (bom, sei que isto é um sonho, mas quem sabe?)

    • Ué, mas nada impede de ser feito isso com os motores V8.

      A Honda no começo da década de 90 pegou tudo que podia aproveitar da suspensão dos F1 e enfiou nos civics, preludes e accords da época, sem falar no mítico NSX. Inclusive snme o Senna em pessoa acertou a suspensão dos preludes.

      Os motores da Série B dos civics, reza a lenda que são os V8 da F1 cortados ao meio, e com a R/L modificada pra se tornar dirigívelna rua.

      Isso sem falar no comando de válvulas variável, VTEC.

  • Soluções laterais… E desde quando o problema da F1 atual é motor ou consumo? O probelma é competitividade.

    Falta circuitos inteligentes. Tudo agora é esse incopetente do Tilke que não fez sequer um autódromo que prestasse.

    Falta é pilotom braço e sobra tecnologia….

    Falta é piloto com balls para se impor perante a equipe.

    Sobram são cartolas e pseudo entendidos que estão afundando a F1 a cada ano.

    Mudam tudo e fica tudo igual: UMA MERDA!!!!!

  • Palhaçada. Também acho um salto muito grande. Poderia ser um V6 2.0 cc, talvez . Mas 4 cil. 1.6 cc … Duvido que consigam manter a mesma potência com a redução de rpm’s. Com esta nova regra os níveis de torque e aceleração vão cair muito, e com eles o desempenho dos carros. Vai ficar muito fácil para os novatos oriundos da GP2. Talvez esteja aí o principal motivo desta mudança. Aumentar a o número de pilotos competitivos rapidamente na categoria, nivelando por baixo, e com isso reduzindo salários .

  • Serão motores de 500hp, com o KERS podem chegar a 600hp. Ainda que fossem V6, daria para diminuir o volante e tirar alguns cavalinhos a mais. Acho interessante reduzir o tamanho dos motores, reduzir o consumo e aumentar o desenvolvimento. Mas é um passo muito grande, a potência cairá muito de um ano para o outro. São só 12000rpm. São só cinco motores por temporada. Isso limita muito a potência.

  • Flavio, por favor, pelo-amor-de-Deus!!!! Me diga qual o produto que sua equipe usa para limpar o motor e o compartimento do motor. Pra não rolar merchan pode enviar o nome por e-mail, pode enviar em código que eu decifro!, mas me informe por favor.

  • Vai perder a graça. A F1 é o supra-sumo do automobilismo e como tal devem ter configurações de motores que permitam o melhor desempenho e tecnologia avançada, juntamente com o seu ronco caracteristico, arquiteturas mirabolantes, número de cilindros e cilindradas que não vemos nos carros normais e outras coisas que fazem a F1 e o automobilismo ser este esporte que amamos. Não vejo graça em assistir um carro de corrida com um motor igual ao que tem no meu carro (tudo bem, não é exatamente igual, só a cilindrada, número de cilindros e disposição????!!!!). Viva os V8 3.0, V12’s W16, V6 Turbo, etc. Estas são configurações de motores de F1

  • Pergunta em tempos de catástrofes mundiais na economia onde temos que economizar pergunto:
    Antes era aspirado V12,V8 etc.,virou turbo, voltou aspirado V12,V10,V8 e voltou a ser somente V8 em breve vai voltar a ser 4L turbo, os pneus eram slicks obrigaram a ser com ranhuras e agora voltou a ser slicks.
    Mas sempre se usou a desculpa da economia mas quanto se gastou projetando tudo isso acima informado sempre voltando “ao passado” não entendo essa pseuda economia na minha opinião a conta não fecha, se não estou enganado a BMW do Piquet tinha motor turbo 4 cilindros em linha só não lembro da cilindrada mas o pneu era slick com certeza.
    Flavio vc ou algum companheiro leitor do BLOG pode me explicar?

  • Qual outra equipe deveria voltar a F1?

    – Lola
    – Brabham
    – Penske
    – Dallara (fornece chassi para a HRT, será que voltaria como uma equipe oficial)
    – Porsche
    – Maserati (Por quê não investir na f-1?)

    E novas

    – Audi
    – VW (forneceria motores a categoria)

  • Motores 4cilindros já foram usados na Fórmula 1 antes?!! Quando?! Onde?! Como?! Explica isso direito, caucaia!!! ;-p

    Mas francamente, não boto a menor fé na volta do KERS. Já disse antes e vou repetir. KERS SÓ TEM GRAÇA SE TIVER NOS MOTORES DE TODAS AS EQUIPES!

  • 1- Com as novas regras o Massa ja pode procurar outra equipe em 2012.

    2- Ate acredito que esses motores 1.6 vão ter uma potencia razoavel, não acredito que existam tantos idiotas assim na FIA, mas por mim os motores seriam V10 de 4.000 cc por volta de 1200 HP ou então V6 1.8 Turbo Alimentados a 3.0 bar de pressão tb por volta de 1200 HP. Porra isso é F-1 e todo mundo quer ver o limite extremo de potencia !!!! Mas fazer o que com essa “febre” ecologica mundial.

    • Não há outra alternativa, a F1 precisa voltar a ser referencia para os veículos comuns.
      Não tem mais sentido um V10 de 800cv que só bebe gasolina.
      O mundo mudou e os carros híbridos com autossuficiência em energia elétrica (e baixíssimo consumo de combustível) representam a próxima geração.
      Porque a F1 continuaria na contramão?

  • Falando serio, com tecnologia é possivel que motores menores sejam tão eficientes como motores da linha V*.

    Eu vi um video onde ocorreu a comparação de um carro eletrico e uma Lamborghini Murciélago, o carro eletrico tinha um limite de 200Km, na largada enquanto o Murciélago ficava fritando os pneus e subindo de marcha o eletrico por ter sua rotação constante e não tem que ficar subindo de rotação para mudar de marcha consegui mais velocidade consegui no circuito chegar na frente da Lamborghini. Tudo e muito relativo.

  • Como já falei antes, com a volta da Lotus e agora são 2. E em 2013 teremos motores 1.6. É uma ótima oportunidade para renascer a COPERSUCAR, e logo com 2. Uma com o Wilson e outra com o Enerson. E aproveitamos e colocamos motores 1.6 da GURGEL ou PUMA.
    E pronto, essa vai ser a F1a Bagunça(formula uma bagunça).
    E viva o Brasilllll silll silllllll

  • Eu posso fornecer motores para a F1, tem um desmanche aqui no final da rua e acho que tem uns 100 fuscas, é só levar na retifica do Toninho, deve ter a gasolina e a etanol.
    Agora a Volks entra na F1 tem motor de Gol de baciada na fabrica da Anchieta!

    Como vimos vamos ter várias opções e emoções.

  • “4 cilindros, 1.600 cc de cilindrada e giros limitados a 12 mil rpm”…
    Anota aí: Honda, Yamaha, Suzuki e Kawasaki na Formula 1!
    P*rra meu, isso é motor de MOTO! Dá pra pegar um motor de V-Max, aumentar a cilindrada pra 1600 cc (Atualmente, é 1400 cc) e colocar num chassi de fibra de carbono! Alguém chama os Fittipaldi pra ver isso, quem sabe não volta o Copersucar?

    Outra, se a Formula 1 mudasse o combustível ptra etanol, além de baixar a poluição, aumentaria a performance dos motores.

    A propósito, FG, os motores serão turbo ou aspirados?

  • Não é questão de ser gente burra ou desinformada, o negócio é dar pitacos para acirrar as conversas. A Fiat no iníco da década de 80 já mencionava que o motor do 147 era tão moderno que se poderia extrair muita cavalaria que assustaria até os superesportivos da época. Agora já pensou se diante dessa matéria, todos os entendidos lessem e por saberem demais nem comentariam, para onde iria a audiência desse blog maravilhoso e divertido?

  • Engraçado… no site do GP está escrito 1,6 L. Isso me levou a entender não 1600cc, mas que a conformação dos cilindros seria em L: logo, a Ducati seria fornecedora de motores também!!!!

    Mas, fora esses detalhinhos, não consigo aguentar a FIA com essa fixação por número de cilindros, etc.

    E eu já havia dito: 1,8cc, cilindros liberados, conformação liberada (L, V, W, Boxer…), só não valeria Wenckel, e usaria o sistema diesoto que a Mercedes tava desenvolvendo e até utiizou (utiliza?) nos C 180 europeus – porque aqui, neste país grande e bobo, não se permite o diesel nos carros de passeio. Obviamente turbo alimentados, mas com o turbo a no máximo 2,5 atm.

    Apontem o nariz desses carros para baixo, para ajudar na aderencia (maldito acordo ortográfico!!!) aerodinâmica, diminuam um pouco esta asa dianteira que parace aquelas anteninhas de 1113 (ficam mais largas que a carroceria) e alarguem a traseira…

    Acredito que funcionaria melhor, porque se o Briatore diz que o torcedor médio não esquenta com quantos cilindros tem o carro, se para este torcedor não faz diferença, para os fanáticos por este que um dia foi o melhor esporte a motor do mundo faz toda…

  • Ja li alguma coisa sobre a F-1 como motores bem menores como esse… foi daí que nasceram genios como Colim Chapman que começaram a fazer carros no limite… de peso e resistencia… o que de certo modo foi um perigo para a F-1 daquela época.

    Acho que hoje tudo será diferente… a segurança é bem maior e a tecnologia empregada é quase de outro mundo.

    Imperador

  • nunca gostei do Mosley achava suas decisões medíocres, mas agora estou vendo o quanto ele era importante para F1 não continuar decaindo. o limite orçamentário solucionaria varios problemas dessa F1 cada vez mais mercenária!! e que se dane o público!!!!!!!!

    • Exato! Os 4 cil que eu me lembro era os BMW da Brabham de Piquet. Mas como dissestes eram TURBO e debitavam mais de 1000HP em classificação. Quanto esses motorzinhos aspirados terão de potência?

    • Pois é, com essa rotação limitadíssima (12.000 rpm) e sem turbo, fica difícil.
      Os caras só podem estar pensando num F1 híbrido, com motores elétricos nas 4 rodas.
      Imagina só, 200cv cada um, com alimentação garantida pelo motor a combustão, que nada teria a ver com a tração. Isso já é algo bem plausível na indústria automobilística e me parece ser o futuro.
      Seria uma grande sacada.

  • A F1 tem muito que evoluir ainda pra usar o motor 1.4 da Belina.

    Putz, a F1 ainda é um esporte? Eu já penso diferente deles. Deixaria um motor de 3,5 litros e mais de mil cv e limitaria a aerodinâmica. Mas…

    • Livio, acredito que vc já sabe e resolveu postar só p/ tirar uma onda (só pode ser) mas, o número de cilindros nada tem a ver com ser “muito melhor” ou “muito pior”. E isso inclui a cilindrada também.
      Só faltou vc dizer que o melhor motor do mundo é o “4100 do Opalão”.
      Cada um…

  • O próximo passo será a vinda dos motores elétricos na F1. Quando chegar no Pit Stop para recarregar as baterias, a Globo insere um “Aventuras do Didi mais um Esporte Espetacular” de duas horas e a corrida recomeça depois do almoço, com o término do churrasco entre as equipes e os pilotos de barriga cheia. Aposto que a Ferrari vai dar as baterias alcalinas só para o Alonso…

  • Se a maioria do povo se informasse mais, com certeza o nível de besteira postada iria ser bem menor, comparações ridiculas de motores AP com turbo com estes de F-1, que apesar de pequenos serão tão potentes quantos os antigos V10 e V8, só não terão o mesmo ronco e barulho, mas em questão de emoção, velocidade e tempo nada será alterado, talvez até para melhor.

    Em 2012 eles já serão Bi-combustíveis, provavelmente etanol, daí já se ganha um pouco a mais de potência, fora o uso do Kers e outras tecnologias que serão implantadas para melhor desempenho, devem ter uns 700/800 cv por “limites de segurança” e se soltassem a cavalaria destes motores novos iriam bem mais.

    Vai ser legal pois todas as montadoras vão desenvolver motores novos com o mesmo tempo e não como agora a Cosworth já entrou em desvantagem tendo que usar o ano inteiro equipes como laboratório de desenvolvimento e também consequentemente abrindo espaço para quem sabe retorno das antigas montadoras e novas como a VW vindo como Audi ou Porsche.

  • De fato a Formula 1 vai se aproximando da realidade. Só falta colocar uns 20 radares em cada pista para punir o excesso de velocidade (podiam contratar a CET dar consultoria de algumas “armadilhas” que -não- vemos por aí, que tal?).

    Abç´s, Flávio.

  • Que merda, o legal da F1 é a potência descomunal e o ronco maravilhoso dos motores V8, e o Bernie Olho Roxo deve ter ficado com o cérebro também roxo e afetado com essas medidas do F1 com motor 4 cilindros, se ao menos fossem turbos. Existem outras medidas para se baratear a F1.

  • Pense rápido em automobilismo. O que lhe vem a mente? Um ronco de motor..

    Motor é o coração, é o som, é a paixão.

    Gerações se apaixonaram pela Fórmula 1 e seus “berros”, seus concertos clássicos com instrumentos de 12 e 10 cilindros.

    Teremos agora apenas 4, e de pouca capacidade…

    A F1 hoje pode até se aproximar da sustentabilidade, mas cada vez mais se afasta da paixão.

  • Dizem que carro japones não quebra, logo o motor também não. Já que a Honda e a Toyota saíram, estou disposto a fazer uma barganha: dou o motor do meu Suzuki Baleno 1.6 16v para a Lotus B (já que é lá do mesmo continente) na troca de um AP 2.0, seria uma maneira da Suzuki participar da F1.

  • esses caducos da fia so se preocupan com as regras eo show do q adianta fazer tudo isso se as pequenas nao tem vez .o regulamento tecnico tinha q ter a venda d equipamentos de uma equipe para o q teria acontecido este ano se a hrt tivesse o chassi da maclarem e motor ferrari eo cambio da willians e a eletonica da red bul