SENNA EM LIVRO

SÃO PAULO(todos lá!) – O brother Rodrigo França lança na semana que vem uma obra importantíssima sobre Ayrton Senna e a mídia. Segue abaixo o convite, extensivo a todos os blogueiros. Vai ser na segunda-feira, dia 20, no Garage Burger (av. Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello, 1.501, Vila Prudente, São Paulo).

No ano que Ayrton Senna completaria 50 anos a editora AutoMotor lança o livro “Ayrton Senna e a Mídia Esportiva”, de autoria do jornalista Rodrigo França, que estudou a relação do piloto com a imprensa. O automobilismo é o foco do livro, que observa a importância do mito e ídolo Ayrton Senna e o papel da mídia na construção do herói e a necessidade de fomentar esta imagem.

Segundo França, que trabalhou no “Jornal da Tarde”, na “Folha de S.Paulo” e atua como jornalista especializado em automobilismo, “é a cobertura jornalística da carreira de Ayrton Senna que representa o melhor exemplo da estreita relação entre a mídia esportiva e sua necessidade de ídolos”.

Por meio de depoimentos de diversos profissionais da área jornalística e acadêmica, análise dos jornais, revistas e reportagens de TV da época e atuais, o livro tenta desvendar esta relação entre o jornalismo e o herói.

“A forma como sua imagem permanece mítica em nossos dias, e nisso a participação correta na área social, por meio do Instituto Ayrton Senna, mostra que o tema permanece atual”, acredita o autor.

O livro “Ayrton Senna e a Mídia Esportiva” terá lançamento em São Paulo no dia 20 de dezembro e é o primeiro de Rodrigo França e da Editora AutoMotor, de Reginaldo Leme. O comentarista de F-1 da TV Globo também assina o prefácio. As fotos inéditas de Senna são do experiente Miguel Costa Junior, que cobre F-1 há mais de 30 anos.

Comentários

  • Boa, Julius, Senna era muito ifnerior a todos esses caras, não fosse a Globo, ninguém lembrava dele! Senna era inferior a Mansell também, mas teve sorte que em 1991 a McLaren estava tinindo e a Williams tinha problemas… os Sennistas falam que a Williams era melhor, mas só foi nas últimas corridas, e inclusive no japão a mclaren era melhor!!!!! senna é inferior a vettel, a lewis hamilton, a gilles villeneuve, a uma galera!!!!! Repito, sem o galvão, ele talvez fosse um gugelmin!!!!!!!!

  • Amigo Guilherme,

    Realmente ele se preocupou com Erik Comas em 92 não tanto como em 90 quando bate propositalmente em alta velocidade em outro piloto arriscando a vida dele.

    Na minha opinião é diferente pilotos arriscando a própria vida em meio a carros pegando fogo para salvar outro piloto, ainda mais no caso de Purley alem do fogo a corrida não parou mas… Como diria meu pai caum caum!!!

    E como já falei antes herói é coisa de revista em quadrinhos…

    Obs: A vida de Erik não dependia do Senna… Mas de Peterson, Lauda, Williamson e outros dependia de outros pilotos (minha opinião).

    F1 Roger Williamson
    http://www.youtube.com/watch?v=LWbYjgSTyvk&feature=related

    Ronnie Peterson Monza Italy 1978
    http://www.youtube.com/watch?v=wGq-fLNz7YA&feature=related

    Niki Lauda crash… 1976
    http://www.youtube.com/watch?v=gp2i5-hfgok

  • De fato isto foi um fenômeno. Um piloto comum, ou melhor, um piloto bom, mas muito inferior a nomes como Prost, Piquet, Schumacher até mesmo Alonso. Senna conseguiu junto à mídia, transparecer uma imagem de um Chico Xavier, onde na verdade foi um piloto bom, que errava demais e só venceu 3 campeonatos porque teve carros imbatíveis !

    Vamos acordar galera !

  • Finalmente a verdade será revelada! Senna, através de acordos financeiros e similares, usava a imagem (leia-se Globo) para parecer o “gente boa”, o “sofrido”, o “ser humano” o que “se importa” com os outros…

    Tudo mentira. Vergonha! E esse livro vai mostrar a verdade, que FG sempre mostrou, o cara era bom mas teve milhares melhores, e Schumacher, nem se compara!

  • Tentei postar como resposta ao comentário do MBC mas não deu então coloco aqui…

    Verdade MBC, mas fabricar herói Vende!!! E para ter um herói tem que se fabricar vilões também…

    Eu vi a mesma matéria no SPORT TV e na GLOBO no GP Brasil desse ano. A mesma reportagem, uma entrevista com Schumacher… Na Globo “Schumacher continua o mesmo antipático” No SPORT TV “Schumacher fora de sena mais simples e simpático”. Sendo que na globo não mostrou a parte que ele falava com carinho de Massa…

    O Galvão por exemplo nunca vai falar que Schumacher é um embaixador da UNESCO, que doa milhões para caridade e que em um GP do Brasil dando uma entrevista uma cadela vira lata feia toda cheia de sarna pulou na perna dele, ele sem nojo fez carinho nela, se apaixonou pelo cusco levou para o veterinário, depois para seu quarto de hotel e levou a cadela para morar com ele em sua casa na Suíça. Mas vilão vigarista não faz essas coisas não é?

    Sou contra essa coisa de herói isso para mim é coisa de revistinha do homem aranha… E se é para classificar como ato heroico na F1 não da para citar alguém que queria ganhar no esporte, todos estão lá para isso. Ato “Heroico” foi David Purley tentando tirar Roger Williamson em 1973 do carro em chamas.

    Mas vou ler esse livro espero que tenha uma visão mais realista do que o filme.

  • O bruno senna (sim minúsculas) disse q a f1 é consativa e injusta… COM CERTEZA!! pq pra um cara com currículo dele, ter roubado a vaga de centenas que dedicaram a vida inteira na expectativa de um dia estar lá, e ainda se achar no direito de reclamar que é cansativo, é porque este circo é realmente muito injusto… aliás como disse o poeta: – Se o mundo fosse justo eu seria um grande ator!

  • A assessoria minimiza a importância do Regi para o jornalismo esportivo brasileiro ao qualificá-lo de “O comentarista de F-1 da TV Globo”.
    Ele é muito mais do que isso. É um cara especial, jornalista dos melhores, apresentador, colunista, entusiasta, estimulador de novos talentos.
    É um especialista em corridas.
    No mais, parabéns ao Rodrigo França.

  • CORRIGINDO: HEROI. O SENNA NUNCA SE ENVOLVEU EM MARACUTAIAS, DESENVOLVEU INUMEROS PROJETOS SOCIAIS, CRIOU UMA FUNDAÇÃO, AGORA O OUTRO, SÓ ARRUMOU CONFUSÃO E INIMIGOS POR ONDE PASSOU,, ESCANDALO DO NELSINHO,AGORA ESSA DA FEDERAÇÃO CEARENCE DE AUTOMOBILISMO,, POR QUE SERÁ,QUE NINGUEM ESCREVE LIVROS SOBRE ELE O ETERNO TROFEU LIMÃO. E PORTUGUES A9INDA POR CIMA

  • Tá bom, a imprensa brasilera idolatrava e a emissora oficial inventava, ou manipulava…
    Mas é fato que Ayrton era ídolo no Japão e Europa (de pilotos agora lembro de Hamilton e Irvine por exemplo que se inspiraram em Ayrton). O que dizer disso? Hã?

    Espero não fomentar rija véia e sem sentido.

    Boas festas a todos!

  • Flávio,
    Devo ter uma disfunção crônica, pois desde pequeno, nunca precisei de heróis, mitos ou algo assim. Não tenho nenhum sentimento patriótico quanto ao Emerson, Piquet, Senna, Pelé e outros brasileiros que se destacaram. Gosto do automobilismo e de cada característica específica de cada piloto, sendo que a nacionalidade não importa. Eram palavras compartilhadas com o Ciro Cayres, quem visitava quase todas as semanas até a sua morte.
    Abração
    Luiz

  • Hummmmm… mais um livrin, tem que falar tudin, será que fala que o gajo ficou sem correr querendo aumento? …que era enjoadin e não cumprimentava ninguem? pior de tudo é que era malufista, mas isso eu nem falo aqui de jeito manera ara!

  • Conheço o Rodrigo há um bom tempo e já trabalhamos juntos.
    Para mim ele faz parte da turma do “faz o que gosta” (que é um pouquinho mais do que “gosta do que faz”), e tenho certeza de que esse livro é um trabalho impecável; reforçado com as fotos “obra de arte” do Miguelzinho e da editora escolhida, que é do ramo.
    Parabéns ao Rodrigo!
    P.S.: não estou babando ovo de ninguém aqui – tudo isso é fato.

  • Senna era um baita cara “mascarado”, na frente das câmeras(da Globo) se fazia de bom moço, mas por trás, tem um histórico de confusões nunca visto com outro piloto, Senna deu soco na cara de um jornalista, em um golpe muito BAIXO Senna tentou prejudicar o emprego do R.Leme na Globo. Certa vez Senna também foi mal educado com uma tradutora e em outra ocasião ignorou outra jornalista, mas o que deixou a mesma indignada foi que “segundos” depois Senna abria enorme sorriso na frente das câmeras da Globo! Senna agrediu fisicamente fiscais de pista, agrediu também vários pilotos deste os tempos de Kart até a F1, no circo agrediu: De Angelis, Mansell, Irvine, também arrumou confusão com Piquet, Prost, Schumacher e até com Hakkinen, e o mais bizarro, certa vez Senna pegou um mêcanico da Mclaren pelo colarinho!!! Que vexame!!! Até com a FIA Senna arrumou confusão, e o que dizer da piada de mal gosto que Senna fez ao dizer em canal aberto:”mulher no volante perigo constante”, pegou mal aqui no Brasil, quando chegou ao aeroporto, várias brasileiras foram tirar satisfação! Senna também arrumou confusão com uma locadora de automóveis, ao fazer junto com Galvão uma brincadeira de carrinho bate-bate, portanto não respeitou as regras de trânsito fora do Brasil! Dentro das pista, também jogava sujo, fazia trapaças na pista: MON/85(jogou sujo para garantir a pole),AUS/87(freios irregulares),BRA/88(pegou carro reserva quando não era permitido),IMO/89(quebrou acordo com Prost, ou seja, jogou sujo),JPN/89(cortou a chicane), JPN/90(jogou o carro no Prost), e se procurar acha mais. Esse lado NEGRO ninguém lembra do “herói” nacional, lembrando que Galvão certa vez, desceu a ripa no Raikkonen porque o mesmo empurrou um fiscal de pista: “Isso é muito feio Raikkonen, esportista não pode fazer isso”. E ainda o Galvão diz que Senna era exemplo de boa condulta…

    E ainda tenho que ouvir o narrador mala questionar a ética e o caráter de pilotos como Schumacher, Alonso, Hamilton! Eles podem até ter “aprontado”, mas no geral igual ao Senna, não chegam nem perto, principalmente fora da pista! Schumacher mesmo, nunca precisou agredir ninguém, muito pelo contrário, fazia questão de dividir as vitórias no pódio apontando com o dedo para toda a equipe dividindo o sucesso, os mecânicos sempre foram tratado com respeito. Com os jornalistas o alemão pelo que vi até hoje, nunca criou confusão, alguns o criticaram pela postura “fria”no início, mas ele estava apenas sendo profissional, Schumacher não queria saber de papo furado, se tinha feito grandes amigos ou se a vida era colorida na F1. Schumacher sempre foi ponderado ao abrir a boca, muito diferente por ex: de Rubinho que geralmente fala besteiras, sempre criando confusão.

    Por favor não me venham com a “conversinha” que Senna era humano por isso errava, ou que as emoções falavam mais alto, o que Senna fez foi vergonhoso, errou VÁRIAS vezes! Humano é o Piquet que deu uns sopapos no Salazar, caso isolado na carreira! E o que dizer da atitude de Piquet fazendo reciclagem para recuperar a carteira de motorista, belo exemplo que muitos brasileiros ignoram preferindo ir pelo jeitinho brasileiro, sempre tentando fugir da responsabilidade! No caso do Senna, agrediu fisicamente, perdeu a razão!

    • Por óbvio Senna nunca foi santo, aliás, como qualquer ser pensante que já habitou o planeta terra.

      Ocorre que tu ocupa tua cultura automobilistica, de enciclopédia diga-se, para querer “torrar” o cara de graça. Ridículo.

      Tua opinião tem dois pesos e duas medidas (propositadamente) visto que, se bater no Salazar seria, digamos, “HUMANO”, as “agressões” supostamente praticadas pelo Senna, na tua linha de raciocínio quanto ao Piquet, também o deveriam ser.

  • e bem fácil contar histórias de vida de pessoas como o Senna. Difícil é ter uma narrativa brilhante sobre o assunto…

    Agora com certeza teremos as melhores palavras e as melhores histórias!
    As pessoas envolvidas neste projeto felismente fazem jus ao nome e ao tema..
    Certamente uma unica palavra á eles…

    Sucesso!!