ESTRADAS, MODO DE USAR

SÃO PAULO(vale muito a pena) – O vídeo é da segunda metade dos anos 70. Oficial, do regime militar, ensinando as pessoas a dirigirem na estrada. Quem mandou foi o Zé Rodrix. Cliquem aqui para ver, é legal pacas. Não consegui “embedar”, mas é bárbaro. Os carros, então… E colorido. Por essas imagens a gente tem uma ideia de como eram superficiais as preocupações com segurança 30 anos atrás. Tem cada absurdo…

Comentários

  • Carros coloridos, roupas legais, músicas de qualidade, ruas com poucos bandidos…senão EM dava um modo de sumir com essa raça ruim. Interessante como as coisas mudaram, será mesmo que neste tempo as coisas eram tão ruins com alguns falam? “Bicho grilo” daquela época ou da atual. Honestamente, queria ter vivido naquela época…Brasil, ame-o ou deixe-o!

  • Periga eu estar nesse filme, no colo da minha mãe em alguma cena da minha querida Curitiba dos anos 70.
    Me chamaram atenção duas coisas extremamente comuns na época e hoje absurdas: o pai fumando dentro do carro com janelas fechadas e a criançada leve e solta no banco de trás. nada de cadeirinha nem cinto.
    Alguém pode confirmar se a narração é mesmo do (saudoso) grande ator Francisco Milani?

  • O filme tem uma falha técnica que os mais atentos vão perceber: existem tomadas mostrando o motorista e sua esposa no Passat. Notem que as janelas laterais estão fechadas e o carro não tem teto solar. O que explica os cabelos dançando com o vento? Os produtores retiraram o parabrisa para instalar a câmera e evitar reflexos – deveriam baixar os vidros laterais para disfarçar.

  • O video não é ruim, só está desatualizado. Crianças soltas no banco de trás, fumar dentro do carro, passageiro sem cinto, etc.

    Aquelas ultrapassagens do protagonista parecem as que se vê todos os dias por aí, só que a diferença é que o protagonista tem um Passat TS e as que se vê por aí é Gol 1.0. As tentativas de ultrapassagens do protagonista são perigosíssimas, pois põe em risco a vida da propria familia só para ganhar 10s na viagem.

  • Legal o vídeo! Lembra aquele do acampamento NR. E os carros? Bonitona a moça também…
    Engraçado o pessoal criticar as falhas do vídeo. Sei lá. Eu prestei mais atenção na fala do que nas imagens. Hoje em dia os carros são cheios de frescura e siglas, mas os motoristas esquecem de dar a seta.

  • Pessoal q, como eu, odeia o IE: não tem jto mesmo!!!
    Desde q versão anterior o blog já apresentava graves problemas de layout no FF e creio q nos outros navegadores tb.
    No caso do FF instalem o complemento IE Tab Plus!
    É o unico jeito!Fazer o q né?
    Enquanto a porcaria da M$ mandar, não há muito o q fazer, infelizmente!

    • Rodrigo, estou há uma semana me segurando pra não comentar achando que é só comigo, mas os comentários e o layout do blog todo estão uma zona por aqui. Vídeos em Flash não aparecem deixando apenas o espaço em branco, ou aparecem uns nos lugares dos outros; faz uns dias que há um banner entre o título e o texto do primeiro post que é um YouTube do Tim Maia… caos total.

      E os comentários, então, já me deixaram ainda mais louco. Clicar para mudar para a página 2 mostra os mesmos comentários da página 1 até que recarregue a página com ctrl + F5, sem contar que não há mais o link para ler todos os comentários em uma única página (adorava isso) desde as mudanças no visual do blog.

      Aparentemente, no IE as coisas funcionam bem, o que só me dá vontade de chorar no cantinho. Sou viciado no blog do Flavio Gomes, mas nem mesmo ele vai me fazer usar o navegador da Micro$soft em vez da raposa incandescente.

      Flavio, abusando explicitamente de sua boa vontade em nome de todos os leitores que devem estar sofrendo do mesmo problema, peço que veja com o pessoal técnico do iG se tem algo que possa ser feito seja do lado do blog ou dos leitores. Desde que não seja usar o IE, que seria o mesmo que ter uma estrada que só funciona bem para Honda Civic.

    • Eu uso o Opera e a única coisa que acontece “errado” é mudar a página dos comentários e aparecer os mesmos comentários. Também gostava quando podia ver todos os comentários numa página só. Será que o ig não consegue voltar essa funcionalidade?

    • Acho que fui o primeiro a reclamar da porcaria que virou a arquitetura e a “amigabilidade” do blog, uso o IE e está uma porcaria também, ficou deplorável o campo comentários e acho que a baixa quantidade dos comentários está nisso, imagina um post de 1000 comentários, quem vai ficar folheando 50 páginas , uma a uma e que ainda por cima se embaranham todas, vc abre a página e quando vai abrir a seguinte abre a mesma e aí vira um samba do crioulo doido, resultado: vc lê o post e deixa de fazer o comentário pois não terá saco para ler depois os comentários dos outros blogueiros e internautas, mudança para pior com certeza!!!!

  • Curitiba na década de 70, calçadão da rua das flores, praça zacarias, trevo do tarumã, saída para São Paulo, parada no antigo hotel iguaçu campestre hoje hospital vita. Em direção a SP vemos a serra do mar do lado direito, na volta a familia passa novamente pelo trevo do tarumã em seguida pela ponte da atual av. Afonso Camargo até chegar em casa. Muito legal os carros da época etc……

  • Narração do saudoso Francisco Milani, um dos grandes locutores publicitários que já tivemos, além de inesquecível ator.

    Belo filme, numa época em que o governo ainda reservava uma graninha para essa finalidade.

  • Muito legal! Este vídeo foi feito em Curitiba, minha cidade, e conheço todos os lugares que aparecem, foi muito divertido relembrar como era a cidade.
    Divertido, também, foi ver como antes de falar sobre o cinto de segurança todos estavam SEM CINTO, e depois todos aparecem de cinto. Mas tenho certeza que mesmo sem cinto morriam, proporcionalmente, muito menos pessoas naquela época do que hoje, ou não, não sei, estou chutando, alguém sabe?

  • Olha só, é Curitiba! Rua XV na altura do bondinho e Palácio Avenida, Pç Zacarias, Mal. Deodoro, BR-116 (em péssimo estado, desde sempre)… Até que não estão muito diferentes de hoje.

    E curti o TS, lindão!

  • meu pai disse: que saudades dessa época… o vídeo foi gravado em Curitiba, deu para identificar vários pontos da cidade, Rua XV, Praça Zacarias, Trevo do Tarumã, prédio do antigo DNER, hotel onde hj eh o Hospital Vita, Viaduto do Capanema, Av. Visconde de Guarapuava, nossa! nostalgia pura!!! hahahaha

  • Maravilhosa Curitiba dos anos 70 e de Paulo Leminski.
    No início do vídeo a Rua das Flores, com o bondinho e o Palácio Avenida. Depois aparecem a Praça Zacarias e a Av. Marechal Deodoro.
    O trevo da estrada é no Tarumã, onde hoje existe o viaduto da BR 116 (atual Linha Verde). Dá para ver o prédio do DER e o Colégio Militar. O castelinho branco era um hotel e hoje é o Hospital Vita, na mesma BR 116.

    Belíssima recordação…. da cidade e do Passat TS…

    • O castelinho branco a que se refere, era o antigo Hotel Iguaçu Campestre que nessa época era o “top” da cidade, inclusive a seleção quando vinha pra cá, se hospedava ali.

  • Muito legal o vídeo e nenhuma menção ao limite de 80 km/h, uma medida de carater econômico tomada em 1976, devido à crise do petróleo na época. Na mesma época o mesmo limite foi adotado pelos EUA, Alemanha e Holanda. Nos países europeus a velocidade voltou ao “normal”, em torno de 130 km/h, mas no Brasil ainda continuamos com o ridículo limite de 80 em boa parte da estradas. Duvido que esse limite ajude a reduzir os acidentes pois fazem os motoristas ficar mais tempo na estrada e mais sonolentos e distraídos devidos ao tédio de estar quase parado. O novo código elevou o limite para 110 km/h, mas aqui no RS a velocidade continua limitada, com exceção de algumas rodovias de duas mãos que onde elevaram o limite para 100 k/m. É interessante lembrar que o trecho da BR 101 que vai de Porto Alegre até Osório foi originalmente feito para uma velocidade de 120 km/h e com os carros da época… Quando será que poderemos andar a velocidades razoáveis nas estradas do Brasil?

  • Bom, 1970 não é o ano do filme, no mínimo 1975/76, Passat ts, caravan…o legal é ver o sujeito sem cinto e o carro, ts, já tinha o de 3 pontos. Saudades do meu Ts 77, carrão!! Aliás, justiça seja feita também ao maveco v8 73 e um opala 74 transformado para 80 com 250-s convertido a álcool!! 3 km por litro na cidade mas uma delícia que subia o ladeirão ao lado do shopping Riosul (rj) em 3a ganhando velocidade. Me arrependo até hj de vender meu comodoro 92 6 cilindros, 5 marchas. Devia ter arrumado uma vaga pra ele, 9 mil em 2004 reais é muito pouco e agora só tem carro acabado ou de “colecionador” querendo preços absurdos…

    • outro dia em outro post alguem comentou sobre um suposto 250 R- explico: os monoblocos do opala foram divididos assim: 15- caravam, 69- 4 portas e 87- 2 portas. os acabamentos: P- comodoro, Q- diplomata que tambem foi R, os motores: 4 cilindros 150 com tuchos hidraulicos e 15l S com comando esportivo e truchos mecanicos e alguns cavalos à mais. 6 ciolindros: 250 com tuchos hidraulicos e 250-S com comando esportivo e tuchos mecanicose tanmbem alguns cavalinhos à mais, (vendi muito esse kit para os opalinhas 4 e 6 cilindros a alcool original de fabrica, ficava bom pacas), os motores eram vermelho normal e azul os “S” e amarelo alcool, depois unificou tudo para cinza em 88, e isso poupou o emprego de alguns funcionarios da GM, pois todas as sobras de tinta eram misturadas e viravam o cinza que dava cor aos motores gerando economia e garantido empregos
      Meu dipllo 87 automatico fazia 2,5 km/l, mas mesmo assim tenho saudades dele e do 6×2 berrando a 3000 giros nos tuneis da imigrantes, não precisava de buzina. voltando: o que o cara deve ter visto e pela metade foi: opala 250 R15,69 ou 87. Flavio sei que não tem nada a ver com o post mas aproveitei o gancho do marcelo que comentou sobre opala para esclarecer.

  • putsgrila!!!
    teve que a mulher assumir a direcao para o homem colocar o cinto de seguraça?? ehehehe
    e ele fumando entao??com os vidro fechados??
    ahahahahha anos 70..
    sensacional o video!!
    mas vamos a duvida!!!
    qual era a rodovia??
    fernao dias??? e a moto fazendo a ultrapassagem??? fumacinha azul??
    ehehe

  • anos 70, sem radar, sem pedágio, sem carros 1000, sem drogados, sem neuróticos, sem gps, sem internet, quando viajar era “in loco” e até os “domingeiros” eram mais concientes e todos mais solidários com o próximo !!!

  • O Passat não deu seta nenhuma vez. Nem quando saiu do acostamento para a estrada.

    O pai da familia fumando com a janela fechada e a fumaça indo na cara dos guris.

    Todos os carros com sobrepeso ( corcel 1 com a traseira quase no chão hahaha. )

    Lindo caminhão Scania. fazem anos que não vejo uma chave de seta dessas que pisca na ponta.

    • exatamente isso que voce comentou, e a alavanca do,manequim voce reparou? (alavanca que serve para alinhar ou rear a carreta), e os dois caminhões da superpesa, belos montros. aquele motorista de scania que estava sinalizando a estrada, estava meio na pista meio no acostamento que tinha espaço para acomodá-lo, portantyo não era tão copnciente assim.

  • É uma propaganda oficial, mas não deixa de ser igual aos comerciais antigos. :)
    “…Antes de sair faça uma revisão completa. … Não, não era bem essa revisão.” hehe
    O locutor é o Francisco Milani, não é?

    O problema talvez seja mesmo de educação.

  • Vídeo produzido no Paraná, por volta de 1975 (idade sugerida pelo Passat TS). Todas as imagens iniciais são de Curitiba. Aparecem a rua das Flores (poucas mudanças para hoje), Praça Zacarias, Av. Marechal Deodoro e o atual trevo do Tarumã (na época sem o viaduto que passa sobre a Av. Vitor Ferreira do Amaral), uma das vias usadas para se chegar ao Autódromo de Pinhais. O local onde as pessoas param para ir ao banheiro é um hospital hoje em dia (dá para reconhecer pela torre), Hospital Vita, distante uns 2 km do trevo do Tarumã. As estradas não consegiu reconhecer, mas pelos pinheirais mostrados num trecho do filme, deve ser todo rodado no Paraná, com algumas estradas em duplicação.