COM CAPOTA

SÃO PAULO(veremos) – A FIA não faz essas coisas por acaso. Divulgou hoje um vídeo, coisa raríssima, com um estudo sobre o uso de uma proteção para o cockpit de monopostos. Uma carlinga, como dos aviões. Foram testados dois materiais. Aquele usado em caças resistiu bem a um pneu a mais de 200 km/h. O vídeo é bem impressionante.

Vale lembrar que tais estudos começaram a ser feitos em 2009, depois do acidente de Massa em Budapeste e da morte de Henry Surtees na F-2, atingido por um pneu.

As vozes contrárias alegam que uma “capota” dificulta a remoção de um piloto em casos de acidente. OK. Mas pensando assim, ninguém deveria correr de carros de Turismo, por exemplo. Que têm capota e portas. Os protótipos de Le Mans são bons exemplos de carros com cockpit coberto. A Audi, por exemplo, cobriu seus pilotos pela primeira vez nas 24 Horas. E dois deles sobreviveram a acidentes impressionantes.

E vocês? Gostam da ideia de carros de F-1 com carlinga? Aliás, se tiverem um nome melhor que carlinga, que é feio pacas, podem sugerir.

Comentários