MENU

quinta-feira, 17 de novembro de 2011 - 16:31F-1

INTERLAGOS, 1972

SÃO PAULO (eu estava) – Desconfio que já postei vídeos do GP do Brasil de 1972, o primeiro de todos, mas nunca é demais lembrar. Aliás, o Victor Martins, em seu blog, vai fazer um top 10 das provas disputadas no país. Para todos os efeitos, essa corrida do dia 27 será a 41ª da categoria no Brasil. Foram realizadas 38 pelo Mundial, desde 1973, e duas extra-campeonato, essa de 1972 e uma em Brasília.

Faço a mesma pergunta que ele: quem de vocês esteve nessa de 1972?

18 comentários

  1. Walter - Poa RS disse:

    Eu estive lá.

    Fomos, de Porto Alegre, eu e um amigo numa variant (frente alta) da minha mãe e outro amigo com a esposa num fuca.

    Uma viagem legal por um motivo nobre, assistir a primeira corrida de F1 no Brasil, hoje isto não tem preço, aquela foi a primeira.

    Depois da corrida fomos para o Rio.

    Depois assisti, “in loco” mais duas uma em Buenos Aires 74 e de novo em São Paulo 75, mas neste evento eu mora em São Paulo, não precisei viajar.

    Bons tempos, quando os riscos eram poucos e alegrias eram muitas.

    Abraços

  2. luiz alberto disse:

    O triste é ver o que fizeram com aquele traçado e esta ridicula pistinha de hoje,a mando de estranjas mataram nosso melhor autodromo e junto com ele gerações de pilotos exepicionais que nele eram formados,Não acreditam???? Então quantos pilotos realmente vencedores surgiram no pais após a destruição deste traçado que esta no video???? Traçados mediucres só formam pilotos medianos e nada mais.

  3. João Carlos Bifulco Gomes disse:

    Eu também estava lá.
    A Lotus quebrou a suspensão na minha frente.
    Cena inesquecível.
    A Lotus roda na subida dos boxes, os pneus descrevem um “oito” no asfalto, Emerson pára atravessado e levanta o braço direito, uma BRM se aproxima velozmente, “balançando”, procurando espaço, a arquibancada silencia. Vai ter porrada!
    Mesmo com o carro torto, Emerson acelera e indireita a Lotus, a BRM passa gritando, e aí a arquibancada hurra, emocionada. Jamais vou esquecer!

    Bons tempos!

  4. Dionisio disse:

    Eu estava lá ! Nessa época a F1 era um evento muito especial, principalmente para nós meninos que estavam começando no kart. Ninguém dormia , passávamos a noite em Interlagos circulando de lá pra cá. Nós tínhamos uma base, um caminhão estacionado no Sargento que servia de arquibancada na hora da corrida. Vinha gente de todo o Brasil, da Argentina, do Chile, do Peru que ficavam acampados no retão desda quarta-feira. Nesses primeiros anos de F1 Interlagos recebia 200.000 pessoas , os preços dos ingressos eram reais e todos os pilotos eram ídolos. Bons tempos…

  5. Marcio Lisboa disse:

    Flavio
    Se não me engano esta prova foi em uma 5feira santa, saímos do Rio em um onibus alugado pelo pessoal do 2 cientifico do São José (Marista) na 4feira á noite, o transito estava um horror (tinha havido uma explosão na Refinaria Duque de Caxias) viajamos á noite toda e fomos direto para o autodromo, a corrida foi ótima, só ruim pela quebra do Rato, bem em frente a nós e ver um argentino ganhar a prova. Bons tempos.

  6. Roberto Fróes disse:

    Eu estava lá, é claro! Devo ter fotos, depois vou procurar.
    E eu lá ia perder o que talvez fosse minha única oportunidade de ver a Formula 1 ao vivo?
    Depois continuou, mas, em 1972, ninguém tinha certeza.
    Estava com meu irmão, meu tio e dois primos pouco antes da entrada dos boxes, exatamente onde o Emerson quebrou a suspensão da Lotus e rodou. Engraçado, os pneus da época faziam uma fumaça preta!
    Fui embora no ato, não esperei para ver o Reutemann ganhar. E me dei bem, pois não peguei engarrafamento algum!
    Deu pena ver a rodada!
    Assim como deu pena ver o Peroba sair lá atrás, com aquele March esquisito.
    Poucos dias depois, a Lotus estava no Rio de Janeiro, em exposição no Estádio de Remo.
    Eu trabalhava com o filho do diretor do estádio, o que me permitiu ver toda a exposição antes e depois da entrada do publico. É claro que me sentei na Lotus, no Opala do Pedro Vitor de Lamare, e em vários outros carros expostos.

  7. Olavo disse:

    Eu também estive. Fiquei nas arquibancadas, e o Emerson rodou na minha frente. Faz tempo…estava com 13 anos. Lembro que saimos de casa de madrugada, pra ir com os amigos, nos encontramos na praça da liberdade, compramos uns presunto e pão numa merceria ao lado da catedral, descemos até a praça da Bandeia e pegamos o Rio Bonito (ou era pequeno ?).
    A volta é que foi um transtorno. Me lembro que cheguei em casa umas 10 da noite pois ficamos presos no trânsito (com o onibus lotado) umas 4 horas.
    Depois neste mesmo ano fomos ver os 500 Km de Interlagos (que foi bm mais light) e a noite fiquei de cama com Rubéola.

    []s
    Olavo

  8. JCMATTIOLI disse:

    Eu estive lá e, no treino, no auge dos meus 19 aninhos e junto com meus primos paulistanos, ‘invadi’ os boxes — que era coisa fácil de se fazer naquela época — e tive a cara de pau de perguntar ao Zé Carlos Pace como funcionava o câmbio “seco” de um F1. Pacientemente ele me explicou que o câmbio era semi-seco… etc… etc… etc… Ah, também não me esqueço da figura da mulher do Ronnie Peterson, de vestidinho vermelho e branco, cronometrando para ele, bem ao meu ladinho. É verdade, a Fórmula 1 era muito mais bacana….

  9. luiz ovidio boro disse:

    tinha 21 anos muita ilusao, vontade de ter um puma gte,e como se fala aqui em barretos em relaçao a festa do peao daqui…EU FUI…..

  10. Gustavo Monasterio disse:

    Flavio, eu não estava lá porque morava no Rio. Mas vi ao vivo na TV Telefunken P&B lá de casa que ainda funcionava a válvula!
    O narrador, salvo engano era o Tércio de Lima, e ele chamava o saudoso Geraldo José de Almeida, que era o Galvão Bueno da época (sem os defeitos do Galvão).
    Ambos narravam futebol, e tinham suas particularidades. Na hora do gol o Tércio ficava em silêncio. Era mais ou menos assim.. Vai Gerson, pé esquerdo! …. …. Botafogo 1 a 0!
    Já o Geraldo, forçava os erres (como pode ser ouvido no vídeo), e acho que o Galvão copiou isso dele. Além disso, quando a bola quase entrava, o bordão era: “Por pouco pouco pouco, muito pouco, pouco mesmo!!!”
    Lembro que tinha 7 anos e assisti a copa de 70 com a narração do Geraldo. Tô ficando muito velho!!

  11. Eduardo disse:

    Estive e assisti a corrida na saída da curva do Sargento, com boa visão da Ferradura, Laranja, final do Retão e curva do lago.
    O mais interessante é que essa prova foi em um dia de semana, 30 de março de 1972, uma quinta-feira.

  12. sérgio castro disse:

    39 anos atrás, eu e meu pai….”gira mondo”

  13. Nerot disse:

    Eu estava lá com 12 anos no barranco sobre o laranja e a ferradura, meu pai me levou na kombi de carga da firma sem o banco do meio, fiquei muito triste quando apareceu o Reutman na freada do final do retão e não o Emerson. Meus amigos nem sabiam o que era a Formula 1, que eu acompanhava pela radio Eldorado AM aqui no Rio, aos domingos.
    PS. FG vc é muito bom, parabéns.

  14. Anarquista disse:

    Bem, se ficar dependurado naquela placa do morro do Bardahl contar (11 anos de idade e grana curta…), então eu estive lá!
    Nos outros anos já fui mais safo: pulava o muro da favela, entre a junção e a entrada do miolo, depois que a corrida começava. Depois era uma correria só até a arquibancada de cimento. Bem, era eu e um monte de gente, em grupos, aproveitando que os policiais a cavalo ficavam assistindo a corrida.
    Bons tempos…

  15. Alvaro Ferreira disse:

    Eu estava lá! Tinha 19 anos, me mandei do Rio com meu Fuscão pela Dutra, dormi na casa de amigos em SP e cedinho de madrugada fui de ônibus pro Templo. Me instalei no barranco do velho Retão e fiquei lá babando com o ronco dos F-1 passando na minha frente a 250 km/h. Até hoje não sei a razão, mas as Brabhams do Reutemann e do Wilsinho faziam um barulho diferente dos outros Cosworth, era um som mais grave…
    Inesquecível, mesmo com o abandono do Emerson saí feliz demais de lá. A primeira de tantas…

  16. andersson brandao disse:

    Flavio,o gato do barrichello parece que não vai cair do telhado ,o Petrov acabou de chutar o pau da barraca, eu vi no uol, e, se o Petrov cair, a experiencia de barrichello pode pintar por lá, pois dois jovens na equipe não é o foco para 2012 disse eric burlier e dois brasileiros na equipe ;barrichello e senna pode facilitar a entrada de patrocínio forte do brasil por lá .O que você acha Flavio????/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>