“NÃO CUMPRA”

Foto enviada pelo Twitter. Se alguém souber quem é o autor, avise que coloco o crédito aqui, claro.

SÃO PAULO (aplausos de pé) – Ricardo Boechat, âncora da Bandnews FM e da TV Bandeirantes, fez um desabafo histórico na rádio, ontem, sobre o caso Pinheirinho. Ouçam aqui. Se não abrir, tem aqui também. Aproveitem, neste último link, para ler os comentários nazistas de alguns moradores de São José, que deixam qualquer ser humano decente deprimido.

Impecável. Boechat é o maior jornalista do Brasil hoje. Corajoso, sincero, honesto. Que não teme sequer eventuais represálias de sua empresa, conhecidíssima por lamber o saco dos governos paulistas há anos e por suas posições conservadoras e anacrônicas (quem já ouviu os patéticos editorias da Rádio Bandeirantes sabe do que estou falando; aliás, trabalhei lá quatro anos e sei como é). Justiça se faça à emissora, porém, no caso específico de Boechat. Acompanho seu trabalho quase diariamente e ele aparentemente tem liberdade para se expressar como bem entende. Não trabalharia na casa, se fosse diferente.

Boechat diz com todas as letras ao governador do Estado, sobre a falácia da adorável frase “decisão judicial não se discute, se cumpre”: “Não cumpra, governador”.

Ouçam, mas ouçam mesmo. Uma aula de dignidade e um murro na cara da imprensa em geral, que vem escondendo muita coisa por preguiça, ou má-fé. E também na cara de tanta gente que se manifestou de forma deprimente nos comentários dos últimos posts. Sejam corajosos e ouçam. E aqueles que forem capazes de discordar de uma vírgula sequer devem se olhar no espelho e procurar entender quando foi que viraram monstros.

Subscribe
Notify of
guest
377 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
CLEBER
CLEBER
5 anos atrás

so para avisar a o boechat que os militares so passam para a reserva remunerada após 30 anos não 25.

Renato
Renato
9 anos atrás

Monstro é você, Flávio GOmes, que por ser socialista e idolatra da Ilha e de Stallin, defende que invasão não é crime.
Eu quero o seu endereço para me apossar de um dos seus carros.

Juvenal Jorge
Juvenal Jorge
9 anos atrás

Ué ? defender a honestidade e querer colocar bandido na cadeia é retrógrado ?
Que planeta estaremos nós ?????

Pereira
Pereira
9 anos atrás

Olá, Flavio! Não sei se já te responderam à duvida sobre a frase na camiseta, pois não tive fígado para ler todas as “sábias” defesas da violência sob o manto da preservação da sagrada propriedade, mesmo que o proprietário a tenha por meios difusos. A frase flagrada está na terceira linha do poema Tabacaria do Pessoa: http://www.insite.com.br/art/pessoa/ficcoes/acampos/456.php
Parabéns pela defesa da cidadania, sempre! São cada vez mais escassos os espaços em que jornalistas o fazem. Uma abraço do Pereira!

José Roberto
José Roberto
9 anos atrás

Flávio, concordo em partes com o Boechat, mas ele, vc, e tantas outras pessoas não podem esquecer que, independente de pertencer ao Naji Nahas, bancos ou qualquer outra pessoa, trata-se de uma área invadida sim, portanto, os invasores devem ser retirados do local. Os policiais apenas cumpriram ordens e não tem autoridade para deixar de cumpri-la. As pessoas que estão lá são espertas sim, mas não no sentido de ser inteligentes, mas sim no sentido de ser pretender levar vantagem em determinadas situações. Trabalho com algumas construtoras e, participei de algumas negociações para desocupação de terrenos, para que as construtoras pudessem iniciar a construção dos empreendimentos, e, por incrível que pareça, as “vítimas”, recebem, em média, 200 mil em casas que não valem 15 mil. Estas pessoas, que estão em um terreno que não lhes pertencem, não são espertas?
O problema vai muito alé de cumprir ou não cumprir, de despejar ou não despejar, o problema é cultural, a mentalidade do povo brasileiro tem que mudar. Enquanto as pessoas só se preocuparem com o jogo de futebol, carnaval e levar vantagem, as coisas continuarão da forma que estão.

Carlos Everardo Silva
Carlos Everardo Silva
Reply to  Flavio Gomes
9 anos atrás

PARA O JOSÉ ROBERTO:

“Me diz o que um esperto faz morando no Pinheirinho?” (RICARDO BOECHAT)

Que vantagem uma pessoa tem morando no Pinheirinho? Quem morava no Pinheirinho estava lá porque não tinha para onde ir.

E sim, Flávio Gomes, é possível que alguém pense assim. E é justamente porque existem malucos desse tipo que partidos como o do Sr. Geraldo Alckmin sobrevivem.

José Roberto
José Roberto
Reply to  Carlos Everardo Silva
9 anos atrás

Maluco para mim é uma pessoa que defende uma coisa que está errada! Se vender um imóvel que não vale 15.000,00 por mais de 150.000,00 não é ser esperto, não sei mais o que é! O cara vende pq sabe que uma ação de reintegração de posse vai demorar mto, e é mais rápido para o proprietário do local fazer um acordo.
Agora Flávio, se vc defende realmente este pensamento, me dá o endereço da garagem aonde vc guarda seus carros, vou entrar em um deles e dizer que vc tem mto dinheiro e não precisa dele, então eu vou ficar com o carro pq não tenho!

José Roberto
José Roberto
Reply to  Flavio Gomes
9 anos atrás

Quanto a isso Flavio, pode ficar tranquilo.

José Roberto
José Roberto
Reply to  Carlos Everardo Silva
9 anos atrás

Carlos, quem foi que falou para vc que eu voto no Alckimin ou em algum partido. Para mim são todos da mesma laia, todos ladrões corruptos e o povo brasileiro fica revoltado por dois dias mas, basta começar o campeonato paulista, brasileiro ou carnaval que todos esquecem!
Acho engraçado tb as pessoas metidas a revolucionárias, com as contas bancárias gordas, filhos estudando nos melhores colégios particulares, planos de saúde com tudo que tem direitos, viagens ao exterior, coleções de carros, mas gostam de dar lição de moral.
Quero ver se o terreno invadido for do Sr. Flavio o seu, se o pensamento será o mesmo, se ficarão revoltados!
Repito, o problema do Brasil é outro!

Wellington
Wellington
Reply to  José Roberto
9 anos atrás

é por esse tipo de comentário que eu tenho vergonha de ser brasileiro e principalmente paulista.

José Roberto
José Roberto
Reply to  Wellington
9 anos atrás

Wellington, agradeço todos os dias por não ter nascido aqui, assim não preciso ter vergonha!

Antonio
Antonio
9 anos atrás

Caro FG,

Vê este link: Decisão do STJ indica que havia outra saída na disputa
http://www.conjur.com.br/2012-jan-27/decisao-stj-indica-outra-saida-disputa-pinheirinho

ana db
ana db
Reply to  Antonio
9 anos atrás

Decisão do STJ indica que havia outra saída na disputa
“Uma ordem judicial não pode valer uma vida humana.” A afirmação do ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (hoje aposentado), consta de decisão tomada pelo tribunal em agosto de 2009, na discussão de um caso idêntico ao do bairro Pinheirinho, na cidade de São José dos Campos (SP).
A decisão do STJ indica que a reintegração de posse do Pinheirinho, feita pela Polícia Militar de São Paulo no domingo passado (22/1), não era a única alternativa para resolver a disputa judicial travada em torno da propriedade do terreno que há oito anos foi ocupado por famílias de baixa renda. No julgamento de um pedido de reintegração de posse do terreno onde hoje há o bairro Renascer, em Cuiabá (MT), o STJ decidiu que o emprego de força policial para a retomada da área poderia ser a medida necessária, mas não era a mais adequada.
Os ministros tomaram a decisão em um pedido de intervenção federal no estado de Mato Grosso feito pela massa falida da empresa Provalle Incorporadora, dona da área de quase 500 mil metros quadrados onde nasceu o bairro na capital de Mato Grosso. Como em Pinheirinho, a empresa obteve na Justiça estadual, em 2004, a ordem de reintegração de posse. Mas a ordem não foi cumprida pelo então governador Blairo Maggi — hoje senador pelo PR. E o STJ deu razão ao governador.
Leia a íntegra do acórdão e do voto do ministro Fernando Gonçalves
INTERVENÇÃO FEDERAL Nº 92 – MT (2005⁄0020476-3)
RELATOR: MINISTRO FERNANDO GONÇALVES
REQTE: PROVALLE INCORPORADORA LTDA – MASSA FALIDA
ADVOGADO: MICAEL HEBER MATEUS
REPR. POR: POLIDORA DE MÁRMORES GOIÂNIA LTDA – POLMATGO – SÍNDICO
UF: ESTADO DE MATO GROSSO
EMENTA
DIREITO CONSTITUCIONAL. INTERVENÇÃO FEDERAL. ORDEM JUDICIAL. CUMPRIMENTO. APARATO POLICIAL. ESTADO MEMBRO. OMISSÃO (NEGATIVA). PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE. PONDERAÇÃO DE VALORES. APLICAÇÃO.
1 – O princípio da proporcionalidade tem aplicação em todas as espécies de atos dos poderes constituídos, apto a vincular o legislador, o administrador e o juiz, notadamente em tema de intervenção federal, onde pretende-se a atuação da União na autonomia dos entes federativos.
2 – Aplicação do princípio ao caso concreto, em ordem a impedir a retirada forçada de mais 1000 famílias de um bairro inteiro, que já existe há mais de dez anos. Prevalência da dignidade da pessoa humana em face do direito de propriedade. Resolução do impasse por outros meios menos traumáticos.
3 – Pedido indeferido.
http://www.saraiva13.blogspot.com/

Claudio
Claudio
9 anos atrás

O Boechat, principalmente na Bandnews FM, é o melhor ancora do jornalismo hoje, é ótimo ouvir ele. Ele chegou até a reclamar da própria manchete que seus colegas estavam fazendo, por ser chapa branca demais.
Agora o pior desse caso é ouvir agora do prefeito de SJCampos que vão construir casas pros desalojados… primeiro expulsa, depois vê o que faz…

Rodrigo SJC
Rodrigo SJC
9 anos atrás

Na boa! Estou cansado dessa história!!! Entrei no Grande Premio para me distrair e vejo mais Pinheirinho!!! É muito facil falar de abuso dos direitos humanos quando se está a centenas de quilometros de distancia!!! Eu que moro a menos de um quilometro de distancia posso dizer o que vi: vandalismo!!! Atearam fogo a 2 escolas, 1 biblioteca e 14 carros alem de 1 onibus! E querem que eu tenha dó!!!!!!