MENU

Saturday, 1 de December de 2012 - 23:59#69, Classic Cup

IN MOGI (2)

A marca registrada do Velo Città. Foto Dyonysyo Pyerotty

SÃO PAULO (esgotado, mas feliz) – Faltou piloto ao Meianov hoje. É a conclusão a que cheguei assim que terminou nossa primeira corrida no Velo Città. Que foi muito legal, um sucesso mesmo. Eu poderia colocar aqui uma interminável lista de agradecimentos, mas ia ficar chato. Já mandei e-mails para todos. Os que se empenharam além da conta para fazer essa corrida acontecer sabem quem são. E entre eles estamos nós, claro, os pilotos e integrantes das equipes.

Foi no dia 11 de outubro que fui ao Velo Città pela primeira vez, a convite do pessoal da Mitsubishi, para conhecer o autódromo. E em menos de dois meses fizemos tudo. Até a hora de alinhar nossas 23 jabiracas no grid para fazer um barulho danado e encantar todo o pessoal que lá estava para disputar mais uma etapa da Lancer Cup e para um “track day” com outras jabiracas mais encorpadas — esses Evo do capeta com seus milhares de cavalos que dão até medo quando viram a chave.

Mas eu dizia que faltou piloto, porque guiei mal pacas, culpa da esbórnia da noite anterior no Koxixo, histórica casa etílica de Mogi Guaçu, noite cheia de brindes por conta da corrida, do evento, da presença do Guiga Spinelli e da Bia Figueiredo conosco — ele, um dos maiores pilotos de rali do Brasil; ela, uma das maiores pilotas de qualquer coisa do mundo —, das histórias do Eric, da notícia que chegou de um prêmio aí.

O fato é que não acordei na minha melhor forma, física e moral, nem café da manhã tomei. Vesti o macacão e fui direto para a pista. Mas não serve como desculpa, não. Guiei mal, ponto.

Largamos precisamente às 12h18 com um sol de rachar lichia, e foi a única coisa boa que fiz na corrida, a largada. Larguei bem, como de hábito. Sou considerado um dos três maiores largadores do mundo na atualidade. Passei, sei lá, uns 20 carros. Mas na freada para a curva 1, no terceiro macaquinho, quando me preparava para passar outros 20 por fora, levei um encontrão na porta que, putz, quase me transferiu de Guaçu para Mirim (está logo nos primeiros segundos deste vídeo, tomado de dentro do Passat do Depret). Foi o Gol do Rafa Gimenez que deixou tinta na minha lateral. Depois da corrida foi lá explicar que errou uma marcha, entrou ponto morto, não deu para frear e pimba.

O momento da batida na largada. Foto Dyonysyo Pyerotty

Mas tudo bem, essas coisas acontecem em largadas, ainda mais para quem, como eu, sempre parte no pelotão da merda absoluta, depois de 15°. Desta vez, estava em 16° no grid. E a largada foi parada, não em movimento. Depois coloco vídeos. Preciso editar. Amanhã acho que consigo.

Se eu fosse um piloto-mimimi, poderia dizer que essa pancada me desconcentrou e tal. Picas. Fiquei meio puto porque deixei de passar um monte de gente por fora, uma estratégia brilhante sobre a qual refleti longamente por uns quatro segundos antes de dormir na madrugada anterior. Mas isso de desconcentrar é cascata. Estava concentradíssimo para não fazer nenhuma besteira, cuidando dos instrumentos, procurando não travar minhas rodas traseiras nas freadas (o que aconteceu várias vezes), tentando não errar marchas e acertar o traçado, olho no carro da frente para estudar onde dava para passar… Numa corrida não dá muito tempo para essas viadagens de “desconcentrar”.

Aí, rodei miseravelmente (adoro “miseravelmente”, já disse isso) na segunda volta, perdendo mais duas posições, para uma Brasília e um Zé do Caixão. Foi na curva da entrada dos boxes, cheio de gente no terraço vendo, uma vergonha da porra. Mas me estabilizei, e nas seis voltas seguintes andei muito perto do Puma laranja do Suero e do Passat vermelho do Depret. Perto mesmo, diria até que foi uma briga em certo sentido, até rodar miseravelmente, de novo, na volta 9. No mesmo lugar. A primeira rodada, no começo da corrida, me custou uns três segundos, só. Voltei rápido. A segunda, mais de 10 segundos. Um perfeito paspalho. Perdi o contato com os dois e fiquei deprê. Na sequência, menos de um minuto depois, rodei outra vez, numa curvinha tinhosa de segunda marcha. Mais 10 segundos para o saco, e por conta deles perdi a posição, que já não era lá muito animadora, para um carro amarelo que aparentemente estava entregando pizzas na cidade.

Vá à merda, um piloto assim.

OK que o Meianov tem o hábito de piorar ao longo de uma corrida, ainda mais com o calor que fez hoje, a pressão dos pneus subindo barbaramente, saindo de frente, essas coisas. Mas piloto tem de saber lidar com as dificuldades, e não fazer cagada uma em cima da outra. Ainda saí duas vezes na grama, depois das rodadas. Fui mal pra cacete, em resumo, e devolvi o carro todo sujo e esculhambado.

Mas a corrida foi boa, excelente, excepcional. Nos receberam muito bem, o pódio foi bonito, ganhamos salvas de prata (os cinco primeiros de cada categoria; 15 dos 23 ganharam salvas de prata; eu ganhei salva de palmas e olhe lá) e ainda almoçamos na linda área usada para os pilotos da Mitsubishi. O resultado completo está aqui. Na geral o vencedor foi o Luque, de BMW, da nossa equipe, a LF. Ele levou a Divisão 2, com Carlos Braz em segundo e Antonio Chambel em terceiro, ambos de Passat. A Divisão 1, a minha, claro que era a que tinha mais carros: dez. Assim, chances reduzidas de pódio. Terminei em sétimo, na vitória do Cristiano Canto (Fusca), com o Rafa Gimenez (Gol) em segundo e o Erick Grosso (Fiat 147) em terceiro, depois de uma excepcional recuperação — ele estava atrás de mim no grid, vocês vão ver depois nos vídeos. Na Divisão 3, vitória do Reinaldo Hernandez (Maverick), com João Peixoto (Bianco) em segundo e Waldevino Paiva Jr. (Puma) em terceiro.

Terminei em 15° na geral e pretendia protestar os resultados dos 14 primeiros. Ia inventar uma mentira para cada um, como ultrapassagens sob bandeira amarela, manobras bruscas com o sol na minha cara, asas-móveis escondidas, controles de tração, uso de canetas-laser por torcedores para me incomodar, peso excessivo ou reduzido, combustível irregular, estava tudo pronto para levar os protestos à torre, mas meu advogado não encontrou a torre e, assim, aceito o resultado final, conformado com minha desgraça. Que só não foi completa porque ganhei um presentinho.

Prêmio por ter sido considerado o piloto de Lada mais simpático do evento. Foto Dyonysyo Pyerotty

85 comentários

  1. RafaZ says:

    Bom dia Gomes,

    desculpe mas não consigo acreditar que a panca foi “sem querer”!
    As evidências estão aqui:
    http://youtu.be/KYWksaulscU?t=1m25s
    E aqui:
    http://youtu.be/9jrBCqQ8MVw?t=8m26s
    Ambas no canal do Klebão!
    Ele obviamente atrasou a largada, só acelerando pra valer depois que você o passou.
    Abraço!
    obs.: Já coloquei o link do youtube no momento certo pra não perder tempo procurando.

    • Flavio Gomes says:

      Não fala merda. Que que tem que ele usa o canal do motoqueiro? Eles são amigos, uai. E o Rafa corre conosco há anos. Acho um desrespeito qualquer insinuação nesse sentido. Que bobagem. Não misture as coisas. Esse é o problema de todo mundo hoje em dia: ver coisa onde não tem nada. E sair por aí espalhando teorias sem pé nem cabeça. Minha questão com o rapaz da moto não tem nada de pessoal, nem sei quem ele é, nunca o vi, nunca falei com ele. Apenas considero que o que ele faz é errado e tem de ser punido antes que mate alguém, ou se mate. O fato de ele ser um babaca no trânsito (e é só disso que se trata; o que ele é ou faz na vida pessoal não me desperta o menor interesse) não faz com que todas as pessoas que o conhecem sejam, também. As relações humanas são muito mais complexas do que isso. O Rafa é amigo do cara, não tem mal nenhum nisso. É meu amigo, também. E daí? As pessoas são livres para pensar, agir e fazer o que bem entendem, desde que não coloquem em risco a vida dos outros. No caso da batida do Rafa na largada, foi um acidente de corrida puro, acontece aos montes.

      • RafaZ says:

        Gomes, não era minha intenção ser desreipeitoso, contigo ou com o Rafa. Não estou aventando teorias, só expondo minha opnião à respeito do ocorrido, assim como você o faz. É óbvio que o cara pode ser amigo de quem quiser, e mais óbvio que pode ser tanto amigo seu como do maluco, não era isso que estava colocando em meu comentário.
        Somos livres para pensar como quisermos, e eu o fiz. Me senti na liberdade de fazê-lo já que o acompanho há alguns anos.
        Abraço!

  2. Thiago says:

    Parece que o cara do gol13 tinha motivos pra bater em voce.
    Da uma olhada No video postado pelo vulgo tiozao kle621 no youtube, aquele mesmo que voce mostrou aqui no blog meses atras!
    Os comentarios contra a prisao dos motoqueiros do outro post tambem sao os mais desagradaveis possiveis.

  3. Malarciano says:

    Pena Flávio.. não foi “dessas” vez que o meianov chego lá..
    kkkkk..seus textos é sensacional..
    Parabéns Flavião, e boa sorte nas proximas.

  4. donisete MOGI GUAÇU says:

    bom dia! Flavio gomes será que a Mitsubishi irá construir arquibancadas num futuro próximo p/ acompanharmos as corridas no velo città,Flavio, KOXIXO e o bar de um senhor simpático que trabalha com sua família e atende a todos com maior carinho ao qual já estive e o ambiente realmente muito bom ,vc pelo visto tomou a cachaça como entrada depois vários chopes. Parabéns pela divulgação de MOGI GUAÇU no seu blog.

  5. Danilo Cunha says:

    O Rafinha postou o vídeo dele. no canal de um velho amigo seu.

    http://youtu.be/O_NFF-lXtN4

  6. Lio Campos says:

    Eu gosto de Marketing e de divulgar os patrocinadores e tenho que elogiar esta foto 1) a modelo linda 2) sua roupas de bom gosto e discreta 3) e belo presente pacotão ( pensei que era um Panetone Gigante ) 4) dando à todos participantes até quem não largou rsrsr consideração da Mitsubishi 5) O desenho da pista atraz muito muito bem feito 6) Até o Flavio saiu MUITO MUITO bem na foto …incrível o que fotografos profissionais conseguem fazer …Eu mandava enquadrar …de verdade …bela lembrança …
    Parabéns a todos da Mitisubishi

  7. Zé Pedro says:

    Grande aventura Flavinho!
    Parabéns a todos os intrépidos pilotos e suas incríveis máquinas da Classic Cup!
    Legal conseguir realizar um evento desse nivel, num lugar tão sensacional… A união e o trabalho de todos foi recompensada.

    Abração

  8. ALEX B. says:

    Ta bem na foto, hein Gomov? Pô, morena de gabarito! Quanto a falta de piloto…pobre MEDIANUEV!!!

  9. gera says:

    Se beber não dirija.

  10. marcelo says:

    cara de ressaca…kkk…..passava no bafometro???….já o piercing da morena só perde para as placas dos macacos..muito legal

  11. Paulo fonseca says:

    Prezado Flávio Gomes,
    Corrida de Mogi, Rapaz você acabou de tirar o brevê para patinete e rema-rema, foi mal , já pode dirigir carrinho de feira . O circuito pelas imagens que você mostrou é simplesmente maravilhoso, tem uma sequência de curvas em descida, lembra muito o tobogã ou carrocel de Laguna Seca.

  12. Mauricio says:

    Mas valeu a pena por conta da morenaça que te entregou o prêmio.
    Só não precisava ter acendido tanto alanterna na foto.
    rsrsrsrsrsrsrsrsrs……

  13. Bira Martins says:

    O evento não foi aberto ao público?

  14. Marcelo says:

    Amigo Flavio,
    Sei que não é o tema do Post, mas quero parabenizar o amigo pelo prêmio Ford ACEESP 2011 na última sexta-feira. Estava ouvindo a premiação ao vivo na Estadão ESPN…
    E o Loreto não leu seu discurso rsrsrsrs…
    Flavio, comecei a ler suas colunas em 1993 (putz, é o 20º ano que lhe acompanho), e aí foi Warm-up, Grandeprêmio, JP, Band, Lance, ESPN, Estadão ESPN, Blog do Gomes etc…
    Flavio, eu indiretamente acompanhei sua “escalada” e sei o quanto você lutou para chegar onde está, inclusive usou de muita lisura, honestidade e caráter.
    Tenho muito orgulho em lhe acompanhar e você é minha referência (através dos sites) em automobilismo.
    Um grande abraço,
    Marcelo

  15. Christian Alves (@chrisalves88) says:

    Romain Grosjean, veio pra se vingar do FG, deu uma pernada nele, pra nunca mais escrever mal dele. rsrs

  16. rafael says:

    Flavio correndo na minha cidade e bebendo no meu bar favorito.Volte sempre.Mogi Guacu, Guacu para os intimos e nao mogi ( mogi e mogi mirim) te recebera sempre de bracos abertos. ps. meu irmao que te mandou a camiseta do guacuano te manda um abraco!!!!

  17. Fabio Prodocimo says:

    Volante de bêbado não tem dono.

  18. Jr. says:

    Velho, que PORRA isto tem a ver com o post???

    Sai pra lá, reinaldete azevedete!!!

  19. John McClane says:

    Pergunta idiota pro FG, mas lá vai: quando acontece de alguém bater em seu carro, como aconteceu, a conta da funilaria vai pro cara? Cada competidor paga a sua? Seguro? Sempre quis saber isso. Abs!!

    P.S.: Sem maldade, mas que você bem gostou de tirar a foto com a morena, gostou!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *