MENU

Wednesday, 5 de December de 2012 - 23:46Arquitetura & urbanismo

OSCAR

SÃO PAULO – Em 104 anos de vida dá para fazer muita coisa. Mas não dá para fazer Brasília, Curitiba, Niterói, Copan, Memorial da América Latina, Ibirapuera, Oca, Argélia, Paris, ministérios, fábrica de biscoitos, igreja, panteões, caminhos, hotéis, casas, edifícios, hospitais, marquises, catedrais, parques, centros culturais, mesquitas, praças, auditórios, pontes, passarelas, sambódromos, rampas, universidades, colégios, terminais de ônibus.

Um só não faz tudo isso, nem se viver mil anos. Só se for um louco, louco o bastante para transformar o que é reto em curva, sonhar uma cidade-monumento e erguê-la, imaginar espaços vazios cheios de graça, beleza e arte.

E ateu. Ateu o bastante para crer que nada mais há depois da morte, então que se faça tudo em vida, e Oscar Niemeyer fez. Recusou-se a morrer por 104 anos, porque eternidade é uma falácia, melhor não contar com ela.

E assim foi, mas felizmente nisso Oscar estava equivocado. A eternidade há, não para seres vivos como ele, que uma hora pifam, disso ninguém escapa, mas para aquilo que seres vivos como ele são capazes de deixar. Assim se vive eternamente: deixando algo.

Oscar Niemeyer passou 104 anos desenhando e construindo a eternidade. Conseguiu.

143 comentários

  1. claudio viana says:

    Esta imagem esta sendo estampadas nos Micros-Onibus Executivo da Viacao TCB tem outras tambem. Onde sera que consigo estas imagens? Os onibus ja estao em circulacao na linha 165.Agradeco quem puder me informar por email. [email protected]

  2. Ana Carlota says:

    Vejam esse link: http://www.youtube.com/watch?v=aZ1yoKcaAT0&feature=BFa&list=PL9E779415F4B01A64
    Parece que, em algum momento, o cara russo que está sendo entrevistado deixa bem claro qual era a função do arquiteto e professor Oscar para a causa do comunismo. Agora entendo a firmeza ideológica do grande Oscar. O sonho socialista nunca morrerá, comrades!

  3. Mozart says:

    O Chico Buarque ainda tem guardado os projetos de uma casa, que Niemeyer fez nos anos 50 e deu de presente para o Sergio Buarque ( pai do Chico)
    A casa nunca chegoiu a ser construída, mas Chico conta que guarda numa pasta todos os papéis originais….imagine que tesouro…!

  4. ricardo garcia says:

    Flavio Gomes, sou leitor assíduo do seu Blog há alguns anos.Parabéns pela sensibilidade usada em seus textos, aqui mais uma vez comprovada nessa homenagem a Oscar Niemeyer.Como paulistano e torcedor da Lusa, nos anos 80, quando vi o Edificio Copan pela 1ªvez,fiquei admirado pela beleza deste que é um dos simbolos da cidade de SP.

  5. Fábio Mandrake says:

    Bela e justa homenagem Flavio!Meu pai trabalhou com Niemeyer na Argélia entre 1967 e 1970 no projeto e construção da universidade de Constantine, tenho inúmeras fotos da época aqui em casa.Meu pai só voltou ao Brasil pq eu nasci em 1970, e quase nasci em Alger, mas por receio de minha mãe.Meu pai a levou a Paris onde vim ao mundo.Logo depois meu pai decidiu mesmo voltar ao país, onde depois foi responsável pelo projeto e cálculo do vão central da ponte Rio – Niteroi.Ah e sei pelo que meu pai me contava que em Constantine ele dirigia um Renault Gordini e Niemeyer andava de DKW.Uma curiosidade é que o arquiteto tinha medo pavoroso de avião e naquela época foi de navio para a Argélia…Imagino o tempo que levou..

    R.I.P Oscar

    Abraços Flavio

  6. Charada says:

    Era ateu, não acreditava na existência de Deus. Era comunista, será que acreditava na existência do capeta? Mas como ele mesmo disse:nascer=início, morrer=fim. Acabou!

  7. Danilo A. says:

    O Iluminismo, com sua convicção na necessidade de erradicar as misérias humanas aqui e agora, perdeu um de seus mais prolíficos netos.

  8. Oscar Niemeyer foi único, e outro igual há ele nunca mais! Na verdade o Oscar Niemeyer foi o nosso Da Vinci da arquitetura moderna e mundial.

  9. Ricardo Bigliazzi says:

    Nada mais nada menos do que um “Oscar” para Niemayer.

    O Brasil ficou mais pobre…

    Imperador

  10. Ptolomeus II says:

    Flavio, o melhor disso tudo é ver Reinaldão e as Reinaldetes desesperadas tentando desqualificar a obra do Arquiteto e seu posicionamento político, é de rir..rsrs..coisas como “imprensa comunista”, “mst matou cristo”, “a abolição foi um erro dos esquerdopatas em 1888” e coisas parecidas são ditas por essas cópias mal feitas do imbecil Paulo Francis (se ele ja era , imagine as cópias, Reinaldão, Olavinho e Dieguete)..kkkkkkkk

  11. Eduardo Britto says:

    O Memorial de América Latina aqui em SP sempre me desagradou tanto (deserto num país tropical) que acabei pegando implicância com esse arquiteto. Um pouco por isso, dos três que morreram quase na mesma semana (Niemeyer, Joelmir Betting e Décio Pignatari), foi o que me comoveu menos.

  12. Rovilson says:

    Grande arquiteto. Ótima homenagem FG.

  13. carlos lima says:

    Excelente post, emocionante, parabéns Flavio, Bravo!

  14. Eduardo_SC says:

    A importância dos projetos fica em segundo plano quando se compara o que ele fez como cidadão.

  15. Banana Joe says:

    O pessoal está confundindo as coisas.
    Não sou especialista, sou apenas engenheiro e também arquiteto por formação acadêmica.
    E arquitetura via de regra é o predomínio da forma sobre a função. a beleza estética e a originalidade tem aqui muito valor. Do contrário teríamos cidades estéreis com edifícios quadrados, monocromáticos, construídos para serem o mais baratos e cômodos possíveis. Não deixa de ser bom, mas perde a graça, da mesma forma que um designer da Ferrari a faz não apenas para ser veloz ou confortável, mas para ser bela e admirada.
    Quanto a custos e valores, repito, precisaríamos ser especialistas, mas nesse caso o arquiteto pouco faz. Quem constrói é quem paga. E se é ético ou não, devemos cobrar destes e não daquele que apenas fez o projeto.
    O Oscar não era santo, nem infalível, nem gênio da luz ou das trevas, nem nada dessas frescuras, era apenas um arquiteto, um artista de talento e originalidade formidáveis.
    Um cara que pensou fora da caixa (literalmente) a vida toda.
    A ele e a todos os poucos outros que assim levam a vida nossas homenagens.

  16. Ricardo says:

    Como arquiteto, um excelente profissional, talentoso, inovador e criativo. Como ser humano, igual outro qualquer.

  17. Marcelo D says:

    Estive trabalhando com alguns mexicanos esses dias em Brasilia. Claro que os levei para ver as criações de Niemeyer. Ficaram embasbacados, extasiados. “Como pode ser, projetar isso nos anos 50!!”, diziam. O homem era um gênio, mas nós brasileiros nos acostumamos tanto com ele que nos esquecemos da sua genialidade. Precisou uns mexicanos fazerem me lembrar disso de novo.

  18. Disseste que foi um dos 5 maiores brasileiros de todos os tempos. Quais seriam os outros 4? Curiosidade…

  19. Romeo Nogueira says:

    Sábias palavras, FG.

  20. Luke says:

    Lindo texto, Flávio. O melhor que li até agora. E tu nem és arquiteto… talvez por que a obra dele transbordou das pranchetas e do meio acadêmico e impressionou o povo, os leigos, as pessoas comuns, como a obra do verdadeiro artista sempre faz. Entrou para o imaginário popular. Faz parte da cultura inconciente da humanidade. Vá em paz, Mestre. E obrigado por ter sido brasileiro!

  21. Jorge Luiz says:

    Texto, como sempre, muito coerente e oportuno. Não entendo nada de arquitetura, mas, com certeza ele foi um dos grandes desta arte. Também não sou exemplo de cristão, mas, como todos que creem em Deus, tenho certeza que este Deus está fazendo falta a ele neste momento.

  22. Obama says:

    Flavio,

    Às vezes discordo dos seus textos (principalmente posições políticas) e cheguei a achar muito tênue a linha que divide a sua irônia com a falta de educação, mas tenho que admitir que vc escreve bem pra caralho (não somente esse post).

    Parabens!

  23. Bruno Maia says:

    PUTA texto FG, bela homenagem!

  24. Acarloz says:

    Admirado internacionalmente, um gênio, independente de preferências politicas jamais será esquecido.
    Belo texto FG .

  25. Luiz says:

    Bonita homenagem, FG!

    Putz, depois de perdermos o Millor e o Chico Anysio, ainda ficamos sem o Niemeyer… será que era disso que os maias estavam falando?

    Bom, pelo menos as formas lá no Céu ficarão mais bonitas e elegantes a partir de hoje!

  26. luiz almeida says:

    Pode até ter sido genIo! Mas mamou muito nas tetas de varios governos, Desenhou obras públicas suntuosas e desnecessárias , que custaram carissimos aos cofres públicos.

  27. Luiz Coimbra says:

    Lindo de ver, uma merda pra usar.
    Na próxima vida o Oscar podia lembrar que pras curvas femininas não basta beleza. Precisam também de um elevado grau de aconchegância. E isso falta muito aqui em Brasília. O cara que falou aí em cima da UnB tá certo. Lá é lindo, rende ótimas fotos, mas lá você estuda e pega uma sauna ao mesmo tempo. Fora que pode ter que caminhar 1 km (sério!) entre uma aula e outra.

  28. marcos says:

    como todo bom comunista sempre levou o nada a lugar nenhum…

  29. Valter Troiano says:

    Nada contra o ser humano Niemeyer,cada um é livre para escolher uma religião ou um partido politico,que descanse em paz,mas sera que sou apenas eu que acho suas obras horrorosas?

    • Maurício Freitas says:

      Eu até acho várias das obras muito bonitas, especialmente o Palácio da Alvorada.
      A Catedral de Brasília, vista à noite ilumionada, quando avistada para quem sobe a avenida que chega até ela, é simplesmente deslumbrante, pelo impacto visual que causa.
      Porém, já li várias críticas no sentido de que tais obras, pelos materiais utilizados, são verdadeiras estufas.
      A única obra do Niemeyer em que entrei foi o prédio do Superior Tribunal de Justiça em Brasília. É muito bonito, mas nada funcional para quem caminha nele. Anda-se muito, mas muito mesmo para se ir de uma sala a outra e parece que lá não tem vida, como de resto é a mesma sensação que tenho quando vou a Brasília. A cidade é ampla, mas de tão ampla a impressão que se tem é que é deserta e, ao menos para mim, chega a ser angustiante. Sempre brinco que para atravessar a rua em Brasília, tem que se tomar um ônibus.
      Neste aspecto, porém, a culpa deve ser do Lúcio Costa, que foi o urbanista.
      Outro detalhe que me foi detalhado por engenheiros civis, é que as obras de Niemeyer eram estupidamente dispendiosas, devido às formas que exigiam estruturas caríssimas de concreto armado.
      Em se tratando da bolsa da viúva, o custo é um detalhe irrelevante.

  30. Jorge Dias Lage says:

    Um texto tão inspirado quanto as obras arquitetônicas de Oscar Niemeyer.

  31. Denilson Maciel says:

    Bela homenagem, parabéns pelo texto Flavio

  32. Miguel Direito says:

    Parabéns pelo seu belo texto.
    Em Portugal Niemeyer é reverenciado como uma referência mítica da arquitetura, arte e civismo.
    O Brasil e o mundo ficaram mais ricos com a sua obra e pessoa.

  33. Tales Ramalho says:

    Texto muito bom. Prá variar.

    Ateu eu também sou. Só não desenho p. nenhuma e não sofro de delírios comunistas.

  34. Rafael Rodrigues says:

    Excelente texto, parabéns!!!

  35. andré margulies says:

    Sobre o cara tudo já se disse e com merecimento. Mas o inicio do seu texto é o epitávio mais do que perfeito. Ele era bom, mas seu texto caiu como uma luva.

  36. Rodrigo says:

    Pena que não construiu os “tilkodromos”… Aposto que faria bem melhor do que aquelas m….* do Tilk e as corridas seriam bem melhores.

  37. Ulisses says:

    Belíssimo texto Flávio!
    Sem nenhuma adulação a vossa pessoa, você não precisa, nem gosta, foi o que eu li de melhor até agora sobre ele após o falecimento.
    Você só esqueceu de dizer que ele adorava as mulheres! Muito! Dizia que, “as curvas que desenho são inspiradas nas montanhas do Rio de Janeiro e nas mulheres”!
    Sem dúvida que foi uma das principais personalidades do Século XX.
    Nesse final de 2012 o Brasil está, sem dúvida, ficando mais burro.

  38. Flávio, a homenagem que nossa agência fez hoje pela manhã ao Oscar tem muito a ver com as palavras deste post. Abs

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=496842630336067&set=a.275508262469506.66414.119386098081724&type=1&theater

  39. Roberto says:

    Aí FG!!
    A Globo te segue no Twitter.
    Olha a matéria do globo.com em que os jornalistas se manifestam.
    Mezzo escriba???? Você é do quilate desses daí.
    http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2012/12/veja-repercussao-da-morte-de-oscar-niemeyer05122012.html

    Jornalistas

    Roberto D’Ávila, jornalista – “O brasil todo está triste (…) Os grandes gênios viveram muito tempo, como Picasso e Miró, mas ninguém chegou aos 104 anos trabalhando. (…) Ele deixou uma grande escola, mas a arquitetura dele não é repetível. Era um homem extraordinário. Ele se precoupava com a questão humana de tudo, ele tinha uma bondade incrível.”

    William Bonner, jornalista, via Twitter – “Brubeck e Niemeyer num intervalo de horas… Não me parece que o mundo esteja esteja em condições de perder o brilho de gênios nesse ritmo.”

    Flavio Gomes, jornalista, via Twitter – “‘Quando olho para trás vejo que não fiz concessões e que segui o bom caminho. Isso é que dá uma certa tranqüilidade.’ Niemeyer. Boa noite.”

    Roberto. Bom Dia.

  40. Nelson says:

    Assino embaixo.O texto é perfeito,e esse foi um dos 10 brasileiros mais importantes.

  41. Roberto says:

    Parabéns pela linda homenagem.
    Como o homenageado, você foi simples, generoso, delicado, detalhista e respeitoso.
    Àqueles que não tiveram a oportunidade de falar com o Oscar fica a lembrança de que humildade se cultiva e distribui.
    Além de todas as obras ficou a lembrança de que devemos tratar todos com respeito e simplicidade.
    Como seu Oscar dizia…
    “Não há nada no céu que possamos fazer.”
    O importante é a vida e este mundo injusto que devemos modificar”
    “Senhor, não! Não chamo ninguém de senhor e então me chame de Oscar”
    Oscar Niemeyer, simplesmente OSCAR !!
    Genial!
    Roberto.

  42. Guilherme Corrêa says:

    Bom…sinceramente lamento a morte do ON e tudo o mais. Porém aos 104 anos já não estava tendo lá uma qualidade de vida digna de se viver. Dito isto vou ser um pouquinho contra a maré de chororô e homenagens ao falecido.

    Ele foi um dos expoentes de sua época e do modernismo. Junto com Lúcio Costa, que ninguém quase nunca lembra ou menciona…projetou BSB. Mas sua arquitetura “parou” por lá. Semiologicamente falando. Ficou naquele tempo. Em todo e qualquer projeto do homem, mesmo os mais recentes, se vê um arquitetura dos anos 50/60. Encontram-se traços de BSB.

    Em conversas entre arquitetos (de renome inclusive) é comum a expressão de críticas severas ao formalismo excessivo do trabalho do Oscar.

    Em pesquisas no exterior ON sempre aparece como sendo o grande arquiteto nacional. Tem algo errado aí.

    Infelizmente a arquitetura nacional ficou carimbada (estou falando de modo geral) com o traço do modernismo. Pena também que não tenhamos conseguido AINDA mostra de forma consistente que existe vida além de ON em nossos projetos. E creiam..existe e de muitíssima qualidade. Digna de exportação.

    Agora o homem morreu e vai virar santo. Aliás de santo nem chegou perto. Seu comunismo de araque não tinha muito pudor na hora de vender suas linhas protendidas para governos. Fossem eles canhotos ou destros.

    Não consigo lamentar a morte de um homem de 104 anos. Seja ele quem for. Portanto…Grande Oscar Niemeyer ..obrigado por tudo, rest in peace, etc etc etc ….mas ó…já vai tarde.

  43. Celso Vedovato says:

    A arte da obra e da vida de Oscar Niemeyer é um sopro eterno

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *