À VENDA

SÃO PAULO (em pílulas) – A organização da etapa brasileira da Indy, marcada para o dia 5 de maio no Anhembi, já colocou ingressos à venda. Os detalhes estão aqui. Os preços são bem mais em conta que os praticados na F-1. E é um bom espetáculo, apesar da precariedade do circuito. Para quem gosta de automobilismo, a “tríplice coroa” paulistana neste ano merece alguma atenção: Indy, WEC e F-1.

Mas melhor que tudo isso será a segunda etapa da Classic Cup, no sábado. Depois passo os horários e outras informações.

Comentários

  • Permito-me discordar de você, Flavio, quanto à Indy. Acompanho automobilismo desde o início dos 70 e sou absolutamente fanático pelo esporte (também ando de kart desde 1976). Mas não tenho conseguido conter o sono quando assisto a corridas da Indy, especialmente em circuitos mistos ou de rua. Além de os Dallara atuais serem horrorosos, as provas são desinteressantes e os pilotos, em geral, inexpressivos. Bons tempos aqueles em que havia vários chassis e motores na categoria, os carros eram bem mais rápidos e os pilotos tinham curricula muito mais ricos.
    Além disso, algumas situações vividas em provas recentes, como os ridículos “engarrafamentos” na primeira chicane em São Paulo e pedaços de asfalto soltando no circuto de Baltimore, traduzem uma certa decadência da categoria, que, a meu ver, teria capacidade de reconquistar público perdido somente se preparasse calendário com maior foco nos circuitos ovais. Se não fosse a Indy 500, a categoria talvez já estivesse morta.

  • Em termos de pista é sim inferior a um circuito de verdade como Interlagos. Mas As instalações pra quem assiste são boas, existem banheiros suficientes e não são banheiros químicos, arquibancadas em concreto/alvenaria, possibilidade de transitar por uma grande área comum, grande facilidade de acesso e etc. Não, não quero Indy em Interlagos. Circuito de rua é mais a marca registrada da categoria.

  • Flavio, olha essa!

    Globo não permitiria Rubinho correr pela Indy em SP, diz Kanaan

    Rubens Barrichello estaria disposto a retornar à Fórmula Indy para disputar o Grande Prêmio de São Paulo, em maio. No entanto, um conflito de interesses com a Rede Globo pode impedir que o brasileiro participe da prova urbana no Anhembi, segundo o piloto Tony Kanaan, amigo pessoal de Rubinho. As informações são do site da revista Autosport.

    “Acho que a emissora não permitiria que ele corresse a SP Indy 300 no Brasil porque há um conflito entre duas TVs”, comentou Kanaan. Em 2013, Barrichello disputa como piloto permanente a Stock Car, cujos direitos de transmissão pertencem à Globo. A Bandeirantes detém os direitos da Indy.

    No entanto, Kanaan acredita que Rubinho poderia ao menos tentar a negociação para poder alinhar o monoposto em São Paulo. “Vamos ver. Se ele tiver a oportunidade (de correr pela Indy), acredito que ele brigaria com o pessoal da TV para ser autorizado. Seria ótimo tê-lo de volta. Fui eu quem o levei à categoria e sinto a falta dele”, destacou.

    Para Kanaan, uma condição para que Barrichello retorne ao grid da Indy seria a competitividade: o piloto, que disputou a Fórmula 1 por 19 temporadas, exigiria um carro capaz de brigar por vitórias. “Se você chamá-lo apenas para participar, ele nem vai atender o telefone”.

    Além de disputar a Stock Car pela equipe Medley/Full Time, Rubinho deve participar de algumas transmissões da Fórmula 1 como comentarista. Pela categoria nacional, Barrichello foi o 25º colocado na etapa inaugural, em São Paulo, no início do mês. A próxima prova será neste domingo, em Curitiba.

    <

    Não entendi'!

    O Barrichello é funcionário(escravo) da Globo ou da equipe que lhe paga o salário?? Quem teria de 'autorizar' não seria sua equipe na Stock Car?

    Que banana!!

  • Ano passado fui em todas. Com o que gastei nos ingressos da Indy e do WEC em áreas nobres, não pagou o setor A da F1.

    O que mais gostei, foi do WEC, principalmente pelo preço (setor E, coberto, de cara pros boxes e vista privilegiada do S, por R$ 120 a INTEIRA). Em seguida a Indy, mas não a corrida em si, mas sim os GTs que correram sábado depois do treino, foi o mais legal do FDS.
    A F1, apesar da corrida memorável que foi, vista das arquibancadas foi bem chato.

    Se você só pretende ir a um desses eventos, recomendo fortemente o WEC, no setor E ou B. No E você tem mais chances de ver toques no fim da reta, mas é dose aguentar as Ferraris reduzindo, viu!