FOTO DO DIA

SÃO PAULO(sobreviva) – Não tenho nada contra o uso de espaços públicos, como é Interlagos, para eventos de natureza diferente daquele para o qual o espaço foi construído. Desde que, claro, a prioridade seja sua função primordial — no caso do autódromo, automobilismo — e que o espaço seja preservado, as coisas sejam feitas com critério.

Neste fim de semana Interlagos recebe o maior festival musicado do país, o Lollapalooza, com quatro palcos espalhados por trechos históricos do autódromo. Mas só um deles na pista, mesmo, no fim do Mergulho. Os demais estão em áreas como o antigo Sol, a antiga Ferradura, o antigo Sargento.

Adoro festivais, acho tudo sensacional e espero que a molecada (e tiozões e tiazonas em geral) não detone tudo. Ao contrário, que aproveite para passear com reverência por aquele asfalto épico e tão importante. Estar numa pista de corrida a pé, num autódromo como Interlagos, é um privilégio.

Daqui a alguns dias estaremos de volta para correr. Cuidem de tudo. E vamos deixar de mau-humor. O Lollapalooza tirou apenas um fim de semana das corridas. E vai render uma grana preta à Prefeitura, além de levar dezenas de milhares de pessoas a Interlagos, gente que nunca foi ao autódromo e, de repente, pode ser tocado pelos ventos sagrados do local. Fazem coisas muito piores lá, que poderiam acontecer em outros locais (como missas campais, corridas a pé, eventos de montadoras), rendem pouco e atrapalham muito mais.

lolapalusa

Comentários

  • Eu fui, e pela primeira vez, pude ver como é o asfalto de que todos falam. Imaginava uma coisa mais compacta, uniforme.

    Ah, se os hectolitros de Skol não me enganam, tem um pouco de asfalto se soltando no Esse, segunda perna.

  • Estive lá, chorei por ter passado do lado de lá da G, fiz questão de percorrer cada trecho que podia, deu até pra imaginar os barbeiros da classic cup com suas marcas no S, enfim, sentir como aquilo faz parte de mim. Mas no geral, desistam da raça humana, ponto. Quanto ao festival, marquem aí também, mequetréfe e a organização foi pra coxinha ver do lounge vip. Não me extenderei por que daqui pra frente seriam só lamentações.

  • Rindo muito….kkkkkkkkkkkkk………achar que o publico vai ser tocado pelos grandes corridas que la ja ocorreram……….utopia pouca é bobagem….que mundo perfeito é esse?…..manda o endereço que eu quero ir.kkkkkkkkkkkkkk

  • Pode deixar. Prometo cuidar e honrar o solo sagrado de Interlagos. No que depender de mim, voltará às mãos (e pés) de quem dela fez a história (os pilotos e equipes) do mesmo jeito que vocês deixaram.

  • Em 99 fui ao primeiro (e melhor!) show da minha vida. Kiss. EM INTERLAGOS!!!

    Minhas duas paixoes reunidas. Lembro de equivaler a importancia do show com o fato de pisar no épico asfalto que idolatrava desde pequeno.

    Uma pena que esses moderninhos que vao ao Lollapalooza nao darão a minima pro solo sagrado onde pisarão sem dó.

  • Pô essa foto é sensacional, dá pra ver uma parte, que eu suponho que seja do traçado antigo, que antecede a entrada da reta principal no Setor A, onde sempre assisto a F1, e vendo essa foto, fico imaginando como seria se esse trecho fosse mantido, seria muito doido, os caras poderiam subir esse trecho de asa aberta muito mais cedo, e seria uma festa de ultrapassagens, bem melhor do que é hoje, que diga-se de passagem não é ruim, mas com esse trecho adicional seria fantástico.

    • Preciso desenhar? Corrida a pé pode ser realizada em qualquer lugar. Não precisa tirar um fim de semana das corridas. Um festival desses não tem muitos lugares para se fazer, em SP.

      • Mas Flávio, e quando os eventos de corrida são acoplados ao final-de-semana de corrida?
        Um dos seus concorrentes (espero que o convívio seja sadio), participa (ou participou) de eventos do tipo “Run that Track”, que acontecem no final-de-semana de corridas de F1.

        Creio que acoplar eventos de corrida a pé com as corridas tradicionais no autódromo não tira o tempo das demais categorias no uso do circuito (principalmente se fizerem parte de um evento muito grande, como a F1).

        Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
        Atenágoras Souza Silva.

      • Arena Anhembi serve para o que afinal ????

        Sou contra ainda mais quando foi postado que estão usando grampos metalicos para fixar o que está no centro da Pista.

        Pensando aqui esse “ALUGUEL” vejo como forma de arrecadar $ para ajudar a fechar a conta da F1.

      • Corrida a pe em qualquer lugar fecha o transito em vias publicas. Shows, tem o pacaembu, o morumbi, o sambodromo, o ibirapuera…
        O que falta eh lugar pra esporte (ativo, nao como expectador) de massa (nao o piloto, nao a refeicao italiana, antes que venha o trocadilho).

  • Justo, Flavio.
    Por mais que não compreendamos aqueles que acham um autódromo um desperdício de espaço (Pai, perdoa-nos, eles não sabem o que falam…) – acredito que esse tipo de uso de Interlagos, em um festival de renome internacional, pode servir pra abrir os olhos de alguns pra esse lugar tão especial.

    • Corrida a pé dá para fazer me qualquer lugar. Não precisa fechar um autódromo. Dá até para fazer no autódromo em áreas não usadas para as corridas, simultaneamente. É isso que quis dizer.

  • O máximo que pode acontecer é chover e a galera destruir a grama. Considerado ‘coxinha’ porque só traz bandas da moda, com um público comportado, porém sem a famigerada área vip, o Lollapalloza é tranquilo. O seu público é mais distinto do que o do Rock N’Rio e suas aberrações, com bandas que só fazem sucesso aqui ou fizeram sucesso 20, 30 anos atrás.
    Pena que não vai dar para eu ir, senão estaria lá…melhor programação dos festivais, dá de 10 a 0 nas aberrações do Rock In Rio.