MENU

domingo, 11 de maio de 2014 - 13:52F-1

MONT & MELÓ (6)

hamiltomiroOSASCO (tem trânsito) – Achei genial o estilo radiofônico do post de ontem, mas como não agradou muito, voltemos à vaca fria.

Exaltar o domínio da Mercedes a esta altura do campeonato é desnecessário e enfadonho. Então deixemos isso para o fim. Falemos dos grandes destaques e das grandes decepções do GP da Espanha.

Começando por Vettel, o maior nome da corrida.

Vejamos. O rapaz deu quatro voltas na sexta-feira. Queimou o chicote e o eletricista não conseguiu arrumar a tempo. No sábado, no Q3, Tiãozinho saiu dos boxes e quebrou o câmbio. De décimo no grid, teve de ser deslocado para a 15ª posição.

E foi de lá que partiu para um lindo quarto lugar, parando três vezes, jantando quem visse pela frente quando precisou passar alguém na pista.

É ruim, o moço? Está tomando pau de Ricciardo? Só ganha com o melhor carro?

Não para todas as perguntas. É muito bom, mantém a motivação mesmo sabendo que não tem a menor chance de ganhar um GP neste ano, depois de quatro títulos seguidos, começou pior que seu novo companheiro de equipe (o que é bem diferente de “tomar pau”), está correndo atrás do prejuízo (a expressão é corretíssima; neguinho tem um preju, sai correndo atrás dele, passa por ele, enche ele de porrada, acabou, e quem diz que correr atrás do prejuízo é perseguir o dito cujo para com ele levar um lero não sabe do que está falando; se você corre atrás do prejuízo é porque o prejuízo está na tua frente, te ultrapassou, você está perdendo, sacaram?), e ter o melhor carro, amiguinhos e amiguinhas, é a única forma, nesta F-1, de ganhar com frequência.

Deixemos Vettel em paz, então, e saibamos reconhecer seu valor. Anotem: será ele o terceiro colocado no Mundial.

Como deve-se reconhecer o talento de Ricardão, que subiu ao pódio oficialmente pela primeira vez (na Austrália foi desclassificado, como vocês lembram). Terceiro colocado, o jovem australiano da Red Bull é um sopro de vida na equipe, depois de anos de depressão e mau-humor com Webber. Vai longe, muito longe, e os rubrotaurinos acertaram na mosca ao promovê-lo. Fora que tem o sorriso mais autêntico do esporte a motor.

Grojã é outro que merece respeito pelos primeiros pontos da Lotus no ano, com o oitavo lugar, enquanto Maldanado segue fazendo merda de baciada. Hoje bateu em Sonyericsson no início da prova. Realmente a cada dia que passa é mais inexplicável sua vitória em Barcelona dois anos atrás. A gente costuma dizer que qualquer piloto que vence um GP na F-1 tem enorme valor. Talvez Pastor seja a exceção. Está completamente perdido e transtornado. É fraco, em resumo. Aquele triunfo de 2012 foi, talvez, a maior zebra dos últimos dois séculos na categoria.

Vale uma menção honrosa também para a Force India, que pela quarta vez em cinco corridas colocou seus dois pilotos nos pontos. OK que Maria do Bairro ficou só em nono e Hulk, em décimo. Mas o time sabia que Barcelona não seria a melhor pista do mundo para seus dois pilotos, e foi buscar o que dava. De parabéns, então. Está em quarto entre as equipes, a nove pontos da Ferrari.

E palmas para Bottas, quinto colocado, pontos em todas as corridas do ano — como ele, pontuaram nas cinco provas desta temporada apenas Rosberg, Alonso e Hülkenberg. Elogios que levam, automaticamente, a abrir a seção de fiascos do dia.

Felipe Massa. Um erro na classificação determinou sua má posição de largada. Mas também não era nenhum desastre, o nono lugar. Dali daria para construir algo. Terminou em 13°, sem poder atribuir o mau resultado a nada em especial — batidas, toques, pneus furados, pit stops ruins, problemas de ERS, o que for. O brasileiro fez três paradas, algo que poderia ser considerado um erro — Sapattos teve estratégia diferente, de dois pit stops. OK. Mas Vettel também fez três, largou em 15° e chegou em quarto. Alonso igualmente foi para três trocas de pneus, partiu em sétimo e depois de muita luta chegou em sexto. Viram como dava para fazer algo melhor?

Bottas tem 34 pontos no campeonato, contra 12 de Massa. Que pode, sim, argumentar que na Austrália foi acertado por um Kobayashi desembestado, e que teve um problema com uma epidemia de Mecanicus confusus na China, numa parada que estragou sua corrida. Mas o fato é que Valtteri tem demonstrado um ritmo de corrida muito sólido e competitivo, aproveitando cada chance de marcar pontos, enquanto Felipe patina por motivos diversos. E isso pode minar sua autoconfiança. Pior: pode minar a confiança que a Williams nele depositou quando o contratou.

Massa precisa urgente e desesperadamente de uma boa corrida e de um bom resultado.

Outro fiasco: a McLaren. Depois de um início de campeonato mais do que decente (era líder de Construtores ao final do GP da Austrália), está há três provas zerada. Ocupa o sexto lugar na classificação, agora. Hoje foi superada pela Williams. Button fez uma largada deprimente, caindo de oitavo para 13°. Magnólia foi o cara mais ultrapassado do dia.

Sobre a corrida, não há muito a dizer. Os mercêdicos sumiram na frente na largada, abrindo em média mais de 1s por volta de todo mundo. Deu dó dos outros. Na volta 16, a distância de Hamilton, o líder, para Bottas, o terceiro, era de 21s.

Lewis e Rosberguinho fizeram duas paradas e a única diferença entre os dois é que o inglês deixou para usar os pneus duros no último stint, enquanto Nico o fez no meio da prova. Isso garantiu uma boa disputa nas voltas finais, com o alemão chegando, chegando, chegando, para… não passar, claro. Cruzaram a linha praticamente juntos, mas foi de Hamilton a vitória, quarta no ano e quarta seguida, e agora ele lidera o campeonato com 100 pontos, três na frente de Rosberguinho.

A prova em geral foi meio chatinha, com as maiores emoções reservadas às últimas quatro voltas. Além do pega entre Rosberg e Hamilton pela liderança, Kimi de pneus duros segurou quanto pôde Alonso, de médios, e acabou sucumbindo. Não houve ordem de equipe, até onde se sabe. As táticas eram diferentes, com dois pit stops para o finlandês e três para o espanhol, que na volta 64 ganhou a sexta posição do parceiro tagarela. Bottas e Vettel também travaram bom duelo, em situação idêntica: o piloto da Williams de pneus duros e duas paradas, Tião de médios e três pit stops. Também na reta final da corrida, na mesma volta 64, Vettel passou. Todas as manobras foram lindas e tecnicamente perfeitas.

Amilton, Rosberguinho, Ricardão, Tião, Sapattos, El Fodón de La Sexta Posición (pobrecito, um ano sem ganhar uma corrida; a propósito, leiam o que o Ivan Capelli tem a dizer sobre o assunto), Tagarela, Grojã, Maria do Bairro e Hulk fecharam a zona de pontos. Só os seis primeiros terminaram na mesma volta, o que é um vexame completo para todos os outros.

No pódio, acho que ninguém notou o que eu notei. Rosberg estava com um sorriso cínico no rosto. Na hora do champanhe, tentou matar Hamilton afogado.

Eu vi.

222 comentários

  1. Alisson disse:

    Alumas ponderações: 1ª – Massa está sempre cometendo algum “errinho”, seja no treino ou na corrida. Não dá pra colocar mais na conta do azar nem falar das manobras dos adversários. Ele está é pilotando mau mesmo. 2ª – Se a estratégia da Williams foi ruim, Massa também é culpado, afinal, ele é o piloto. É ele quem esquenta as nádegas no cockpit durante quase duas horas na corrida. Cabe a ele questionar e decidir junto com a equipe, as estratégias e não aceitá-las simplesmente, para depois ficar culpando a estratégia, pelo seu fracasso. 3ª – Nico Rosberg é mais um chorão. Se fosse bom, teria ultrapassado. Teve pelo menos umas 5 voltas para fazê-lo. O cara tira quase 1 segundo por volta e depois fica lá penando atrás do companheiro. Se fossem outros tempos (Prost, Schummy, Senna, Mansell, Piquet), já teriam passado na segunda volta. 4ª – A F1 está cada vez mais chata e burocrática. Apesar de nesse ano termos visto mais ultrapassagens, elas não definem nada. As corridas são definidas nas famosas “estratégias”. Ficam colocando gráfico de quem gastou menos gasolina (como se isso fosse uma competição de Ecochatos). Depois tem a questão do pneu mole, pneu duro, pneu meia-bomba. dá logo um Viagra pro pneu de todo mundo e vamos com um só até o final da corrida. quem pode mais chora menos. Chega de tanto cálculo. Por favor, menos computador e mais braço. Logo logo o piloto vai ficar nos boxes, no simulador, controlando o carro pelo controle remoto, pra não correr riscos de acidentar-se. Se a F-Indy, não tivesse uma bandeira amarela a cada espirro do diretor de prova, seria a melhor categoria de monopostos da atualidade.

  2. Marcelo pereira disse:

    Flávio,
    desculpe se perdi algum comentário seu nesse período, mas queria ouvir o que você tem a dizer sobre a pequena (pra não dizer irrisória) diferença de tempo entre F1 e GP2.
    As mudanças tecnológicas são boas para quem ?

  3. ms disse:

    a ultrapassagem de vettel em cima de raikkonen no final da reta já entrando na curva foi uma verdadeira pintura….já Hamilton cresceu, virou gente grande que hoje nem de longe faz lembrar aquele garoto inseguro que por qualquer pressão já entrava em colapso e que em 2007 deixou de ser campeão mundial por um triz, e que também por um triz foi campeão mundial em 2008……esse Hamilton vitaminado com sua brilhante pilotagem é a grande e grata surpresa dessa primeira parte da temporada da F1

  4. Ricardo disse:

    Alguém mais viu o pé do Robesg no primeiro lugar do pódio…

  5. Marco disse:

    É simples. Alonso, Vettel e Hamilton acreditam e mantêm o ritmo até o fim e, por isso, são campeões. Felipe Massa acompanha até perder a referência dos ponteiros. Quando perde a referência ele brocha, perde o ritmo, se acomoda, desacredita, por isso nunca foi campeão. Rápido ele sempre foi, mas não durante a corrida toda. O ano de 2008 foi exceção, e não regra. Aquele Massa progredia até levar aquela mola do Rubinho em 2009. Daí em diante voltou a ser o Massa da Sauber.

  6. O Lewis Hamilton já é um virtual campeão disparado, e a coisa está do jeito que ele mais gosta. O Rosberg vai ter que virar a casaca se quiser alguma coisa, senão ficará como Coadjuvante de Luxo no melhor carro da temporada assistindo o Hamilton ser Campeão, como o Rubinho no Tempo do Schumacher. O Luca Di Montezemolo está com vergonha de ver o Alonso em terceiro sem um carro competitivo. O Kimi pelo menos viu as Mercedes no espelho, uma volta atrás! O Vettel fez uma boa corrida de virada. Finalmente saiu o primeiro pódio válido do Ricardão Sorrisão! O Bottas está colocando o Massa debaixo da sua Bota sem dificuldade nenhuma, e não está sendo difícil subir a escada do Massa que está recebendo um aviso do destino para deixar a F1.

  7. Paulo Pinto disse:

    “-Falou mais alto o motor Mercedes…” disse Galvão Bueno, quando Massa ultrapassou Magnussen.
    A conclusão a que cheguei, é que o motor (também) Mercedes do dinamarquês, falou mais baixo.

    “-Massa não pontuou porque fez três trocas de pneus.” Disse o mesmo narrador, sem prestar atenção que Vettel e Alonso, fizeram as mesmas três trocas.

    Vamos “puxar a sardinha”, mas sem pagar mico…

  8. eduardo disse:

    Ao contrario da maioria gosto das belas curvas de Montmelo e não sei se assisti outra corrida mas vi as melhores ultrapassaguens da temporada,o Kvyat per fuera,o Alonso num belo jogo de trajetorias,o Vettel mergulhando por dentro freando no Deus me livre,a pista é muito seletiva com os equipamentos e não foi surpresa que os doze primeiros chegassem na sequencia com apenas dois pilotos furando,o Massa que merece uma luz amarela,não é admisivel ele ser menos consistente que um piloto novato e se não der a volta por cima pode se transformar num novo Coulthard que nos seus ultimos anos era respeitado por sua esperiencia e trabalho de equipe e só,o Maldonado merece a luz vermelha,já passou o tempo de ele diminuir o numero de erros,ele é veloz como era o De Cesares mas o iresponsavel italiano só teve carreira longa em virtude do cofre ilimitado e a crise da Venezuela ameaça seriamente a carreira de piloto pagante do Maldonado

  9. John Player disse:

    Só vou repetir o que sempre disse:

    – Quem critica e duvida do talento de Vettel não entende p… nenhuma de automobilismo, não sabe diferenciar pilotos CAMPEÕES E TALENTOSOS de pilotos comuns…ou morre de recalque mesmo.

    – Quem critica e duvida do talento de Alonso não entende p… nenhuma de automobilismo, não sabe diferenciar pilotos CAMPEÕES E TALENTOSOS de pilotos comuns…ou morre de recalque mesmo.

    – Quem critica e duvida do talento de Hamilton não entende p… nenhuma de automobilismo, não sabe diferenciar pilotos CAMPEÕES E TALENTOSOS de pilotos comuns…ou morre de recalque mesmo.

    – “Kimi? Fernando is faster than you!”
    Pra quem achava que Alonso seria “muito incomodado” pelo taLENTO do Kimi na Ferrari…CHUPA!!

    – Grosjean deu uma travada monstro de pneus na primeira curva na largada. Por sorte, E POR MUITO POUCO não saiu atropelando os outros carros num acidente bizonho que o próprio já causou (lembram? Quase levou a cabeça do Alonso) e levou uma punição por isso.

    – Massa já virou Barrichello desde a Ferrari. Foi para a Williams também. No inicio do campeonato, aquela expectativa de disputar, ou pelo menos brigar pelo título. E a realidade é que toda corrida ou treino aparece uma desculpa diferente para o resultado pífio. Vai levar pau do Bottas. E mais por seus erros e limitações do que pelo talento do companheiro. Nos treinos, falha sempre na última tentativa. Não tem estabilidade ou competência emocional de um campeão.

    – Hamilton e Vettel este ano tiveram uma inversão de realidade. Vettel está com todo o azar e as dificuldades de Hamilton nos últimos 2 anos. Hamilton está com a a sorte e o carro melhor que esteve com Vettel nos últimos anos, Para o restante do grid, quase nada mudou do ano passado pra cá, mesmo mudando de equipes.

    – Magnussen e o garoto russo da STR (não me recordo o nome no momento) prometem reinar na próxima geração da F1…se um dia receberem carros á altura de seus talentos.

    • Marco disse:

      Concordo. Massa não consegue manter o ritmo de corrida como faz Alonso, Vettel e Hamilton. O Massa perde o foco e o ritmo diante das adversidades. Os três que citei crescem nessas circunstâncias.

    • RCRG72 disse:

      Porque ter opiniões diferentes da sua é questão de recalque? Quando você tem opiniões diferentes das dos outros é por recalque também?

      Isso é argumento de respeito, escrever que é recalque? Arrume argumento melhor. Alguns são mais racionais, e analisam as coisas do jeito que elas são, sem “passionismos” no estilo pachecos e viúvas de Senna.

    • RCRG72 disse:

      Inversão de realidade? Posição dos planetas?

      Ricciardo tem o mesmo carro que Vettel e vem se dando melhor com ele. Tirando ainda da conta o pódium retirado dele este ano. Não tem como colocar a inversão de realidade de Hamilton e Vettel como sendo determinante para o insucesso de Vettel até agora. Basta comparar o desempenho de Ricciardo em relação a Vetel. Ricciardo pediu troca de chassi? Não virou diva ainda por causa do desconforto do camarim…

      Como colocar Alonso e Vettel no mesmo patamar? Alonso leva CLARAMENTE o carro da Ferrari a resultados que o carro não merece. Já faz alguns anos que isso acontece.

  10. gera disse:

    Nem sangue de galinha preta salva o Massa. Tá foda.

  11. Tiago disse:

    No final da corrida, quando o Raikkonen deixou os líderes passarem, o Hamilton quase bateu em sua traseira! Ele olhou no retrovisor e quando olhou para frente novamente, o Kimi tinha tirado o pé e o inglês puxou rapidamente para a esquerda. Seria muito engraçado se ele batesse nessa situação.
    E não seria a 1ª vez que Hamilton bateria na traseira de Raikkonen por descuido, em 2008 aconteceu o mesmo, na saída dos boxes.

  12. Simão disse:

    FG… vc tá certíssimo…
    Agora…

    Vettel ainda é…
    Hamilton e Rosberg estão…
    Massa já era…
    Alonso já era…
    Ferrari já era…

    O resto é resto…

  13. Realmente, houve a tentativa de homicídio no pódio. Rosberg estava claramente pensando: Fdp, morre, fdp..

  14. Davi Ribeiro disse:

    Corridinha chata demais! Não sei qual é pior entre Barcelona, Monaco e Hungaroging. Pra mim, tirando Mônaco que é tradição, circuito tem que ser possível ultrapassar. Não faz sentido correr se é praticamente impossível ultrapassar.
    Quanto a Massa, logo logo ele vai receber um Bottas is faster than you…

  15. Galba Cunha disse:

    Coitado do massa-mediano!

  16. Fernando disse:

    “Massa precisa urgente e desesperadamente de uma boa corrida e de um bom resultado.”

    Na boa, com variações, todo ano você escreve essa frase.

  17. Alex disse:

    Dizer que Vettel não é bom é loucura mas é inegável que o estágio atual da F-1 cria distorções. Trata-se de um excelente piloto mas, na minha opinião, não tanto quanto fazem supor seus 4 títulos consecutivos. Acredito que poderia conquistar títulos em qualquer época, porém jamais tantos e da forma massacrante como foi.

  18. Romeo Nogueira disse:

    Mais do que um ano sem ganhar uma corrida, Alonso, se um dia voltar a ganhar um campeonato, terá estabelecido um outro recorde: o de maior hiato entre dois títulos. Atualmente, a marca é de Lauda, em dois de seus três títulos, entre 1977 e 1984. Mas, no caso do austríaco, o cara parou e voltou. Alonso está aí na batalha por um tri desde 2007! Neste ano, nem se trocar o Marco Mattiacci pelo Jorge Mario Bergoglio vai dar…

  19. Speed Racer da Mooca disse:

    Mais um ano da Ferrari da pré-temporada se transformar na anedota do ano. Mais algumas corridas para o já tradicional “abandono da temporada para pensar na próxima”. Eu sempre falei aqui que o Domenicali era fraco, mas hoje é muito claro pra todos que Montezemolo não tem mais noção das decisões que toma, está perdido, é nítido que a Ferrari precisa de reformulação a partir da presidência, os donos da companhia devem considerar a saída do Montezemolo também.

  20. sandro disse:

    Na prova de Donington relembrada pela sportv o senna tinha duas voltas sobre o sexto que era o último que marcava ponto naquela época e mais de 1m sobre o segundo. Imagine como os outros se sentiam então.
    A única chance do Rosberg é usar estratégia diferente de pneus, pois não vai ser em todas que o Hamilton vai conseguir segurar, se não for assim no pau a pau ele não passa.
    O massa coitado alguem tem que avisar para ele que corrida é feita de carros e que ele deve passa-los e não ficar só comboiando. o cara não consegue passar ninguem

  21. Alessandro Barasuol disse:

    Ainda bem que o Vettel fez uma boa corrida. Sua vaga na Red Bull já estava ameaçada por um certo piloto veterano que insiste em não desapegar…

  22. Gustavo Oliveira disse:

    Concordo plenamente em relação a Vettel e acho ótimo o Ricciardo esteja efetivamente dando trabalho. O alemão é o melhor piloto da categoria, isso é fato comprovado por números.

  23. Estevão disse:

    Outro que tem um sorriso autêntico no esporte a motor é o Kanaan. Baita boca cheia de dentes e simpatia pura!
    No mais, concordo com o Capelli: está na hora de Alonso “rever seus conceitos”, como dizia o outro, e começar a pensar em se bandear da Ferrari.
    A menos que o time traga Ross Brawn de volta. Dai pode ficar.

  24. MARCELO FREITAS disse:

    Ainda bem que há um lúcido e, acima de tudo, conhecedor de automobilismo nos comentários da imprensa que acompanha a F1. O excelente piloto Sebastian Vettel vai oferecer muito trabalho aos da Mercedes…é só esperar.

  25. Valmir Passos disse:

    Meu Deus, como tem gente que escreve bobagem. Chamar o Vettel de ruim é um absurdo. Sem contar que nunca vi ninguém ganhar título nenhum com o pior carro. Enfim, corrida meio chata mesmo. Acho que faltou uma menção ao Kimi. Melhorou bastante, andou o final de semana praticamente todo na frente do mala do Alonso. No final, táticas diferentes, o espanhol levou a melhor, mas o finlandês mandou bem.

  26. Zé Kfuri disse:

    Flavio, c/ sua permissão quero repetir sua obs. sobre o desempenho do Massa:
    Massa precisa urgente e desesperadamente de uma boa corrida e de um bom resultado.
    Massa precisa urgente e desesperadamente de uma boa corrida e de um bom resultado.
    Alô Felipe Massa, tá complicado torcer p/ vc!!! Se liga meu!!!!

  27. carlos lima disse:

    Flavio, lúcida e, como sempre, muito lúdica sua análise sobre o GP da Espanha. O texto de Ivan Capelli sobre Fernando Alonso é de uma verdade que desconcerta. Excepcional. Bravo!

  28. Paulo Pinto disse:

    Faltou dizer (não sei se alguém já disse):

    Vettel quebrou a hegemonia da Mercedes, fazendo a melhor volta da corrida.

    Tinha que ser o Herdeiro.

    • Eric M. Souza disse:

      Hoje era o dia para ele bater o Ricciardo de forma incontestável, a exemplo do que o Ric fez na China. Mas a maré de azar é sinistra. O bom é que ele se reencontrou, e será bonita a disputa interna na RB. Principalmente por não valer título, então terá tudo liberado.

    • Allez Alonso! disse:

      Esses tedescos são piores que os pachecos. Quanto vale a melhor volta? Quando ele fizer a melhor volta com a mesma estratégia dos líderes a gente conversa.

    • RCRG72 disse:

      Me chama atenção o fato de Hamilton estar com penus duros contra pneus macios do Rosenberg e ainda assim ser rápido o suficiente para ficar na frente dele. Ráido e habilidoso. Rosenberg até consumiu mais combustível do que Hamilton até certa altura, sem conseguir alcançá-lo para ultrapassar.

      E o Vettel, quantas vezes precisou de ter pneus macios contra o Webber para prevalecer? Os tedescos esqueceram?

      Em termos de talento, me chama atenção o Hamilton ontem, mais do que vantagem técnica de pneus macios contra carros tecnicamente medianos, com penus duros, para tentar posições mais a frente ao final da corrida. Acho que foi isso que Vettel enfrentou no final das contas. O carro da Red Bull parece estar bem equilibrado, só falta motor melhor.

      • eduardo disse:

        Até ode eu lembro quase todas as vezes que o Vettel utrapassou o Webber na pista os dois estavam com a mesma estrategia o que é o normal da Red Bull

      • RCRG72 disse:

        Então eu lembro de corridas em que isso não aconteceu. Tipo comentarista da Globo dizer que não entendeu o porque da diferença de estratégia nos pneus. Isso aconteceu, talvez nem tantas vezes, mas aconteceu.

        E o chassi sem batida trocado? Chilique? E a melhor performance dele? Foi por causa de pneus macios contra pneus duros das equipes médias?

        Continuo achando a demonstração de talento do Hamilton mais digna de aplausos. Estava em desvantagem técnica de pneus em relação a Rosberg. Vettel já tinha chassi novo na classificação. Não classificou mais a frente. Classificação determina talento também. Inclusive quando o carro nem está tão forte assim.

    • Zétros disse:

      Simples de explicar Paulo: os pilotos da Mercedes e o Riccardo, fizeram duas paradas. Vettel e Alonso três, por isso que no final, o Vettel que estava com pneus melhores conseguiu fazer a volta mais rápida, enquanto os três primeiros já estavam com pneus desgastados.

      Porém, chegar em quarto lugar saindo do 15º e com 3 paradas, depois dos problemas que ele teve nos testes, mostra como ele fez uma excelente corrida.

      • Paulo Pinto disse:

        Zétros, o que estou dizendo é que em cinco GPs da temporada, Vettel foi o primeiro a “furar” a hegemonia da Mercedes.
        Até o GP da Espanha, a Mercedes faturava tudo. E só não fez as cinco dobradinhas, porque Hamilton quebrou na primeira corrida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *