SIM, ENTENDO

SÃO PAULO(e como…) – Vocês todos conhecem o Luis Finotti, o Nenê, meu chefe de equipe. Como todos nós aqui, é apaixonado por carros e corridas. Se forem carros antigos de corrida, então, melhor ainda. Lembram-se do Escort que ele descobriu em 2009? Está aqui, just in case:

E, na semana passada, caiu no colo do Nenê (na verdade, essas coisas nunca “caem no colo”; elas procuram o dono certo…) mais um desses. Trata-se de um Uno Turbo que disputou a Copa Uno nos anos 90. O carro pertenceu, um dia, a Ciro Aliperti Jr. Nos selinhos da FASP, a última corrida está lá: 1995. Nenê ficou tão emocionado com o achado, que escreveu o que segue no Facebook:

Como eu gosto disso! Passei o domingo nele, achando cada detalhe, até as duas chaves do tanque penduradas em duas coridnhas, uma na tampa traseira e outra no painel. Bem, a última etapa que andou foi em 1995, o selo da vistoria explica isso. Ele está com o turbo e até a bateria pegou carga. O motor está virando com a mão, mas é muito arriscado dar a partida sem abrir o motor para revisar. Não dormi enquanto não fui buscá-lo, deu tremedeira nas pernas e até lágrimas escorreram quando coloquei no guincho… Isso aí é uma história! Infelizmente são raros os que sobreviveram, eu vi esses carros correndo… Lembro quando chegaram ao autódromo pela primeira vez e eu falei: “Meu, são turbo!”. Nunca tinha visto nada igual. Que legal depois de anos ter um brinquedo destes, demais! Bem, agora é trabalhar. Ele vai ficar igual aos tempos em que andava com turbo, vamos estrear na Clássicos de Competição, e quando este dia chegar estarei pela primeira vez andando com um turbo em Interlagos, companheiro do Escort “Flechinha de Prata”. esta noite eles colocaram o papo em dia, têm muita coisa para conversar!

É isso. O Nenê, como eu e tantos de nós, sabe que carros falam entre eles. Por isso é meu chefe de equipe… Bem-vindo, Uninho Turbo, à nossa garagem de loucos!

dociro

Comentários