PITACOS

MACEIÓ(chovendo aí?) – Férias são férias, então não exijam muito. Mas apesar do recesso, bastante coisa aconteceu nestes dias, e vou pingar o que merece falação de vocês.

Primeiro, o Regi. Está bem, falei com ele pelo telefone, terminou a produção do AutoMotor Esporte do hospital, onde está de molho por alguns dias. Apenas um susto, nada mais. Vai perder alguns dias de Paúba, mas pelo que soube está chovendo por lá. Quando o tempo melhorar, ele vai.

Jock Clear é um baita reforço para a Ferrari. A equipe está se reestruturando, mandou Pat Fry embora também, e vai apanhar no início. Talvez por bastante tempo. Mas que desta vez acertou a mão no nome, acertou. Clear foi um dos caras mais importantes da Williams da metade para o fim dos anos 90. E estava na Mercedes. Ponto para Arrivabene.

– Gene Haas comprou a fábrica da Marussia em Banbury para estabelecer uma cabeça-de-ponte na Europa. Sua equipe, com sede nos EUA, estreia em 2016. Está fazendo tudo certinho até agora. Precisa ver até onde vai o dinheiro.

Mick Schumacher, filho de Michael, fez um teste com um carro de F-4. Ao que parece, o menino pretende mesmo seguir a carreira do pai. Que segue na Suíça em estado não conhecido de saúde, blindado como nunca vi. Daqui a alguns dias faz um ano do acidente de Schumacher, uma das coisas mais tristes da história do esporte mundial.

– Ainda na Ferrari, surpreendeu a contratação de Vergne para ficar brincando de simulador. Com isso, imagino, acaba a carreira de De la Rosa, que ao lado de Alexander Wurz e Marc Gené deve ter sido o piloto que mais tempo passou na vida como “test-driver”. Vergne para o simulador, Gutiérrez como terceiro piloto, Raikkonen e Vettel de titulares. Essa é a Ferrari 2015. Gené, a propósito, continua. Fazendo o quê, não sei.

F-1 em Florianópolis? Não creio.

Comentários

  • Povo de Florianópolis estava meio putcho com o prefeito em virtude dessa história de F1 pois a cidade tem outras prioridades para gastar 40 milhões. Ele veio à TV para justificar que foi a própria FIA que o procurou e que não tem nada a ver com o furdunço. De qualquer maneira, se fizessem um GP lá travaria o transito do estado uma vez que há algum tempo não recebe muitos investimentos no setor. Para se locomover na ilha então, só de helicóptero ou de barco (no caso dos pilotos e endinheirados). Quando tem jogo do Avai perto do aeroporto aquilo tudo já vira um caos, imagina com um GP de F1. Deveriam começar por baixo para testar a viabilidade, assim como fizeram em Punta no caso da F-E, não um GP de F1 de cara. De qualquer maneira, à beira mar tem a pista larga e daria uma reta muito boa.

    • Não rola nunca. Moro aqui há 30 anos. A beira mar sul mal comportou a fórmula renault no começo dos anos 2000. Até hoje o asfalto tem os furos dos gard rails instalados e buracos nas calçadas. E tinha duas arquibancadas pra público. Uma era´pros “vips” convidados dos patrocinadores. Foi uma droga. As formulas Ford e 3 Sul americana era no centro, e mesmo assim não tinha lugar pro público ficar com segurança e conforto. Imagina F1 com público de meio mundo?!?…
      Não tem hotéis pra tanta gente, não tem estrada pra rodar tanta carreta de equipamento, não tem área pra padocks padrão FIA, não tem estrutura pra um público de 100.000 pessoas como em Interlagos.
      O prefeito quer é aparecer. Deveria é resolver os problemas de tráfego de 200 mil carros e 45 mil motos que a cidade tem, ao invés de pensar em F1 nesta ilhazinha. Só vendendo a ilha teria dinh eiro pra pagar todas as exigências de mister Ecclestone. Ou seria só ceder as ruas pra circuito??
      E o circuito que fariam em Penha, onde tem o parque Beto Carreiro??? Acharam melhor gastar em outra coisa?…

      Mais fácil fazer em Cuba.

  • Reginaldo Leme: acompanho a carreira dele desde sua entrada na Globo.Não conheço pessoalmente, mas é como se fosse um grande amigo. Fiquei muito feliz por ele já estar bem.

    Sem puxar saco, apenas falando a verdade: você, Flavio Gomes, é um jornalista experiente, do primeiro escalão da imprensa brasileira. Então, gostaria de sugerir que você desse alguns conselhos ao Benjamin Back: ele precisa ser mais profissional e menos tiete. Certas coisas não se fala ao vivo, com a câmera ligada.Na entrevista com o Felipe Massa, na Fox, ele pediu T-R-Ê-S vezes para o Massa pedir ao Eric Clapton para gravar uma mensagem diretamente para ele: Benjamin Back. Achei constrangedor! Digo mais: pra mim é um caso de vergonha alheia!

  • A Haas conseguiu o que queria a sua tão sonhada sede européia e talvez está contratação do Vergne pela Ferrari já visaria o seu acordo de cooperação com a Haas pra 2016, o piloto francês (ou seria Gutierrez o piloto escolhido para ir pra Haas e com este movimento a vaga de piloto reserva que era do piloto mexicano na Ferrari passaria a ser de Vergne?) iria para a equipe americana para desempenhar um papel bem parecido com o que Jules Bianchi fazia na Marussia. Tudo indica talvez que teremos um piloto americano na Haas (mas quem seria? Marco Andretti, Tony Stewart, Danica Patrick, Kyle Busch, Alexander Rossi, Conor Daly, etc).

  • Pensei que que fosse aquele Luca Badoer na Ferrari o Edgar de Mello exagerava que ele rodava 24 hs por dia pro carro do Shummy nunca quebrar, quando ele parava o Told perguntava o que tinha acontecido e ele falava PIPI,COCO ,CANSADO ele contratava outro piloto ou ligava pro Rubens continuar rodando, rs…

  • Feliz Natal Flavio. Tudo de bom pra vc e sua família. Sobre a Ferrari acho que vai demorar, mas a reestruturação dará certo. Sobre Schumacher, rezo pra que o espírito natalino faça com quem a família divulgue noticias. O Jean Todt andou dizendo por aí que o Michael é jovem e vai se recuperar. Tenho fé!

  • O Gené continua, pois ele é especialista em zerinhos com carros da ferrari F1 modelo 2001… ele só serve para participar dos shows que a ferrari faz pelo mundo dando zerinhos em seus carros de formula 1…. apenas isso… uma profissão que pra mim seria gratificante .