NÃO-KOMBI DO DIA

SÃO PAULO(pra mim…) – Esse treco aí está sendo vendido pela Volkswagen como sendo a sexta geração da Kombi. Na boa, só pelo fato de ser uma van e de ser feito pela mesma fábrica não significa, necessariamente, que seja uma sucessora. É uma van, OK. mas não é uma Kombi. O parentesco está apenas no fabricante e na natureza do veículo. Mas Kombi é Kombi, tem motor traseiro, outras medidas, outro design. Para mim, houve apenas duas gerações de Kombi: a corujinha e a clipper. Muda a frente. Ponto.

De qualquer forma, a VW obviamente tentou pegar carona na fama e na popularidade da Kombi de verdade, colocando uma no palco e pintando essa T6 nas mesmas cores.

Engole quem quiser.

Comentários

  • A T6 tá para a Kombi como o New Beetle tá para o Fusca. Só o nome.
    E motor traseiro não é sinal de atraso, muitas montadoras japonesas ainda usam motor traseiro em seus carrinhos JDM.
    Como a VW controla a Porsche, que ainda fabrica veículos com motor traseiro boxer, eu esperava que motor e câmbio Porsche pudessem ser usados pela VW para convencer melhor os velhos fãs a engolir seus novos produtos.
    Mas, esperar do quê, de uma fábrica que adulterou os níveis de emissão de poluentes de seus motores?

  • É uma van? É o meio mais barato de transportar 1 tonelada? ´É VW? Então é Kombi sim! T6 é a evolução da Kombi que teve no Brasil… Espero (sentado) um dia ser lançado no Brasil… Que ficou boa, ficou!

  • A Kombi é linda, icônica e tudo mais. Mas é inconcebível nos dias de hoje diante de tudo o que há em termos de tecnologia e segurança. Que as velhas Kombis que ainda sobrevivem trabalhem por mais algum tempo e recebam uma aposentadoria digna e que as lindas corujinhas sejam restauradas e conservadas para registro histórico.

  • Lembra mais a Caravelle do q a Kombi….. Sinceramente não existe nada melhor do q uma Kombosa… O acabamento é precário, não tem conforto nem segurança, Posição de dirigir horrível, curso do pedal no assoalho, Quem nunca subiu no parachoque traseiro pra fazer um peso e encostar o pneu no chão? É o segredo pra entrar em ladeira com valeta, essas coisas. A versão diesel é um pesadelo com aquele radiador dianteiro, ferve mais q água de café. Considerando isso e muito mais, é um clássico. Pão Pullman, Carro de Viúva. Na família já tivemos algumas.. pra trabalho, todas deixaram saudades, principalmente o furgão diesel q fervia na subida da serra. Bons tempos.

  • Achei muito bonita! E moderna! E segura! Mas… pena ter tração dianteira…
    Em 1985 a GM fez o Astro – que tem a mesma configuração, exceto pela tração traseira e apenas uma porta de correr na lateral direita. Usava os motores de 4 canecos 2.4 (que vieram para cá no fim da produção da antiga S10) e o poderoso Vortec V6 de 200cv. Se comparar com a nova “Kombi” T6 (por coincidência T6 é o nome da van da JAC), com a GM Astro, veremos uma versão desta com layout VW. Apenas isto.
    Se vier para cá, mesmo com configuração de acabamento mais simples e bom preço, vai arrebentar!
    Continou fã da saudosa Kombosa, mas a fila anda e ela não tinha mais como continuar…
    Agora, se a T6 vier e a Suzuki trouxer a ATV, a briga vai ficar boa…

      • É verdade, amigo! Errei feio com a T8… Mas, comparei como conceito, não como produto direcionado a público específico. A VW já havia trazido as Caravelle e Eurovan, para mercados diferenciados e, nada mudou para a Kombi. Então, creio que o mercado de hoje é mais segmentado e, por isso, esses carros tenham bom espaço. Grato pela correção!

  • Reviver o desenho da Kombi hoje é algo impossível devido a legislação de segurança, colisão na Europa. Infelizmente, um remaker não existirá da Kombi. Mas dai alguém pode perguntar, mas e os Minis, Yaris, Smart da vida. Os caras tem que encher o bichinho de airbags, o que em um utilitário ficaria inviável. Minha opinião apenas.

  • Nessa eu vou concordar com o Renan! Crucifiquem a Porsche então por dizer que fazem 911s!
    Gomes, eu te acompanho há séculos e adoro suas “ranzizices”, mas nesse caso poucos veículos são dignos sucessores espirituais do original como a T6.
    É a evolução natural, nunca deixou de ser fabricada, não é releitura, não é “retrô”, e a qualidade, versatilidade e diversidade de configurações da van da VW não se compara a nenhuma outra, exceção feita às Vito da Mercedes.
    A pintura saia-e-blusa é claro que é uma manobra de lançamento, não vejo razão para implicar com isso. Naturalmente que pode-se dizer que a Kombi morreu na transição da T3 para T4, com a mudança do motor para a dianteira (as T3 já eram refrigeradas à água).
    Eu fiz costa a costa dos EUA (NY-LA) em seis dias com uma Eurovan MV T4 que tive quando morei na Califórnia, é um carro incrível, excelente.
    Sugiro que quando for passear na Europa com a family arrume uma Transporter MultiVan e curta por uma semana, você vai acabar com esse preconceito!
    Abraços

  • O layout geral da nova Bulli é o melhor que dá pra fazer hoje, com as exigências de segurança. Eu fiz um estudo de uma hipotética Kombi em 2010 no meu TCC da faculdade de design (inclusive enviei umas imagens para o Flávio e ele postou aqui no Blog), onde o formato geral do carro era parecido, porém com elementos mais arredondados para tentar deixar mais próxima dos modelos clássicos, mas querer motor traseiro e motorista sentado em cima do eixo dianteiro hoje em dia é maluquice. Também prefiro as T1 e T2, mas esta é uma Kombi sim, pois é um veículo multiuso (Kombinazionfahrzeug). Só acho que pecaram ao botar uma frente genérica nela, perderam uma grande oportunidade de marcar um golaço. A VW leva o termo “identidade de marca” ao extremo quando executa as frentes dos seus modelos, são todos quase iguais: Amarok, Passat, Golf, Fox… e agora a “Bulli”.

  • A T6 tá naquela fase dos anos 80/90 que os Mustang, cadillacs e outros clássicos americanos haviam perdido sua ïdentidade”. Somente depois da retomada do design baseado nos originais, sem fugir dos traços mais marcantes, talvez ela retorne ao que foram T1 e T2….
    Detalhe: Quero uma na minha garagem, pq mesmo a cara do FOX, adoro todos os modelos “T”da Volks.
    Detalhe 2: Aqui como só tivemos as T1 e t2, não enxergamos a linhagem, mas acredito que na Alemanha este elo entre as gerações de “T” tenham sim alguma conexão. A partir da T3 a coisa se perde…apenas com algumas T5 (ou T4 não sei ao certo) perdidas aqui o Brasil…

  • Flávio, a VW fez isso com o Fusca, pegou carona. Mas pelo menos o Fusca novo lembra um pouco o velho. Eu acho que poderia até mudar a localização do motor e outros aperfeiçoamentos, mas pelo menos a lembrança da cara antiga. Só ficou o nome e chega muito tarde, pois a VW sabia que a Kombi encerraria em 2014. A concorrência já está a todo vapor.

  • Concordo. A VW perdeu o bonde da história ao demorar tanto mudar a Kombi. O Gol de hoje não é o Gol de 1980, mas o povo foi se acostumando às mudanças.
    Essa van tem cara de van, qualquer van. E Kombi tem cara de Kombi, mas não existe “qualquer Kombi”.
    Abs

  • Se você colocar um Gol quadrado seja do BX com motor a ar da primeira geração ou mesmo os quadrados com motor AP não tem nenhuma peça que seja com os atuais G5 ou G6 sei lá. É um dos mais manjados truques das indústrias automobilísticas que aproveitam um nome com fama para colocar em outro produto que nada tem a ver com o original. Não só no mundo do automóvel, mas na musica também. Os caras cantam as antigas “musicas bregas” com uma roupagem moderna, usam um chapéu e calça apertada com bota cano longo e bico fino e chama de sertanejo universitário que nada tem a ver com musica sertaneja.

  • Realmente esse carro novo não é uma Kombi: é potente, seguro e tecnológico. Se acham bonito ou não é questão de gosto.

    Não há como comparar com a T1, que é da década de 50. Para o bem ou para o mal.

  • É típico da VW esse jogo emotivo.

    Pura (e baixa) jogada de marketing.

    Ficam trocando de carro e mantendo o nome, assim fazem com o Gol, com o Beattle, que de Fusca não tem nada, com o Passat ( o que esse Passat tem com o da década de 80?)

  • É, fica difícil chamar de Kombi. Tirando o “formato” pão de forma, não há nada que lembre. Bonitas são, melhor dizendo, modernas, porque não há nada de empolgante no design que, alias é Jetta, Golf, Polo, Voyage, Fox, Gol……………Cara de um focinho do outro já diziam.

    Designers do ctrl+C, ctrl+V.

  • Vamos ver quantos filmes essa vanzinha vai participar.
    Sempre me lembrarei da Kombi luxo – 1960 do seu Mário, meu pai. Todo fim de semana indo para a cidade de Registro, inesquecivel,
    Pasini

  • Eu sou fã da Kombi e também não acho que essa van possa ser chamada de Kombi.
    Porém, aqui no Br mesmo, estamos recheados de exemplos como esse:
    O que falar do Fusca que ´virou´ New Beatle e agora o ‘Novo Fusca’ – Ok, esse até que lembra o design, mas a essência do fusca, carro com design simplista e eficiente, feito para andar em qualquer lugar. Já era.
    E o gol??? G2 em diante tem a ver o que com o Golzinho Quadrado? Só faltou mudar o motor de lugar também, por que de resto o design está todo diferente.

    É só uma tentativa de trazer a tona os nomes de sucesso.

  • Eu acho que você está certo, mas motor traseiro em uma van hoje em dia, não dá.
    E outra: Duvido muito que um carro com aparencia de caro como este, seria usado na feira da CEAGESP desde 0km.
    Para que a VW pudesse chamar de Kombi, acho que no mínimo, deveria ter o formato de pão de forma que ela tinha, e o motorista dirigir em cima das rodas, como é no Hyundai H100.

  • Se ao menos tivessem “homenageado” a T1 ou T2 no estilo, ainda vá lá, mas nem isso (pintura bicolor não ajudou em nada…). Forçaram a barra para gerar publicidade gratuita, o que conseguiram.