FOTO DO DIA

Com Kazuki Nakajima ao volante, a Toyota confirmou a pole para as 24 Horas de Le Mans para o trio formado por ele, Buemi e Alonso. Primeira parte do plano concluída. Alonso tem 50% de chances de vencer a prova no fim de semana. Os outros 50% ficam para o outro carro da Toyota. Se os japoneses perderem esta edição, será uma tragédia.

polealonsolemans

Comentários

    • Nakajima é com “j”, independente de a qual fiasquento você se refere: ao Satoru (pai), que correu com Senna e Piquet na Lotus na década de 80, ou o Kazuki (filho), que correu na Williams nos anos 2000. Este é o companheiro de equipe do Alonso em Le Mans este ano.

  • Imagine você piloto FIXO da categoria, vendo a corrida mais importante do calendário, sendo toda preparada para a vitória de um piloto convidado, que não consegue ser mais campeão há mais de 10 anos?
    Ah deve ser “òtimo” mesmo para os outros pilotos da categoria, para o automobilismo, para Le Mans…Afinal TODOS dependem da estrela Alonso para sobreviver.
    Imaginem uma corrida em Monza ou Mônaco, e ai um piloto convidado da Indy, da Nascar, ou de WEC, recebe a Ferrari de Vettel ou a Mercedes de Hamilton classificada na pole, ele só tem que “se divertir e vencer”.
    Seria bom PRA QUEM? Para a F1? Não. Para Vettel ou Hamilton? Não. para Ferrari ou Mercedes? Não. Para o ESPORTE? NÃO.
    Para o campeonato? NÃO.
    “Faz bem ao esporte”. Putz….
    Esse mundo tá virado do avesso mesmo.

  • Se Alonso vencer em Le Mans com a Toyota correndo sozinha na LPM1, daí ele vai partir de vez para a Tríplice Coroa. A McLaren vai inscrever um carro com 300 cavalos a mais que a concorrência para ele ganhar “com méritos” a Indy 500.

  • O japonês faz a pole, com o melhor carro e entrega de bandeja para o Alonso.
    Mais um “segundo piloto” cedendo as atenções, as melhores condições e consequentemente a vitória á Alonso.
    Não conquista uma vitória na F1 há uma década (ou mais), então vai correr onde o menino mimado poder ser café com leite e ganhar um troféuzinho.
    Fosse outro estariam descendo pau.
    E depois dizem que “A F1 MORREU, NÃO É MAIS ESPORTE, SÓ BUSINESS E PILOTOS PAGANTES”.
    Então expliquem ai as passagens de Alonso pela Indy e pelas 24 de Le Mans…
    Que categorias mais do automobilismo o “piloto convidado” recebe o melhor carro, na equipe favorita, com pelo menos 50% de chances (no minimo) de sair vitorioso?
    Ainda bem que na tão criticada F1 não tem isso.

    • “Ainda bem que na tão criticada F1 não tem isso.”
      Me refiro aos “pagantes”, que surgem só nas nanicas e/ou decadentes como a Williams. E no caso da STR, com Helmut Marko trazendo o Hartley.

    • Pois é, esporte hoje em dia envolve sempre dinheiro e onde envolve dinheiro envolve interesses, é obvio, qdo. eu era jovem e jogava basquete, eram quase todos amadores, não tinha mídia explorando e tal, hoje no mundo os atletas ou qualquer um que disputa algo ganham milhões porque dão muito dinheiro aos patrocinadores, o interesse está em todo lugar. Esporte sem interesses financeiros acabou “e não se esqueça disso “. Abs

  • Seguindo o seu raciocínio, Flávio Gomes, atribuindo 50% de chances de vitória, sendo que os outros 50% ficam para o outro carro da Toyota, acho que uma vitória do Alonso em Le Mans deverá ser relativizada. Não há concorrência.
    Sinceramente, não acredito que o espanhol gostaria que fosse assim, aparentemente, tão fácil.

    • Apenas aparentemente não há concorrência, porque a concorrência não compareceu. Só vence quem participa e quem não compareceu perdeu antes da largada. Não há nada de relativo nesta vitória, fosse de quem fosse, é merecida como qualquer vitória, quem chega em primeiro vence, ganha de todos os participantes, os que não vieram, paciência, azar deles, já acordaram derrotados nesta edição da prova.

  • Como pode haver 50% de chance??? Já houve ordem de equipe em SPA na primeira corrida!.

    Alguém na face do Planeta Terra acredita que não haverá novamente ordens de Equipe na Toyota?

    Não dá para esquecer a cara de bunda do pessoal do “Carro 2” no Podium em Spa.

    As chances são: 100% ou 0%.

    • Vale o que escrevi lá em cima. Se houve algo patético foi a concorrência não comparecer. A corrida é apenas para quem participa, e quem chega primeiro vence. Não há nada de patético nisso. Seria o mesmo que chamar os que não foram de arregões, não são, claro, apenas não se interessaram.

      É uma vitória como outra qualquer, vale tanto quanto qualquer vitória. Eu poderia citar 20 marcas que também não foram, além das 2 ou 3 às quais você provavelmente se refere, e daí? Então nenhuma vitória vale porque “algumas” marcas não compareceram. Só valem vitórias onde todas as marcas de carros do mundo participam? Raciocínio tosco. Tipo, “se” tal equipe estivesse correndo… Ora, “se” não existe, existe quem competiu e quem não competiu.

  • Alonso está adorando a mídia, mas não respeitando Le Mans. Quem é Fernando Alonso perto da História das 24 Horas de Le Mans? Hoje 15/6 é um dia para lembrarmos do Heins, que formatou junto com Landi o sucesso do Brasil nas Pistas do Mundo.

  • Vendo o grid, contei que o Alonso terá a companhia de 23 colegas ex-pilotos de F-1. Mais que o grid atual de 20… alguns deles vencedores de GPs. E tem até um outro campeão do mundo:

    Buemi, K. Nakajima, Kobayashi, Sarrazin, Lotterer, B. Senna, Petrov, Button, Vergne, Maldonado, Di Resta, Nasr, Stevens, Montoya, Van der Garde, Lammers, Bruni, Bourdais, J. Magnussen, Fisichella, Giovinazzi, Lamy e Beretta.