SPA EM CHAMAS (1): SÓ NOVIDADE

POÇOS DE CALDAS (mais um) – Oxe, hoje o dia foi cheio das notícias em Spa. Mercedes, Renault, calendário, contusão de piloto veterano, prato cheio. Está tudo lá no Grande Prêmio. Aqui, alguns pitacos em meio a centenas de DKWs no 17º Blue Cloud:

– Bottas fica mais um ano: a Mercedes apostou na bola de segurança. O cara não atrapalha, de vez em quando ganha uma corridinha, não enche o saco e, pelo jeito, não reclama nem do tempero da comida no motorhome. A equipe não tem necessidade de mexer na dupla, essa é a verdade. O cara do time é Hamilton. Trazer um novato — especulava-se Ocon — faria com que se gastasse energia à toa. E Ocon não é também nenhum gênio.

– Ocon na Renault: não é gênio, mas é sangue novo que, no caso do time francês, vai ajudar. Hülkenberg deu o que tinha de dar. Ficou sem carro para 2020, mas pode ser que arrume uma boquinha, ainda.

[bannergoogle]

– Calendário sem Alemanha: está definida a temporada de 2020, com 22 corridas. É coisa pacas. São as mesmas deste ano sem a Alemanha e com a inclusão de Vietnã e Holanda. Para mim, uma surpresa. Mas países que corriam risco, como México e Espanha, se mexeram. E o GP da Alemanha dançou porque lá, se a conta não fecha, não tem mesmo. O país já tinha ficado fora do calendário recentemente, sem choro nem vela. Fiquei meio chocado porque me parece esquisito um Mundial sem a Alemanha num momento em que uma equipe alemã domina o campeonato do jeito que a Mercedes tem feito. E ainda tem um tetracampeão em atividade pela Ferrari, Vettel. De qualquer forma, se é verdade que a Alemanha fará falta, esse traçado mutilado de Hockenheim não vai deixar muita saudade.

– Interlagos, claro: só para não deixar dúvidas, GP do Brasil em São Paulo no dia 15 de novembro. A temporada começa na Austrália em 15 de março e termina em Abu Dhabi no dia 29 de novembro. O Vietnã fará seu GP em 5 de abril. A Holanda, em 3 de maio. Dobradinhas: Austrália e Bahrein (15 e 22 de março); Holanda e Espanha (3 e 10 de maio); Azerbaijão e Canadá (7 e 14 de junho); França e Áustria (28 de junho e 5 de julho); Bélgica e Itália (30 de agosto e 6 de setembro); Singapura e Rússia (20 e 27 de setembro); EUA e México (25 de outubro e 1º de novembro).

– Distribuição geográfica: serão dez corridas na Europa, sete na Ásia, quatro nas Américas e uma na Oceania. O Vietnã será o 34º país a receber um GP na história da F-1.

– Raikkonen machucado: poderá ser substituído por Marcus Eriksson se não melhorar das dores na perna. Pelo menos tratou a situação com graça. Disse que se ficasse bebendo em vez de fazer esporte, talvez tivesse condições de correr. A Alfa Romeo perde muito se ele não correr mesmo. Kimi é especialista em Spa.

[bannergoogle]

Comentários