MENU

terça-feira, 15 de outubro de 2019 - 0:35Indústria automobilística

E NÓS, NADA

RIO (até lá) – Este é um dos dois modelos da VinFast, montadora vietnamita que será patrocinadora do GP do Vietnã no ano que vem. A empresa pertence ao maior grupo privado do país que atua em áreas tão distintas quanto construção civil, educação, varejo e empreendimentos imobiliários, o Vingroup.

Os carros foram apresentados no ano passado em Paris e a produção está para começar. A fábrica foi toda montada com equipamentos da Siemens e a BMW forneceu a tecnologia na qual os veículos serão baseados.

O Vietnã, que saiu de uma guerra devastadora há 44 anos, já tem fábrica de carros. O Brasil Grande, não.

31 comentários

  1. Thiago disse:

    Esse vídeo diz muito sobre isso… ou não, fica só de curiosidade.
    https://youtu.be/WwLpdSHSPz0

  2. Pura verdade. Já na Alemanha teve filho famoso retornando. Seria o mais famoso dos fuscas? https://youtu.be/cunW-XK31EQ

  3. Fabio FC disse:

    Para quem quiser fazer algum comentário decente, apartidário e não idiota sobre o Vingroup sugiro começar por aqui https://m.br.investing.com/equities/vingroup-jsc-financial-summary

    De nada

  4. Ricardo Bigliazzi disse:

    Mas a tecnologia é Siemens e BMW, não teria que ser Vietnamita da gema?

    Aqui fazemos carros com técnologia BMW, Mercedes, FIAT, Volkswagen, Ford, GM, Honda, Toyota, Peugeot, Renault, Citroen, Hyundai, entre outras marcas e Caminhões Mercedes, Scania, MAN, DAF nem falo das motos Honda e Yamaha, todos equipados com técnologia Delphi, Schaeffler, Mahle, Comau, etc, etc, etc.

    Esses fabricantes são hospedes e garantidores da técnologia aportada por aqui. O mesmo acontece na Espanha, Belgica, Holanda, Suissa, Suécia e até mesmo na Inglaterra onde muita coisa deixou de ser inglês a muito tempo.

    Não entendo o rancor no post. Se você alegar que os caras que estão por aqui a décadas podem nos deixar na mão a qualquer momento devemos levar em consideração que os Alemães podem deixar os Vietnamitas a ver navios num piscar de olhos ou num teclar de sistema.

    • Alfredo Aguiar disse:

      Tua tá de sacanagem né? É má fé ou é ignorância mesmo? A Tal VINFAST é uma companhia vietnamita. Usar, comprar, incorporar tecnologia existente pra criar uma indústria principalmente nos dias de hoje em que toda essa tecnologia é globalmente compartilhada é MUITO diferente de colocar uma fábrica de outro país em seu solo Todas essas fábricas que você citou (poderia colocar umas 2, talvez 3 e um etc) são multinacionais o LUCRO vai pra MATRIZ, os EMPREGOS BONS, chefia, presidência, diretoria, ficam na MATRIZ, A tecnologia vai SEMPRE ser criada na MATRIZ.
      Quer que desenhe?

  5. Alfredo Aguiar disse:

    Infelizmente o Brasil é um país de vira-latas. O Brasil exporta bens primários, É só ver esse espalhafato todo sobre o tal Nióbio, Nunca se ouviu falar do país processar e vender o minério em chapas, peças ou equipamentos, a briga é para que o tão propagado minério possa encher vagões e mais vagões, carregar porões de navios em algum porto e vá pra algum lugar no mundo criar empregos de qualidade.
    Um dia, lá atrás, a EMBRAER começou a fabricar aviões com o intuito de fazer um produto brasileiro, eram aviões turbo hélices simples que poderiam incorporar produtos feitos no Brasil e fazer crescer uma grande e promissora tecnologia, a ganancia foi maior, hoje a privatizada e depois internacionalizada empresa é uma mera montadora de equipamentos estrangeiros dentro uma fuselagem, nada dos aviônicos nessas aeronaves é produzido no Brasil, uma LEGO de luxo, mas o brasileiro padrão adora encher o peito e dizer a Embraer é nossa e fabrica aviões.
    Um dia lá trás teve um cara chamado Getúlio, que trocou a aliança do Brasil na 2a guerra por uma siderúrgica, o Brasil começou a manufaturar o abundante minério do seu solo. Criou a Petrobras e o Brasil começou a refinar o abundante petróleo de suas reservas, criou a FNM e o Brasil dava os primeiros passos pra criar uma indústria automobilística. Ai “suicidaram” ele e um sujeito que sabia muito bem da malandragem do brasileiro, começou o desmonte e a abertura das pernas JK, colocou o Brasil de volta na era pré Vargas, um país de peões, candangos afastando a capital pra bem longe, impossibilitando qualquer possibilidade de revolta popular e até hoje JK é um herói nessa merda e Getúlio um desconhecido. Alias os heróis tupiniquins são de fazer inveja a qualquer quadrinho internacional, Antes não vestiam capas, mas conseguiram substituir a capa pela toga.
    Então cada povo tem o que merece. Quem nasce pra ser chicoteado na senzala nunca vai chegar a casa grande.
    E lá vem pedrada nesse incauto e “impatriota” leitor. tem que dizer que a Embraer é linda, que o povo é lutador e injustiçado, que adora heróis canalhas porque foi enganado (e continua sendo?).
    Vamos queimar tudo, devastar florestas, educar essa indiada vagabunda que fica no meio do mato phodendo sem trabalhar e ocupando terras que não são deles, achar mais serras peladas e mais ouro, exportar mais carne, mais cebola, mais ferro, mais novelas, mais putas. Esse é um país que vai frente, de uma gente unida e tão contente.
    Sobre o carro vietnamita? Uma mistura de Alfa com Mitsubishi o estilo? O Brasil possui uma indústria chamada WEG, uma das maiores, senão a maior fábrica de motores elétricos do mundo e são motores de qualidade, respeitados internacionalmente, o futuro da indústria automobilística é elétrico…..

    • Fernando disse:

      Você esta falando do ditador Getúlio Vargas? Gostas de uma ditadura? Gosta de governos que fazem o que querem pela facilidade de não ter opositores? Filhote de ditador.

      • Alfredo Aguiar disse:

        Não teve opositor? Carlos Lacerda o maior entreguista que já existiu no Brasil era o quê?

        Vargas assumiu depois de uma revolução e foi um “ditador” tão ruim, que depois de sair foi eleito pelo voto direto. Dentre outras coisas criadas pelo “ditador” Vargas:
        Justiça do Trabalho em 1939.
        Direitos trabalhistas, entre eles, o salário mínimo, Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)
        Semana de trabalho de 48 horas
        Carteira profissional
        Férias remuneradas.
        Companhia Siderúrgica Nacional, (CSN)
        Vale do Rio Doce
        Hidrelétrica do Vale do São Francisco.
        Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (IBGE)
        PETROBRAS

        Não era santo, muito pelo contrário. Cometeu vários erros, alguns imperdoáveis com o crime hediondo de entregar Olga grávida para ser executada pelos nazistas e que certamente mancha toda sua história.

    • Renato F1/FE Mercedes disse:

      Prezado Alfredo, parabéns pelas palavras. Ótima visão. O Brasil seria uma potência se não tivesse cometido erros lá atrás. E, se me permite, ainda faço adições ao seu comentário: nós tínhamos indústrias ferroviárias e navais. Produzíamos nossas estradas de ferro, os trens e os navios. Entretanto, para o favorecimento da indústria automobilística (estrangeira), tudo foi jogado por água abaixo. Resultado: estradas esburacadas, mal conservadas e mal sinalizadas ou com uma tarifa de pedágio absurda por quilômetro rodado, combustível caro e importado, falta de alternativas ao transporte rodoviário, preços de passagens e de frete altos e, principalmente, engarrafamentos em todos e quaisquer lugares.

  6. luiz disse:

    para ver como até o Vietnam dá mais condições de investir e empreender queo Brasil! Meu Deus! O que fizeram conosco?????

    • Fernando disse:

      E é possível citar facilmente mais uns dez países que eram insignificantes a cerca de trinta anos e hoje estão melhores que o Brasil. O “conjunto da obra” dos nossos governos nas últimas décadas – prá não falar da origem lá pelos anos 30 – é o pior possível. Agora temos a cereja do bolo, e podemos afirmar sem nenhuma dúvida: Pior não fica! Melhor muito menos…

  7. Robson Guimaraes disse:

    Software Siemens e platafoma BMW, tente imaginar o custo, será uma fabricante para inglês ver.

  8. O Brasil Grande tinha uma fábrica até meados dos anos 90 (que quase abriu uma segunda planta no Ceará para fazer um carro modular), porém foi varrida do mapa pelo lobby das até então “quatro grandes”. E então Gurgel virou história.

    • Gones disse:

      Fala-se como se a culpa não viesse de anos sem ter passado pelos mais diferentes governos.
      Agora, conforme o comentário do Danilo, falando em lobby, quem tem processo por lobby de montadora?
      Será que foi apenas uma vez, em apenas um governo?
      Outro ponto… Mesmo preço, prefere esse carro ou o BMW? Então, filho, dane-se da onde vem… Contanto que tenha preço justo, caso que não acontece no Brazil.

  9. emerson57 disse:

    Nunca tivemos uma montadora de automóveis brasileira. As tentativas nativas como Gurgel foram abatidas pela força do dinheiro gringo.
    Mas, temos a terceira fábrica de aviões do mundo! Coisa moderníssima, com qualidade reconhecida no mundo todo. Além disso desenvolvemos aqui o futuro avião cargueiro militar KC 390 que vai equipar as principais forças armadas do mundo. A NOSSA fábrica EMBRAER é parceira do ITA, Instituto Tecnológico de Aeronáutica, excelência mundial em engenharia!!!
    O Quê????
    bolçodória já doou? Para a Boeing??? E já deram férias coletivas para os funcionários em São José dos Campos? Verão a cor do desemprego, todos os 15 mil?
    Mas… a maioria votou bolçodória, como podem fazer isso com eles?
    E eu achando que a EMBRAER é brasileira…
    Desculpa i. Foi mal!

    • Ricardo disse:

      Muito triste os rumos de nossa nação

    • Jaule disse:

      Tem problemas psíquicos… Só pode…

    • Alfredo Aguiar disse:

      Terceira fábrica de aviões do mundo? Uma Lego metida a besta.
      Bro enquanto o Canadá praticamente obriga a Bombardier a procurar fornecedores de peças de ponta no país e fomentar tecnologia local pra colocar nos seus aviões. A Embraer largou mão de aviões que serviriam muito bem ao mercado low fare de áreas remotas e que poderiam ter acelerado a indústria aeronáutica brasileira pra concentrar-se em jatinhos que impossibilitaram qualquer tentativa de encontrar fornecedores locais. Nessa baboseira de “exportar”, vender em dólares, ter reconhecimento de estrangeiros. Quem ganha com isso? Vai alguma doleta pro bolso do pacato cidadão que faz torcida pra essa patacoada?

  10. Fernando disse:

    Aqui só teremos uma se o governo montar. E quando a fábrica estiver bem, gritarão: PRIVATIZA! Aí algum parceiro do governo de turno arrematará o leilão a preço de banana. Que bosta que somos!

    • Paulo F. disse:

      esqueceu do epílogo da história: fechar a empresa e mandar os trabalhadores para o tecnológico setor de serviços atendendo no disk pizza e dirigindo para o Uber ( qualquer semelhança com os anos FHC é só semelhança)

      • Renato F1/FE Mercedes disse:

        Um motorista dirigir um carro para aplicativos nos dias de hoje é o mesmo que o motorista, há 20 anos, juntou as economias e comprou uma van para transporte de passageiros.

        Observando o transporte complementar (alternativo, legalizado ou pirata) hoje por vans, o que será dos motoristas de aplicativo daqui a 20 anos?

      • Paulo F. disse:

        pense no motorneiro do bonde!
        ou no radiotelegrafista da Varig.

  11. Markonikov disse:

    O Vietnã é uma civilização milenar … a gente, uma quadrilha de 500 anos …

  12. EdisonJr disse:

    Essa tal vingroup deve ser uma empresa tão idônea quanto a Odebrecht, não se engane.

    • Edu Zeiro disse:

      Meu amigo, não se pode atribuir características intrinsecamente humanas, como idoneidade, a empresas. Isso é tática de quem tem interesses em destruí-las ou entregá-las a preços de banana, como vem fazendo um certo juizinho (agora ministrinho) sem juízo e seus apaniguados procuradores que só acham o que querem. A Odebrecht era uma das maiores empresas de construção civil do mundo. Detinha tecnologias, conhecimento e recursos humanos que deveriam ser orgulho de todos nós, e que deveriam ter sido preservados, após a extirpacão daqueles elementos que a utilizaram em benefício próprio, de formas escusas. O mesmo com as demais empresas, especialmente a Petrobras.

  13. Gabriel P. disse:

    Flávio
    Infelizmente temos que considerar o empresário Brasileiro, muito burro, que pensa pequeno ou canalha mesmo.
    É incapaz de projetar ou criar uma industria original, genuína ou nacional de qualquer coisa, sim Qualquer Coisa, não temos sequer um pneu nacional que dirá um carro ?
    E o pior, a grande maioria dos empresários mais ricos mamam nas tetas do governo e não realizam nada do qual o Brasil possa se orgulhar deles, absolutamente nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *