MENU

sexta-feira, 18 de outubro de 2019 - 10:59Gomes, Grande Prêmio

GP ÀS 10: SUZUKA, 1989

41 comentários

  1. Walter Vieira disse:

    Você só esqueceu de salientar o caráter autoritário do Jean Marie Ballestre. Ou você acha que Prost foi a torre conversar em japonês com os comissários?
    No ano seguinte com a pontuação favorável a Senna, o troco foi dado.

  2. Bola da Vez disse:

    O tempo passa! Essa disputa já ficou balzaquiana.

  3. Antonio disse:

    Bons tempos. Qual corrida de dos tempos recentes será lembrada daqui a 30 anos ? Acho que nenhuma.

    • CHAGAS disse:

      Em Interlagos as disputas pelo título de 2007 com Kimi campeão, e principalmente a decisão do título de 2008 decidido na última curva com certeza são corridas que serão lembradas daqui a 30 anos.
      O cara que não prendeu a respiração depois que Massa cruzou a linha de chegada, e até a passagem para o título de Hamilton…… não sabe o que é F1.

  4. Jonny'O disse:

    Foram dois anos muito ruins , campeonatos terminados assim podem dar audiência, mas pra mim é muito ruim, acho que 89,90,há e tb 94 foram tristes , 97 teve o lance do Shumy em cima do Villeneuve , mas desta vez o vilão da cena se ferrou.

    64 para alguns também foi antiesportivo , mas não concordo.

  5. Garagista disse:

    Os pontos perdidos por Senna nessa corrida, se ganhos de volta, não dariam para faturar o campeonato. O brasileiro teria apenas mais uma vitória no currículo.

  6. Alex disse:

    Também acho que foi a maior rivalidade que já existiu no automobilismo. A corrida foi extraordinária, inesquecível. Aqui no Brasil, o horário era bem no meio da madrugada e acabei cochilando no sofá e perdendo o começo. Quando acordei, Prost liderando, Senna atrás, uma situação dramática pois a diferença não diminuía rapidamente. Luta feroz a cada volta. Até que, perto da metade da corrida, Senna conseguiu se aproximar. Só que não conseguia ultrapassar porque Prost acertou seu carro de modo a ter uma retomada de velocidade muito mais forte, como observou várias vezes o Reginaldo Leme, durante a transmissão. Senna se aproximava muito em freadas fortes mas o francês retomava muito mais rápido e não dava tempo de alcança-lo nas retas. Então veio o acidente.
    Seria muito dificil tirar o título de Prost. Caso não tivesse batido, seria segundo colocado e descartaria a terceira colocação obtida na Espanha ficando com 78 pontos após os descartes. Com isso, Senna teria a obrigação de vencer na Austrália, prova que acabou sendo disputada sob verdadeiro dilúvio e foi uma verdadeira loteria. Loteria essa em que o brasileiro efetivamente não teve o bilhete premiado e abandonou.

  7. Maurício disse:

    Este vídeo mostra a transmissão da Globo. https://www.youtube.com/watch?v=1WLv958UhfU

    No minuto 13:46 é o momento em que Senna está cortando a chicane e Galvão diz que ele teria que virar o carro.No minuto 14:34 ele comenta com Moreno que na opinião dele ele deveria ter voltado, contornado a chicane para não ser penalizado. Exatamente como você descreveu no vídeo.

  8. Sérgio disse:

    Engraçado o Flávio falar que o Prost defendeu a posição. Ele simplesmente jogou o carro prá cima do Ayrton quando viu que ia ser ultrapassado. Basta ver na imagem aérea. Ele vira muito antes da curva. Hoje seria punido por causar uma colisão.
    A decisão da direção de prova foi tão errada que no ano seguinte foi acertado no briefing dos pilotos que se acontecesse algum problema naquela chicane o piloto poderia seguir por fora, que seria muito mais seguro. Sr. Flávio Gomes não fala nada disso, não é?

  9. CRSJ disse:

    Se por um lado o Senna sobrou em cima do Prost na Pole Position num total de 26, do outro Prost sobra em cima do Senna nos pontos somando um total de 66 pontos conquistados em cima de um Senna zerado.
    Senna sobrava na agressividade, e já o Prost sobrava na regularidade.
    Se o campeonato fosse em linha reta sem os descartes o Prost seria Campeão na Austrália 1988 e na Espanha 1989, esse duelo de 1989 no Japão nem aconteceria como uma disputa de Título.
    Se o Prost foi o Campeão com a Patriotada do Balestre em 1989 no Japão, o torcedor brasileiro não pode reclamar disso pela batida proposital do Senna em cima do Prost no Japão 1990, no final das contas todo jogo sujo acabou ficando empatado entre Senna, Prost e Balestre.

  10. Samuel Barrocas disse:

    O regulamento foi interpretado de forma marota. A razão pela qual não se podia cortar chicane se devia ao fato de que os pilotos não podiam tirar vantagem para as suas voltas. Não foi o caso. O Senna não tirou vantagem nenhuma naquela situação. Os comissários interpretaram o regulamento de forma malandra, para beneficiar o Prost. O próprio Balestre admitiu depois que deu uma mãozinha para o Prost…

  11. António Barbosa disse:

    Lembro-me que o autosport simulava julgamentos de casos polémicos no automobilismo e eu que sou da área da justiça acho curioso que há uma preocupação exemplar de simular circunstâncias de um processo judicial como as audições, a matéria dada como provada e não provada, lembro-que o caso foi submetido ao tribunal do autosport e a conclusão é clara.

    https://forums.autosport.com/topic/14396-finished-case-1-the-1989-collision-between-prost-and-senna-at-suzuka/

  12. Assombração disse:

    A desclassificação de Senna (e a consequente perda de pontos) não influenciou no resultado do campeonato.
    Vale pelo exercício intelectual acerca das variantes possíveis em relação ao resultado da corrida.

    • McLaren-12 disse:

      Nossa, Pinto! Você comentou a mesmíssima coisa nos 5, 10, 15, 20 e 25 anos do aniversário dessa corrida.

      E ainda não entendeu que um resultado diferente no Japão alteraria as condições da corrida na Austrália.

      Qual a dificuldade? Você estava novamente em Saturno quando tirou férias daqui e foi contaminado por essa baboseira numérica novamente?

      • MacLata-12 disse:

        Nossa Pinto (ai… eu me arrepio toda)! Você comentou a mesma coisa nos últimos 500 anos dessa corrida.

        E ainda não entendeu que um resultado diferente alteraria as condições da corrida na Austrália? Ao invés de estar chovendo pra cacete, podeira ter feito um belo sol…

        Qual a dificuldade? Dificuldade teve o meu idolatrado, que bateu na chuva! Logo ele, que é o “rei” da chuva…

      • McLaren-12 disse:

        Você é o retrato da imbecilidade e emburrecimento do povo brasileiro.

        Não consegue interpretar um texto simples e montar um argumento coerente. Funcionalmente, é um analfabeto. Gramaticalmente, também!

      • MacLata-12 disse:

        E se eu tiver um piripaque, ai meu Deus… eu vou te culpar, sua schukruzete imbecilizada e emburrecida!

      • McLaren-12 disse:

        Fale sozinho daqui para frente, idiota!

      • Taca-Hora disse:

        Miga, sua loka! Liga não… vamos continuar torcendo pelo Mirtão gostosão, que essas schukruzetes ficarão cada vez mais enfurecidas!

  13. Fernando disse:

    Mas quanta bobagem Flavinho. Até eu que sou “Piquezista” estranhei. É tudo tão claro, só não vê quem não quer mesmo.

  14. Maurício Camargo Soares disse:

    Flávio,
    Apenas um detalhe com relação a classificação do campeonato.
    Com os descartes o Ayrton precisava vencer as três últimas provas (Espanha/Japão/Austrália) independente dos resultados do Prost.
    Até o GP de Portugal Prost tinha 4 vitórias e 6 segundos lugares. Portanto, um outro segundo lugar daria no máximo 4 pontos, pois ele precisava descartar 2 pontos de um quinto lugar. Como ele chegou em 3o na Espanha, mesmo que chegasse em segundo no Japão e na Austrália, ele somaria no máximo 2 pontos com os descartes chegando aos 78.
    Senna estava com 60 e não tinha pontos a descartar pois só tinha 7 resultados pontuáveis (6 vitórias e um 2o lugar), portanto, somaria 18 pontos com as 2 vitórias chegando aos mesmos 78 pontos, e sendo campeão pelo número de vitórias.
    Sendo assim bastava ao Senna vencer as 2 últimas corridas para ser campeão, mesmo que o Prost fosse segundo nas duas.

  15. António Barbosa disse:

    Entendo o que diz mas eu nesta corrida e deste tempo não destaco só Senna, destaco o conjunto:os carros, os motores, o calibre dos pilotos, o que me impressiona em Senna foi a forma como ele se destacou no meio de tão bons pilotos, não sei, aquela coisa do câmbio manual para mim distinguia muito os bons dos muito bons e repare não foi só no Brasil e com a globo que houve tanto fervor em volta destas corridas entre Senna e Prost, na televisão portuguesa deu de madrugada e ninguém dormia, eram corridas incríveis e esta foi uma delas até porque Prost também ele fez uma grande prova, foram duelos inesquecíveis.

  16. Francês limão disse:

    Como ousas dizer que o SENNA venceu com um carro melhor? Isso é um absurdo. Senna era um semideus. Zoeira. Só tenho uma coisa a dizer. SENNA 3 x 4 PROST. FIM.

  17. Fernando Neris da Costa disse:

    Independente das circunstâncias e do resultado final foi uma corrida fantástica e creio que foi uma das maiores rivalidades da história da F1. Não tinha como não assistir aquelas corridas, Ayrton e Alain eram geniais dentro da característica de cada um e Ron Dennis era um privilegiado naqueles anos 80 por contar com pilotos desse quilate.

  18. André disse:

    Não aguento mais o assunto Senna x Prost. O Galvão fez o favor de banalizar durante as transmissões.

  19. RAFAEL PIQUEIRA CHININI disse:

    eu fico me perguntando COMO ele ia voltar pra pista se os dois foram parar no “corte” da chicane. ia dar ré? proibido provavelmente. ia guiar na contra mão pra voltar? foi ridículo o argumento!! ele nem ganhou vantagem, não cortou pq quis, e ainda tinha um obstáculo na chicane.
    e o Balestre teve a ver sim, pois isso mostra em vários documentários, inclusive ele assume que favoreceu o prost..que alias logo após a batida foi lá na torre chorar.

    Sobre a amizade dos dois, que eu sei que senna não era santo, aquela puxada no podium que o Senna da no Prost no podium é bonita, PORÉM o Prost ja disse tb QUE, isso foi pq o Senna quis!! ele ja tinha tentando reaproximar dele ele o Senna não quis, e ali em público pq era da vontade do Senna ele fez aquela cena.

  20. Alexandre Tozzi disse:

    Boa Tarde Gomes passa o jornal do GP do japão 1989 abç

  21. António Barbosa disse:

    Na verdade a alternativa era bem pior: o piloto tinha que regressar no ponto da pista onde saira significaria andar em contramão em plena corrida.
    Com o devido respeito acho algo ingénuo da sua parte achar que Balestre não teve influência na decisão:, Alain Prost dirigiu-se aos bastidores queixar-se a quem ? o poder naquela altura era muito personalizado, já viu um video onde balestre diz: ” a melhor decisão é a minha decisão?” , existem sempre influências mesmo que quem dê a cara seja a direção da prova.
    E qual a estranheza da Mclaren protestar a decisão ? A Mclaren perdeu a corrida em função da decisão, era sua obrigação reclamar uma decisão que a prejudicava.
    Quanto á desculpa do Prost que Senna era beneficiado pela Honda o problema de Prost é que nunca conseguiu justificar as valentes tareias de tempo que Senna lhe deu e não foi só em 1989 foi também em 1988 onde chegou quase a tomar 2 segundos no mónaco, Prost foi totalmente sodomizado em 2 anos e como não conseguia aceitar ser batido de tal forma inventou a teoria da conspiração para justificar as tareias de tempo que senna lhe dava.

    E sim existem videos onboard de toda a corrida, é pura pornografia automobilistica.

    Advertência: este video não deve ser visto sobre quem acha que o Halo, o DRS e os pilotos nutella são o máximo…podem tomar choque.

    https://www.youtube.com/watch?v=TSXsCu5hcp8

    • Luiz disse:

      CAra. Assisto F1 desde 1983. E não concordo com você. É lógico que em 1989 (assisti ao vivo essa prova, de madrugada é claro) éramos totalmente direcionados à torcida cega, fanatismo em relação ao SENNA. Mesmo eu tendo visto Piquet em 83 e 87 ser campeão. O lance com o Senna era mais forte. Não existia internet. era o que o Galvão falava. Mas hoje, analisando friamente, mereceu ser desqualificado. Posso não concordar com você, sendo um torcedor roots, não nutella? Ta aí.

      • Tag-Heuer disse:

        Caro torcedor, que assistiu ao vivo a corrida em questão……….Discordar é um direito seu, mas tudo que aconteceu naquela corrida é bem claro e nítido pra quem quiser enxergar, claro isso não envolve os anti-Sennas ou Piquetistas de plantão. O filme do Kapadia sobre o Ayrton relata de maneira bem fiel os acontecimentos na ordem em que aconteceram……Ayrton é o último a pisar na sala dos comissários onde já estavam Balestre, Prost e Dennis. Em sua defesa, a Mclaren expõe de forma categórica, o quão ridícula, esdrúxula e sem nexo era a acusação da FIA para tirar a vitória do Ayrton…….não vou explicar aqui pra vc porquê vc realmente já deve saber que a área de escape era pra ser usada em situações como a que ocorreu na corrida em Suzuka. Só mesmo um cara como o Flávio Gomes, que todos sabem ser um desafeto de Ayrton, em seu Blog mais que tendencioso, pra ter esse ponto de vista. Repito: SÓ ELE, O PROST, O FALECIDO BALESTRE E OS ANTI-SENNA, pra pensar dessa forma!

      • Micromax disse:

        Outra coisa que o sabidão do Flávio Gomes esquece de mencionar é a queima de largada mais escandalosa dos anos 80 que o Narigudo comete, mas claro, os detalhes são apenas levantados quando o Ayrton cometia um pequeno deslize, ou ainda, pelos japoneses “favorecerem” o piloto mais rápido que já existiu. O Prost cria toda aquela conversa de que Ayrton era favorecido, que era desonesto, etc porque estava levando a maior surra de sua carreira por um companheiro de equipe, kkkkk o resto é chororô de reporter recalcado! Pronto falei!

      • Taca-Hora disse:

        E querem saber? Vocês nunca vão aceitar que um tri, mesmo com um título ganho nos descartes e outro ganho na vigarice da largada, é maior que um hepta!

      • Micromaxo disse:

        Falou bonito, viúva amiga! Essas schukruzetes comandadas pelo Flavio Gomes esquecem de mencionar a queima de fogos… hi, não!

        Falei besteira…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *