MENU

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020 - 18:24F-1

ASTON POINT

RIO (decolando) – Ou seria Racing Martin? Ou Force Martin? Ou India Point?

Estamos brincando aqui, mas o cara tem muito dinheiro. Lawrence Stroll, papis de Lance, comprou uma cacetada de ações da Aston Martin, que hoje patrocina a Rd Bull, e pretende rebatizar a equipe onde corre o filho — que já é dele (a equipe, não o filho; o filho também, ok) — no ano que vem.

Felizmente o horroroso nome Racing Point vai desaparecer, e se é para entrar uma marca de carros, esportivos ainda, melhor. Gostamos. Aliás, desafio alguém a encontrar equipe que mudou mais de nome que essa. Para quem não lembra, nasceu como Jordan em 1991 e assim foi até 2005. Em 2006, vendida para um fundo de investimento, virou Midland, foi revendida para a Spyker no meio da temporda, renomeou-se MF1 e, em 2007, assumiu a denominação Spyker de vez — uma fábrica holandesa de carros esportivos que nem sei se existe mais (procurem ai!).

Em 2008, Vijay Mallya, empresário e trambiqueiro indiano, assumiu o controle do time, que passou a se chamar Force India. No meio de 2018, Lawrence entrou no circuito, já que a equipe estava falindo e Mallya não conseguia se desenrolar da polícia, e mudou o nome para Racing Point. Em 2021, será Aston Martin.

Jordan, Midland, MF1, Spyker, Force India, Racing Point, Aston Martin. Longa jornada. O milagre da sobrevivência.

A notícia meio que invalida a tese de ontem sobre a qual falei no “GP às 10”, a saber: a possibilidade de Stroll-pai, acionista da fábrica inglesa de automóveis chiques, comprar a Mercedes para rebatizá-la como Aston Martin, caso a montadora alemã decida picar a mula. A ideia anunciada é ficar mesmo com a estrutura da Racing Point.

Mas o futuro da Mercedes segue incerto.

15 comentários

  1. Tadeu disse:

    Aliás, agora estou em dúvida sobre a atual situação da Spyker… As páginas oficiais da marca não são atualizadas desde 2017. No Google não encontrei nenhuma informação sobre encerramento de atividades….

  2. Tadeu disse:

    A Spyker ainda existe, mas infelizmente abandonaram o automobilismo. Algum tempo após saírem da F-1, largaram o GT também… Pena.

  3. Fernando Carvalho disse:

    Certa vez lí que a F1 era uma grande “lavanderia “……

  4. Tales Bonato disse:

    Ninguém segura o Lawrence da Canádia.

  5. Tarcísio Frascino Fonseca disse:

    A Spyker ainda existe
    http://www.spykercars.com/

  6. Speed Racer da Mooca disse:

    Me baseando pelo último GP às 10 com o Victor Martins, concluo, ou melhor, opino: “A (hoje) Racing Point utiliza motores Mercedes e, provavelmente, vai continuar a usar. A Mercedes é acionista da Aston Martin. Toto Wolf, caso a Mercedes “vaze”, estará livre pra trabalhar onde quiser. Hoje em dia Toto e Stroll-Pai são próximos. Assim, penso não ser impossível a futura Aston Martin vir à ser a equipe “principal” das que usarão motores Mercedes, como foi a McLaren no passado. E penso também que o cará será visualmente horroroso se utilizar a cor tradicional de equipe inglesa, o verde, com o patrocínio rosa da BWT e o azul da Sport Pesa.

  7. PRNDSL disse:

    E o pai do Latifi … que é conhecidamente mais rico que o Stroll, o que deve aprontar?

  8. Marcio Almeida disse:

    Flávio,

    Nada a ver com o assunto do tópico. Mas você não acha muito oportuno o Alonso dar entrevista se dizendo arrependido de ter criticado a Honda, justo no momento em que negocia com a Andretti, cuja Honda tem poder de veto?

    Abs

  9. Ricardo Bigliazzi disse:

    Muito dificil para Mercedes continuar a investir depois de tudo o que ganhou. Mais um titulo não seria tão impactante para Ela como seria para o Hamilton,

    Retornará quando o Hidrogênio apimentar a F-1.

    • Ricardo Bigliazzi disse:

      Off Topic… e o idiota do Alonso?!?! Agora está se mostrando como a “Maria Arrependida do Século XXI”… chega a ser patética a sua postura.

      “Motor de GP2” sim… “Motor de GP2” sim!!!

      Seria bom ninguém esquecer as coisas que o “Sr. Eu não sabia” já fez na F-1… só falta dizer que “não sabia” que os radios da F-1 são gravados e a detentora dos direitos da F-1 podem publica-los. Esse cidadão menospreza a inteligência do resto da população mundial.

      São por essas e outras que o considero um dos maiores pulhas que já passou pela F-1.

  10. João Chequetto Jr disse:

    Talvez a decisão de ficar com a estrutura da Racing Point, seja um indício de que eles já saibam de uma posição da Mercedes em permanecer pra 2021..

  11. Amaral disse:

    Independente do nome, uma coisa é certa! Stroll(pício) será um dos pilotos. E assim ele vai fazer 50 anos correndo na f1.
    Ele não corre o risco de bater o recorde do Hulkemberg, visto que já tem um pódio na categoria (momento vaca no poste supremo, mas só tem sorte quem põe a cara pra bater, não é, Kubica?). Agora o objetivo principal é não ser um Andrea de Cesaris. No mau sentido da referência.
    Odeio ver equipes morrerem. Assim, mesmo sendo essa estrovenga (com trocadilho) toda, vamos lá. Vida longa a Racing India Force Aston Point Martin.

  12. lagerbeer disse:

    Alternativa 1: a Honda (re)compra o espolio da Mercedes e a equipe volta a se chamar Tyrrell, BAR … vc escolhe… alternativa 2: Toto Wolff assume, e a F1 volta a ter uma Wolff Racing novamente … ou TOTO Racing (!!)… kkkkkk

  13. Leo Cardoso disse:

    Acho que Checo Perez vai se dar muito bem nessa merda e torço muito para que Toto vá para a equipe porque com certeza essa Mercedes-Tyrrel vai acabar.. mas não a Aston-Jordan.

    Acho que Checo vai se dar muuuuito bem.

    ps- Hamilton na Ferrari e Vettel aposentando ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *