DICA DO DIA

RIO (que charlatão!) – Antes de mais nada, perdoem um ou outro probleminha no blog por estes dias. Como se nota, mudamos um pouco o layout e a navegação e temos alguns ajustes a fazer. Na internet é tudo assim. No começo a gente estranha, fica com raiva, mas depois se acostuma. A dica de hoje é do Jean Tosetto, que escreve:

Antes de ser escalado para o papel de James Bond, no começo dos anos de 1970, o ator Roger Moore foi o astro da série de TV “The Saint”. Num episódio que foi ao ar em 1965, o protagonista financia um construtor de carros de corridas, seguidamente prejudicado por um concorrente suspeito. Para descobrir o real culpado pelas sabotagens, que incluem um incêndio na garagem do time, o “Santo” resolve pilotar, ele mesmo, um Fórmula 1.

As imagens utilizadas para o episódio foram captadas durante o Grande Prêmio da Inglaterra de 1964, em Brands Hatch. Em algumas cenas, é possível ver Jack Brabham em ação, com seu Brabham-Climax nº 5 saindo do pit lane, observando o carro nº 6, do companheiro de equipe Dan Gurney. John Surtees, em sua Ferrari nº 7, também aparece. Na corrida real, Jim Clark ficou em primeiro, com Graham Hill em segundo.

Para quem não entende inglês e quer ir direto para o clímax da história, a ação decisiva na pista começa em 40min50, mas há várias passagens interessantes sobre o ambiente da Fórmula 1, ao longo de toda a narrativa – um interessante registro do esporte, anterior ao filme “Grand Prix”, de 1966.

Comentários