Comentários

  • Muito alvoroço. A MERCEDES tem inúmeras vantagens e só não enchem o saco por que a F1 é inglesa, o HAmilton é inglês. Tão pegando no pé da italianada, mas desconsideram que a única emoção que tivemos em 2019 foi quando a Ferrari fez essa trapaça boa. Foi bom para o telespectador. Inglesada chata. Querem colar o 7o titulo no Hamilton para empatar com o alemão. Aí depois vão deixar ter corrida de novo.

  • Esse alvoroço todo vindo de leigos seria normal, mas de você, não; você deve saber que esse sigilo está expressamente previsto no Código Disciplinar da FIA (Judicial and Disciplinary Rules).

    Art. 4, item II:
    “After the inquiry, and in view of the information gathered during it, the prosecuting body may draw up an
    inquiry report and decide:
    a) to close the case, or
    b) to bring the matter before the IT.
    The prosecuting body may also enter into a settlement agreement to terminate the procedure.”

    Art. 4, item VI:
    “The prosecuting body and all persons taking part in the inquiry are bound by an obligation of confidentiality vis‐à‐vis persons or organisations not concerned with the inquiry. Nevertheless, the prosecuting body may at any time make public its decision to conduct a disciplinary inquiry and the outcome thereof”

    Essas regras foram aprovadas com o beneplácito de todas as equipes, e etão em vigor já há tempo. E se contaram com a concordância de todas as equipes, é porque poderiam beneficiá-las também.
    Quer dizer, é uma gritaria sem sentido, porque ninguém está pedindo para mudar o regulamento, torná-lo mais transparente e tal; é só para fazer barulho, conscientes de que a FIA não está em nada errada sobre o sigilo. E imagino que, em função de sua profissão, você também saiba disso, Flavio. Então, por que essa indignação?
    E mais, aqui essa prosa está atrasada, porque na Europa (Alemanha, Itália e GB) a análise do caso já está um passo adiante: é saber como Mercedes e Red Bull, principalmente, que foram as equipes que indicaram à FIA “off record” a possibilidade de irregularidades especificamente no fluxômetro, tiveram acesso a essa informação. Cogita-se se essa informação veio de dentro da Ferrari, e se ela configuraria violação a segredo industrial, o que poderia gerar um processo pesadíssimo contra a FIA (já que as equipes denunciantes não deram a cara à tapa). E isso faz todo o sentido, pois se a FIA concluiu que as investigações não apontaram hipótese concreta de violação às regras (“The FIA was not fully satisfied but decided that further action would not necessarily result in a conclusive case due to the complexity of the matter and the material impossibility to provide the unequivocal evidence of a breach”, trecho do comunicado oficial), como as demais equipes poderiam reclamar que devia haver punição à Ferrari? Só se estivessem de posse de informações privilegiadas. Mas em uma corte, em um eventual processo, essas equipes precisariam provar essas alegações, o que faria cair na violação de segredo industrial.
    Enfim, much ado about nothing.

    • Pode estar até escrito no regulamento. Podia estar escrito em pedra.
      Mas que é feio é. Muito. Que é imoral é. Que abre precedentes perigosos sim.
      Entendo que não se deveria falar em violação de segredo industrial quando há um regulamento que impõe normas sobre especificações técnicas e uma das equipes viola uma dessas especificações e ganha vantagem por ter violado essa especificação.
      Isso é igual doping. Ao que entendi, em vez de dopar os pilotos, doparam o carro.
      Quer dizer que não faremos mais exames antidoping porque isso vai violar a privacidade dos atletas em relação ao direito de escolher do que se alimentam, se medicam e suplementam? Não faz sentido num mundo em que competições de alto nível se medem em centésimos de segundo, e que, sim, os atletas precisam chegar ao maior condicionamento e rendimento possíveis, mas submetidos a regras mínimas de ética, controle e bom senso em relação ao próprio corpo.

    • Engraçado, o artigo 4o. Item VI também menciona que os investigadores podem tornar público, a qualquer momento, sua decisão, a fim de conduzir inquéritos disciplinares. Isso o coleguinha não menciona em sua indignação contra o blogueiro.

  • A FIA, que eu saiba, não pode punir resultados conquistados por irregularidades em temporadas passadas.
    Foi devido a isso, que as vitórias vergonhosas de Alonso e da Renault foram mantidas em Singapura/2008.

  • É a Ferrari, imagine um escândalo somado a um péssimo carro.

    Queiramos ou não Formula 1 sem a Ferrari não dá. Todo mundo ficará bem bicudinho mas vai passar rápido.

    Alguém se lembra da Mclarem quando espionou a Ferrari? Deu em nada… e ninguém se explicou direito… muito falaram “eu não sabia…”

  • Flávio…desculpe falar aqui neste.post..mas leio 3 vezes por dia seu Blog… Esse formato novo….AO MENOS NO MEU CELULAR QUE LEIO..tá osso..
    Se der ou puder mudar ..blz… Mas.fica o registro