LÁ VEM ALONSO

RIO (bem-vindo) – Longe da F-1 desde o fim de 2018, Fernando Alonso deverá ser anunciado pela Renault nas próximas semanas para substituir Daniel Ricciardo a partir do ano que vem. A notícia vem da BBC inglesa, assinada por Andrew Benson, um dos mais bem informados jornalistas europeus. Pela equipe francesa, El Fodón de la Pensión foi bicampeão do mundo em 2005 e 2006. Tem 32 vitórias no currículo, 22 poles, 97 pódios, três vices pela Ferrari (2010, 2012 e 2013) e uma carreira de altos e baixos das mais interessantes da história da categoria.

Fernandinho passou seus últimos quatro anos na F-1 batendo cabeça na McLaren, que abrigou a Honda na sua volta ao “mainstream” do automobilismo mundial. Foram três temporadas reclamando, de 2015 a 2017, inconformado com a falta de potência e confiabilidade dos motores japoneses. No último ano, o time passou a usar Renault. Ano que vem vai de Mercedes.

Nesse período, Alonso deu seus pulinhos na Indy e em Le Mans. Pela Toyota, no WEC, ganhou corridas e títulos — não era muito difícil. Nos EUA, fez uma primeira tentativa de ganhar as 500 Milhas em 2017, chegou a liderar algumas voltas, e depois passou pelo vexame de não se classificar para a corrida em 2019. Vai tentar neste ano de novo.

Alonso é uma figura, e figuras como ele fazem bem à F-1. Volta, porém, pensando em 2022. No ano que vem, os carros não mudam e nada indica que a Renault dará um salto de qualidade capaz de levá-la a um papel de protagonismo no Mundial. Mas será legal vê-lo de volta. O cara, apesar de tudo, é bem melhor do que seus números — por si bastante bons, mas não superlativos como os de Schumacher, Vettel e Hamilton, por exemplo — indicam.

Comentários