Comentários

  • Prezado F&G : El Fodon ( F.Alonso) e Don Sebastião ( S.Vettel), são únicos e talentosos campeões, tanto que não precisam provar nada seus títulos saltam aos olhos, o que ocorre são períodos de má fase, e péssima adaptação para algumas inovações nos projetos dos F-1, com a mudança de equipe sim, precisa ter um novo aprendizado, primeiro nos comandos do volante, depois refiro-me ao pacote motor a combustão e o conjunto de energia , a gama de experiência em pista dos dois pilotos acrescenta muita coisa aos engenheiros , porém nos próximos dois anos as três maiores estrelas das F-1, vão estar fora das pistas e Max, Norris, Occon, Carlos e Charles, vão ser as peças chaves da F-1, teremos futuras Zebras : Russel e Gasly.

  • Eu penso de forma diferente. Os carros da Aston e da Alpine, que mal começaram a correr, é deveriam parar.
    E para provar o que estou dizendo, bastaria colocar Hamilton / Bottas na Aston ou na Alpine (a escolher), e Vettel / Alonso na Mercedes.
    O resultado seria o que vemos hoje, só que com pilotos trocados.

  • Dá para perceber que a volta do Alonso não valeu de nada até aqui por estar bem distante do seu auge, e o Vettel se chegar em décimo já vale o campeonato por inteiro por estar zerado, então podemos dizer que os dois deveriam estar parados deixando a nova geração chegar, isso também vale para o Vovô Kimi Raikkonen que está na F-1 bem além da conta brigando por migalhas na Alfa Romeo.

  • Acho que foi a chegada dos filhos. E no caso de Vettel, não sei se teve toda essa “escolha” pela Aston Martin, não. Foi lá e pegou a vaga que tinha. Era isso, ou ano sabático.

  • Excelente e muito polido comentário. Porém…. Falta um ingrediente nessa equação: 2022. Eu se estivesse na pele de qualquer um deles e colocaria Kimi nesse balaio de anciões esperaria até 2022 pra ver o que vai acontecer. Vide o que já vimos no passado na F1 quando as regras dão uma guinada tão grande como acontecerá na próxima temporada.
    A Aston Martin e Alpine podem voltar uma draga, ou qualquer uma das duas pode voltar ganhando tudo, a Brawn fez isso e a MacLaren por outro lado, virou uma bagaçadepois da era hybrida.
    No mais, Alonso sempre se disse mais piloto do que realmente foi e Vettel esqueceu o talento em alguma curva pelo caminho e sabe se lá se vai encontra-lo novamente. Mas que seria épico ver esses dois disputando curvas pelo primeiros lugares, isso seria. Ou ainda será???

  • VETTEL deveria parar, na verdade torço para ele parar, pelo simples fato de ele aparentar não estar feliz na F1. Desde que iniciou a era híbrida nunca se acertou com estes carros. Isso gerou grande frustração. E quem acompanha F1 nota o olhar triste ou decepcionada do cara, é só olhar as fotos. Ganhou tudo 4 anos seguido, 4 títulos, e agora está no fundão. Isso acaba com qualquer um. e não entendo por que já não parou. Note que esse desânimo pode começar a tomar conta de outros pilotos, como VERSTAPPEN, que já poderia ter sido campeão não fosse o domínio do carro da Mercedes. E provavelmente jovens como LECLERC, e outros promissores não terão a chance de mostrar todo o seu potencial. Sem ter o melhor carro, não tem como ser o melhor piloto. Ao meu ver VERSTAPPEN é o melhor piloto atualmente, mas sem título, logo será esquecido.

  • Alonso já parou, mas ainda não sabe, piloto mais superestimado dos últimos 20 anos, fácil. Andou pra trás desde que entrou na McLaren em 2015 e sua única corrida digna de nota em todos esses anos foram as 500 Milhas de Indianápolis de 2017 e só, Dakar foi mediano e ganhou Le Mans com uma equipe que corria sozinha em sua classe (LMP1 H) e com ordens do Sr. Toyota em pessoa, tanto que no ano seguinte andou atrás do outro carro a corrida inteira e só levou por conta de um problema do outro trio. O passeio que leva de Ocon esse ano diz tudo, imagina se no outro cockpit estivesse um Leclerc, um Norris ou Russell da vida.

    Quanto a Vettel, é mais óbvio ainda, infelizmente tudo que se falava do fator carro nos anos de Red Bull se mostrou verdadeiro, mais novo que Alonso, dá pra tentar pegar a próxima geração de carros pelo chifre e sair com alguma dignidade depois.

  • Não sou muito fã do Alonso não, apesar de seu talento ser inquestionável. E o cara vai fazer 40. Por mais preparado que seja, faz diferença.
    Já o Vettel vai fazer 34. Muito jovem. Parece mesmo sem motivação nenhuma. Parece que não se adapta a esses carros, como você mesmo já comentou em outro video, Flávio.

    Abs

    • ‘Se a consulente se refere a uma variante dialectal ou popular brasileira de velho, saiba que a forma em causa não está fixada nem em dicionários nem em prontuários. Seria possível, de acordo com o Formulário Ortográfico de 1943 (XII, 6.ª), escrever “véio”, com acento em “éi”, como forma de indicar que a vogal representada por e é aberta, tal como acontecia com idéia, no português do Brasil. Mas o novo acordo (Base IX, 4) veio alterar este critério: hoje as palavras paroxítonas cuja sílaba tónica tem por núcleo um ditongo aberto (éi, ói) escrevem-se sem acento — daí ideia e, pela mesma lógica, “veio”, que acaba por se confundir com veio, 3.ª pessoa do singular do pretérito perfeito do verbo vir, e veio, «filão», substantivo masculino. Mesmo assim, visto manter-se acento gráfico com função diferencial em certos casos de palavras paroxítona (p. ex., pode ~ pôde), não me parece que o acordo seja posto em causa se escrevermos “véio”, de modo a distinguirmos de veio (verbo e substantivo).

      Resta-me assinalar que a grafia em apreço é legítima na escrita apenas se a intenção do seu uso for reproduzir a fala popular. Não deve, por isso, ser empregada noutras instâncias discursivas.’

      in Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/a-corruptela-veio–velho-brasil/29356 [consultado em 18-05-2021]

      Resumindo, optei pelo novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

  • Alonso superior ao Vettel atualmente, levando em conta os respectivos companheiros, a atividade de ambos nos últimos anos e realmente vc está certo, quem tem que decidir parar ou continuar são eles, enquanto estiverem a receber ofertas de emprego é claro.