SOBRE ONTEM DE MANHÃ

Hamilton com a bandeira: vitória suada e polêmica

SÃO PAULO(tinha melhores) – Não sei se fiz a melhor escolha de foto para representar o GP da Inglaterra. Mais significativa seria, claro, uma do acidente. Verstappen no muro todo grogue, por exemplo. Mas usei ontem. Vai essa mesmo. Para servir como gancho para a primeira informação relevante deste rescaldão.

Estão vendo a única roda que aparece na imagem aí em cima? Pois é. A Mercedes informou hoje que se não fosse a bandeira vermelha depois da batida de Max, Hamilton também teria de abandonar a corrida. Porque a roda dianteira esquerda, no choque com a traseira direita da Red Bull, quebrou. Como é permitido mexer em algumas coisas nos carros enquanto a prova não recomeça, a equipe pôde trocar pneus e rodas. E salvou a corrida do heptacampeão.

É o que eu disse ontem… Numa situação como a da primeira volta em Silverstone, em que nenhum dos dois tira o pé, o resultado é sempre o mesmo: acaba batendo. As consequências dessas batidas é que variam. Às vezes, os dois se dão mal — Hamilton e Rosberg em Barcelona/2016. Em outras, apenas um — Verstappen ontem. Mas o detalhe da roda de Lewis não pode ser desprezado. Se Max tivesse apenas atolado na brita e a barreira de pneus não tivesse de ser reconstruída, teríamos tido bandeira amarela, safety-car, e Hamilton não poderia trocar a roda. Abandonaria, ou faria uma parada que acabaria com suas chances. E os dois teriam se dado mal.

Tudo para dizer que é exagero alguém imaginar que o inglês calculou precisamente o que iria acontecer se mantendo um pouco mais no meio da pista na Copse. Não dá para prever o desfecho exato de uma refrega como aquela. Sigo com minha avaliação inicial: incidente de corrida provocado por uma disputa um pouquinho acima do tom. E os dois pilotos subiram o timbre. Não foi só Hamilton, não.

Senna em Detroit: desagravo após eliminação do Brasil na Copa

Vou me apropriar, na cara dura, de duas postagens feitas por colegas nas redes sociais, começando com a da minha querida Alessandra Alves, hoje comentarista da BandNews FM. Ao se referir ao desfile de Hamilton com a bandeira inglesa depois de ganhar a corrida, ela lembrou uma curiosa coincidência. Quando Senna fez isso pela primeira vez, ao vencer o GP dos EUA de 1986 em Detroit, o Brasil havia sido eliminado na véspera da Copa do México pela França, nos pênaltis. Os engenheiros da Renault passaram o dia enchendo seu saco. Agora, Lewis repetiu o gesto também depois de uma derrota traumática da seleção de seu país. Uma semana antes, a Inglaterra perdeu a Eurocopa para a Itália em Wembley.

A outra postagem é do meu amigo Cássio Cortes, ex-Acelerados. Ele escreveu que a rivalidade entre Hamilton e Verstappen, depois do que aconteceu domingo, nunca mais será a mesma. Os encontros na pista ganham novo tempero. Foi um divisor de águas, motivado pela reação irada do holandês e de sua equipe. Lembra, de certa forma, de episódios que elevaram outras rivalidades para um patamar bem pouco civilizado. Como entre Senna e Prost, a partir do momento em que o brasileiro espremeu o francês no muro no Estoril, em 1988. Ou Vettel x Webber depois do acidente entre ambos na Turquia em 2010. Ou ainda Hamilton x Rosberg no já mencionado GP da Espanha de 2016. E também Verstappen x Ricciardo depois de Baku/2018 — o australiano, no fim do ano, pegou a mala e foi embora.

Tem toda razão, o Cássio. Nada será como antes entre esses dois. Podemos esperar os próximos capítulos. É só preparar o saquinho de pipoca.

Hamilton: alvo de racismo em redes sociais

Uma das consequências da divisão de opiniões sobre o acidente da primeira volta foi o indecente ataque que Hamilton passou a sofrer nas redes sociais por parte de torcedores de Verstappen ou simplesmente de seus “haters”. Como sempre acontece nesses casos, as ofensas derivaram para o racismo. Aqui no Brasil, Max vai ganhando uma legião de fãs que não por acaso, em muitos momentos, se identifica com o saco de bosta do Planalto. Talvez porque ele seja namorado da filha de um bolsonarista empedernido que se revelou tristemente em suas últimas entrevistas e declarações.

Não falha nunca.

SILVERSTONE BY MASILI

E nosso cartunista oficial Marcelo Masili se refere ao tema em sua magnífica charge de hoje. Como sempre, olhar arguto sobre algo que a gente não pode nunca, mas nunca mesmo, ignorar.

Verstappen e Hamilton já se encontraram outras vezes na pista nesta temporada, e nas três ocasiões, apesar da potencial fricção, ninguém saiu xingando ninguém. No Bahrein, Lewis venceu a corrida ao armar uma arapuca para que o holandês o ultrapassasse fora dos limites da pista. Max caiu que nem um patinho, foi punido, terminou em segundo e engoliu o choro.

Em Ímola e Barcelona, Hamilton teve de tirar o pé mais de uma vez para evitar batidas diante do assédio agressivo do piloto da Red Bull. Era o tal negócio. Estava liderando o campeonato, tinha mais a perder. Melhor dar uma recolhida do que acabar no muro. Mas o jogo virou, e agora os ventos sopram pró-Verstappen. Quem não tem muito a perder é o piloto da Mercedes. E isso explica o que fez ontem. Cabe a Max virar a chavinha e entender que agora a caça é ele. E quem está sendo caçado precisa ser esperto, não pode se expor tanto. Pelo menos é o que acho. Vamos ver como será na próxima corrida. Os ânimos estarão exaltados. Mas teremos vingança?

Abaixo, uma pista.

A FRASE DA INGLATERRA

“Não vamos nos rebaixar ao nível da Mercedes”

Helmut Marko

Uia!

Está dado o recado pelo guru da Red Bull. Segundo ele, Max já está de volta a Mônaco, onde mora, e levou na bagagem seu fisioterapeuta e massagista. Sente algumas dores, mas nada de muito dramático. A pancada foi violenta. O Alexandre Neves me mandou o vídeo abaixo, tomado pelo celular de um torcedor nas arquibancadas de Silverstone. Dá uma boa ideia do impacto de Verstappen nos pneus. Ainda bem que ele saiu ileso.

E já que inovamos com videozinho no meio do “Sobre ontem…”, mais um. Vocês viram Sebastian Vettel ajudando o pessoal da limpeza a recolher o lixo das arquibancadas em Silverstone? Não? Ah, perderam! F1/status/1417031960992567297?s=20" target="_blank" rel="noreferrer noopener">Cliquem aqui e suspirem com a fofura do gesto do alemão, que é um dos caras mais legais da F-1. O mais legal, acho.

O NÚMERO DE SILVERSTONE

16

…GPs seguidos nos pontos completou Lando Norris ontem. Ele é o único que pontuou nas dez etapas desta temporada. E também marcou nas últimas seis corridas de 2020. Desde o GP da Emilia-Romagna do ano passado o inglês da McLaren termina todas as provas entre os dez primeiros colocados.

Norris: 16 corridas seguidas nos pontos com a McLaren

A Bandeirantes teve média de 4.1 pontos no Ibope (que agora não chama mais Ibope, mas vocês sabiam que o acrônimo que dava nome ao instituto de pesquisas se tornou tão popular que a palavra “ibope” consta até no Michaelis, como gilete e lambreta?), com pico de 5.3. Tem sido assim desde o começo do ano, mais ou menos metade do que dava na Globo. Já reclamei do pódio ontem, então deixa pra lá. Mas registre-se a divertida derrapada do Reginaldo Leme, que ao cumprimentar os telespectadores num dos programas do canal mandou um “boa tarde amigo da Globo”. Não perdeu o rebolado. Até porque os amigos da Globo que o viam lá, hoje o veem na nova casa. Não deixaram de ser amigos. Grande Regi!

GOSTAMOS & NÃO GOSTAMOS

Stroll: bom oitavo lugar com a Aston Martin

GOSTAMOS da oitava colocação de Lance Stroll (acima), num dia em que seu companheiro Vettel rodou sozinho e terminou fora da zona de pontos. O canadense começou mal o fim de semana, mas foi perseverante e salvou uns pontinhos importantes para a Aston Martin.

NÃO GOSTAMOS da atuação pífia de Sergio Pérez (abaixo), que jogou o fim de semana no lixo ao rodar na Sprint, sábado, tendo de largar em último. O mexicano precisa urgentemente melhorar seu desempenho em classificações. E a Red Bull não pode se dar ao luxo de zerar com um de seus carros num ano em que disputa o título de Construtores com uma equipe tão forte quando a Mercedes. Checo, apesar da vitória em Baku, ainda está devendo.

Pérez: fez a melhor volta e mais nada

Comentários

  • Caramba ele namora a filha do Piquet… tomar no cu esse bozominion… tava torcendo pra o Max. Interessante observar essa resistência de alguns para o Hamilton. Para mim era apenas torcida, assim como sempre torci para o Button e o Weber.. continuo torcendo para o Max mas com um Pe atrás.. espero uma disputa entre eles. Feroz, mas que ninguém morra.

  • Calhou que aconteceu na Copse, uma das mais rápidas curvas da temporada. Calhou de ser em Silverstone. Calhou que Hamilton venceu, após tudo.
    Mas houve um prelúdio no sábado, na sprint race, ou seja lá o nome que se queira dar.
    Hamilton tirou uma daquelas voltas únicas para garantir a primeira posição para a sprint race, Largou mal, é verdade, e Verstapen tomou a frente. Hamilton saiu à caça e tentou de todas as maneiras recuperar a primeira posição. Na pequena reta entre a Woodcote e a Copse, Verstapen ficou no meio da pista, e quanto Hamilton tentou tomar a parte interna, o holandês fechou e o piloto inglês ficou com a parte externa. Ambos chegaram lado a lado para a tomada da curva Copse, e Hamilton desacelerou e o holandês mergulhou curva adentro. Logo após isso, Verstappen pelo rádio comentou com seu engenheiro: “Almost!”.
    Quase, realmente.
    Hamilton após a corrida lamentou não ter conseguido tomar a parte interna daquela curva, E a Mercedes notou, pelos dados do gps, que naquele ponto particular o carro da Red Bull era mais vulnerável.
    Domingo Verstappen largou e imediatamente tomou a direção da parte interna da pista, tolhendo qualquer iniciativa de Hamilton. E assim foram duelando ao longo das primeiras curvas. Na reta entre a curva 5 (Arena) e a curva 8 (Booklands), Hamilton chegou a ter meio carro à frente de Verstapen, mas novamente na curva, o holandês que ficou por fora mergulhou e Hamilton recolheu. Ai novamente o trecho entre a Woodcote e a Copse. Hamilton, mais rápido, fez um movimento como se fosse tomar a parte externa da curva, mas voltou e ficou na parte interna da pista. Situação oposta aquela da sprint race no dia anterior. Hamilton movendo o carro para o ponto de tangência da curva, com o volante esterçado, quando Verstappen fez a curva como se o carro da Mercedes ali não estivesse. O resto todo mundo já sabe.
    Esse comportamento do piloto holandês já tinha sido visto em Barcelona e Ímola. Agressivo e uma maneira de intimidar seus oponentes.
    E ai surge uma pergunta: amadureceu mesmo?
    E em uma equipe que não sabe perder, e, principalmente não sabe ganhar, o que se viu foi uma série de absurdos.
    Fora o absurdo das declarações racistas nas redes sociais após a vitória de Hamilton.

  • Max já se mostrou ser mau caráter e anti esportivo, tantas foram as presepadas que fez, sendo assim, só um tipo de gente pode gostar dele, é do tipo que adora um mau caráter e anti tudo de bom e apoia um tal de mito.
    Faça-se um pesquisa e 90% dos torcedores do Max são bolsominions.

  • Nessa disputa acirrada entre Hamilton e Verstappen no mano a mano com certeza ia fazer alguém ficar no prejuízo, o Senna e o Mansell que o digam através de suas batidas em disputas acirradas, o Hamilton também iria abandonar, mas acabou salvo pelo gongo graças a bandeira vermelha.
    Agora essa polêmica com o Hamilton por causa desse toque em Verstappen, a F-1 tem um milhão de batidas, até proposital entre Senna e Prost, se for nesse sentido nem o Senna escapa de uma polêmica como essa, o pior disso tudo são os ataques racistas que o Hamilton sofreu e vem sofrendo valendo como uma condenação a morte.
    Norris com 16 corridas seguidas nos pontos com a McLaren, se não acontecer nada parece que o Norris vai até o final do campeonato pontuando.
    Hamilton fez bonito desfilando com a bandeira depois da vitória, algumas pessoas lembram do Senna, principalmente os brasileiros.
    A Band não transmitiu o pódio da F-1 para mostrar a Porsche Cup que nem audiência costuma ter, e se a única derrapada do Reginaldo Leme fosse falar “boa tarde amigo da Globo”, estaríamos felizes.
    Gostamos: Stroll fez um bom oitavo lugar com a Aston Martin, mas quem fez bonito desequilibrando sua Ferrari deficiente foi Leclerc que quase venceu e foi segundo.
    Não Gostamos: Pérez jogou fora sua corrida com seu erro na mini-corrida Sprint no sábado, fez uma melhor volta fora da zona de pontuação que acabou não valendo nada, e o resultado final do Pérez nessa corrida acabou sendo um zero à esquerda.

  • Hamilton é especialista nesse quesito, quando vai ser ultrapassado e está pelo lado interno da curva, já fez exatamente igual com o Albon, na primeira corrida desse ano, Max o ultrapassou por fora, mas Lewis espalhou e Max saiu fora dos limites da pista e teve que devolver a posição.

  • Incrível como o Hamilton (fá incondicional do Senna) se parece mais com o Senna a cada dia que passa, são inúmeros os motivos: determinação, velocidade, competitividade, obstinação, determinação, preocupação com o social, sede de vitórias, amadurecimento com o passar dos anos, um rei nas classificações, um espetacular piloto na chuva e muitos outros pontos… nessa ultima prova chegou inclusive a clonar o Senna naquela curva em Suzuka onde deu um “beijinho” na roda traseira direita do Prost… também com a Bandeira da Grã-Bretanha empunhada no final da prova… só faltou o “Tã,Tã, Tã… Tã, Tã, Tã…”

    Segue o jogo, torço pela Formula-1, sinceramente não gostei do que aconteceu no GP da Inglaterra, mas é da vida, sorte que o Verstapen resistiu bem a montanha de “G´s” no momento da panca, não falecendo como o ídolo do Hamilton… “Santo Hans”.

  • Comentário atrasado, grande chance de nem ser lido, paciência:
    Mercedes fazendo média e se vitimizando quando afirma que, se não fosse pela bandeira vermelha, Hamilton também abandonaria, por conta da roda danificada.
    Como assim?
    Bastaria fazer um pitstop extra, trocar as 4 e voltar para a prova, simples assim!
    Ok, teriam 1 parada a mais, mesmo assim ainda chegariam bem, como ficou provado com a vitória, mesmo com os 10 segundos de punição.

  • Sobre o ex-piloto 3x campeão…blz, respeitava e tal, pelo conhecimento que tinha de carros e, claro campeão é campeão. Agora o que mais me irrita é essa mania de achar que o ele fala é lei… Outra coisa, fiquei decepcionado, não que ele tenha que agir como gostaria, mas Reginaldo Leme, é educado demais, pra não dizer outra coisa, no episódio da estréia da F1 na Band… quando o ex-piloto começou a k…a…h pela boca. Regi, na opinião, deveria ter feito ele calar a boca, tem ou teria invergadura pra isso, mas preferiu o silêncio. Sinceramente, já passou da hora de alguém falar pra ele calar a boca e vai bater piquete em outro lugar.

  • Pra quem não está polarizado entre Max e Lewis (afff… mais essa) e quer uma boa análise, técnica e com imagens realmente esclarecedoras sobre o acidente, acho que deveriam ver a análise do Jolyon Palmer, no canal oficial da F1 (https://youtu.be/Rp0GG4y3is8). Race incident!! No more… no less!! Lewis causou o acidente? Sim. Mas Max também causou, pois continuo a fazer a curva mesmo sabendo que a Mercedes estava ao seu lado. Ou seja, poderia ter evitado e não aliviou. Assumiu o risco. Para mim, parabenizo os dois pelo espírito lutador! That’s racing, right? Para os que acham que a punição para Lewis foi branda, respondam sinceramente (sei que pode ser difícil): e se o Hamilton saísse com um pneu furado e o Max continuasse na corrida? Qual seria a avaliação de vocês?

  • Helmut Marko contratou um advogado para investigar a batida entre Max e Lewis!!!!

    Meu comentário será feito com a frase mais famosa do escritor Robert Anson Heilein (1907-1988) : “Nunca subestime o poder da estupidez humana”

  • Atacar o Hamilton é coisa de gente pequena, deixe ele regozijar com seu status de campeão das pistas e das causas sociais. O inimigo aqui é Toto Wolff e seus blue caps, o palerma austríaco que representa a marca dos carros de velho.

    O único pecado de Hamilton é ter que representar essa marca execrável

  • Checo está devendo porque a equipe espera que ele atue melhor, ainda mais quando o outro carro sai da corrida. Desse jeito, o Hemult Marko não deixará que a equipe renove o contrato. Aliás, acho que o consultor austríaco atrapalha demais.

  • Acidente de corrida. Ninguém afinou, o toque foi inevitável, mas ninguém jogou o carro em cima de ninguém, a comparação deste acidente com a batida do Senna no Prost em 1990 é estapafúrdia.
    O campeonato vai pegar fogo daqui pra frente. Gostamos.

  • O circo pegou fogo agora.
    Max segue o favorito ao título por ter mais carro. Mas o adversário é melhor que ele, e isso acaba equilibrando as coisas. Não tem como perder a próxima corrida.
    Sobre Pérez, ano que vem ele estará fora da Red Bull. Pilotos melhores que ele estão aos montes no grid (e fora dele). O mexicano pode nascer mais 30 vezes, que jamais terá talento para pilotar em equipe de ponta. Pérez é isso que estamos vendo, são 200 largadas na F1.
    Imagino um cenário já à algum tempo. Se a Mercedes puxar Russel para pilotar junto com o comandante, Bottas irá para Red Bull. Várias vezes Horner já mencionou que precisava de um piloto na Red Bull com a performance que Bottas tem na Mercedes.
    Além disso há o fato do finlandês estar a 5 anos no maior rival, podendo trazer informações importantes para a equipe. Sem contar que carro do ano que vem será totalmente novo o que requer um piloto experiente, acostumado a andar na frente, que suba facilmente ao pódio, que faça poles e ganhe corridas ao lado de Max.

  • Sobre o acidente entre o Hamilton e o Verstappen, plagiando aquele célebre áudio do futebol:

    “Foi nada! Foi nada! [Verstappen] Se jogou [para cima do Hamilton]. Esperou o contato, o contato veio, viu que o juiz [no caso, o diretor Michael Masi] tá marcando tudo. Bobo foi o diretor que caiu nessa. Eu não marcaria nada e ainda daria quatro pontos de punição por simulação [para o Verstappen]!”

    Se eu soubesse editar vídeos, colocaria este áudio no vídeo do acidente entre os dois. Seria muito hilário!

  • No treino Sprint, o Max trancou e fez zigue zague, nos primeiros metros. Na corrida, na primeira curva ele fez o Hamilton quase perder a segunda posição, na sequência da volta ele foi duro na disputa até que no drible que o Hamilton deu ele tentou espremer, quando chegou na curva ele estava por fora e jogou o carro pra cima do Hamilton. Ele não esperava que o Hamilton fosse jogar tão duro. Outra coisa, o Hamilton estava do lado de dentro de uma curva de alta velocidade onde não dava para ele jogar o carro mais para dentro. O Max deveria ficar atrás e tentar ultrapassar Hamilton na sequência da corrida.

  • Max é um piloto Nutella!
    Da dupla Marko / Horner acho que cabe um silencio obsequioso.
    E quem vai pedir uma investigação nos motores Honda?
    Para a RBR uma grande cortina de fumaça que ajuda a tirar a atenção do smoking gun do revival do que aconteceu com Ferrari a poucos anos.
    Quem fornecera os motores para os austríacos no novo regulamento?
    Dada a proximidade há um nome a se considerar; KTM.
    Lando Norris : anotem esse nome. Talvez seja campeão antes do holandês…

  • É óbvio que ninguém quer ver um piloto ferido, mas temos que admitir que o acidente (lance de corrida, no final das contas) vai botar fogo de verdade no campeonato. Max virá mais louco do que nunca, tentando extrair o que o carro da Red Bull não têm para ficar à frente de Hamilton, queremos mais duelos titânicos; a verdade é que se o Max ganhasse fácil a última prova, o torneio poderia começar a ficar meio modorrento.
    Ah torço por ele mas não me alinho com o posicionamento político sugerido aí, e o racismo direcionado ao Hamilton parece um zumbi que nunca descansa, como a sociedade continua tosca!

  • Flávio, acho que poderíamos incluir no tópico “NÃO GOSTAMOS” o Vettel… que rodada foi àquela?! Ainda, pelo vídeo que o torcedor fez, percebe-se como foi perigosa a porrada do Max… ainda acho que Sir Hamilton foi responsável sim pela pancada, mas respeito sua opinião, claro!

  • Flávio, acho que poderíamos adicionar ao NÃO GOSTAMOS o Vettel… Que rodada foi aquela???? E nesse vídeo feito por um torcedor, percebe-se o quanto foi assustador a porrada do Max… Ainda acho que Sir Hamilton foi responsável, respeitando su opinião, claro!!!

  • Esse pessoal que vem aqui na sua pagina e fazem comentários que são quase interminaveis seus para se ler e muito dessas pessoas não digo todas lá no finalzinho falam tipo assim; ah…tinha de falar de politica, esse pessoal que o criticam pode ter certeza FG que lá no escurinho da cabine de votação pode ter certeza que essa pessoa votou no 17na eleição passada e como se diz aquele velho filme “Eu sei o que vocês fizeram na eleição passada”. É Flavio Gomes eles não querem admitir que o Presidente deles é um perfeito IDIOTA, É meus amigos a Rapadura e2 soce mais não é mole não é…..LULA EM 2022

  • Não entendo o que tem a ver Max com Jair bolsonaro. sinceramente é onde eu acho que o mundo está ficando chato pra caralho. relacionar quem gosta de acompanhar o Max ( holandês ) que não deve nem saber quem é jair bolsonaro, só por que o rapaz namora a filha de uma pessoa que apoia o presidente. o texto é dele e ele escreve o quer , não sou quem digo se deve ou não. porem que é chato esse assunto metido em tudo é sim.

  • Bom dia Flávio !

    Perfeito sua análise. Há muito tempo, queria escrever sobre a legião de “fãs” que Verstapen ganhou. O outro site, usa notícias tendenciosas para piorar a visão dos que gostam de corridas e até a Jovem Pan começou a comentar a competição.
    A cobertura da Band, está uma merda. Igual era Globo. Vejo Reginaldo Leme muito tendencioso os demais até que não. Na corrida da França, foi um porre. Na hora da aposta de quem ganharia a corrida, Reginaldo Leme ficou em cima do muro e não criticou a estratégia da Red Bull até certificar que Verstappen iria ultrapassar Hamilton.
    O outro site também, pertence a filha de Nelson Piquet, que agora está em campanha com Bolsonaro e que começou a culpar Hamilton depois que este foi contra Deodoro e criticou o governo brasileiro.
    Até quando brasileiros médios irão ditar as regras neste Brasil ?
    Vou continuar com minha assinatura da F1Pro e ver os comentários no Paddock Grandepremio, assim continuo a assistir minhas corridas sem correr o risco de empurrarem goela abaixo, informações de merda.

    Grande abraço Flávio !

  • Quando é o Hamilton agressivo o povo só elogia, fala que tem sangue de campeão, que corrida é isso mesmo…. Com o Max, o povofala que ele foi muito agressivo, que tem que pensar no campeonato, etc. Troquem as posições dos dois e veja o resultado. Estariam todos praguejando o Max falando que bateu no Hamilton.
    E outra coisa, tem que acabar com a troca de peças e pneus na bandeira vermelha. Se estiver estropiado, abandona. Ele se arriscou também e estragou o carro. Está mais que na hora de acabar com essa palhaçada. Independente de culpa no acidente, ele foi beneficiado com a bandeira vermelha.

  • Parabéns!!!! Perfeita a sua análise em minha opinião!!!!
    “Em Ímola e Barcelona, Hamilton teve de tirar o pé mais de uma vez para evitar batidas diante do assédio agressivo do piloto da Red Bull. Era o tal negócio. Estava liderando o campeonato, tinha mais a perder. Melhor dar uma recolhida do que acabar no muro. Mas o jogo virou, e agora os ventos sopram pró-Verstappen. Quem não tem muito a perder é o piloto da Mercedes. E isso explica o que fez ontem. Cabe a Max virar a chavinha e entender que agora a caça é ele. E quem está sendo caçado precisa ser esperto, não pode se expor tanto. Pelo menos é o que acho. Vamos ver como será na próxima corrida. Os ânimos estarão exaltados. Mas teremos vingança?”

    Mas tinha que cag.. em incluir política onde não cabe?