SOBRE PIQUET

As joias guardadas por Piquet: receptador de material roubado (foto: Estadão)

SÃO PAULO (dose…) – Andam me cobrando, nas redes sociais, para escrever algo sobre Nelson Piquet — agora alçado à condição de receptador de joias roubadas pelo ex-presidente, aquela desgraça que se abateu sobre o país, a maior de todas. Como se sabe, o “Estadão” descobriu que o genocida enviou presentinhos que recebeu como titular do Alvorada para a fazenda do ex-piloto em Brasília. Entre eles, um Rolex de ouro branco cravejado de diamantes que pretendia desviar do acervo do Estado brasileiro. Livros e cartas recebidas, faz-se necessário sublinhar, foram enviados para a Biblioteca Nacional, no Rio. Nem um nem outro leriam, de qualquer maneira.

Hoje dei uma entrevista sobre o assunto ao “My News”, conduzida pela minha querida amiga Myrian Clark — fomos contemporâneos nas “Folhas”. Para quem quiser ver, o trecho está aqui. Não tenho muito mais a escrever sobre Piquet do que o que publiquei no dia 4 de julho do ano passado em minha coluna no UOL. Como o texto é fechado para assinantes, e já deixei o portal como colunista, republico aqui, sem alterações e/ou atualizações. Aos que forem ler, reforço: a coluna foi escrita em de julho de 2022. Portanto, as referências temporais (“ano passado”, “semana passada”, essas coisas) devem ser colocadas em perspectiva. Tampouco será encontrada alguma referência às posteriores notícias envolvendo Piquet, como uma insinuação de que Lula deveria morrer, a multa de R$ 5 milhões que recebeu por suas declarações racistas e homofóbicas e, agora, a guarda de material roubado em seu domicílio.

A quem interessar possa, aí está.

NOSSOS ÍDOLOS AINDA SÃO OS MESMOS. MUDEMOS, ENTÃO

Quando Nelson Piquet saiu do carro para socar Eliseo Salazar na Alemanha, em 1982, achamos o máximo. Ele merece, mesmo, onde já se viu fechar nosso piloto desse jeito?

Quando Nelson Piquet foi desclassificado do GP do Brasil semanas depois de vencer em Jacarepaguá, no mesmo ano, porque seu carro carregava um tanque de água que era esvaziado durante a corrida, depois da pesagem oficial, achamos uma injustiça – qual o problema de dar uma dribladinha marota no regulamento?

Quando Nelson Piquet bateu o carro em Ímola em 1987 e ficou sem enxergar direito, perdeu a noção de profundidade, e escondeu isso dos médicos e da equipe, colocando todos que corriam com ele em risco, achamos aquilo um exemplo de dissimulação dos mais aceitáveis, afinal acabou ganhando o campeonato.

Quando Nelson Piquet chamou Nigel Mansell de “idiota veloz” e disse que ele não tinha só a mulher mais feia do mundo, mas também a segunda, porque teria um busto dela no jardim, achamos aquilo muito engraçado e gargalhamos.

Quando Nelson Piquet insinuou que Ayrton Senna era homossexual dizendo que a imprensa deveria perguntar a ele por que o rival não gostava de mulher, achamos aquilo picante e midiático e alimentamos a história por anos.

Quando Nelson Piquet mandou colocarem para-lamas sobre as rodas do carro de seu filho para descaracterizá-lo e permitir que ele fizesse testes num ano em que treinos privados eram proibidos na Fórmula 3 brasileira, achamos que os outros estavam chorando à toa e elogiamos sua esperteza e sagacidade.

Quando Nelson Piquet deu uma entrevista ao lado de Mansell depois da gravação de um comercial para a Ford numa pista gaúcha e disse que se achava melhor que Senna porque estava vivo e o outro, morto, achamos aquilo um pouco exagerado, piada de mau gosto, talvez, mas, puxa, é o Piquet, ele sempre foi assim.

Quando Nelson Piquet resolveu revelar um ano depois do acontecido que seu filho bateu o carro de propósito em Singapura para não ser mandado embora da Renault e a Renault o mandou embora mesmo assim, não perguntamos a ele por que não botou a boca no trombone na hora, não questionamos se exporia o escândalo se o filho tivesse ficado na equipe, e tratamos pai e filho como vítimas de personagens insidiosos do paddock.

Quando Nelson Piquet foi convidado para a primeira transmissão da volta da F-1 à Band e referiu-se à emissora que deteve os direitos de TV nos 40 anos anteriores como “globolixo” no melhor estilo bolsonarista de se expressar, as pessoas no estúdio riram e os seguidores do presidente tiveram orgasmos nas redes sociais. Ah, as molecagens do Piquet!

Depois Piquet abraçou Bolsonaro e o velho da Havan. Dirigiu o Rolls Royce presidencial no infame 7 de setembro do ano passado, dia em que o indigitado percorreu o país declarando sem nenhum constrangimento suas intenções golpistas. Deu entrevistas aos mais desprezíveis entrevistadores possíveis, entre eles um dos filhos do presidente – a ele, prometeu deixar o país se a esquerda voltasse ao poder; que seja cobrado. Então sua filha começou a namorar Max Verstappen, que no ano passado se transformou no maior rival de Lewis Hamilton, o único piloto negro da história da F-1, chamado de “patrão” por fãs brasileiros. Então Verstappen ganhou o título do ano passado e o filho de Piquet, “cunhado” de Verstappen, colocou no ar um vídeo no Instagram vestindo uma camiseta na qual se lia a elegante frase “patrão é ‘meuzovo’” para comemorar a conquista de Max e debochar de Hamilton. Então Piquet deu mais uma entrevista no fim do ano passado e se referiu a Hamilton, várias vezes, como “o neguinho”, e chamou Keke Rosberg, campeão de 1982, de “bosta”, e falou que o filho deste só ganhou o campeonato de 2016 porque “o neguinho devia estar dando muito o cu” naquele ano.

Nossos ídolos ainda são os mesmos, cantou Elis Regina divinamente na letra de Belchior. O verso permite uma leitura sutilmente diferente se por “mesmos” entendermos que não nos referimos a uma lista de pessoas que nossos pais também idolatraram, e essa lista atravessa o tempo, e continuamos a idolatrar essas mesmas pessoas.

Alguns sempre foram assim, grosseiros, espertalhões, velhacos, homofóbicos, racistas, e nesse sentido sempre foram os mesmos, mesmo; nunca mudaram. E ainda assim insistimos em idolatrá-los, em perdoar seus deslizes, sua canalhice, sua abjeção, suas ofensas, seu comportamento, seus atos vis. Resistimos em admitir que idolatramos pessoas que jamais deveriam merecer nossa admiração, nem a de ninguém.

Piquet sempre foi isso aí. Errados somos nós, que para ele batemos palmas por tanto tempo sabendo quem ele é. E a cada aplauso reforçamos tudo aquilo que representa e defende, e por isso somos cúmplices históricos de sua ignomínia.

Que aceitemos nossos erros e saibamos mudar, algo que, pelo visto, Piquet não soube. Ao contrário, só piorou.

Subscribe
Notify of
guest

107 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo
Paulo
1 dia atrás

Eu sempre soube, o resumo é o seguinte, EXELENTE PILOTOE UM LIXO DE SER HUMANO. UM GATUNO SEMPRE A ESPREITA PARA LEVAR VANTAGEM COM ALGUMA FALCATRUA.

flavia rubert
flavia rubert
10 dias atrás

Excelente e triste .

Daniel Antunes
Daniel Antunes
13 dias atrás

Que texto!! Parabéns!!!

João Cosme
João Cosme
17 dias atrás

Brilhante!

Leonel
Leonel
7 meses atrás

antes de falar vejam este video https://www.youtube.com/watch?v=WWb-MESsGnw

Muchacho
Muchacho
9 meses atrás

Fui muito fã do NP, o via como um cara talentoso, criativo e perspicaz, porém o tempo quebrou esse encanto, hoje o vejo como um “trambiqueiro oportunista”, fico imaginando o que não foi descoberto ou que nem ele teve coragem de revelar. Por essa mancha eu teria dúvidas da lisura dos 3 títulos.

Britto
Britto
10 meses atrás

Sim, a maior desgraça que desabou sobre o país. Mas gora é olhar para frente, sempre bicando o retrovisor, pra não esquecer essas lamas passadas.

Fernando
Fernando
10 meses atrás

Li o texto e vi a entrevista. Tirou onda meu camarada.

Marcos Ventura Dana
Marcos Ventura Dana
10 meses atrás

Devemos excluir da história global essa criatura chamada Nelson Piquet, afinal, além de burlar regulamentos, xingar seus adversários, também batia de propósito em seus algozes para ganhar títulos mundiais… principalmente em finais de reta… sem pensar que um acidente poderia machucar seriamente ou matar seus adversários… ou ainda dar calotes milionários em credores ao redor do mundo…

Merece fuzilamento por apoiar um presidente genocida, líder de quadrilha, que matou milhares de brasileiros durante o período que esse bando governou… afinal, corrupção matou, mata e continua matando… tira dinheiro da saúde, da segurança, da educação, das estradas, dos investimentos, das estatais…

Vida longa ao líder, aquele que leva porta-retratos, remedios pessoais, roupas intimas, posteres, pedalinhos personalizados para um sitio que não é dele… ou aquele que visita, personaliza e reforma um triplex que não é de sua propriedade. Que aparelhou e bezuntou parlamentares e STF para anular até a 3º instância! Viva os canalhas! Sim, o Bozo é outro imbecil na qual se fôssemos um país minimamente sério não teria chance de chegar tão alto… não tenha politico de estimação… muito menos idolatrem um!

José Donizete
José Donizete
11 meses atrás

Sem lembrar dos tempos de corridas no Brasil e em campeonatos na Inglaterra que sempre procurou meios de burlar o regulamento e colocou tudo em um livro que deveria ser recolhido por expor todas as suas mazelas

Diego Gomes
Diego Gomes
11 meses atrás

Curioso que o Bernie também esteve envolvido em um escândalo recentemente. Pelo visto, o pupilo, que não perdia uma oportunidade de tecer elogios a ele, aprendeu direitinho com o mestre.

Adicionando um causo a esse texto, embora sem confirmação, li uma vez num comentário de um site internacional que Nigel Roebuck, correspondente automobilístico de longa data, relatou que na corrida seguinte após Reutemann ter atropelado um mecânico nos estreitos boxes de Zolder em 1981 (mesmo fim de semana do infame acidente em que um mecânico de Patrese foi abalroado na largada), um piloto ficou passando na frente do carro dele no grid e se fazendo de assustado. Roebuck nunca revelou o nome do piloto, mas cá entre nós, alguém vislumbraria algum outro piloto daquele grid, ou de qualquer outro grid da história da F1, ser capaz de tamanha canalhice? E ao estilo do texto, em outros tempos, seria considerado um “exemplo de pressão psicológica no rival”…

Marcelo
Marcelo
11 meses atrás

Quase nunca falha no Brasil : grande campeão nas pistas, gramados, quadras , etc , mais o atleta é conservador reacionário, racista , corrupto fora delas !

FJRSC
FJRSC
11 meses atrás

Finalmente, Gomes! Antes tarde do que nunca! Parabéns por reconhecer os erros! Só pessoas grandiosas pra fazer isso, aliás poucos fazem isso! Abraço amigo!

Vai Vettel!
Vai Vettel!
11 meses atrás

Piquet é aquele tipo de pessoa que se acha “o cara”. E por isso, acha que pode dizer e fazer todas as idiotices que fez ao longo do tempo.

Silvioengouveia@gmail.com
11 meses atrás

Li de novo o texto excelente do pó tô de vista escrita e do pó tô de vista “fomos idiotas em aplaudir”; assim vamos evoluir! Sempre gostei do Piquet, o piloto, mas aprendi que o Nelson, o consumidor, é um besta.

Murilo
Murilo
11 meses atrás

Me lembro quando criança tive uma oportunidade de conhecer Nelson Piquet em pessoa, ele veio a minha cidade falar com empresários no Sest/Senat sobre sua empresa a Autotrac, meu tio tinha um buffet na época e fez o cocktail do evento. Sabendo do meu interesse por corridas me convidou pra ir lá, na época não quis ir, conheci a fórmula 1 no período da febre com Ayrton Senna tendo minha preferência por ele (sem fanatismo ou ufanismo) e vendo algo em Piquet em que não gostava, mas como criança sem entender muito bem, por alguns anos depois de conhecer melhor sua carreira por textos de vários jornalistas e vídeos mudei minha visão caindo no mesmo erro de muitos de que o jeito escroto de ser era uma irreverência, um rebelde trazendo um certo arrependimento por não ter vivido esse momento. Agora adulto vejo que como criança e sua inocência caraterística já enxergava esse traço da personalidade nociva dele. Hj já não me arrependo mais, uma pena dizer isso de alguém que esportivamente foi um dos melhores de sua geração.

Last edited 11 meses atrás by Murilo
Luiz
Luiz
11 meses atrás

As tchutchucas do Carlucho resolveram atacar aqui no blog do FG…fora daqui bando de idiotas!

Alexandre Melo
Alexandre Melo
11 meses atrás

Acho isso a descrição perfeita, não só ao piloto Piquet, mas á muitas outras pessoas e “ídolos” deste país, é tempo de repensar o que desejamos realmente, de observar e criticar atitudes e palavras que venham a influenciar gerações futuras

Luiz Paes
Luiz Paes
11 meses atrás

Nunca gostei dele. As táticas desonestas, brincadeiras de mal gosto para prejudicar o Mansell, As críticas constantes aos adversários… Se formos revisitar todas as suas atitudes durante sua carreira veríamos que sempre foi um babaca.

Marcos Bassi
Marcos Bassi
11 meses atrás

Isso não é uma desculpa por todos os disparates que Piquet cometeu. Eu sou um dos que achavam engraçados seus truques e histórias.. Piquet era meu ídolo. Sempre achei ele mais piloto que o Senna. Acho que todos gostávamos mais dele por essa “sinceridade” do que pela quase “santidade” de Senna. Primeiro que os tempos mudaram. O mundo mudou, se ajustou. O que se falava lá não se tolera mais aqui, ainda bem. É só pegar o maior fenômeno da televisão lá no final de 70 começo dos 80: Os Trapalhões. Eles seriam presos hoje, por tudo que era dito em um programa. Acho que no caso de Piquet, nós fomos criados numa época que existia um termo muito usado, o complexo de viralata (by Nelson Rodrigues). Cheguei a estudar na escola o termo terceiro mundo.
Lembro que tinha muita coisa na escola,
que exaltava o fato de temos o maior estádio do mundo, a maior ponte do mundo e agora a maior hidrelétrica do mundo (quando você lê hoje que Itaipu poderia ter sido duas ou três hidrelétricas menores, com menores custos de dinheiro e com menos estragos na natureza, desaparecemos com 7 Quedas, que era mais bonita que as Cataratas, dá pra ter ideia com tínhamos necessidade de sermos os maiores). Ninguém, aparentemente, sabia o que era ou onde era o Brasil. Só existia Pelé. Não existia internet, nós não temos a dimensão do que era conhecido ou reconhecido lá fora. Quando surgia um “herói” assim, vitorioso, capaz de derrotar o mundo imperialista, que nos subjugava, ainda mais os transformando em “bobos” então, era a glória. Piquet surgiu por aí. Pelé era um vitorioso mas Piquet era um vitorioso que curtia na cara dos sujeitos. Era nossa redenção terceiro mundista. Talvez isso seja um monte de bobagens. Como disse, não é uma defesa de Piquet. Acho que é uma defesa de todos nós, que o achávamos genial.

Paulo E T Vasconcellos
Paulo E T Vasconcellos
Reply to  Marcos Bassi
11 meses atrás

boa análise, concordo bastante

éramos, sem ter consciência ,muito inferiorizados como sentimento comum

me lembro do que senti quando vi(na verdade ouvi no rádio) Emerson ganhando campeonato em Monza

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Paulo E T Vasconcellos
11 meses atrás

Esse sentimento vinha em todos os setores …no esporte…na música…me lembro do sentimento ufanista no primeiro rock in Rio…Paulo…nós éramos carentes de sermos notados…de termos alguém que nos representasse…ainda temos um pouco isso…

Cleiton
Cleiton
Reply to  Marcos Bassi
11 meses atrás

Bela e corajosa análise.

Britto
Britto
Reply to  Marcos Bassi
10 meses atrás

Nós não, que nunca o achei genial. Logo antes dele Emerson, e logo depois Senna, nos deram outra referência do que é ser campeão com alguma (não precisa ser toda do mundo) dignidade.

Paulo Leite
Paulo Leite
11 meses atrás

Mais uma obra de Piquet, receptador de material roubado, e mais um texto sublime de FG sobre os dois canalhas, o piloto racista e o covarde fujão.
Seu texto de 2022 é de um precisão incrível para mostrar que o piloto e o cidadão é um amalgamado de nojentos.

Carlos Ganhadeiro
Carlos Ganhadeiro
11 meses atrás

Espetacular análise sobre quem são alguns de nossos ídolos. Parabéns pela lucidez!

Jeferson
Jeferson
11 meses atrás

FG, como sempre, brilhante. Gostaria de lembrar a todos dos afagos do Senna ao Collor e dos Fittipaldi aos militares. O automobilismo em geral é tomado por reacionários. Que eu me lembre, as exceções são o FG, J.P. Oliveira e Marcelo Torrão (do regional) e mais nenhum. Até o Reginaldo Leme, que elogia até propaganda de margarina, é bolsonarista. Lamentável!

Marcus
Marcus
Reply to  Jeferson
11 meses atrás

Como você pode dizer que o Reginaldo Leme, um verdadeiro cavalheiro, é bolsonarista? Ele nunca deu a entender isso, ou qualquer manifestação política.

Diego Gomes
Diego Gomes
Reply to  Jeferson
11 meses atrás

Aparentemente, Sergio Quintanilha está entre estas notórias exceções.

Carlos Jose Pimenta Franco
Carlos Jose Pimenta Franco
11 meses atrás

Na propaganda do Fusion, o Mansel ao final deseja sorte para o NP. É clara a forma que o NP recebe as congratulações, com um nó na garganta, Ou seja, o Mansell um homem em paz consigo, livre das amarras da amargura, e de traumas, já NP….

Paulo Pinto
Paulo Pinto
11 meses atrás

Texto irretocável.

André
André
11 meses atrás

Nunca gostei como piloto. Como pessoa, nem precisa dizer.

Celio Ferreira
Celio Ferreira
11 meses atrás

Piquet piloto (um dos meus ídolos) Piquet cidadão ( Lamentável como pessoa)

Tales Bonato
Tales Bonato
11 meses atrás

Apesar de ser um dos grandes pilotos da história nunca achei a pessoa do NP o máximo. Muito menos engraçadas as tão frequentes manifestações de mau caráter dele, desde sempre. Mas, infelizmente, é muito comum indivíduos deste naipe serem considerados carismáticos e eleitos como heróis. Justamente porque a safadeza é o que seduz parte do eleitorado. Que, no fundo, também adora ser safado. Paciência. Pois é assim que caminha parte da humanidade.

Last edited 11 meses atrás by Tales Bonato
Ricardo KP
Ricardo KP
11 meses atrás

Vou falar uma coisa aqui: Meu Pai é assim tb. Faz brincadeiras idiotas, racista, machista, anti vacina, bolsonarista e assim vai.
Aquele decendente de italiano bobão que dá vergonha alheia…. INFELIZMENTE.

Last edited 11 meses atrás by Ricardo KP
Marcus
Marcus
Reply to  Ricardo KP
11 meses atrás

Seu pai, como os pais de muitos aqui, é um produto de seu tempo. Quem tem 60-80 anos viveu uma época de ilusão de propseridade e segurança, em que temas como Direitos Humanos, igualdade racial e de gênero etc inexistiam.

Luiz
Luiz
Reply to  Marcus
11 meses atrás

Cuida bem do que fala e escreve. Tenho 70 anos e não sou assim, Não generalize, não tenha essa fobia.

Fernando
Fernando
11 meses atrás

Ótimas palavras, Flávio, voce disse tudo. Parabéns!

Paulo E T Vasconcellos
Paulo E T Vasconcellos
11 meses atrás

Flávio ,já havia lido seu texto no UOL(sou assinante) e reli hoje.

Mas a grande surpresa foi receber seu texto num grupo de zap de pessoas, militantes de esquerda( PT, PSOL e outros sem partido ) com a finalidade de informar mais sobre o Piquet.

Como ninguém o conhecia, mandei bala, fiz um pequeníssimo resumo de sua vida de jornalista esportivo e ,enfatizei, sua veia comunista

Parabéns

Heuser Guimarães
Heuser Guimarães
11 meses atrás

Nelson Piquet é um grande piloto que muito orgulhou nosso país. Quanto à falcatruas e mal caratices, ele jamais chegará aos pés do ídolo de vocês que com eleições manipuladas alcançou o posto máximo no executivo e está destruindo a nação. Nelson Piquet, ao que eu saiba não rouba e nem é chefe de quadrilha!

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Heuser Guimarães
11 meses atrás

Atualmente é mantenedor das jóias de quem se apropriou indevidamente…com todo respeito…esse discurso imbecilóide e “gadista” vai até quando? O cara escangalhou o Brasil…torrou o cartão….fugiu…se finge de morto….sempre achei ele um horror….mas acho pior quem o defende…

Thiago
Thiago
Reply to  Heuser Guimarães
11 meses atrás

Eu poderia argumentar sobre sua fala, mas você não entenderia. Então, te direi apenas duas palavras que você com certeza consegue entender: PERDEU MANÉ!

Diego Gomes
Diego Gomes
Reply to  Heuser Guimarães
11 meses atrás

De fato, as eleições foram manipuladas… pelo ex-presidente genocida, que usou de toda a aparelhagem a seu dispor, incluindo disparos em massa de boatos estapafúrdios, ordens para que a PRF barrasse estrategicamente eleitores, e afins. Esse sim, contrariando o que os detratores de Schumacher dizem, é o verdadeiro Dick Vigarista: trapaceia, trapaceia, e ainda perde no final!

Mas em vez de ficar digitando esse mimimi, presumivelmente a partir de algum sinal clandestino de wi-fi na Papuda, fica a dica de fazer o L para sair do teu mundo de fantasia gadista do chofer que “não rouba”.

Jorge Luis
Jorge Luis
Reply to  Heuser Guimarães
11 meses atrás

Perdeu Mané ………….

Maurício
Maurício
11 meses atrás

Nelson Piquet tem bronca da Globo porque a mesma deu pouco destaque à ele e sempre teve inveja do Airton Senna, Senna era um cara humilde, Piquet, arrogante e presunçoso, os dois foram tri campeões, mas a diferença entre eles é imensa.

Plinio
Plinio
11 meses atrás

A hipocrisia é uma das grandes mazelas do ser humano. Além de chofer de carro oficial agora receptador? Dureza…

Adolfo
Adolfo
11 meses atrás

Gostaria de entender o porquê de algum país “dar” esses presentes milionários para um presidente da república, sua esposa e (muito provavelmente) sua família. Qualquer empresa possui código para recebimento de presentes e muitas simplesmente proíbem o recebimento, seja o que for. O correto seria qualquer presidente recusar o presente e reverter o valor para caridade, teria um uso muito melhor que ficar na fazenda de um piloto gagá.

Piquet foi um excelente piloto, mas é uma péssima pessoa. Não só por quem se associou, mas pelos péssimos exemplos e posicionamentos. Nem como tio do pavê o cidadão serve mais. Uma pena…

Foc
Foc
Reply to  Adolfo
11 meses atrás

Pelo mesmo motivo do NP ter dado 500 mil para a campanha da criatura. Contrato com o governo.

Ilmar
Ilmar
11 meses atrás

Bem, eu nunca gostei muito do Piquet, mesmo (muito embora ele tenha feito parte da minha infância, pois me lembro muito bem de ter visto e me apaixonado pela Fórmula 1 lá em 1985, 1986)…

Tiao
Tiao
11 meses atrás

Na década de 80 eu achava as coisas que o Piquet falava e fazia engraçadas. Eu cresci e amadureci. O Piquet, não. Apodreceu direto.

Jorge Luis
Jorge Luis
11 meses atrás

“Nossos ídolos ainda são os mesmos
E as aparências não enganam, não”

Essa é a m#%$ Flavinho ….
Abraço

Darcio Michele
Darcio Michele
11 meses atrás

Excelente!!!Como sempre, FG.

Mauricio Bumba
Mauricio Bumba
11 meses atrás

Flavio, por que bloqueou um comentário meu, onde cito, e elogio, um artigo seu escrito em 2012?

Mauricio Bumba
Mauricio Bumba
11 meses atrás

Coluna de 2012, brilhantemente escrita pelo Flávio Gomes, sobre o mesmo Nelson Piquet. Acho que vale a leitura.

https://www.grandepremio.com.br/f1/noticias/coluna-warm-up-por-flavio-gomes-historias-de-piquet/

LucPeq
LucPeq
11 meses atrás

Não tem como não admirar um cara que escreve assim, não tenho ídolos mas admiro muito algumas pessoas entre elas o Sr. Flavio Gomes

jaime
jaime
11 meses atrás

Sabias palavras. Piquet é idolatrado como piloto, mas como pessoa, perdeu muitos créditos. Alguns porém, as artimanhas no carros de corrida, isso sempre existiu , Equipes sempre procuraram buracos no regulamento para ganhar vantagem.

Denilson Cruz
Denilson Cruz
11 meses atrás

gosto do Piquet como Piloto, inegável talento. Como pessoa sempre foi questionável. Ele pratica muito bem o “ódio do bem”. Coisas que se fosse apoiador do Lula o Escritor deste site estaria passando pano e os baba ovo do mesmo babando ovo como sempre.

Bidón
Bidón
Reply to  Denilson Cruz
11 meses atrás

Significado de Ódiosubstantivo masculino
Sentimento de profunda inimizade.
Aversão instintiva direcionada a; antipatia, repugnância.
Paixão que conduz ao mal que se faz ou se deseja a outrem.
Ira contida; rancor violento e duradouro.
Sentimento de repulsão; horror.

Carlos Jose Pimenta Franco
Carlos Jose Pimenta Franco
Reply to  Denilson Cruz
11 meses atrás

Não meça os outros pela sua régua, o fato de vocês ser um aldrabão, um biltre, não nos enquadre no seu rol.

Jorge Luis
Jorge Luis
Reply to  Denilson Cruz
11 meses atrás

Eu nao sei o que esses caras vem fazer aqui Flavio ….
Vá a me%$# !!!!!!!!!!!!!

Last edited 11 meses atrás by Jorge Luis
Diego Gomes
Diego Gomes
Reply to  Denilson Cruz
11 meses atrás

Se definirmos “ódio do bem” como “ódio exercido pelos ‘cidadãos de bem'”, recorrentemente envolvidos em todo tipo de ato vil, ele pratica muito bem, mesmo…

Wagner
Wagner
11 meses atrás

Sou cinco anos mais novo que o Flavio, mas me lembro que quando o Collor ganhou as eleições presidenciais o Piquet disse, muito orgulhoso, que tinha sido mecânico dos carros do então playboy. Já era outro indicativo da boçalidade desse traste que a gente relevou. E o que dizer do pai dele, o Estácio do Souto Maior, ter sido ministro do Jango e cassado pelo AI-5. Ele é tão alienado que não percebe que o Bozo é filhote dos algozes do pai?

LARP
LARP
Reply to  Wagner
11 meses atrás

Pai de Piquet ministro do Jango: certo. Cassado com base no AI-5: certo. Mas não por motivos nobres. Na época da cassação, Estácio Souto Maior era deputado federal pela Arena. Apoiava a ditadura.

Luís Maurício Gonçalves e Silva
Luís Maurício Gonçalves e Silva
11 meses atrás

Parabéns pelo texto, bem escrito e preciso. Resume bem o que ocorreu com milhares de fãs que esse mau-caráter já teve, todos hoje enojados.

Emerson Nestor Pinto Borges
Emerson Nestor Pinto Borges
11 meses atrás

Simplesmente o melhor piloto de F1que já tivemos.

Foc
Foc
11 meses atrás

As viúvas estão dando gargalhadas…
Nunca comentei nada, mas as “brincadeiras” do NP para mim sempre foram de mau gasto, mas tinha quem as achasse engraçado então seguiu o jogo.
A surpresa foi realmente não nos darmos conta que aquelas coisinhas bobas de enganar os outros na verdade era falta de caráter.
Resta torcer para ser indiciado por receptação.

Osnir Alexandre
Osnir Alexandre
11 meses atrás

Pra mim, não basta envelhecer. É preciso envelhecer com dignidade, o que não é o caso desse, abjeto.