CATAR COQUINHO (1)

Verstappen: 30 poles na carreira, superando Fangio

SÃO PAULO (vamos lá!) – Max > Senna (em vitórias), Max > Fangio (em poles). Começo assim, como se fosse o presidente do fã-clube de Max Verstappen, apenas para que as pessoas tenham uma ideia mais bem fundamentada sobre o piloto que estamos tendo a sorte de ver em atividade.

O holandês fez a pole para o GP do Catar, que acontece domingo, e amanhã deve conquistar o título de 2023 por antecipação. Precisa apenas chegar entre os seis primeiros na Sprint, a quarta minicorrida da temporada. Foi a 30ª pole de sua carreira, tornando-se o nono piloto com mais poles na história. Estava empatado com Juan Manuel Fangio. São dez neste ano.

Os números impressionam e, por favor, resistam à tentação de dizer que ele só consegue tudo isso porque tem o melhor carro blablablá. Pilotos que sabem desfrutar dos melhores carros são aqueles que entraram para a história, como Schumacher, Senna, Vettel, Hamilton — para ficar nos contemporâneos. E carro não fica bom sozinho. Nem anda sozinho. Os muitos companheiros desses senhores tiveram carros iguais. E não conseguiram nem chegar perto dos parceiros. E, como sempre, basta citar Sergio Pérez para reforçar o que se pensa sobre Verstappen. O mexicano, hoje, ficou de novo no Q2. Larga em 13º.

Festa com mecânicos: décima pole no ano

O GP do Catar é uma corrida noturna e será disputado pela segunda vez na história. A outra foi em 2021, ano ainda pandêmico. De lá para cá reasfaltaram o belo circuito e construíram boxes e instalações de paddock das mil e uma noites. Dinheiro não falta. Se não lembram, teve uma Copa do Mundo outro dia por lá.

Os treinos começaram no fim de tarde, pelo horário local, com muita areia na pista e um calor de aborrecer camelos. “Está bom para meu pai”, brincou Carlos Sainz, filho de um dos maiores pilotos de rali de todos os tempos. Na medida em que os carros iam andando, o traçado ficava mais limpo e veloz. Os primeiros tempos foram marcados na casa de 1min37s. A pole de Verstappen, em 1min23s778, algumas horas depois.

Vamos a um resumo rápido em caixinhas, porque daqui a pouco tem live no YouTube:

Alonso: bom início e muito calor

Q1 – Alonso foi o primeiro piloto a fazer um tempo bom, na casa de 1min25s, numa sessão que teve muitas voltas canceladas porque a turma estava excedendo os limites da pista. A curva 5 era a grande vilã. Verstappen, Norris, Alonso e Piastri foram os quatro primeiros. Sargeant, Stroll, Lawson, Magnussen e Zhou foram os eliminados. Algumas observações, aqui. O americano da Williams andou bem, até, dentro das circunstâncias. Deixou de passar ao Q2 por apenas 0s092, derrubado justamente por seu companheiro Alexander Albon. Hülkenberg fez o nono tempo, o que mostra como Magnussen foi mal. E Stroll tomou 1s3 de Verstappen, sendo degolado logo de cara. Nos boxes, irritado, empurrou seu preparador físico. Na entrevista pós-classificação, fez isso aí embaixo. Esse moço saiu do prumo. Não se espantem se resolver parar de correr de uma hora para outra.

Q2 – Verstappen abriu os trabalhos com 1min24s748, uma ótima volta. Mas logo as Mercedes se aproximaram. A McLaren também. Faltando três minutos para o fim da sessão, os carros papaia estavam em primeiro e segundo. Max reagiu, voltou à ponta, mas acabou superado no fim por Hamilton, com 1min24s281. Tsunoda, Sainz (a 0s947 de Lewis), Pérez (a 1s081, com volta cancelada por exceder os limites da pista), Albon e Hülkenberg foram os eliminados. Vexame da Ferrari com Sainz, que estava contrariado com o desempenho de seu carro e disse que não ficou surpreso de ter empacado no Q2. Já Pérez, outra decepção, não sabia o que dizer. “É difícil explicar”, falou o chefe Christian Horner sobre a diferença de desempenho entre seus dois pilotos. É mesmo.

Sainz: eliminado no Q2

Q3 – Norris começou bem com uma volta em 1min24s088, mas ela foi rapidamente cancelada, ou “deletada”, como vocês humanos dizem. O mesmo motivo de sempre: sair dos limites da pista. Mas seu tempo foi superado por Verstappen na primeira saída do holandês, com 1min23s778. Colocou 0s7 em Piastri, então segundo. Russell se aproximou um pouco, 0s6 atrás. Hamilton veio em seguida, 0s5. Na segunda saída da maioria, erros aqui e ali, algumas escorregadelas e trapalhadas e no fim Lando teve outra volta anulada, assim como seu companheiro Piastri, que só foi saber disso quando estava sendo entrevistado como terceiro no grid. Deu risada e levou na boa. Até tirou a foto oficial dos três primeiros, embora tenha caído para o sexto lugar. Max não fechou a segunda volta. O grid está aí embaixo.

Max e Russell na primeira fila domingo: amanhã tem Sprint

ROLÊ ALEATÓRIO – Algumas informações curiosas. Sete equipes estiveram representadas no Q3, apenas três delas com seus dois pilotos: Mercedes, Alpine e McLaren. As outras: Alfa Romeo, Red Bull, Ferrari e Aston Martin. Alonso é o único piloto no ano que foi ao Q3 em todas as 17 etapas do campeonato. Pérez e Stroll, juntos, somam 16 passagens à fase final da classificação. Entre as equipes, a Ferrari tem 30 aparições no Q3, seguida da Mercedes com 28 e de McLaren, Aston Martin e Red Bull com 24.

SPRINT – Amanhã sai o grid da Sprint e a corridinha será realizada às 14h30, horário de Brasília. Como já dito, Verstappen precisa de três pontinhos para encerrar matematicamente a fatura. Falando de Sprint, faltam duas ainda neste ano, depois da de Lusail: em Austin e Interlagos. Max vai se juntar a outros cinco tricampeões no panteão da F-1: Jack Brabham (1959, 1960 e 1966), Jackie Stewart (1969, 1971 e 1973), Niki Lauda (1975, 1977 e 1984), Nelson Piquet (1981, 1983 e 1987) e Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991).

Subscribe
Notify of
guest

15 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Caio Simas
Caio Simas
4 meses atrás

Sempre aprendo com você, Flávio!

Wolverine
Wolverine
4 meses atrás

Dois pilotos punidos na sprint por conta dos limites de pista. Muito zoado isso, imagina como vai ser a corrida amanhã.
Qual a dificuldade de liberar os pilotos para correrem sem ter que se preocupar com as linhas do chão?

Chagas
Chagas
Reply to  Wolverine
4 meses atrás

Qual a dificuldade de seguir as regras que, olha que surpresa, devem ser seguidas?

Paulo Pinto
Paulo Pinto
4 meses atrás

Chegou e se tornou o segundo tricampeão com títulos seguidos (o primeiro foi Vettel, que tem quatros títulos seguidos).

Sérgio Lima
Sérgio Lima
4 meses atrás

Stroll se perdeu.
Latif tinha suas limitações, era massacrado, mas mantinha a compostura e educação.

Piloto de carrinho de supermercado
Piloto de carrinho de supermercado
4 meses atrás

Ao contratar Fernando Alonso, Lawrence Stroll parecia seguir a tendência de dar a seu filho mais um companheiro de equipe experiente, já em fim de carreira, que pudesse atuar como mentor do garoto, mas sem massacrar com ele, como acontecera anteriormente com Massa e Vettel. O quarentão espanhol não fazia sua melhor temporada no ano passado, e tudo indicava que se encaixava nos parâmetros estabelecidos. Deu errado: foi como dar uma motoserra de presente para uma criança… Lawrence subestimou o bicampeão do mundo e deve estar arrependido de não ter colocado Hülkenberg no assento vago. Alonso, além de ainda estar em grande forma, é um predador, no pior sentido da palavra – basta ver quantos companheiros destruiu ao longo de sua carreira, fora as polêmicas em que se envolveu. Se os dois anos ao lado de Sebastian Vettel talvez tenham feito Lance acreditar que podia brigar no pelotão da frente no futuro, esta temporada está dando um duro choque de realidade no rapaz: jamais será piloto de ponta, e sim um mero coadjuvante. Não acho que seria campeão do mundo, nem que tivesse em mãos o carro da Red Bull deste ano e o fortíssimo Nikita Mazepin como companheiro de equipe. O pior é que o destino de sua equipe ficaria incerto, se Lance Stroll resolvesse desistir da carreira, pois o considero a razão de existir da Aston Martin na Fórmula 1…

Danilo
Danilo
4 meses atrás

Nem torço para o Max, mas diminuir ou relativizar os feitos do rapaz é caso de algumas sessões no terapeuta. Stroll o mimado descobrir q o $ não compra tudo tem lá a sua graça.
Flavio PARABÉNS pela ótima entrevista para o Cosme Rimoli, vc é um ótimo jornalista.

Wolverine
Wolverine
4 meses atrás

Track limits…. que bost

lagerbeer
lagerbeer
4 meses atrás

Tá brabinhu Lancinho ? Vamu prá casa tomar mingau ? Aston Martin mau !!

Celio Ferreira
Celio Ferreira
4 meses atrás

Max …tranquilo tri …sem mais comentários…vamos ver
quem será o vice, que nunca será lembrado.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
4 meses atrás

Amanhã o 33 vai Catar o 3º título.

3 seguidas sem tirar de dentro.

And counting…

Rumo ao 8cta!

P.S.: Max já é tricampeão na Austrália!

IMG_4571.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
4 meses atrás

Uma pessoa idiocta, que corre para ser a primeira a louvar o tesão da vida dela, com trocadilhos dignos da quinta série: essa é lady baba, a fã mais ardorosa do piloto mais asqueroso, o futuro two and a half champion.

Last edited 4 meses atrás by O crítico
Wolverine
Wolverine
Reply to  O crítico
4 meses atrás

Tadinho, deixa o incel ser feliz.

Markinicov
Markinicov
Reply to  O crítico
4 meses atrás

Viva Max Verstappem

Paulo Pinto
Paulo Pinto
Reply to  Chupez Alonso
4 meses atrás

É mais um tri, que jogou o Mister Singapura um degrau abaixo.