HÁ ESPERANÇA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 1 de abril de 2014 - 10:09Brasil

HÁ ESPERANÇA

SÃO PAULO (nunca mais) – Estou embevecido com este vídeo que foi compartilhado pelo Facebook. o episódio ocorreu ontem. Um professor de Direito da USP abre sua aula fazendo uma defesa incondicional do golpe de 1964 e da ditadura militar. Então, do lado de fora da sala, alunos começam a simular uma sessão de tortura, com gritos lancinantes, choro, urros e berros dos torturadores. Logo depois, entram na sala com capuzes, cantando e interrompendo a aula do professor, que perde totalmente a compostura.

São jovens, que estavam muito longe de nascer em 1964.

Há esperança, enfim.

307 comentários

  1. Caveira disse:

    O fato é que nenhuma das partes está certa….Tão ruim quanto torturar e matar é negar o fornecimento de educação de qualidade à maioria da população e calá-la e garantir o seu voto com esmola-família…. Enfim….. O sujo falando do esfarrapado….. Isso está mais para código de Hamurabi do que para democracia….. Quem está no poder quer…. PODER….. Tenho pena de quem está nos extremos……

    Boa Morte a todos,
    Caveira

  2. Antônio Rodrigues disse:

    Houve excesso dos militares é claro. Não estou defendendo suas condutas. Mas enquanto houver imbecis, idiotizados por uma ideologia que se assemelha mais a uma espécie de religião, defendendo o comunismo ou algum tipo de socialismo que acredita que a riqueza gerada deve ser dos trabalhadores e não do dono da fábrica, com uma educação um pouco acima da média, mas nem por isso menos medíocre, e que por isso ainda “patina”, mas acha que …” a culpa é das elite”(SIC)… NÃO HÁ ESPERANÇA!

  3. Martim disse:

    Dois ” homi véio ” tentando fazer a cabeça dos jovens. Oportunistas.

  4. RENE FERNANDES disse:

    Casa onde todo mundo berra, ninguém tem razão!

    • Ulisses disse:

      Com certeza!
      Existem problemas muito maiores no país do que ficar discutindo essas polarizações e posições políticas do passado, presente e futuro.
      A política tem uma importância completamente desnecessária aqui no Brasil.
      O que precisamos é todos nos darmos as mãos e construirmos um país (bem) melhor que esse, simples assim!
      O ignorante aqui que vos escreve sempre foi socialista, enquanto sistema que houve todas as classes de todas as áreas, trabalhistas e patronais, a população de baixa renda, a de “média” (nunca ouvida), a de alta, os empresários, os professores, os alunos … todos tem direito a vóz!
      Um (bom) país se constrói com união, nunca com confronto!
      Tens razão Rene, enquanto tivermos todos berrando, a história continuará passando desgovernada bem embaixo do nosso nariz..

      • Ulisses disse:

        Completando.
        Acredito que essa aula deveria ser retomada, a sós, somente entre esse professor e os alunos dessa classe.
        Os alunos tem que escutar o que esse professor tem a dizer, tudinho.
        Após isso, o professor tem que se sentar e ouvir os alunos, calado, tudo o que eles tem a dizer.
        Terminada as opiniões, ambos tem que discutir alguns pontos que entraram em choque de opiniões e pontos correspondentes.
        Após isso, faz-se uma eleição entre eles, ítem por ítem dos pontos não acordados, quem tiver a maior representatividade ganha, quem perde tem que ficar quieto, acatando e respeitando a opinião da maioria.

        Isso é democracia, básica, ora bolas!
        A “aula” desse professor não foi concluída, para ninguém.
        Poderia ter sido uma bela aula para todos, principalmente para o professor, que deixou de aprender um pouco mais com seus alunos, se esses não tivessem esse ataque histérico!

      • RENE FERNANDES disse:

        Isso, isso,isso! Simplesmente apliquem o que está escrito na faixa da Bandeira Nacional, que é parte dos princípios o positivismo que diz:
        “O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim”. Seu regime é: “Viver às Claras” e “Viver para Outrem”. Viva Auguste Comte!!

  5. Flavio Moreno disse:

    foi com emoção que assisti o filme, e é nao permitindo que bandidos como esse professor falem inverdades, toda vez que isso acontecer a voz do povo tem que ouvida para desmacarar a mentira.
    na UFMG onde estudei, fui dirigente estudantil e combati a ditadura , tinhamos o teatro da resistencia que fazia essas apariçoes sempre que necessario
    DITADURA NUNCA MAIS

  6. Ulisses disse:

    O Brasil está regredindo, infelizmente.

    Está se polarizando em duas ideologias do século passado, de novo, novamente, outra vez, insistindo repetidamente no mesmo erro de sempre.

    Enquanto se discute essas bostas (porque é tudo a mesma bosta!), continuamos sem segurança, sem educação, sem transporte público descente, sem saúde pública, em futuro próximo vamos ficar todos no escuro por falta de investimentos em infraestrutura, pagando praticamente 40% do que ganhamos em impostos que são consumidos em superfaturamentos, incompetências gerenciais, roubalheiras generalizadas, descaso, etc etc.
    O que nos sobra, é para pagarmos planos de saúde, seguros, planos de aposentadoria privada (se você não for funcionário público), escolas particulares, condomínios fechados … etc etc.
    Se sobrar ainda alguma migalhinha, não ostente, porque você ou alguém de sua família ainda podem ser assaltados e mortos por menores de idade, vítimas de uma sociedade injusta, coitadinhos, que peninha deles …

    Que tal discutirmos o que realmente interessa?

    Por exemplo, só para começar, como administrar os cofres públicos com eficácia, uma ampla reforma política discutida na base de toda a sociedade e não no congresso, que beneficia crie mecanismos de fiscalização para o eleitor, uma ampla reforma no judiciário (principalmente na sistemática de nomeação dos cargos do STF), uma melhoria na capacidade técnica das agencias reguladoras para uma fiscalização rigorosa e eminentemente técnica, um sistema educacional menos injusto, ao invés da segregação racial desse sistema de cotas, uma melhoria geral desde a base de ensino para que todos (independente de raça e credo) tenham as mesmas oportunidades acadêmicas, um planejamento global de toda a infraestrutura do país, independente de governos, mandatos, partidos …. etc etc etc etc ….
    Temos muitas coisas para serem disutidas, um trabalho enorme de reformulação de praticamente tudo, antes de discutirmos essas merdas, PT ou PSDB? Capitalismo ou comunismo? Esquerda ou direita? Democracia ou ditadura?

    Enquanto se discute essas “polaridades”, nós, os babacas, continuaremos a pagar os impostos mais caros do mundo, de sistema fiscal injusto que alimenta os caixas (2) de partidos que já provaram não ter a mínima competência gerencial da coisa pública!
    E sei lá se tem algum que tenha!

  7. Saco cheio disse:

    90% dos estudantes da USP são filhos da classe média/alta, só estudaram em escolas particulares desde criança, a maioria já tem veículo próprio dado pelo papai, não pega ônibus nem metrô lotado, nunca usou (nem vai usar) sistema público de saúde e já vai terminar o curso com estágio emprego garantidos. Ou seja, mais uma geração da “esquerda caviar” reacionária, radical, intolerante, que não sabe protestar nem respeita posições divergentes de pensamento. E mais: Não respeita professor.

    Não há debate com extremista, seja um militar radical ou um burguês da esquerda caviar,

    Intolerantes e antidemocráticos da mesa forma.

    Quando esse blog voltar a ser sobre automobilismo, ou qualquer outro esporte, vou gastar mais tempo por aqui.

  8. Toda a ditadura é ruim, seja de direita ou de esquerda. O que me causa espanto é que estes fizeram a CORRETA manifestação contra o discurso são, via de regra, os mesmos que apoiam coisa parecida em países como Cuba e Venezuela.

    Mas é melhor eu ficar quieto, pois exigir coerência das pessoas neste país é uma utopia.

    Fernando
    http://www.twitter.com/houstontexansbr

  9. Luis Felipe D. S. disse:

    1 – Tomei conhecimento do texto que o professor lia na aula. Fora a parte que ele diz que a ditadura militar nos poupou de uma ditadura pior (que seria a ditadura de esquerda), não dá pra concordar com muita coisa.

    2 – Não sei até onde iria essa “aula”. O ideal seria que, após a conclusão do texto, o tema fosse aberto para discussão entre os alunos. Pela natureza do professor, parece improvável que isso ocorreria.

    3 – O Flavio diz que esse vídeo mostra que ainda há esperança. Eu discordo. E discordo pelo simples fato de que essa moçada aí parece desconhecer os conceitos de contraditório, tolerância e liberdade de expressão (e olha que se tratam de alunos de direito!). Quem invade a sala caçando a palavra do outro (no caso, o professor), não pode, dois minutos depois, falar em democracia. Esse vídeo demonstra, infelizmente, um exercício de hipocrisia estudantil.

    4 – Nem adianta falar que “mas o regime que o professor defende caçava a palavra do outro e violava a integridade física por pensar diferente”. Isso não é argumento. Quem se mede ou se pauta pelos atos do “adversário”, acaba ficando (moralmente) do tamanho dele.

    Um forte abraço!

  10. Diego disse:

    Alguém leu o texto completo?

    É sério, quem concordar que ele deveria ler aquilo para os alunos, ou concordar com o texto é doente, só pode.

  11. Ubaldir Jr. disse:

    Acho perigoso o caminho que estamos tomando hoje. Concordando ou não com o que o professor vinha dizendo (eu não concordo, nunca saberemos o que teria ocorrido realmente no Brasil se o golpe não tivesse sido deflagrado), há de se aceitar que num regime o qual chamamos de democrático, ele teria por direito expressar sua opinião.
    Em determinado momento do vídeo, algum dos “manifestantes” fala que o professor pode voltar, pois não será torturado. Mas a sua opinião foi impedida de ser dita de forma abrupta, e sim, violenta, o que não pode ser aceito em um país que queira se dizer democrático.
    Seja nas mídias sociais, seja nos meios de comunicação, seja no dia-a-dia: estamos cada vez ficando mais violentos no sentido de se permitir apenas a divulgação de um tipo de opinião. E isso não pode ser julgado como positivo. Não pode ser julgado como “esperança”.

  12. Herbert disse:

    Não acredito que ninguém criticou a gravata borboleta do professor! Não há esperança pra essa juventude!

  13. Eduardo Lasserre disse:

    Em fins da década de ’70, tentei montar um clube para gente recém-desquitada como eu, que estava sem jeito de reingressar no convívio social, e publiquei um anúncio na seção de cartas de uma revista de mulher pelada. Um belo sábado pela manhã, recebi a visita desse tal Eduardo Botelho Gualazzi, que havia tentado implantar um clube assim em um bar de sua propriedade na Rua Melo Alves. O curioso é que o gajo havia caminhado do Paraíso até o Sumarezinho (onde eu morava) para falar comigo, em vez de me telefonar. Quer dizer, o cara já era meio maluco, né?

  14. LEONARDO ALCANTARA disse:

    Olha mas o professor não pode expor a sua opinião, aonde está o direito de livre expressão? De debater e ao menos ouvir o contraditório com educação? Não ouço com educação um monte de palavras da esquerda sobre o golpe de 64 e não interrompo, pois estamos num país livre para expor nossa opinião. Esse caso para mim é um exemplo de intolerância e falta de educação. Ao invés de fazer isso porque não fazem um fórum de debate isento entre quem concorda e quem discorda da ditadura?
    Mas o que vejo que acontece é que quem não pensa de acordo com os moldes da esquerda se torna um inimigo que deve ser aniquilado de toda forma, Porque não debatem e derrumbam nas ideias? Será que isso eh medo ou falta de argumento? Não sei. E sinceramente, não tenho opinião formada sobre a ditadura pois nunca estudei sobre isso de forma honesta.

    • Adriano Moraes disse:

      Pois é… muitos pensão que democracia é impedir fala e liberdade de expressão dos que ousam ter pensamento diverso do seu.
      Isso não é democracia e DITADURA.
      O engraçado é que eles pensam, sinceramente, que estão combatendo a DITADURA agindo com DITADORES.
      Mas, ainda, HÁ ESPERANÇA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>